Das Salsinhas, Peixinhos Dourados e GoogleBombs

Você lembra da Cicarelli? É, nem eu. Todo mundo pediu-lhe a cabeça (tolinhos, eu pediria seus magníficos peitchos) na época em que ela fechou o YouTube. Hoje ela apresenta prêmios da MTV, vai ganhar mais um programa e todo mundo continua assistindo normalmente a MTV (na medida que alguém ainda assiste a MTV).

Todo mundo ficou indignado, xingando, mandando emails de protesto. Depois que a poeira abaixou, não vi nenhum blog reclamando dela. Ninguém mantendo um plantão-cicarelli (que não seria de todo ruim) mandando emails, simplesmente mantendo viva a indignação. Nem eu, que sou chato, fiz isso.

Quando começou o hype de protestar contra a absolvição do Renan Calheiros nem me dei ao trabalho.

Primeiro, eu acho mesquinho demais alguém se orgulhar de um “protesto” que se resume a uma busca no Google. É o cúmulo do comodismo. Cara-pintada de sofá ninguém merece. Quer protestar mande emails, organize eventos, mobilize. Google Bomb não é nada mais que uma brincadeira boba, seja você um Fracasso Miserável, um Déspota Cachaceiro ou mesmo o Homem que Nunca Broxou.

Segundo, na semana seguinte ninguém mais vai estar falando do Renan Calheiros e sua corja. (mas falarão de sua amante bonitona. OK, concordo, eu também falarei)

Outro hype surgirá, outra tragédia, outro avião cairá, outro momento de indignação nacional unirá a blogosfera em torno de um objetivo (efêmero) comum e teremos até selinhos da campanha Blogs Contra XXX.

Pelo visto essa percepção da memória curta dos blogueiros (igual a dos peixinhos dourados, 5 segundos, exceto no Myhtbusters) não é só minha. Vendo o blog do Borbs hoje vi que o Estadão fez uma matéria só com blogueiros. Curioso é que mantiveram a “coerência”. O Borbs se arrependeu da foto, pediu para que não a usassem, e claro, foi a foto utilizada na matéria.

contraditorium-borbs.jpg

Vejamos: A blogosfera em peso fica indignada, faz, acontece, xinga, briga, mas agora passou, somos todos amiguinhos, vamos passear no bosque?

Não tenho estômago pra isso.

Me reservo ao direito de deixar minha posição sobre um tema independente de hypes, mas também me reservo ao direito de manter a posição, enquanto me parecer a coisa correta a fazer. Na posição de Blogueiro Contraditório mas Coerente, deixo aqui minha posição: Estadão Nunca Mais. Nem links, nem entrevistas, nem fotos pagando mico.

Sei que é irrelevante, sei que sou insignificante para eles (talvez seja até para o Jornal de Uberaba), mas mesmo enquanto dono de um reles blog, tenho uma preocupação com meu nome e minha imagem, sendo que ambos derivam de minhas opiniões e minha capacidade de manter os valores que defendo. Estar associado ao Estadão, hoje, me é prejudicial.

Por mais que eu precise aparecer (não é questão de gostar, cambada anti-probloggers, é business) eu prefiro colocar a coerência antes dessa necessidade. Seria um mundo -ok, uma blogosfera- melhor se mais gente seguisse esse exemplo. Dinheiro é bom, mídia é bom mas se você não defende o que acredita, ou muda o que acredita a gosto do freguês, onde fica sua relevância?

Leia Também:

  • Esses traidores da Internet.

  • Bom dia, Carlos Cardoso.

    Aqui é do jornal Estadão. Estamos trabalhando numa matéria sobre blogueiros profissionais, e gostaríamos de destacar sua trajetória. Podemos marcar uma entrevista?

    Dúvido que não vá balançar. Afinal não é o Jornal de Uberava, mas o 4º mais lido do país e, querendo ou não, tem credibilidade com o público.

  • Eu participei do google bomb, mas foi mais pela diversão. E eu citei isso no post. Depois eu pedi para amigos (que não tem blog e não sabem nem o que significa um google bomb) para pesquisarem a palavra na internet. As reações foram as mais hilárias possíveis.

    Mas se realmente queremos fazer algo que funcione, temos que fazer barulho. Nada de posts, emails ou coisa parecida. Temos que sair às ruas e quebrar tudo, mostrar a cara.

    E sobre essa matéria do Estadão, realmente é difícil defender alguma causa se existem pessoas que não mantém sua postura de indiginação. É vergonhoso. Mas fazer o quê? Tem gente que se contenta em aparecer em jornal. É o famoso ego falando mais alto.

  • Leandro, pesquise nos seus arquivos, eu já saí no Estadão mais de um vez. Na Folha também. Vocês estão se repetindo ou você está provando de novo que o Estadão não pesquisa antes de fazer suas matérias?

