Astrologia não funciona, mas olhando pra ela só penso: GÊMEOS!

Astrologia é uma das superstições mais antigas, e talvez a com menos base científica. Aproveitam-se da memória curta, e agem com impunidade, afinal ninguém se lembra do modelo geocêntrico que durou até a idade média, e que é a base da astrologia “moderna”.

Astrologia essa que teoricamente deveria estar errada, pois Plutão só foi descoberto em 1930. Justamente através de anomalias na órbita de Netuno. Ou seja: Apenas com matemática determinou-se que havia algo errado, e deveria existir um planeta. Que foi prontamente assimilado pelos astrólogos, que estranhamente não haviam dado falta dele em todos os séculos anteriores.

Como não deram falta de Urano e Netuno, outros dois planetas invisíveis sem telescópio, que só foram descobertos bem tarde. Urano por exemplo não existia em nenhum mapa astrológico até 1781.

De resto, é a velha piada da Madame Aramis, vê tudo, sabe tudo, passado presente e futuro, que você bate na porta e ela pergunta “quem é?”.

No vídeo acima temos uma astróloga gravando um vídeo e sendo surpreendida pelo terremoto de Los Angeles, no começo da semana. Será que os Astros são tão levianos e imprecisos que um evento como um TERREMOTO passou em branco?

Fonte: Bad Astronomer


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Muito bom. Esse povo que vive se aproveitando da ignorância alheia tem mais que se fuder mesmo. Inclusive as religiões, que nada mais são que estas crendices institucionalizadas.

  • BOOBS!

  • A astrologia continua existindo devido as pessoas viverem querenndo que alguma coisa resolva seus problemas ou lhe facilite o caminho.

    Vim conhecer seu site por intermédio do blogblogs.

  • Vinny

    Ela estava falando sobre o que mesmo? Eu não prestei muita atenção…

  • O terremoto foi causado pela distorção gravitacional causada por objetos massivos, como podemos ver no vídeo.

  • Pois é, gêmeos. E idênticos.
    O artigo era sobre o que mesmo?

  • (OYO) "Oh, my god!" Hã? Estávamos debatendo o eclipse da Yahoo!?

  • É… não tem jeito, a gente fixa o olhar neles e fica hipnotizado, que droga de terremoto hein?

  • smx

    Que astróloga gostosa !

  • Antes de criticar alguma coisa, (ex: astrologia) acho que deveríamos entender o que é, e parar de cair no lugar comum de achar que astrologia é o horóscopo de jornal ou revistas feminina, e que é possível prever o futuro pela astrologia.

    As civilizações mais sábias que já habitaram nosso planeta praticaram a astrologia como ela deve ser encarada e a nossa civilização insiste em manchar o seu valor dando-lhe outro sentido. E todo mundo acaba seguindo a corrente de opinião, sem se dar o trabalho de investigar e saber o que é.

    • Vamos lá. Astrologia é uma superstição surgida milhares de anos atrás quando a Terra era o Centro do Universo. Astrologia não tem a MENOR base científica, baseia-se em um princípio antropocêntrico que perde a razão de ser quando você assiste 5 minutos de Cosmos de Carl Sagan. O Universo é MUITO, MUITO maior do que meia-dúzia de planetas e NÃO GIRA EM TORNO DA TERRA.

      Achar que "marte na casa de aquário" é significativo, e uma supernova explodindo com a energia de uma galaxia inteira não é… isso é infantilidade.

      Achar que 1/12 avos da humanidade vão ter a mesma sorte durante um dia é… ridículo.

    • As civilizações antigas adoravam o Sol, a nossa estuda o Sol. Pequena diferença.

    • Josué Gomes

      As civilizações mais sábias que já habitaram nosso planeta também praticaram: escravidão, genocídio, sacrifícios humanos, etc. O que não torna tudo isso válido.

    • Caio "Rufflez&q

      Agora, conte quantas dessas civilizações antigas e sábias que praticavam astrologia ainda existem até hoje?

  • "Pois é, gêmeos. E idênticos.
    O artigo era sobre o que mesmo?"

    kaosksaokasoaskasokas, idem.

  • Caro amigo Cardoso,

    A Terra nunca foi o Centro do Universo. O Universo não existe em função do ser humano. A astrologia é geocêntrica porque vivemos neste planeta, só por isso, é nosso ponto de observação.

    A astrologia nunca disse que 1/12 avos da humanidade vão ter a mesma sorte durante um dia. Isso seria ridículo mesmo. Isso é culpa da desinformação reinante hoje em dia.

    A astrologia trata de algo tremendamente natural, os ciclos. Tudo na natureza é cíclico, e os astros indicam ciclos maiores nos quais estamos inseridos. E mesmo em se falando de ciclos, a astrologia nunca retirou o livre arbítrio do ser humano. Ela nunca quis definir o futuro ou o destino de algo, mas sim apenas situar qualquer elemento nestes ciclos que não percebemos tal a sua grandeza.

