Os Idiotas e a Wikipedia

napster

 Dando uma de Galvão Bueno, posso dizer, “eu sabia!”. Quando Jimmy Wales criou a Wikipedia, novatos e utopistas abraçaram a idéia. O conceito em si é lindo. Uma enciclopédia gratuita, online, onde qualquer um cria o verbete que quiser, contribúi e edita outros verbetes. O conceito seria a autoregulamentação. Se alguém encontrasse uma informação errada, educadamente consertaria, avisaria o autor do tópico original e todos sairiam para colher margaridas. Na prática não é o que acontece. Ocorreram verdadeiras guerras dentro da Wikipedia. O acesso anônimo à area de edição não existe mais, alguns verbetes são protegidos enquanto outros são completamente fechados.

Várias acusações de posts tendenciosos têm sido feitas. Muitas com fundamento. As pessoas se casam com suas idéias, não gostam de vê-las maltratadas. Para isso fazem de tudo, inclusive alterar verbetes e vandalizar as páginas dos desafetos.

Há uma grande quantidade de voluntários e editores acompanhando as páginas mais visadas (Hitler, Bush, jesus e similares) mas páginas menores podem conter erros por anos até que alguém os descubra. Pior, erros propositais.

Algumas páginas “quentes”, antes de protegidas, eram alteradas mais de 10 vezes em um único dia.

No Brasil, a coisa piora. Ao invés do vandalismo ideológico, a agenda aqui é outra. Temos o vandalismo digital puramente anarquista. É gente que entra em listas, não se comporta e na falta do que fazer fica assinando com emails falsos e mandando mensagens privativas ofendendo membros, são chatos de fóruns de visitam blogs, passam o tempo todo postando comentários reclamando mas não se tocam que se está ruim ELES podem fazer o próprio blog e não ficar chateando o dos outros…

Nossa cultura favorece esse tipo de comportamento. Toda e qualquer regra de conviência é vista como um  ataque à liberdade individual, que sempre é defendida com discursos sobre “democracia”, “direito de resposta” e outras palavras de ordem.

Já vi gente dizendo que não era obrigada a escrever direito, que não vivíamos em uma ditadura e ela poderia escrever ‘naum’ quando achasse melhor.

Então tá.

O Orkut já matamos. O brilhante artigo “Os Brasileiro Malas do Orkut” define bem minha opinião. Chegamos em um ambiente público, nos espalhamos e insidiosamente espantamos todos os outros. Hoje o Orkut é uma comunidade só de brasileiros. Acabou todo o conceito de diversidade, integração e troca de conhecimentos, que era a grande sacada do serviço. Mas o pessoal quer falar português em comunidades com gente do mundo inteiro…

O fotolog já matamos. Falta O Flickr. Quando descobrirem os Wikis é que a coisa vai pegar.

As implementações mais comuns de wikis não apresentam qualquer segurança. Algumas liberam inclusive acesso anônimo. Vários sites estão se “Wikificando”, em uma forma de diminuir custos e permitir mais atualizações. Só que o tiro sairá pela culatra.

Quando a garotada descobrir que pode usar um site desses como CMS de pobre e colocar lá seus programas, textos e imagens, vai cair matando.

Um bom exemplo é o projeto RSSficado. Uma iniciativa importante, legal, útil. Um conjunto de scripts em PHP que através de parsers modulares transformam uma página comum em um feed RSS. Com isso você pode ler em qualquer lugar (via Bloglines, Google Reader, Sage, você escolhe) seu site preferido, mesmo que ele seja avesso a RSS como O Globo.

Pois bem… o pessoal do RSSficado resolveu aderir aos wikis. Só que os spammers descobriram. Experimente, entre no site deles. Resista à tentação de me escrever um desaforo dizendo que está tudo OK, e clique em qualquer um dos links.

Você verá algo parecido com essa tela aqui…


teste
Pagina recentemente adulterada do RSSficado.com.br.

Exato. Uma bela de uma página de spammer, apontando pra sites de remédios falsos genéricos vendidos na Internet.

Você sempre pode dizer que é só alguém consertar. Mas.. quem tem os originais? Quem é responsável?

Eu apaguei outro dia os spams de todas as páginas. Deixei um aviso, pedindo pra comunicarem aos responsáveis.

Não adiantou, no dia seguinte os spams estavam lá de novo.

Claro que clicar em “Edite esta página” (vá lá, clique) só me deixa irritado. Parece palhaçada ser recebido com:

“Este é um Wiki aberto, logo não há senhas nem restrições para editar o texto. A liberdade é total. Faça uso responsável dela.”