    Nem revisa seus textos. É "UberaBa".

    PS: favor ler os parágrafos acima com o detector de ironia ligado.

  • Perfeito. Engrossei o coro da bomba e logo depois escrevi sobre os 'resultados' (no post Buzz e Hype) e sobre a galera que acha que isso é consciência política.

    Ps: Teu blog aqui, desde cedo, tá dando uns paus sinistros. Carrega uma parte e outra não ou fica tudo quebrado. Só pra avisar, pode deletar essa parte se quiser. Abraço.

  • Seu principal argumento pra atacar sites à la Kibe Loco, é dizer que entende como falta de respeito a clareza que se postam as piadas. Sinalizar o tom no qual escreveu o comentário não é mto respeitoso tbm. Lembra do caso com o tal Renê de Paula que vc postou por aqui? Se vc pode achar desrespeitoso setas que apontam pra piadas, não deveria entender como absurdo alguém te alertar para tags que sinalizam o tom da postagem.

    E mais, vc confunde o receptor com essa mensagem. Não sei se a parte que diz que saiu mais de uma vez na Folha e no Estadão é verídico, pois já vi posts seus comentando sobre matérias que foi solicitado. Que obrigação que EU tenho de saber isso?

  • O Cardoso está criticando a blogosfera! Vejam o que ele disse, que absurdo! Vamos todos boicotá-lo!!!
    … … … … … …
    …no quê que a gente tava falando, mesmo? Ah!, vamos fazer uma troca de links?

    ps.: Leandro, receptor de cu é rola. Que obrigação ELE tem de TE fazer entender o post?

    Cardoso, continue com o bom trabalho de, como chamaria Tom Zé, explicar pra confundir, confundir pra esclarecer…

  • Concordo com todos os pontos e vírgulas do texto. Já tive experiência própria com artigos em jornal e televisão que distorceram quase totalmente a minha imagem. Então não é só porque o Estadão é famoso que vai fazer uma matéria bem feita e imparcial.

    Sobre o verdadeiro ato de cidadania, infelizmente aqui no Brasil ainda está longe… Google bomb, "sair às ruas e quebrar tudo"…

    Campanha de emails e telefonemas funcionam sim, se houver a participação real da maioria. Se todos os blogs que fizeram parte do google bomb tivessem feito algo de útil, além de melhorar a imagem dos blogs ainda poderíamos ter feito alguma diferença neste país.

  • No caso do Renam, acho que seria bem mais útil se, ao invés de publicar textos indignados, cada um se desse ao trabalho de explicar o caso para alguém que não sabia o que estava acontecendo (não o Lula) e que, mesmo assim, ainda tem a mesma quantidade de votos que os que sabem.

  • obrigatório

    cara… vc é muito pedante.

    Baixa a bola e vai arrumar algo pra fazer em vez de ficar querendo provar que suas opiniões são corretas.

  • Você quer que eu tente provar que minhas opiniões são erradas?

  • Apoiado, Cardoso. Já chega de falar sobre o Estadão!

  • Oi !

    Parecem dois assuntos diferentes… concordo inteiramente com a questão a respeito da coerência de opiniões, isso é absolutamente necessário na maioria dos casos.

    Mas não concordo com a visão do googlebomb como fútil. Seria, se fosse apenas o googlebomb. Mas, como você mesmo disse, "mandem e-mails".

    Pois junto com o googlebomb foi montada uma página para o envio de e-mail a todos os senadores. O problema é que justamente quando esta página foi ao ar, alguns DNSs pararam de identificar o domínio do Senado, exigindo que a página de envio de e-mails fosse temporariamente retirada do ar.

    Além disso, foi publicado um artigo no Digg, em inglês, anunciando o googlebomb. Se conseguissemos (o que já não acho possível) um volume adequado de votos, o artigo apareceria internacionalmente e nosso país seria prejudicado.

    Ué, jogando contra ? Sim. Melhor retroceder um pouco para poder avançar. Com o país sendo mal visto pelo mundo como o país em que o Senado é uma Vergonha Nacional, os políticos seriam foçados a se mexer (indices financeiros seriam afetados).

    Acrescente a isso uma clara demonstração da voz do povo. Ok, mas foram apenas uns 3.500 blogs que participaram. Sim, mas com uma média de 100.000 visitantes mês…

    Na pior das hipóteses, se tudo o mais falhasse, pelo menos a blogosfera teria feito uma grande demonstração de sua força – como aconteceu.

    []'s

  • "pelo menos a blogosfera teria feito uma grande demonstração de sua força – como aconteceu"

    Ahhhh, então é disso que se trata?! A questão é, novamente, a umbigosfera. Demonstração de poder – vamos mostrar que somos os fo-da! …Ah, pelamor, né…

    Alguém aqui REALMENTE acredita que Google Bombs e/ou e-mails em massa possam resolver alguma coisa??? (Por favor, não digam sim, soaria ridículo.) Qual vocês acham que foi a reação dos senadores?

