O quê se caça em um safari urbano?

Domingo sairei umas 8 horas da madrugada aqui do reduto, pretendo estar em SP meio-dia. Fui convidado para participar de um… Safari Urbano. É uma promoção de uma agência de marketing de guerra bacteriológica (mais chique que viral, e engloba guerrilha) para um cliente não-identificado.

Não passaram informação nenhuma, exceto que deveria estar no ponto de encontro, em determinado horário. Como eu adoro uma boa brincadeira, topei. Gostei do mistério.

Disseram que não é necessário levar câmeras, pois a organização cuidará de documentar o evento. CLARO que Tio Cardoso prefere levar a sua, não gosto de “pool de transmissão”, com todo mundo com o mesmo material.

Vai render post? Provavelmente. O Nick Ellis vai, outros blogueiros vão, a bagunça vai ser boa. Resta ao cliente/agência tornarem o evento atraente o bastante para que o bicho mais dispersivo do mundo, o blogueiro, não se perca falando de mil outras coisas.

De resto, já valeu para que eu lembrasse de Sheena, Rainha da Selva, a dona montada na “zebra” na foto.

As aspas? Repare, é um cavalo pintado. O filme, estrelado pela playmate Tanya Roberts, conta uma história besta de um Tarzan de sem saias, uma empresa malvada que quer desalojar um morcego– não, isso é Ace Ventura, mas a seriedade do roteiro é equivalente. O importante é que em plenos anos 80, com a censura ainda firme na TV, em plena Sessão da Tarde passava um filme com uma loura boazuda que ficava pelada, mostrava as tufas, tomava banho de rio anos antes de Pantanal e Dona Beja, e chegava até a ter uma cena onde sua Mata Atlântica era claramente visível pela lateral da tanga de couro.

Tudo isso liberado, afinal ela era uma “selvagem”, e a Censura entendia que “silvícolas” podiam expor suas vergonhas, altas e cerradinhas, sem o menor problema.

A molecada? Adorávamos, até perdoamos o cavalo pintado.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • "A molecada? Adorávamos, até perdoamos o cavalo pintado."

    Essa pegou mau! você ficava olhando pro cavalo pintado?

    Eu acho que ainda tenho essa filme em VHS (embora o vídeo cassete já tenha ido pro saco a tempos) e nunca reparei no cavalo, tinha algo "mais interessante" pra ver! (como demostrado na primeira foto!)

  • Eu era pia de mais pra entender o porque eu gostava tanto assim do filme, mas que eu gostava eu gostava. Mas eu também nem me lembrava da "zebra".

  • Pow Cardoso, no safari urbano agente vai atrás das éguas também, rs….
    Mas cá entre nós, guerra bacteriológica, se falar que tem terrorista com antrax vai dar um bom post pega salsichas com comentários de fim do mundo e tdo mais, rs…..

  • Olá companheiro,

    Acabo de ler a Revista Info deste mês e fiz questão de vir aqui parabenizá-lo pelo sucesso. Você é um modelo para os blogueiros e uma referência para a blogosfera brasileira. Parabéns!!!!

  • E aí? Como foi o Safari Urbano? Só vi mais 1 blog falando sobre isso.

  • Cardoso, não sei porque mas, pela descrição que você fez, lembrei dos anúncios "Você é Bonita e Gostosa, tem entre 14 e 18 anos? Venha Trabalhar no Japão"

  • uhahuahuahuahuahuahu estou rindo feito louca aqui.. só vc mesmo!!!

  • é Cardoso, com essa cara de devoradora de homens que a Shena tem é provavel que o caçador vire caça, hehe