Excelente técnica para linkar indesejados

Um dos problemas de tratar com gente que não gostamos é dar “link love”. Linkar quem não nos linka é chato, mesmo quando precisamos citar a pessoa.

Hoje lendo este post no Crunchnotes, surgiu a solução:

Basta usar o www.tinyURL.com.

Você não repassará link love, pagerank nem nenhum dos recursos de SEO que o pessoal fala tanto, e mesmo assim poderá mostrar o quanto o sujeito foi inconveniente, sem graça ou chato feio e bobo. Para o leitor, tudo completamente transparente.

Gostei, vou usar.

Leia Também:

  • na minha época de "raquer" eu usava isso pra mandar vírus e roubar comunidades do orkut…

  • Gostei da dica. Valeu.

  • …ou para citar algo que o sujeito escreveu dá pra usar o Citebite, que ainda destaca a citação.
    http://citebite.com/

  • Não é só usar nofollow? Qual a vantagem do tinyURL?…

    E, a propósito, quando haverá um "Subscribe to Comments" por aqui?

  • Luiz

    Ué, mas não basta somente colocar rel="nofollow" no link do desafeto?

  • Ou este que é brazuca http://www.esyurl.com/ :D

  • Ainda prefiro o nofollow, mostra pro usuário onde ele está indo :)

  • Não acho legal… o tinyurl provavelmente usa redirecionamento, não sei qual dos redirecionamentos HTTP. Se for o 301, o Google entende o link como "movido" e dá ponto. Nofollow é mais seguro

  • Cardoso se eu fosse você não divulgaria isso, vai acabar perdendo pagerank, rs…

  • Eu devo ser uma beterraba mesmo. Como é que é? Linkar desafetos? Não é meio rude isso? Me explique por favor como se eu tivesse 4 anos…

  • Luiz

    Sem contar que o TinyURL é o serviço preferido dos crackers para fazer seus esquemas de phishing scam.

  • Jorge

    Isso e o "nofollow" deixam o pessoal irritado. :)

  • Acho que tb vou usar. Mas só o necessário!

  • Não funciona. É como linkar direto. Como citado pelo Alexandre num comment anterior, o tinyurl redireciona com o status 301. Acabei de testar seguindo o link do Dave Winer.

  • O TyneURL e feio e manjado (ta atrasado, hein Cardoso).
    Use o http://www.peqno.com, que oferece o mesmo serviço e eh made in Brazil

  • Cardoso,

    O twitter (http://www.twitter.com), a moda da vez, já usa isso. Como lá os posts só podem ter um certo número de caracteres no máximo, quando a pessoa escreve um link grande, ele automaticamente transforma em tiny URL.

    Abraço!

  • Quando acho que vou entender, fico por fora de novo. A pessoa que fosse link no-follow não ficaria injuriada do mesmo jeito?

  • André

    Posso falar pela terceira vez? O TinyURL usa redirecionamentos 301, faça o teste usando o Web Sniffer. No fim das contas é o mesmo que linkar diretamente, continuo com o Link Condom rel=nofollow.

  • Imagina que um indivíduo fique boa parte do tempo difamando o seu site e o de outras pessoas. Você(e as outras pessoas) escreve(m) um post reclamando dele e, por isso, tem que colocar um link para o site do sujeito.

    Isso acaba colocando ele mais alto no pagerank do google, gerando assim mais cliques no site dele. Com o TinyUrl, só esse site ganha pageranks, e não o seu desafeto. E como muita gente vê sites no TinyUrl como links para sites de hackers, o seu posts não vai gerar cliques no site do seu desafeto.

    Há outros exemplos, mas este foi o primeiro que eu consegui pensar.

  • Como já perguntou o Luiz acima, não bastava usar o rel="nofollow"???

  • wai cara! atualmente eu uso o rel="nofollow".
    não é mais simples ?

  • O redirecionamento do tinyurl é 301, portanto, a não ser que você use a URL de preview, vai continuar passando link love pro cara.

  • Pingback: Link Love()

  • Cardoso, bom dia! Sou apenas um curioso ignorante (talvez até um ‘paraquedista’). Leio aqui e ali (‘aqui’ algumas vezes), tentando aprender. Sei que você iniciou esse ‘post’ falando em negar o ‘link love’ (primeira vez que leio essa expressão) a ‘gente que não gostamos’. E você está certo. Eu só recomendo porrada a quem seja ‘inconveniente, sem graça, chato e bobo’. No entanto, basta ler os comentários que seu post gerou para se constatar que, recursos como o ‘tinyURL’ e afins são muito utilizados (e, como não vim à caça do ‘link love’, nem vou me importar com o limite de caracteres que meu comentário possa ter ultrapassado). Isso me parece contrariar as mais básicas regras de marketing. E, direta ou indiretamente – com raras exceções –, a Internet trata mesmo é de marketing. Perdoe se eu estiver falando besteira, mas vejo o ‘link love’ como o ‘cafezinho’ que o ‘blogger’ oferece (mesmo que a contragosto) aos clientes potenciais. Em quase todas as empresas, a demanda se faz em nível sempre muito superior às vendas. Para se vender 1 seguro, perdem-se dezenas de cafezinhos, muitas horas de ‘conversa-fiada’, papéis, registros eletrônicos, faz-se ‘vista-grossa’ para as frases impróprias que os mais ousados lançam as funcionárias e, ao final, quando já se está fazendo planos para a comissão supostamente ganha, o cara diz: ‘- é, vou pensar;… por enquanto estou só pesquisando; depois volto aqui. Um abraço!’. Excetuando-se o caso dos chatos (mas não os pouco chatos, só os muito chatos mesmo), o ‘link love’ não deveria ser usado ao máximo? Afinal, é um recurso de marketing. É um sinal mínimo de que a presença de quem se dignou a comentar foi valorizada (para que ele não se sinta como você bem colocou, em seu post intitulado ‘a irrelevância é o único e verdadeiro inferno’). Bom, mas isso é somente a opinião de um curioso, usuário de Blogspot, que até hoje não aprendeu a usar direito o WordPress e que só gasta (melhor,… ‘gastava’) dinheiro na internet para importar CDs (isso antes da FNAC, claro – não é ‘jabá’!). Confesso que ainda não entendi porque tem tanta gente buscando recursos para negar aquilo não custa nada (ou custa?!) e que não o afetará negativamente.

  • Pelo que li lá no Site, o Tiny tem outras funções bem interessantes tb!
    =)