Quando o assunto é dinheiro, eu me lixo pros comentários

Calma. Como dizem as boas esposas, não é o que você está pensando.

O que acontece: O AdSense avalia o conteúdo de sua página dinamicamente, para escolher os anúncios que vai publicar. Quando há muito conteúdo, ele não gosta, se confunde e acaba não mostrando nada. Se ele acha muitas palavras proibidas, como aborto, terrorismo, pedofilia, sexo bizarro, etc, ele vai baixando o valor de sua página, no final você só exibe os anúncios mais vagabundos.

Quanto mais direcionado o conteúdo, maior a qualidade dos anúncios, e maior o valor pago.

OK, show me the money

Uma excelente forma de dar menos, porém melhor conteúdo para o AdSense mastigar é remover da vista dele a sua barra de opções, a sidebar E os comentários. SIM, principalmente posts muito frequentados, com grande quantidade de comentários, confundem o robozinho do AdSense. Mesmo ele só lendo os primeiros XX caracteres da página. (não tenho certeza do número). Comentários com termos chulos, comentários repetidos, SPAM, isso tudo afeta negativamente.

Para evitar esse tipo de problema, tomei duas medidas: Coloquei as Sagradas Tags de Antióquia ordenando ao Google que ignore os comentários E a sidebar.

Como?

Simples: Editando o template do blog. No WordPress, editei o arquivo sidebar e o comments. basta colocar a tag:

<!– google_ad_section_start(weight=ignore) –>

no início do template, e ao final:

<!– google_ad_section_end –>

A diferença é imediata.

Essa dica foi do Bruno, que teve mais paciência do que eu em ler a documentação do AdSense. Só que não lembro se é o Bruno Torres ou o Bruno Alves, então o Bruno correto por favor dê um passo à frente para que eu possa fazer o link.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Boa, valeu. Vamos ver se tem efeito parecido com o da pílulazinha azul.

  • :D fui eu, quando você estava reclamando que os vídeos do YouTube diminuiam o valor do clique.

    Abraço

  • Vou testar suas tags mágicas, Cardoso. Se funcionar, dou um doce pra você :).

    []'s!

  • Desculpa o segundo comentário, mas pesquisei e descobri que você escreveu a tag errado… Faltam hífens (são dois, assim: <!– google_ad_section_start(weight=ignore) –>).

    []'s!

  • Esquece :P. Não vão dois hífens… Enfim, olha aqui.

    (E apague estes dois últimos comentários, por favor).

    []'s!

  • Grande dica!

    Abraços

  • Lu

    Parece mentira, mas *acabei* de ler sobre isso da documentação do AdSense! Sim, estou pensando em render-me ao lado negro da propaganda e recuperar os 17 reais mensais que pago ao servidor… seu cheque de ontem foi estimulante! Só que sou daquelas que lêem um manual de um novo aparelho de cabo a rabo, então estou lendo toda a Central de Ajuda do AdSense.

  • Essa até eu sabia! :P

  • Rodrigo, são dois hifens mesmo. Coisa do Microsoft Live Writer, tentando ser mais esperto que eu. Não que seja complicado.

    As tags corretas são:

    < !-– google_ad_section_start(weight=ignore) –->

    no início do template, e ao final:

    < !-– google_ad_section_end –->

    Bruno: OK, post adulterado para dar o crédito.

  • Cab

    Alguém sentiu melhora ao aplicar tais tags? Eu sou meio conservador em tentar mudar algo que já está dando certo pra mim, mas parece uma boa.

  • Esse Blog é muito bom mesmo!

    Sempre acesso e indico a amigos! Parabéns!

  • Muito obrigado pela dica Cardoso…

    A CubaGames e o meu bolso (se realmente melhorar o valor dos cliques) agradecem!

  • O BetaBlog ainda é bem novinho e aparecem uns anunciantes tão bons que até me deixam espantado.

    Mas como é melhor prevenir do que remediar, já implantei as tags.

    Valeu.