Desculpe gente, mas o mundo não é cor-de-rosa assim. Há muita maldade por aí. Desde o adolescente problemático que desconta suas frustrações postando besteiras no blog da garota do colégio que não dá bola pra ele, ao spammer que quer vender seu viagra floral de qualquer jeito, e só existe porque alguém acredita nele.

Deixar uma ferramenta de edição de conteúdo aberta para uso anônimo e achar que NÃO haverá abuso é de uma ingenuidade sem-par. Assim como é ingênuo e contraproducente achar que gente interessada e geradora de conteúdo vai deixar de produzir coisas novas para servir de babá de site. Não vai. No máximo irão exigir que coloquem uma senha ou tomem providências.

Se você duvida, experimente. Vá no RSSficado, apague os spams, deixe um recado pedindo ajuda. Volte dois dias depois.

É triste mas é real, o ser humano quando impune age como espírito de porco. Destruir é mais fácil que construir, criticar é mais fácil que aconselhar, rir é mais fácil que entender. Que é a palavra-chave.

É preciso entender que projetos de colaboração em grupo só funcionam se todo mundo colabora.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Pingback: Charles? Que Charles? » Blog Archive » Bye bye RSSficado()

  • Belo texto. Eu sinto na pele esse problema de SPAM em Wiki. Eu praticamente mantenho sozinho um wiki no endereço http://wiki.nh18.com.br

    A idéia era que, se todos participassem, a wiki teria conteúdo de qualidade sem que os usuários gastassem muito do seu tempo em sua edição.

    Mas depois de algum conteúdo inicial o wiki está às moscas. tenho problema com bot spam que sempre detona a mesma página (pelo menos o mediawiki tem sistema de histórico). Também já tive problemas com usuários pichadores, que inclusive me xingam de "otário" por permitir que qualquer pessoa edite o site. Eu tenho pouca paciência, e o último que fez isso eu bloqueei o acesso e setei o tempo de expiração do banimento em 20 anos…

    []'s

  • Jorge Flávio

    Sergio, isso não acontece só com a garotada novata. No meu curso de pós em Redes, perdemos quase uma aula toda porque um gaiato mudou a senha de Administrador do servidor (que o professor ingenuamente falou para a sala toda). Veja só: alunos de Pós!!

    E lá no exterior, os brasileiros são muito mal-vistos nas comunidades de código-livre. Só querem pegar tudo pronto e não contribuem no desenvolvimento de quase nada. A exceção é a regra.

  • Fagri

    Grande comentário. Isso remete a uma conclusão que a muito tempo eu tenho: "O brasileiro é a grande praga da Internet".

  • Isso me lembra um "causo" recente… reclamei com o dono da comunidade do orkut que a comunidade nao aguentava mais o spam de "cicarelli molhadinha". Daí ele chegou e começou a dar chiliquinho que a comunidade era dele, "que aqui nao é reunião de condomínio", etc, etc. Então tá né, quem apagava os spams era eu, hoje em dia tá tudo às moscas, porque ninguém vai postar numa comunidade de spam.

    O orkut é uma das piores comunidades que conheço, com pouquíssima gente boa. Em comunidades estrangeiras, mesmo as de americanos grosseirões, você começa um assunto e o povo contribui… aqui não, aparece um monte de menininha do estilo "faz de graça pra mim, sou estúpida", que não lê as regras da comunidade etc.

    Mas, como isso não é monopólio do orkut, infelizmente creio que você está certo, a culpa é do brasileiro mesmo.

  • elmoneri

    Assunto interessante esse da leviandade e irresponsabilidade brasileira. Traça cultural (epa, era para sair traço, mas ficou bem assim) dos mais antigos. O Padre Vieira, já no século XVII, acusava os senhores da terra de conjugar, principalmente, o verbo "rapio" (roubar, em latim). Metiam a mão em tudo, com a maior cara de pau. O Capistrano de Abreu, no século XIX, propôs a Constituição para resolver os males da Nação, em dois itens: "Artigo 1 – Todo o brasileiro é obrigado a ter vergonha na cara. Art. 2 – Revogam-se as disposições em contrário".

    Há poucos instantes, passei por um blog português, onde o pessoal da terra estava fulo com a vulgaridade e maus modos dos brasileiros. E os os nossos respondendo da maneira mais grosseira possível, usando de argumentos furados e batidos: que somos extrovertidos, alegres, que herdamos o atraso que eles nos deixaram, etc.

