Você usa Linux porque é fodáximo maravilhoso perfeito absoluto? Ou porque gosta?

maraca.jpg

Na verdade essa discussão vem de berço. Nossa cultura do Maior do Mundo só admite que nos aliemos a campeões. Ronaldinho é o Melhor do Mundo? Beleza. Ayton Senna imbatível? Ótimo. Barrichello disputando junto com os cabeças, mas sempre atrás do alemão? Inconcebível, é um perdedor, um fracassado. Não basta correr na Ferrari. Tem que ser o máximo entre os maiores.

Sejamos realistas. Todo mundo só anda de Porsche, come no Fasano e namora a Luciana Vendramini? Uma Sarahyba também pode ser divertida. É vergonha ser visto do lado dela? Na Internet brasileira a cultura do Maior do Mundo achou terreno fértil (talvez abundância de adubo) para se desenvolver. “Eu uso YYY, dizem que é o melhor”. “Instalei o sistema YYY. Li que não há nada superior”.

As argumentações são várias, coloridas e emocionais, mas ninguém tem a decência, a hombridade, a humildade, a SIMPLICIDADE de dizer “eu sei que YYY é tecnicamente melhor, experimentei as alternativas e uso XXX porque gosto”.

Para alguém usar uma ferramenta ela precisa ser a melhor. É um atentado ao ego ser visto com algo de qualidade questionável (leia-se abaixo do líder). Assim como “gostar” de algo é argumento muito fraco para uma adoção.

Aqui na Matrix isso ocorre direto. As tribos de fanboys se digladiam o tempo todo sobre quem é o melhor seja lá do que for. Neste post artigo texto sobre o Debian ter sido hackeado, os comentários são sintomáticos. Ninguém discute o mérito da invasão, o grande tema é a suposta arrogância do pessoal do Debian, e como a tribo XXXX é melhor, junto com sua distro, bla bla bla.

O fanboy usuário dos “melhores programas e ferramentas do mundo” fica em uma posição confortável. Defende a liberdade de escolha desde que a opção escolhida seja a dele. Quem insiste em seguir outro caminho, é tratado de forma condescendente, como mais um dos pobres coitados que ainda não viram a luz. Como os OpenXiitas que acham que “Seja Livre, use Linux” significa que todo mundo que não usa Linux não é livre, não admitindo que alguém opte por uma alternativa.

Neste post do Web-Z, o Marcelo fala sobre Mitos do Firefox, que provam sua tese de que o Opera é o melhor navegador. Eu não discordo, tecnicamente ele é muito bem-resolvido, agora sem os anúncios irritantes está bem melhor, é o que uso no meu PocketPC inclusive. Só que a questão é:

Eu não gosto. Prefiro o Firefox. Em segundo, o Explorer. Não me adaptei ao Opera, em termos de recursos ele me atende, mas a filosofia do programa não me agrada, me sinto mais à vontade com o Firefox.

Deixo muita gente irritada quando revelo que não uso o Bloglines, o Outlook ou o Gmail. A solução de email que melhor me atende nem de longe é a melhor do mercado, é um programinha feito por um estudante japonês, que parou de ser desenvolvido em 2004, o Becky Internet Mail. Meus RSS são lidos via Omea, que não é web2.0, não é tagueável (inventei agora) e muito menos multiplataforma.

Não morri por causa disso.

Assim, fica minha recomendação: Use o que você achar melhor, não o que te disserem que é o melhor. Não há nada de errado em seguir tendências, mas isso é bem diferente de fazer parte de um rebanho.

Technorati : , , , , , ,

Leia Também:

  • Quase me batem porque uso o Blogger.br no meu blog principal, embora use WP e Blogger.com em outros endereços. É ruim, me dá o triplo de trabalho, mas por enquanto eu gosto e não terei nenhum problema em mudar de plataforma qdo bem entender… Que saco, tecnologia não deveria se confundir com ideologia! ;)

  • Amém!

