Reviews piratas: Ética, anarquia e compromisso

O Cybernet TechNews divulgou que uma cópia do Office 2008 para Macs caiu na rede, e o fórum InsanelyMac assumindo que caiu na rede é peixe, publicou uma resenha do programa. Saiu na frente de um monte de gente. Por um momento pensei se seria uma boa fazer o mesmo. Mas considerando que mesmo que exista a notícia como justificativa da pirataria, isso só serviria para queimar o MeioBit junto às empresas.

Liberdade Editorial não quer dizer bagunça. Outro dia recebi um pedido para fazer uma resenha do Tropa de Elite, afinal o filme estava disponível em todas as redes de P2P. Era só baixar e assistir.

meiobit-office2008mac.png

Dispenso. Não é que eu viva pelos R$12,00 economizados e o pão de queijo da Fox, mas se um blog quer ser visto como algo mais sério do que uma coleção de fotos pornôs, anúncios de afiliados “enlarge your penis” e banners “as seen on TV”, se um blog quer ser reconhecido pelo Mercado, deve ter uma postura coerente.

Entendam, há espaço para todos, eu admiro os blogs de sacanagem, admiro principalmente os blogs de cappers, que postam cenas especialmente interessantes, em geral da infinita fonte chamada Cinema Nacional, o Dino1 (não sei se ele quer o link. UAPDG) é meu herói (e de muita gente). Mas esse tipo de blog vive à margem da Lei. Eles sabe disso.

Publicar fotos da Playboy é outra atividade comum, mas que basicamente queima seu filme. O Judão vive publicando fotos de divulgação, e se recusa a linkar ou publicar ensaios completos. Ele perde os visitantes que querem as fotos integrais? Perde, mas ganha quando a Playboy manda material em primeira-mão e temos um gostinho da edição antes de todo mundo.

Se o blogueiro vai com muita sede ao pote, acaba fazendo review do filme pirata, baixa o software do mal, resenha e “sai na frente”, mas e aí? Quanto tempo essa atitude “rebelde” vai se manter? Quanto você acha que vai conseguir faturar antes de chamar a atenção dos estúdios, das editoras, da -meda- Microsoft? Vale a pena resenhar um filme pirata, em troca de cair na lista-negra desse pessoal todo?

popularint.jpg

Não digo que esse tipo de blog não faça sucesso. Em termos de visitação dão de 10×0 nos blogs “caretas”, mas a consequência disso lembra aquela velha piada “só sou popular na Internet”. Eu acho que o objetivo principal de um blogueiro profissional deve ser sair do gueto. Não “fisicamente”, mas psicologicamente. O objetivo é ser reconhecido como blogueiro, não aquela estratégia “vou montar blog pra arrumar emprego”, digo sair do gueto no sentido de ser reconhecido por gente que NÃO tem blog.

Ser o Rei da Internet é fácil, até o Homer Simpson já ostentou o título. Difícil é, como eu vi, o Diretor de Mobilidade da Microsoft ser apresentado a uma blogueira e falar “ah, você é a famosa garota sem fio!”. Sim, meninos, eu vi.

Só que você não consegue isso fazendo posts histéricos, linkando pirataria e fazendo resenhas não-autorizadas.

Claro, os espertos podem dizer que estamos comendo mosca, perdendo a chance de sair na frente, perdendo paraquedistas, mas quando fui a uma apresentação/test-drive do Fiat Punto, a convite também da Microsoft, via MeioBit, não vi nenhum blog esperto. Isso mesmo, eles não são chamados para nada, não recebem informação privilegiada, são vistos, talvez não como inimigos, mas como um incômodo.

Só são populares na Internet.

Já vi posts pagos onde o autor passou o post todo ridicularizando o produto, o cliente e a idéia dele de anunciar naquele blog. Porra! Isso é atitude profissional? Não é mais fácil dizer “desculpe, não faço posts pagos”? Como fica a agência? Será que vão sequer considerar o blog em uma segunda campanha?

Essa pequena série de atitudes é a base de um código de ética, que de forma alguma é absoluto, de forma alguma serve para todo mundo. As regras inclusive valem para os dois lados. Se uma empresa te manda um material em confiança, dizendo para não divulgar antes do dia tal, e você não divulga, da mesma forma a empresa sabe que não pode pedir que você fale mal de um concorrente, ou que minta em uma resenha, ou mesmo que FAÇA um post relacionado ao produto/evento.

