Proposta sensacional para um Editor: Paga-se em Prestígio

A idéia é simples: Vamos editar uma revista online sobre tecnologia, blogs, cultura, diversão e assuntos sociais. Você cuidará da seleção de matérias, contatos com os autores, prazos, publicação, etc.

Também deverá fazer parte da revisão final, pauta e organização. Se possível visitas a possíveis patrocinadores, em regime de prospect.

Queremos um editor que tenha currículo, passando por órgãos famosos de imprensa, e pelo menos uns 5 anos de experiência na função.

Na parte financeira, não vamos fornecer nenhuma remuneração. E não, você não poderá colocar seu banner do AdSense, iria estragar nosso layout.

O retorno financeiro é a divulgação do trabalho num Portal diferenciado e com conteúdo extremamente denso.

Propostas para a redação.

OK, agora me digam: Se essa propostinha escrota faz todo mundo rir e perguntar se tem cara de palhaço, por quê diabos VIVEM fazendo essas propostas para blogueiros? Uma de nossas fontes ouviu EXATAMENTE a frase em destaque, quando perguntou sobre o dim-dim.

Eu sou a favor da profissionalização dos blogs, como sou a favor da não-profissionalização dos blogs que não querem se profissionalizar, mas eu NUNCA serei a favor da exploração pura e simples. Esse papo de “pagar com prestígio” NÃO COLA.

Se você acha que alguém tem conteúdo (“talento” pode ofender algum jornalista) suficiente para publicar em sua revista/jornal/site, então não é ninguém “começando”,  “precisando de uma força”. Você, editor, não vai publicar um material inferior somente por caridade. Vai publicar um material decente, de acordo com as expectativas do veículo.

Então pague.

Existe uma enorme diferença entre ser convidado para fazer um texto eventual em uma revista de prestígio e ser colaborador gratuito de um site iniciante que tem menos audiência que meu blog (e “meu” aqui leia-se “de qualquer um”). Hoje em dia um nome famoso já não diz muita coisa na Internet, e uma postura de projeto fodão e revolucionário menos ainda.

Faça um favor a si mesmo e aos blogueiros: Não gaste nosso tempo com esse tipo de proposta. Se seu site sequer existe, ele não é nada. Se ele existe mesmo assim há boa chance de ele não ser grande coisa. Quer um bom autor (e há vários por aí) comprometido com seu projeto? PAGUE.

Até porque eu NUNCA vi um editor de um desses “projetos geniais” dizer que não estava recebendo nada.

PS: Um excelente texto sobre isso é “O Conselheiro Come“, de João Ubaldo Ribeiro

PS2: Não é que o Prestígio tem até um site?


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Já recebi algumas propostas "sensacionais" como esta. Brincadeira…

  • e quando uma empresa envolvida até mesmo com blogs entra em contato com você, elogiando seu blog de tecnologia, e informando o quão bom seria se você transferisse o domínio para o portal deles, que assim você atingiria mais pessoas e quando você escreve educadamente em contrato comercial, eles nem te respondem?

  • Certo dia um amigo, dono de um bloguinho, falou assim entusiasmado "me convidaram para escrever num portal de qualquer coisa!"

    Ele foi, mas tb não tinha experiência nenhuma, então não fez mal para ninguém.

  • AFE!!!

    Aceitar uma proposta dessa é no mínimo desrespeitar a categoria dos probloggers!!

    Pelo mesmo motivo estão sumindo os webdesigners, já que os sobrinhos estão cada vez mais fazendo sites de graça para os tios!!! Só sobraram os peixes grandes, já que os pequenos nem chegam a nascer!!!

    Quanto ao prestígio… Se prestigio pagasse conta, o Tony Ramos comeria de graça nos restaurantes!!! Até na novela ele pagou conta!!!

  • Essa é a famosa parceria "caracú"

  • Certa vez recebi uma proposta para transferir meu dominio para agregar mais o conteúdo específico ao "Grande Portal".
    O que eu ganharia? Hospedagem gratuita e mais visitas.
    O que eu perderia? Teria que retirar o AdSense do site.