    No Japão, os dekassegui, mesmo etnicamente japoneses, sofrem uma discriminação devido a seu comportamento. Não participam do esforço coletivo de limpeza urbana, são inconvenientes e, infelizamente, introduziram o furto nas lojas, nos carros e, por aí vai. Não adianta o fato de serem excelentes trabalhadores, mesmo para o padrão deles. Resultado: quando percebem que há brasileiro por perto, o alerta é geral. Depoimento de gente que veio de lá depois de alguns anos.

    Por outro lado, esse tipo de auto-crítica é comum entre nós. Tenho ouvido muita lamentação a respeito, há muitos anos. Sinal que reconhecemos nossas deficiências e queremos melhorar. Não vejo isso em outras grupos nacionais. Como lidei muito no comércio, percebia que imigrantes, alguns sem cultura nenhuma, como era o caso dos sírios (os libaneses eram de nível melhor), que não tinha outra atividade que não a mercância, usavam de todos os artifícios e explorações e amealhavam o suficiente para melhorar o seu padrão e proporcionar condições para seus filhos. Hoje, os seus descendentes, perfeitamente integrados, nada têm a ver com as gerações anteriores. Isso tudo para dizer que ninguém tinha complexo de inferioridade, o árabe, o alemão, o italiano, o espanhol e até o português, todos pavoneavam suas virtudes nacionais. Os descendentes deles são, atualmente, esses brasileiros, como nós, com esses defeitos adquiridos não sabemos como. Para terminar, acho que tolerância constitui o nosso forte e a nossa virtude-mãe. Absorvemos tudo e todos. Parece que, por sermos um tanto dissolutos, somos também um tanto dissolventes.

  • Éverton

    Brasil: terra sem lei. Matamos tantas coisas com nossa cultura podre….você citou apenas "parte" irrelevante do que já destruímos. Parabéns pelo artigo. ABs

  • Neto

    a wikipedia é uma boa fonte de materias escolares embora haja alguns escandalos…

  • renata

    Pessoas,

    que grupo está por trás da Wikipedia?

  • E um programa legal porque entra no google rapido

  • Ai está, justamente a liberdade que o wikipédia possui, pode ser usada para o bem como para o mal.

    Mas em geral há muito bom material.

    Li em outro blog uma pessoa falar que um certo tópico da wikipédia falava bem de uma pessoa, enquanto ele (o dono do blog) dizia que essa pessoa era tudo de ruim.

    E eu conheço bem sobre aquela pessoa, para dizer que ela possui um lado bom e um lado ruim.

    bom… deveria ter um espaço na wikipédia para falar os pontos negativos sobre determinado assunto (que pode ser uma personalidade)..

    acredito que isso resolveria tudo.. :}

  • Henry

    A auto regulamentação da wikipédia não funciona, se todo mundo tem privilégios iguais vira uma bagunça. No começo eles acharam que deixar aberto e sem restrições faria o povo entrar e participar, prosperar e evoluir sozinho. Mas não foi isso que aconteceu, veio o spam, as guerras de edits, as guerras nas páginas de usuário, as páginas de discussão dos artigos viraram fóruns e muito mais. Aí começaram a criar muitas extensões pra bloquear o spam, restringir os usuários, robôs pra fazer edições em massa e muitos recursos que faltavam.

    Eu acho a maior falha justamente o histórico de edições. O Jimmy diz que qualquer estrago é registrado e pode ser desfeito. Mas qual o sentido de poder voltar atrás e refazer infinitas vezes? Só um robô pode ler 10 mil revisões de uma página. Qual o sentido de pessoas entrarem nas páginas de discussão e nas páginas de usuário e editarem umas as outras infinitas vezes? A wikipédia só não afundou pq eles fazem as coisas às avessas, uma página não é criada diretamente, nem uma categoria, primeiro uma página tem q ser categorizada pra criar uma categoria, e uma página só é criada se primeiro fizer uma busca. Se não fosse isso e a ausência de WYSIWYG a massa já teria transformado a wikipédia num salve-se quem puder.

    E tem ainda um problema de grandeza. A wikipédia não tem chão fixo, é história de remédio, curiosidades de celebridades, história da banana, fórmulas químicas de doces, qualquer coisa que o povo queira tem lá. Tem 5 milhões de verbetes mas incluindo todo tipo de coisa que uma enciclopédia real não teria.

  • lamunheta

    Eu repguino este site e um lixo eus sou ocritico lamunheta

  • ANARC

    FASCISTAS!!!