Todo relacionamento bem-sucedido é baseado em respeito, e se você respeitar seus parceiros (só 3 categorias têm parceiros: Blogueiros, gays e policiais de seriado americano) será uma experiência lucrativa para todos os envolvidos, incluindo seus leitores. Só não se deixe levar por nenhum dos lados (inclusive o seu). O melhor caminho é sempre o do Meio, já dizia Sidarta, ou Buda, o Idiota Gordo, segundo Salman Rushdie…

Leia Também:

  • Nem tanto ao céu nem tanto a terra, mas um pouco de ousadia é interessante. O Pirate bay não é um blog mas já enfrentou a tudo e a todos e até partido político já está virando, sem contar os 70 mil dólares mensais que fatura, com publicidade até do Wallmart.
    Mas tem coisa que não dá, dia desses recusei uma resenha de cassino online, como é que vou resenhar um troço desses? Não vá ao bingo, jogue em casa?
    Outra coisa é o festival de Ovomaltine do Bob's que já vi em vários blogs. Tem coisas que o dinheiro não compra, queima qualquer filme.

  • Aa suas palavras conseguem diferenciar bem o que é blogueiro malandro de blogueiro jornalista. O primeiro vai viver de hypes e visitação paraquedista, o segundo de visitação especifica, convites e anúncios verdadeiramente de primeira mão.

    Talvez por causa desses primeiros que blogueiros ainda serem considerados macacos (via Estadão) no Brasil.

  • Fala Cardoso. Concordo com o que você disse, mas existem algumas excessões. Por exemplo, gosto muito de fazer resenhas de filmes, desenhos e seriados, e algumas coisas não se acham de maneira nenhuma a menos que você baixe da net.

    Por exemplo, uma resenha de um desenho longa metragem obscuro de 1982, ou então um post falando sobre o cinema turco de super-heróis.

    Aí não tem jeito, tem que pegar na internet. Eu só não coloco o link para o download dos arquivos, pois não aprecio pirataria, apesar de fazer uso dela.

    Quando surgir algo melhor, mais fácil, pratico, com preço equivalente e legal, serei o primeiro a levantar a bandeira ;)

  • Marcus, isso é usar o bom-senso. Eu quero fazer um post sobre o Águia de Fogo, mas não existe DVD da série por aqui. Vou apelar pro P2P, mas a diferença é que a gente faz um post falando do assunto, bem distante de postar um monte de links de filmes que acabaram de sair dizendo "baixe aqui".

    Reverendo, o livro do Rushdie não tem nada de ofensivo pra quem tem mais de 2 neurônios, a piada do Buda é antiga, roubei de um SNL acho. E sim, Sidarta representava tanto a perfeição espiritual quanto a física, a imagem mais comum na Índia é do Buda magro, mas mesmo o Buda Gordo não é ruim, no oriente é sinal de prosperidade.

    Vi o caso de um restaurante chinês em Londres que não conseguiu abrir uma filial, o conselho municipal achou que o nome era ofensivo, o "Fat Buda". O dono, um chinês, ficou puto, assim como a comunidade budista.

  • Ótimo post Cardoso.

    No caso do Tropa de Elite, cansei de ver posts e comentários falando (ou mesmo exaltando) o fato de ver o filme pirata – e ainda essa gente quer ser levada a sério.

  • Adriano

    Se bem q ultimamente o meiobit ta parecendo mais um muro de lamentações e reclamações do q um blog sério. É fanboy pra cá, troll pra la, pessoas se ofendendo e até mesmo editores escrevendo coisas chulas (né fabi). E não creio q muitas empresas gostem disso.

  • Endossar a pirataria para "sair na frente" é tão leviano quanto usar o hype pelo hype. Não dá para esquecer a legião de oportunistas que conseguiram cliques com a tragédia da TAM.
    Um blogueiro de destaque pensa na no aspecto qualitativo de seus visitantes e no valor que eles podem agregar à sua produção. Atrair paraquedistas, onanistas, gafanhotos e toda essa corja que é a favor da pirataria não por algum ideal e sim por pura vontade de "se dar bem" em qualquer situação, não só vai acabar com a reputação do seu blog, como também vai influenciar em seu comportamento.

    Matheus http://www.30segundos.com.br

  • Gostei do post, quando começou a tal epidemia da tropadeelite.avi eu pensei tambem “mas por que ele naum faz uma resenha do tão pirateado produto?” tai a resposta, abraços.

  • Concordo com a postagem. Se um blogueiro é copiado, ele fica tendo ataques de “os direitos autorais são meus!”, mas não pensa duas vezes em ignorar os direitos autorais de revistas, gravadoras, etc e tal.