  • E se não quer pagar então faça…

  • Post veio em boa hora.
    Acabei de ser convidado por um "grande portal" hehe e seria pago com prestígio.
    Lá pelo menos posso aproveitar pra inserir alguns links pro meu blog.

  • Micox

    E você perderia umas 2 horas por texto meramente para ganhar alguns links???

    Acho que nem se fosse para ganhar um link Pagerank 10 do Apple!! :p

    Jonny

  • Era uma vez uma agência de publicidade médio porte (bons clientes, 2 filiais, os donos andam de bmw) com um depto web fraco. Chamam um cara reconhecidamente bom no mercado regional em determinada tecnologia pra fazer um freela. O cara é bom, está empregado e ganha bem.

    No final da conversa com o gerente de projetos, ele emenda uma conversinha de que as pessoas fazem concursos e até pagam para trabalhar na Petrobrás bla bla bla … o tal cara interrompeu o discurso dizendo "educadamente":

    Acho que o sr não entendeu. Não estou procurando emprego e vocês não são a Petrobrás.

    Fiz o trampo e pagaram o preço que cobrei. Ponto.

  • Isso lava a alma. Sou ilustrador e já ouvi esse papo (e ainda ouço). Sem querer ofender ninguém, mas creio que fazendo tal acordo sua imagem não se relacionaria a prestígio, e sim a um otário barato (provavelmente nesses termos na mente deles). Além de desvalorizar a categoria não só financeiramente mas também ao que se refere a competência, pois no final quem faria muito por tão pouco precisando sobreviver?
    Estou disposto a colaborar com uma ilustração a respeito para levar o assunto a diante.

  • é o velho jornalismo invadindo a nova mídia com suas práticas horrorosas. Todo mundo que faz frila de texto/foto pra grandes editoras sabe muito bem a mixaria que os caras pagam só pq quem não está lá na redação pode "colaborar" com seus magníficos veículos…
    Faça como Jonny e Netto: diga não, coloque limites e vá trabalhar com profissionais de verdade.

  • Pagamento em Prestígio é fogo, ainda se fosse em Kopenhagen, hehe…

  • Dá nome aos bois. Quem foi o "denso" que escreveu essa gracinha?

  • A prática de trabalhar de graça é comum entre estudantes de arquitetura que desejam "enriquecer seus curriculos" prestando serivço aos grandes arquitetos. Nunca trabalhei de graça para ninguém em nenhuma das minhas carreiras, exceto estágio de professora aqui nos EUA, que é curso e pagamos para sermos escravos.(Student-teaching.)
    É absolutamente vil não pagar ou não ser pago e ponto final. Já inseri no delicious este post.
    Valeu, Cardoso.

  • Recebi outro dia uma proposta assim: Domínio hospedado gratuitamente, "assessoria" para dúvidas de wordpress e inclusão de ad-sense (dividido com o proprietário do site). Fora inúmeras propostas para trabalhar "colaborando" com sites monetizados dos quais veria apenas um link "e olhe lá".

    Só recentemente apareceu uma proposta séria, mesmo assim, pagando pouco.

    Ocorre que há a visão de que o blogueiro é um cara suado e desocupado, cercado de restos de comida que trabalha em casa nas horas vagas e é bancado pelos pais (tudo bem, alguns são assim mesmo. (rs))

    Não há um respeito de reconhecer-se o talento de alguém que escreve bem e pode ser relevante; pagando-se por isso.

    Um abraço.

    É uma visão amadorística e preconceituosa.

  • Mistério desvendado: o portal POP lançou no dia 03/3 seu canal "Blogs" (que é diferente do menu do mundo "Blog", entendeu?).

    Bem, parte dos que lá estão fazem parte da blogosfera que acompanhamos (é sério) e veremos quanto tempo essa história durará. Um estudo de caso online :D