    Eu uso linux. Também uso Win XP, por causa de uns programas e jogos. Gosto do Linux por causa de suas capacidades técnicas. Não é porque eu uso Linux que eu tenho que aderir toda "filosofia livre" do software livre e tal, nao é? Parece que o brasileiro gosta muito de tomar partido. Discute logo se alguem for contra algo que ele gosta, que muitas vezes mal conheçe mas gosta. O cara nunca viu linux na frente dele e já fala que é ruim. O outro diz que o windows vista é ruim, ou maravilhoso, sem nem ter visto(eu posso falar pq ja usei,muito…rs). Uma pessoa leu meu blog e disse que falo mal das coisas que nao gosto. O que nao é verdade. Eu falo das coisas, e se essa coisa é ruim ou má, consequentemente o q eu falo sobre ela sera ruim… Agora, se a coisa é ruim ou nao, depende de quem acha.

  • Jin

    Mais uma ótima reflexão sua, Cardoso. Eu concordo plenamente com todos os aspectos que você citou, e já até pensei em escrever sobre o mesmo assunto. Eu uso o GNU/Linux (Ubuntu, embora tenho muita vontade de experimentar o Gentoo) porque gosto, como power user eu me sinto com mais liberdade para adaptar o sistema, de tal forma com que ele complemente as minhas tarefas diárias de forma rápida e eficiênte. Sei que isso poderia ser realizado em qualquer plataforma, mas é no GNU/Linux que eu me sinto mais a vontade. Enfim, eu não tenho o que comentar quanto ao post, errrr, digo, texto em si, pois a minha opinião já é expressada precisamente nele. Stay Sharp.

  • É que é assim: Quem não tem compromisso com a produtividade, pega, melhor: se apega, a alguma coisa e, apoiando-se nos pontos positivos, diz que tal coisa é a melhor do mundo.

    Por outro lado, quem é acostumado(obrigado) a conviver com a produtividade, busca soluções(palavrinha-mágica). Geralmente não tem tempo de fuçar a fundo todas existentes, então pega uma superficial que lhe atenda.

    O brasileiro é assim, a maioria reclama porque não está nem aí, é bem aquela política: "vamos nos apoiar nas vitórias dos outros para não precisar-mos lutar e vecer"

  • Tranqilinho Cardoso?

    Um ótimo exemplo são os usuários dessa onda UBUNTU, se tu não usa Ubuntu, meu Deus ! oque que você faz que ainda não usa ele?

    Eles estão ficando pior que os Xiitas usuários do pingüim.

    Uma das questões que envolvem o SL e que sempre se fala para uma pessoa que esta entrando neste universo é : " Não use XXX nem YYY use oque for melhor para você "; Ok, muita gente não entende e vai usar o programa do momento e quando não se adapta trata de iniciar os flamewars em listas, foruns e sites especializados.

    Agora, vou descordar do Andre quando ele diz que para usar GN/Linux não precisa aderir a toda a sua Filosofia…

    Sou um grande defensor de que para usar o qualquer coisa GNU você tem que estar ciente de toda a sua filosofia para poder extraír tudo oque este programa pode lhe oferecer, impossível usar GNU sem saber das suas liberdades? Óbvio que não porém seu uso fica restringido.

    Me extendi muito.

    É isso.

    FALOW !

  • Eu uso Linux, mas é por gosto, simplesmente. Eu uso várias ferramentas que não estão disponíveis no Windows e me sinto muito, MUITO mais a vontade utilizando o Gnome no Linux do que a interface gráfica do Windows.

    Já tive ideologia, já fui fã do Stallman e hoje acho bobagem a maior parte das coisas que ele fala. Já usei Slackware por ser "a distro mais difícil de aprender", mas foi coisa de criança: hoje uso Ubuntu e não me preocupo mais com distro, me preocupo em trabalhar, assistir DVDs, ouvir música e todas as coisas que eu quero sem ter que fazer coisas "fodásticas".

