Blogueiro pode ter equipe sem inflar o ego?

 

Os blogs individuais, mesmo os mais famosos, são todos trabalhos de um indivíduo, mas o quanto um blog pode crescer antes de precisar de uma equipe de apoio, e quanto uma infraestrutura dessas pode beneficiar a qualidade? Mais ainda, é possível manter uma estrutura assim sem que seu ego fuja de controle?

A maioria dos sites têm equipe. Seja o do Cobra, seja o Judão, seja o Slashdot. Os blogs coletivos, como o MeioBit, têm vários autores, mas os sites individuais, como o meu não contam com ninguém além do autor. Isso faz sentido quando é um hobby, mas quando o site se torna profissional, rendendo uma quantidade apreciável de dinheiro, deveria ser a hora em que os serviços mais mundanos são repassados para um ou mais funcionários / colaboradores / gafanhotos, mas nunca vi isso acontecer.

Será ego? Já vi uma “creatura” blogueira dizer que queria um sócio que entendesse de tecnologia mas que ficasse nos bastidores, pois a criatura não queria “dividir o palco”. Mas nem todos os blogueiros fazem esse perfil. Não explica a virtual ausência de uma equipe auxiliando os blogs individuais.

Escritores tradicionalmente têm assistentes. Pombas, até a Paris Hilton tem uma assistente. O que torna um escritor tão diferente de um blogueiro, para que este último não possa cogitar a idéia de ter um (ok, uma) assistente?

O Papel de Uma Equipe de Blog

O faturamento de seu blog depende da quantidade de visitas e da qualidade dos posts. Quando pensamos nisso, vemos que as tarefas mundanas acabam consumindo tempo que poderia ser usado em áreas mais nobres. Também vemos artigos que não são escritos por falta de tempo para colher material. Uma equipe, mesmo inicialmente composta de um gafanhoto com conhecimentos razoáveis de Internet/blogs, pode ser a diferença entre o 4o e o 5o dígito em seu cheque do AdSense.

Um assistente poderia ser usado para as seguintes tarefas:

 

  1. Gerenciamento de SPAM – Com mais de 500 comentários de spam por dia, estou ficando impossibilitado de ler as mensagens bloqueadas, algumas válidas fatalmente serão perdidas. Um Pequeno Gafanhoto poderia revisar essas mensagens e identificar as capturadas por engano.
  2. Gerenciamento de Comentários – Os trolls são um fato da vida. Um gafanhoto que acompanhe várias vezes ao dia os comentários iria eliminar os trolls assim que eles surgissem com seus comentários idiotas e xingamentos infantis. Também seria útil para liberar a maioria das mensagens na fila de moderação, deixando apenas as mais difíceis para você
  3. Sugestão e instalação de novos plugins – Manter os plugins do WordPress atualizados ainda é um trabalho manual. Você tem que ir de site em site verificando as versões. Um gafanhoto poderia fazer isso uma vez por semana, assinar as listas de divulgação e garantir que as versões estão atualizadas.
  4. Backups diários
  5. Pesquisa e produção de imagens – A parte de achar uma boa ilustração pode comer um tempo apreciável. Se alguém pode fazer isso por você, excelente.
  6. Pesquisa de conteúdo – Imagine criar um artigo discutindo o custo de uma assinatura de celular em todas as capitais. Seria um belo conteúdo, uma tabela bem legal que traria muitas visitas, mas quem tem tempo pra isso? Imagine você ter um assistente, pago para fazer esse tipo de pesquisa. Seus posts ficariam bem mais completos. “Anakin, por favor me faça um arquivo com as URLs de todas as comunidades do Orkut contra cantores pernetas com ilusões de juventude abusando de jovens atrizes com TOC“. Enquanto seu Padawan faz a pesquisa, você se dedica a outras atividades.
  7. Viagem sem culpa – O principal problema do blogueiro viajante é não poder cuidar da manutenção, descrita nos ítens acima. Com um assistente confiável, dá para viajar sem susto, e mesmo ficar sem Internet por um ou dois dias.

O Que o Assistente Não Pode Fazer

  1. Eu não sou a Bruna Surfistinha, se fosse não estaria sentado aqui. (sentado. winkwink, é a piada, pescou?) Seu assistente não é ghost writer e nem vai escrever posts por você. Seus leitores querem os seus textos. Principalmente, seu gafanhoto não pode, de maneira alguma postar em seu nome nada que você não tenha escrito.
  2. Responder emails e comentários em seu nome. Seu formulário de contato DEVE ser respondido direto por você. Se o seu assistente responder a um comentário, use o plugin de comentários oficiais, e assine. “Anakin S.- Jedi trainee” ou algo assim.  Instrua seu assistente a somente responder comentários que não sejam minimamente pessoais. “Como consigo o código de desbloqueio do telefone tal?” tudo bem. Já qualquer comentário que comece com seu nome, não é kosher. Mantenha seu assistente longe deles ou seus leitores se sentirão (com razão) desprestigiados.
  3. Criar qualquer barreira entre você e o leitor.