    Agora, quanto a Salman Rushdie eu nunca li “Versos Satânicos” livro pelo qual a cabeça dele foi posta a prêmio por fanáticos islâmicos, na verdade nunca li nada dele então não sei o contexto de “Idiota Gordo”, mas na verdade, a imagem de gordo de buda é apenas a exploração de uma de suas 28 formas. Isso mesmo, há 28 tipos de buda, uma delas é tão magra que parece apenas um esqueleto.

  • Cardoso,
    quando li o final do texto, achei que você iria concluir assim:
    O caminho é sempre o do meio: Meio-Bit.
    Deve ser piada pronta… :P

    abraço

  • fabio

    Tive que UAPDG pra descobrir o que é UAPDG…
    Recursividade bizarra…

  • Muito bem colocado, talvez deixando claro desse jeito as pessoas abram um pouco os olhos… ou não. Ach oque um dos problemas é que é tão fácil e virou tão lugar-comum baixar coisas piratas da internet que a maior parte dos usuários deve achar que não é pirata (já tive que responder esse tipo de pergunta diversas vezes :-().

  • "Todo relacionamento bem-sucedido é baseado em respeito"
    Meu reino em troca de botar isso na cabeça de todo mundo!

    abraço

  • Pingback: A blogosfera também tem seus Moinhos de Vento()

  • Humberto

    post-lembrete aos "parceiros" : pode mandar, sou confiável!

  • Ponto válido: de nada adianta exigir respeito se não o exerce.

    Anderssauro, estou contigo e tenho uma ótima sugestão: existe um meio simples e muito difundido de lavagem cerebral que pode ser colocado à vossa disposição. Se chama "televisão".

  • A coerência é requisito imprescidível para uma longa carreira de sucesso, em qualquer tipo de profissão. Já as "rebeldias" são o caminho mais fácil para os 15 minutos de fama…e depois para o esquecimento.

    E vamos combinar, nada mais nerd do que só ser popular na internet, né não?

  • Muito bem, concordo com quase tudo dito.
    Quando ao assunto de pirataria acho muito, mas muito errado promover isso em um blog, tem gente que não pensa assim, muito desses ai que você citou vivenciam a lei de Gerson, assim como a maioria da população. Não vou ser hipócrita e dizer que nunca patrocinei essa indústria, já comprei cd pirata, já compartilhei mp3 com amigos, mas sempre que posso eu primo pelo original, primo pela qualidade, pela credibilidade. Assim como não incentivo outras pessoas a fazerem o mesmo.
    Tem muito material opensource de ótima qualidade por ai, muita novidade, um blog não precisa exatamente viver às custas do que é novidade e em prol disso compactuar desse crime.
    Agora eu já não concordo com o que você diz sobre o mainstream, ta, é mais fácil, mais seguro, mas para mim é fake.
    Um site que prima esse tipo de trilha para mim perde muito da sua identidade.
    Bom senso? Isso nós precisamos a cada dia, em cada instante.
    Também não vou sair resenhando palavrões, ou chicoteando produto de anunciantes à toa.
    No caso de um blogueiro, ele tem que procurar, na minha simples opinião, produtos que tem a cara do site, se possível à cara do dono do site.
    Ter personalidade é que é o grande lance, não seguir o "caminho do meio".
    É arriscado? Claro que sim! Mas eu aposto minhas bolinhas de gude laranja que o blogueiro se sentirá muito mais feliz. Será muito mais satisfatório.
    Alguém encara a aposta?

  • Liu

    Poxa… não mereci nem uma respostinha ao comentário que eu mandei?
    o que eu queria era travar uma conversa, não ser salsinha…

  • Cardoso, acho que sintetizando muitissimo o que você falou, falta profissionalismo e talvez um pouco de ambição no meios dos blogs brasileiros.
    Grande parte das pessoas tem um blog "grande" por sorte, nenhum deles planejou aquilo, investiu tempo, cérebro e as vezes dinheiro pra chegar aonde chegou. É a mesma idéia do Big Brother, easy come, easy go….

    Sinceramente, tomara que não durem muito… gente assim é como os hypes, estão em alta agora na internet, mas já já vão perceber que a "mídia Internet" não é só isso.

    Anarquia é coisa de criança

  • Profissional ou amador eis a questão.

  • É, Cardoso… De novo, tenho de dar-lhe razão… Afinal, quem disse que fazer um blog sério é fácil, não é mesmo?

  • Pingback: Megalopolis » Mistureba()

  • Olha Cardoso nunca vi um jeito tão sutil e mascarado de hype, você com sua ética já oferecida atraves de "compre-me" sou do bem, citou os produtos "novidades" do outro blog pirateiro, o filme do momento, porque voce sabia que geraria controversias saudaveis.