    Amigo, eu não sou nenhum especialista, então vou parar por aqui com as minhas colocações. Tenho muito pra aprender ainda, e o pouco que eu afirmei aí em cima é fruto de uma aproximação que eu tento fazer desse assunto que eu acho muito interessante. Que sirva pelo menos pra despertar a curiosidade de alguém que passe por aqui.

    De qualquer forma, parabéns pelo site. Saudações.

    • Você sabe que desde que descobriram o conceito de sistemas dinâmicos a idéia de ciclos já era, né? Estude um pouquinho sobre Teoria do Caos. Vai acabar com essa idéia linda de tudo estável e cíclico.

      • Willy Cornelissen

        A velha teoria do Caos. Prefiro acreditar numa ordem que está por trás de todo o Universo. Acreditar num universo aleatório e caótico é como acreditar que se jogarmos para cima um monte de ferro e plástico, vai cair um piano tocando música erudita. Falta verossimilhança.

        Sobre a questão dos ciclos, não preciso de intelectualizar muito, nem ir na Origem do Universo pra perceber que toda a Natureza, e o homem inclusive, é cíclico. Basta observar o ciclo diário, as estações do ano, os ciclos da lua, etc. Estes pequenos ciclos nós percebemos diretamente. Os ciclos mais longos, a astrologia descreve e situa a nossa posição dentro destes ciclos.

        Bem, mas pode ser que os intelectuais acadëmicos já achem que não existe nem estes ciclos pequenos. Talvez dia/noite e estaçoes do ano sejam sõ uma idéia de tudo estável e cíclico, como vocë mesmo diz. Então tá. Mas sabe que comigo ainda funciona super bem?

  • Jesus is coming soon! ehehehehe

  • Márcio

    Sem querer defender algo que não é uma ciência exata, mas os sumérios já conheciam o plante plutão e muitos outros corpos celestes que passaram batidos pelos cientistas da idade média e renascença. Faz o favor de não afirmar coisas de maneira leviana como se fosse o dono da verdade.

    • UHAUHAUHUHAUHAUHAUHAUHAUHAHUAUHAUH Excelente, excelente. Melhor piada do dia. E COMO eles descobriram Plutão, Netuno, etc, se nem “ciência exata” é? E porque NENHUM mapa astral até 1930 contém Plutão?

      Bem, vamos ao mito dos sumérios conhecendo plutão… tudo se baseia na imagem no Selo de Berlim, encontrada nesta página:
      http://www.badastronomy.com/bad/misc/planetx/nuts

      Note que não há luas de Júpiter ou anéis de Saturno. é um selo basicamente decorativo, fruto da imaginação do artista. INCLUSIVE a representação ali não é do Sol, o símbolo sumério para Sol era outro. Aquilo é o símbolo de Estrela, usado de forma distinta do Sol. Os pontos são as Plêiades.

      NENHUM texto sumério afirma que conheciam mais de 5 planetas. Seu que não vai ler, mas aqui temos um estudo de um arqueólogo especializado em Civilização suméria/assíria explicando esse mito do 12o Planeta, e detalhando o Selo de Berlim:
      http://www.sitchiniswrong.com/VA243seal.pdf

      • Ramon

        Acho que todos vocês não sabem do que estão falando. Quem lê "Conan, O Bárbaro", sabe que os sumérios (ou eram os cimérios?) foram um povo muito evoluído…

    • O que de fato os sumérios enxergaram no céu foi a deusa-mãe Ninkasi (louvada seja), em honra da qual criaram as primeiras cervejas. Sacerdotizas presidiam rituais sexuais em que personificavam a própria deusa, que "comungava" com servos escolhidos, tudo em meio a litros das bebidas primitivas. Esse povo sabia viver:
      http://beeradvocate.com/articles/673

  • Esse gêmeos são realmente hipnotizantes,tive que voltar o vídeo para prestar atenção no que ela estava falando…

    >> http://www.topzet.com
    (cinema,séries,livros,música…)

    abs

  • Bruno

    Mas que peitão dessa astrologa :D

  • Ela podia tirar a roupa enquanto falava! Mas como eu prefiro meninas mais novas, como a Mirian, eu li o texto :P

    E, falando do texto, fantástico. Será meu novo argumento contra a astrologia.

    :P

    Abraços.

  • Editor

    Uma vez a TV Globo começou a passar uma série de televisão feita com o Carl Sagan. Depois de não lembro quantas edições, uma ou duas, a série saiu do horário nobre e foi deslocado para a tarde de sábado devido a baixa audiência, mas depois foi cancelada.

    Lembro que foi comentado no jornal Folha de São Paulo, sobre o cancelamento da série.

    O programa era meio lento e achei meio visionário demais, pelo que consigo recordar. Dizia que poderia existir vida primitiva em Júpiter na forma de "balões" suspenso no ar, longe daquela forte turbulência. Mostrava um desenho.

    Lembro que Carl Sagan criticou a astrologia, citava como exemplo gêmeos que tiveram suas vidas, bem distintas um de outro. Acho que foi logo no primeiro programa.