 

O Que Você Não Pode Fazer com o Assistente

  1. Ocultá-lo de qualquer forma. Mesmo que seja um contra-regra, ele precisa subir no palco de vez em quando. Se você é inseguro a ponto de não aceitar a idéia de outro nome passando perto do seu de vez em quando nos artigos, não invista em carreira de blogueiro.
  2. Castigos físicos. Não bata, torture, abuse ou machuque seu assistente. De forma alguma. A não ser que ele mereça.
  3. Cobrar por algo que você não ensinou. Se um babaca que é seu desafeto mas você não vê/fala/cita desde 1986 apareceu no blog e deixou um comentário, seu assistente não tem culpa de tê-lo liberado.
  4. Negar crédito quando ele sugerir um bom tema, ou negar a oportunidade de publicar o post inteiro, se ele o tiver escrito.
  5. Negar a possibilidade de seu gafanhoto aplicar o que aprendeu, em um blog próprio. Você precisa ter tempo para ajudá-lo se ele se mostrar promissor. Hospede o blog dele, linke-o e comente-o, se for realmente bom. Nunca, jamais exija exclusividade. Exclusividade é uma coisa muito ruim, que prejudica a todos os envolvidos. Nada deveria ser exclusivo, sou tão radical que acho que no máximo nossas mulheres deveriam ser exclusivas, e olhe lá. Não incluiria nem as dos outros.

 

Dica Final

Não use o velho truque de pegar um estagiário não-remunerado explicando que ele está ali para aprender. Como qualquer discípulo do Milton Friedman sabe. pessoas reagem bem a incentivos. Pague pelo trabalho de seu gafanhoto, e ele se sentirá estimulado a produzir um bom resultado. Não use a desculpa de ser aprendizado. Ganhar para aprender fará com que ele trabalhe E aprenda melhor.

Se você ainda não está em condições de colocar um gafanhoto para cuidar de seu site, não se apresse. Pela minha experiência uma rede pequena de sites só vai realmente precisar de um assistente quando estiver fazendo dinheiro o suficiente para bancar o mesmo.

Leia Também:

  • De repente é uma boa.

    Se o foco do blog não é sobre postagens "individuais", como opiniões e "casos" pessoais, não vejo o menor problema em haver uma equipe para isso.

    Dependendo do rendimento ($$) do blog, é uma grande idéia e só tende a crescer.

  • Cardoso, você está pronto pra bancar um gafanhoto?

    Deixa eu parar de brincar de Harry Potter's Blog e ir trabaiá. rs

  • Ainda não, e na hora que estiver vou pegar uma Hermione, então pode tirar o cavalinho da chuva.

  • Rodrigo Nascimento

    Cardoso,

    em relação aos incentivos, o pagamento (incentivo financeiro) é o menos importante de todos eles. Vc até pode contratar alguem "para aprender", se vc tiver realmente alguma coisa para ensinar. Os estudos todos indicam que os incentivos são importantes, mas não estão falando de incentivos financeiros apenas.

    Abraço.

  • Oi Cardoso, eu concordo com boa parte do texto. Também acredito que, no momento que o blog passa a ser um negócio, ele demanda investimento e mão-de-obra. E é natural que uma pequena equipe comece a se formar para dar suporte ao blogueiro-mestre! Acredito que este negócio ainda vai crescer a dar muitos frutos. Será que um dia veremos empresas de assessoria blogueira oferecendo estes mesmos serviços e trabalhando remotamente? Hehe, viajei agora…

  • Dennis, eu acho que o relacionamento com uma empresa nunca será tão eficiente e direto como o relacionamento com um assistente direto, tanto em termos de agilidade quanto em termos de confiança. Fatalmente você terá N pessoas te atendendo, e aí já viu. Não quero ligar para um 104 da Telemar para ter meus comentários livres de spam, por exemplo.

    Guilherme, eu não te invejo. Quinze? O Parreira que era o Parreira não conseguiu tomar conta de 11… ;)

  • Planejamento, metas, avaliação de desempenho… pode escolher. Já vi Diretor de Tecnologia definir projeto sem falar com área de TI, INCLUSIVE o cronograma… e reclamando quando dissemos que era impossível.

  • Pingback: Anônimo()

  • Caio Proiete

    Cardoso, para a sua coleção:
    http://home.gci.net/~mike-noel/PowerTroll/images/

    Abraços,

    Caio Proiete

  • Acho isso fundamental. Outro dia o Wall Street Journal fez o artigo abaixo, sobre blogueiros profissionais que enfrentavam problemas quando precisavam entrar em férias:

    http://discutir.blogspot.com/2006/10/httponline.h

    Parece que muitos não sabiam o que fazer sobre como entrar em férias sem perder a audiência. Os leitores não aceitavam blogueiros substitutos, por exemplo.

    Num blog com equipe, esse problema diminui. E você tem uma gama maior de opiniões.

  • Cardoso,

    No link acima um comentário do meu blog sobre seu recente post.

    Também comentei outro, sobre a atividade de problogger.

    Sou um grande fã do seu blog. Continue assim, me fornecendo pauta para meus comentários.

    Um grande abraço!!

  • Pingback: DireitoeTrabalho.com » Blog Archive » A Equipe do Blogueiro()