    Parabens, um dia eu aprendo a escrevrer nas entrelinhas do google..

    Não leve como ofensa e sim como elogio…de um simples aprendiz de blogueiro.

  • Não seria a pirataria um sinal de que no futuro os ganhos por direitos autorais terem que ser por concertos ao vivo, ou suor do artista ao vivo, deixando os ganhos de gravadoras reduzidos?

  • Como disseram em alguns comentários acima, há sempre excessões. Mas não deixo de pensar que meu blog poderia ir mais longe caso eu fizesse uma limpeza nos links que coloco nele.
    Mas isso é uma coisa que faria depois de refletir muito sobre o ato. Não ganho dinheiro com o meu blog, nao tenho um adsense sequer nele, e sinceramente, nao sei se quero ter ganhos. Utilizo hospedagem paga – e já gastei um bom dinheiro nela, nao me arrependo – e escrevo nele por amor à escrita mesmo.
    Existem prós, existem contras. E eu só vou parar para pensar nisso quando tiver tempo para refletir muito – nas férias eu paro e vejo o que faço.

  • Pingback: defenestrado | Creative Comons my Ass()

  • Pingback: Navarro, Gustavo, Guilherme, Nospheratt, Helton, Jobson...()

  • E então caimos na velha questão da credibilidade dos blogs, estranho como tudo volta ao mesmo ponto.

  • Nao respondo nada, fico em cima do muro ruminando, porem sabendo do obvio que dura lex sed lex dos copyrights

    escrevi um post sobre mais ou menos isso no meu blog tosco

    http://psiquiatriadesencanada.blogspot.com/2007/1

    Poderia ser o google, com o porém qualquer outro grande ou médio(buscadores, sites, provedores), pagam para os pequenos (blogs, sites, etc) para fazerem o trabalho sujo de burlar as leis de direitos autorais atráves de provedores e serviços de guarda de bytes.Até mesmo os que vendem (buscapé, mercado livre), estão nessa. A lei terá que ser mudada ou o pessoal cansou de lutar contra a maré e juntar se ao inimigo. Cantores sobreviverão de shows, escritores de palestras, programadores de consultoria e assim vai. Nesse mundo novo, as informações serão fartas e gratuitas, a relação humana direta que será paga.

  • Plox
  • Não. O conteúdo de cinema, e a pirataria de DVDs ainda é contravenção e não deve ser usada pelos blogs como fonte de material de pesquisa, mas baixar um episódio de uma série, que passa em uma tv por assinatura, que você PAGA, ou que está disponível gratuitamente no site da emissora, é diferente.

    O pessoal do Robot Chicken e South Park apóia e libera downloads, por exemplo. Executivos de TV já declararam que não consideram pirataria download de episódios para fins não lucrativos.

    É diferente de ripar um DVD.

  • Martin Juan

    Bueno, não faço resenhas de filmes, apenas lembro de algum comentário sobre uma das continuações de Star Troops, que fiz de maneira modesta, porque não todo mundo tinha assistido no cinema na época. Depois apareceu o dvd pirata. Não compro dvds piratas, porque preço na qualidade. Cada vez que vou ao cinema, logo do filme visito as Americanas, onde compro filmes clássicos, nos últimos anos, a saber: Lawrence de Arabia, Doutor Zhivago, Duna, Jesus Christ Super Star, Flashdance, os últimos Star Treks do JJ, e um pacote com os três do Poderoso chefão, entre os que consigo enxergar na minha prateleira… ah, sim; Independence Day, Noé, Star Trek 1, 2012, Blade Runner… e um box com a setima temporada de Voyager, que comprei em São Paulo quando fui a um evento pelos 46 anos de Jornada.
    Daqui não enxergo mais. NO meu blog de Ficção Científica e relacionados, procuro não sair do assunto 99% das vezes. Não lucro com isso. Apenas criei o blog em 2009 para satisfação pessoal e para divulgar uma obra de SF de um amigo, que de outra forma não conseguiria publicar, já que estão cobrando oito mil reais por um livrinho de 150 páginas. Invejo, invejamos, Perry Rhodan.
    Também publico alguns quadrinhos, em português e espanhol de antigas histórias de SF, quase desconhecidas pelo público atual: Gilgamesh o Imortal, Brick Bradford, etc.
    Não pretendo me tornar um Carlos Cardoso, até porque não tenho tanta competência como blogueiro, e acho que nunca terei, porque já estou com muitos kilometros rodados, já escalei o Monte Niitaka, e estou descendo pelo outro lado.
    Bom, era isso que me levou a comentar seu post; como sempre bem explícito.
    Parabéns.
    VL&P.