  • Sou leitor assíduo do Contraditorium. Leio, concordo e discordo do que é escrito aqui. Acho que é pra isso que serve boa leitura. E como você, Carlos está na missão de ser um pro blogger, eu faço o mínimo pra ajudar…

    Se todo dia eu tenho leitura boa por aqui, todo dia vc ganha um clique no seu google adsense…

    Como dizem por aí, não custa nada (só pro anunciante).

  • Nhaaa, esse layout dói meus olhos.

    Já o conteúdo, parabéns!!

    Valeu pelas dicas do AdSense, vai me ajudar muito!

    Abraços

  • Concordo com o Kico. Se todo mundo que visitar um blog (e gostar do que encontrou) clicar num link, vai demonstrar que o esforço do blogueiro para sobreviver é válido.

    Em tempo: já dei minha clicada num link ali de hospedagem a 1,50! (hehe)

  • Há! Então eu sabia de algo que o "Pro" blogueiro Cardoso não sabia?

    interessante.

  • PROvavelmente sabe de um monte de outras coisas. Eu não sei tudo. Ainda não. Faltam algumas cabeças para cortar, antes disso.

  • Cardoso, sei que não é o melhor lugar pra colocar isto mas não achei outro.

    Você tá conseguindo pingar blogs com o Zoundry? Coloquei um ping para o teu post "I want to believe…" e ele não enviou.

  • Não sei. Tenho usado o Live Writer, vou testar com o Zoundry e ver se está ok.

  • Blogueiro profissional… Essa é boa.

    Quem sabe, quando eu tiver competência para escrever mais que 10 linhas num blog sobre qualquer assunto e venha a me tornar um… por enquanto só tô só passando tempo…

    abraços

  • Pingback: Carlos Cardoso, acima de tudo um problogger cristão()

  • FRANCA

    Carreira literária

    Enquanto trabalhava em Paris, Dumas começou a escrever artigos para revistas e também peças para teatro. Em 1829 foi produzida sua primeira peça, Henrique III e sua Corte, alcançando sucesso de público. No ano seguinte, sua segunda peça, Christine, também obteve popularidade. Como resultado, tornou-se financeiramente capaz de trabalhar como escritor em tempo integral. Entretanto, em 1830, participou da revolução que depôs o rei Carlos X de França e substituiu-o no trono pelo ex-patrão de Dumas, o Duque d'Orléans, que governaria com o nome de Luís Filipe de França, alcunhado de Rei Cidadão.

    Até meados da década de 1830, a vida na França permaneceu agitada, com tumultos esporádicos em busca de mudanças promovidos por republicanos frustrados e trabalhadores urbanos empobrecidos. À medida que a vida retornava lentamente à normalidade, o país começou a se industrializar e, com uma economia em crescimento combinada com o fim da censura à imprensa, a vida recompensou as habilidades de escritor de Alexandre Dumas.

    Após escrever mais algumas peças de sucesso, passou a se dedicar aos romances. Apesar de ter um estilo de vida extravagante e sempre gastar mais do que ganhava, Dumas provou ser um divulgador astuto. Com a alta demanda dos jornais por romances seriados, em 1838 simplesmente reescreveu uma de suas peças para criar sua primeira série em romance. Intitulada "O Capitão Paulo" (em francês Le Capitaine Paul) levou-o a criar um estúdio de produção que lançou centenas de histórias, todas sujeitas à sua apreciação pessoal.

    Em 1840, casou-se com uma atriz, Ida Ferrier, mas continuou a manter seus casos com outras mulheres, sendo pai de pelo menos três filhos fora do casamento. Um desses filhos, que recebeu o seu nome, seguiria seus passos na carreira de novelista e escritor de peças teatrais. Por causa do mesmo nome e da mesma profissão, para distinguir um do outro, um é chamado Alexandre Dumas pai (Alexandre Dumas, père) e o outro Alexandre Dumas, filho (em francês, Alexandre Dumas, fils).