    Pra mim, e cada vez mais, a blogosfera só vem mostrando sua verdadeira face, de quem não está nem aí com nada, desde que não seja afetada. (E, se for, ataca por meio de seu grande poder, baseado em Google Bombs, e-mails e memes.)

  • Discordo em parte quanto ao GoogleBomb. Claro que a lembrança do assunto envolvendo Renan só vai povoar a cabeça de quem habitualmente procura se informar politicamente. Claro que 98% dos brasileiros não vai nem lembrar nas próximas eleições o caso.
    Mas tem outro ponto: mesmo os blogueiros que cobriram o assunto tratando-o como "coisa de momento" vão se lembrar, ales escreveram (bem ou mal) sobre isso. Normalmente esquecemos do que lemos, do que escrevemos é mais difícil pois exige um "maior esforço cerebral".
    Em todo caso, mesmo que este ponto de vista seja furado, tem ainda outro lado. Está lá, gravado na web. Durante muito tempo, mesmo o assunto saindo de moda, paraquedistas vão acessá-lo sem querer. Como ainda recebe visita seus posts sobre a Cicarelli e o avião da Gol.
    Todos damos um refresh na memória vez em quando. Por exemplo, eu fiz um post enumerando nominalmente os deputados da ALERJ que aprovaram uma Lei que os funcionários da Educação, Segurança e Saúde não queriam que fosse aprovada. Eu mesmo vou esquecer os nomes, mas meu blog não. E quem sabe nas eleições futuras, em minhas pesquisas eu mesmo não caia sem querer no post que eu mesmo fiz?
    Não sei, no fim acho válido o "movimento", embora concorde plenamente que é uma atitude ridiculamente ínfima para que seja considerado um passo a frente. Mas é alguma coisa né… ;)

  • Pablo, não concordo com seu comentário não.

    Pequenas coisas podem gerar grandes resultados, como citei que se o googlebomb ganhasse dimensões internacionais, afetariamos questões comerciais e por isso teriamos resultados.

    Do contrário, sozinhos o googleBomb e inúmeros e-mails não significam nada. Mas nas mãos de pessoas como os deputados que sairam no tapa com seguranças (aquele soco no Tião Viana foi merecido !) significa a voz do povo e a voz do povo da força a mais ações.

    []'s

  • Dennes, como exatamente o googlebomb do "Miserable Failure" afetou o Governo de George Bush? Que eu saiba foi conhecido internacionalmente, falado na mídia, etc, etc.

  • Todo bom homem muda de opinião, principalmente quando lhe é MUITO conveniente…
    Ok, o Cardoso não é bom!!!

  • Oi, Cardoso !

    A questão está justamente no país em que aconteceu… os EUA, como economia de primeiro mundo, podem se dar ao luxo de não ligar para este tipo de coisa.

    Mas o Brasil, ao ser exposto internacionalmente desta forma, pode ter o risco país e outros índices afetados. Se isso acontecesse, então teríamos resultado.

    Mas é uma suposição.

    []'s

  • Não entendo, todo mundo critica a mídia tradicional, mas ninguém perde a chance de aparecer nelas.

  • Cardoso, engraçado isso.

    Tu faz um texto dizendo que as críticas dos outros são vazias, mas não propõe nada de novo. Então, diz aí o que se pode fazer para os blogs de gente comum (nós) ter alguma força política.

    Eu tenho uma idéia boa, assim q ela estiver madura eu conto para todo mundo.

  • Quem sabe no período eleitoral um GoogleBomb com os termos "Em quem não votar","Em quem votar", "Melhores Candidatos", "Piores Candidatos", "Voto", etc apontando pra uma página com o nome de todos os políticos envolvidos em escândalos e falcatruas, possa ser um pouco mais efetivo do ponto de vista de informar as pessoas sobre os safados que lá continuam.

    Sei lá, algo do tipo.

  • Pingback: Plástico Bolha » “Fí-lo porque quí-lo” - Vamo descer do trono.()

  • Pingback: » O papel social dos blogs - Abobrinhas e Legumes em Geral()

  • Pingback: Protestos de Sofá e a Consciência de Cada Um | Empirical Empire()

  • Cardoso, você se enganou quando diz que a blogosfera tem memória curta. Isto é privilégio do cidadão brasileiro, blogueiro ou não, e somente brasileiro, pois creio que os blogueiros suecos não sofrem deste mal.
    Um dia, acontecerá uma tragédia não prevista e não registrada em cartório em algum aeroporto movimentado no Brasil, e daí ninguém mais vai lembrar da Doli e do Nemo, que é o assunto deste post.
    Oi, meu nome é Doli!

  • Pingback: Merlone’s Binary Log » Oi, meu nome é Doli!()