Resolvendo superaquecimento de Baterias no Nokia

Um colega de trabalho reclamava que após alguns minutos seu Nokia esquentava muito, o que o distraía, prejudicava sua performance no papo-mole, e diminuía suas chances com as meninas. Embora autor de muitas frases da série “Pérolas da Língua Portuguesa”, o cidadão é pra lá de criativo, e resolveu de maneira inteligente o problema da Bateria Quente. Clique adiante e veja como ele fez…

O problema aqui é simples: Telefones esquentam. Faz parte das Leis da Termodinâmica, e se você não gostou, vá reclamar com Maxwell.

Alguns esquentam mais que os outros. O 3320 esquenta pouco. O 232 era um ferro de passar roupa na sua bochecha, depois de 5 minutos de conversa, mas como a bateria dele não durava muito mais que isso mesmo, não tinha problema.

Eduardo, o mcGyver da hora, resolveu resolver (construção horrível, né?) isso de uma vez por todas. De posse de uma placa-mãe velha, recolheu dois dissipadores de calor. Usando Super-Bonder, colou-os à sua bateria.

O telefone não ficou muito mais grosso que o habitual, e ainda dá pra ser levado no bolso. Ao usá-lo, somente os dissipadores entrarão em contato com seu rosto, e como a área aumentou muito, o calor específico de cada ponto é quase temperatura ambiente.

Solução criativa? Sim. Funciona? Sim. É esquisita? Sim, mas não vai causar nenhum mal a seu telefone.

Provas do Crime:

Foto 1

Foto 2

Foto 3

Leia Também:

  • Cardoso,

    Essa foi boa… Tenho vários dissipadores destes aqui… Pro meu 6600 tem que ser um pra pentium 4! Daqueles grandões! :D

    Abraços,

    José Paulo