    BTW, parabéns pelo post. Existe bastante gente assim, mesmo.

  • Na vida e no nosso cotidiano tudo é relativo. Nada é melhor do nada. Ninguém é melhor do que ninguém. Ops, ficou confuso. Isso tudo depende muito de uma série de fatores como por exemplo, o seu estado de espírito quando utilizou o Firefox ou o Opera.

    Se você já utilizava o Firefox e foi com a intensão de somente experimentar o Opera, ai fica claro que você não vai gostar do Opera. Quando fui utilizar o Firefox pela primeira vez ainda na versão 1.0 não gostei. Quando saiu o Opera sem anúncios, resolvi experimentar também.

    Esse sim atendia as minhas expectativas. Veja bem, eu disse minhas expectativas. Aqui, hoje eu utilizo os dois navegadores porque cada um deles me oferece um pouco daquilo que eu busco. O Opera é infinitamente mais rápido que o Firefox na hora de abrir uma página. Mas infelizmente nem todas as páginas abrem com ele.

    Portanto não é que esse ou aquele seja melhor, é aquilo que você busca que define, para você, a qualidade de um produto.

  • Na minha opinião, um dos motivos que o software livre não "deslancha" é esse "xiitismos" dos usuários que acaba deixando a "comunidade" com cara de frenquentador de igreja evangelica e militante do PT.

  • Sergio (Clemente): em que entender, apreciar e compartilhar da filosofia do SL vai fazer meu Firefox funcionar melhor, e em que eu o estou usando MENOS por não militar na área? Existe alguma feature escondida disponível somente para membros do partido?

    Software não tem ideologia. Se fosse assim comunistas não usariam Windows.

  • Ótimo texto, parabéns.

    Acho que em primeiro lugar vem a escolha da pessoa, ou seja, aquilo que ela gosta, ou não. Isto é o que deve valer na hora de usar, ou não um programa.

    Agora a questão de superioridade técnica, pode sim ser comparada. Se é o que vai ser levado em conta na hora da escolha do software, ou não, isso é uma problema da pessoa. Mesmo assim é interessante ter conhecimento das características (vantagens/desvantagens) de cada software.

    Abraços,

    Marcelo

  • Porque será que o Linux aqui da agência "deu pau"? Nem com no break, não aguentou! Falaram tanto que ele era um Ronaldinho… Ah, Ronaldos pisam na bola…

    Já tive muitas vezes a sensação "que saudade do Windows" .

    Vão falar que eu tô doido, mas nem ligo pra isso, pois eu faço o que eu quero. Continuo usando o Windows, até o dia que tomar coragem pra administrar meu tempo, só pra me dedicar com Linux.

  • Lu

    Boa. Gente xiita é um porre. Quero experimentar o Linux, pergunto num grupo qual é a melhor distribuição e começa a briga, sem qualquer argumento que me ajude a escolher. Ora, bolas.

    Eu uso o que me parece mais confortável. Adoro o Firefox, também não me dou com o Opera e quase tenho um treco quando preciso usar o IE. O Bloglines é bom, mas o Netvibes também é legal, e por aí afora… experimentando sempe!

  • Tranqilo Cardoso?

    Não, a ideologia do GNU não ajuda em questões tecnicas, "programáveis".

    A Filosofia do GNU ajuda pois ao segui-la eu consigo lidar melhor com questões do tipo usar um bugzila, ajudar um colega etc.

    FALOW !

  • Marcio Eugenio , o que voCe quis dizer com isto: "Na minha opinião, um dos motivos que o software livre não “deslancha” é esse “xiitismos” dos usuários que acaba deixando a “comunidade” com cara de frenquentador de igreja evangelica e militante do PT." ??

    Agora porque sou evangelico sou xiita? hehehe…. Nao aguentei..tive q falar ….

  • Olá Andre,

    Sem dúvida eu generalizei o assunto e fiz esse comentário para ilustrar o fanatismo do pessoal do Linux.

    Sei que nem todos os usuários do Linux ou freqüentadores de igrejas evangélicas são fanáticos, mas essa é a impressão que tenho. Já militantes do PT… 

    Desculpa se me fiz entender mal, mas não quis ofender ninguém.

  • Eu não acho que tenha muita gente que use o linux "porque é fodáximo maravilhoso perfeito absoluto", esses no máximo usam o Live-CD do Kurumin de vez em quando, porque acabam sentindo falta de alguma coisa do Windows….

    Tem um amigo que queria porque queria instalar Linux no PC dele… Dei um CD do Ubuntu pra ele… Acho quer tá na gaveta até hoje…. Se ele usou o Live-CD, foi muito…

    No meu caso uso Linux porque tem tudo que eu preciso – e eu não preciso me preocupar de reiniciar a máquina a cada X horas porque eu entupi a memória e tudo ficou muito lento…

    [off]

    (Só curiosidade mesmo…)

    O que você não gostou no Opera, cardoso?

    {/off]

  • Valeu Marcio Eugenio! PErcebi que tu deu uma "generalizada nao pensada" rsrsrs… Existem fanaticos em todo lugar mesmo.. Entre os "evangelicos", catolicos, Linuxers….

    Eu vejo fanatismo como uma falha de caráter, como um tipo de xenofobia.

  • É engraçado isso… O Opera é nitidamente um navegador melhor que os outros, mas não consigo abandonar o Firefox. Questão de conforto. Tb me adaptei ao bloglines e praticamente ignoro qualquer outro leitor de rss que me apresentem. O importante é a liberdade sim, mas de escolha!

  • Pingback: Web-Z » E a guerra continua…()

  • Eu sei bem o que é isso e já até escrevi um texto no meu blog sobre o que acho da postura destes caras.

    Um bom exemplo disto é o que se pode ver ao acessar este blog com o I.E.

    Simplesmente medíocre…

  • Pingback: Para onde foi o WebDesign?()

  • pedro

    eu uso linux porque gosto,
    cada um que use o que quiser, não entro nessas guerras de "sistemas operativos", qual o melhor? cada um sabe o que é melhor para si e para o que pretende fazer com a maquina.

    …em Portugal, quem for a uma grande superficie comprar um computador novo, vem com o Windows VISTA à força, paga e cala, mais ~40 contos[200€] pelo "sistema operativo"… UAU!!!

    bahhh!!!

  • Pingback: Evangelizo, sim » Leandro Facchinetti()

  • Claudionor

    comi a bunda de um usuário do linux esta manhã, o seu nome era, era, open-ass?! open-door ou seria open-anus… não lembro, lembro apenas da roupa de pinguim que ele usava.

  • Martin Juan

    Cardoso, eu não uso linux porque não sei usar. Admiro quem sabe. Tenho dito.
    VL&P.

  • Islan Oliveira

    Tive parcas experiências com o Linux. Não uso por uma variedade de motivos. Primeiro: Não sei nem quando foi a última vez que vi um notebook sendo vendido com Linux nativamente. Segundo: não conheço nenhuma função que o Linux tenha que EU USE que o Windows não faça. Navegador uso o Chrome, afinal por usar Android é o mais integrado possível e deixo o Opera como reserva, mas poderia ser o Firefox também. A coisa mais complicada que existe são fanboyolas, que acham que só o que usam é melhor. Eu poderia ter um iPhone? Financeiramente falando, não. Logo fanboys diriam que eu não uso porque não tenho condições. Porém a filosofia do iOS não me agrada, desde que passei a ter conhecimento de OS Mobile. Não tenho interesse em possuir mas sei reconhecer que tem qualidade.

  • gandralf

    Mac.

    Se não tivesse Mac, usaria Linux. Unix tem as ferramentas que mais uso profissionalmente. Mas provavelmente teria uma partição com Windows para rodar um ou outro jogo.