    Quando os estadunidenses chegaram a Lua, alguns diziam que os russo já haviam chegado a Marte, mas não confirmavam. Afinal era a época da Guerra Fria. Porém para chegar a Marte, a distância é muito maior que se imaginava naquela época.

    Hoje dizem que a Apolo 11 não chegou a Lua, apesar dos testes da Apolo 9 em volta da Terra e da Apolo 10 em volta da Lua, como os astronautas saindo do módulo de comando e entrando e dirigindo no espaço o módulo lunar, para testes de dirigibilidade.

    A Apolo 1 não decolou, o motor perdeu potência na decolagem e o foguete deu ré e explodiu e os três astronautas faleceram.

    Quando o assunto é espaço, o pessoal ainda vive no tempo das cavernas e por isso a astrologia continua firme. Uma pseudociência que ainda floresce.

    Imagem do movimento das nuvens em Marte captado pelo veículo geológico Spirit. Nuvens que acreditam ser formadas por cristais gelo.
    http://marsrovers.jpl.nasa.gov/spotlight/20080324

    • Vamos lá. A distância até Marte era bem conhecida em 1969. Se os russos tivessem chegado perto o mundo inteiro saberia, como soubemos do Sputnik, Yuri Gagarin e Alexei Leonov.

      A Apollo I não foi lançada. Os astronautas morreram em um incêndio na cápsula durante um treinamento de rotina.

      Cosmos, de Carl Sagan passou várias vezes na Globo, com destaque, não foi deslocada de horário, tendo sido inclusive sucesso de audiência. O livro Cosmos chegou a ser editado no Brasil, eu tenho um exemplar.

  • Não sei porque, mas esse artigo me lembrou o "Quase Inofensiva", do Douglas Adams :D

  • Palmiro

    Shake baby, shake!

  • Jose

    Eita peitão!

  • Para atualizar a crítica…
    Os astrônomos [modernos? contemporâneos? atuais?] não argumentam mais que os planetas, estrelas, ou asteróides influenciam na vida das pessoas. Segundo a linha [moderna? contemporâna? atual?] o que existiriam seriam ciclos coincidentes. Ou seja, determinadas características de personalidade ocorreriam nos seres humanos de forma cíclica e estes ciclos coincidiriam com determinados ciclos celestes. Traduzindo, os astros não criariam as características mas atuariam apenas como "ponteiros de relógio" dos tais cilcos.
    Outra argumentação [modern… ah, você entendeu] é que o futuro tampouco seria determinado pelos astros mas seria uma linha de alta probabilidade decorrente do comportamento individual decorrente das tais características cíclicas.

    Cá entre nós, acho que esse pessoal andou lendo o "Freakonomics"… :-P

    Em tempo: belos gêmeos.

    • Não não estão. NENHUM astrônomo JAMAIS afirmaria uma besteira dessas. Por favor, entenda. Astrologia == superstição.

      • Hehehehe… Não disse que não é superstição. Só disse que eles "atualizaram" a desculpa.

  • LucasMS

    Ninguem sabe o nome dela nao?

  • Ronaud Pereira

    No fundo a origem da superstição e da ciência é a mesma. É a velha luta do homem tentando encontrar ordem no caos. E a superstição permanece justamente onde a ciência não encontra respostas.

  • Zararu

    Astrologia nao eh ciencia! E nem teve a pretensao de sê-lo… na minha opiniao, depois de Decartes, a astrologia tentou se provar e viou conto de fadas (leia-se se fudeu)!

    Ciencia nao eh religiao! As ferramentas da ciencia diz o que ela pode ser capaz de provar naquele momento! Eh a mesma ciencia que passou séculos acreditando na geracao espontanea… a mesma ciencia que passou 75 ANOS para descobrir a origem do HIV, chegando ateh a fazer analogias ridiculas! Sr Einstein, se tivesse acreditado na ciência da época, estaria fazendo explosivos mágicos…

    É claro que faz parte do seu acervo publicitario posts como esse, mas eh óbvio também que suas declaracoes absolutamente verdadeiras mostram o qto a ignorancia pode ser usada a nosso favor…

    A propria ciencia diz: "A impossibilidade de atingir a verdade absoluta é inerente à processo racional…" ou seja, estar errada faz parte da própria ciencia.

    Sem dúvida, a ciência é a MELHOR forma de seguir em frente, embora ela seja mais limitada que os cegos fanaticos podem perceber! Hoje nao temos meios melhores e tenho q publicar/aceitar a tese de que a astrologia nao funciona. Mas daí eu teria que aceitar que a psicologia nao funciona – à exceção da escola de Roger – o resto seria devaneios como foram os de Jung…

    Nao eh estranho uma simples crença durar tantos anos, guiando vários reinos e exércitos poderosos… estatisticas sao por vezes débeis, embora nao veja nenhuma outra coisa melhor por aí!

  • Zararu

    Ah.. astrologia está para advinhação assim como marketing está para ENFERMAGEM!!!

  • Thiago

    Pelo que sei, a astrologia é muito antiga, e não sei o por que de rechaçarmos o que é antigo deste modo. Primeiramente, é necessário considerar o contexto histórico em que a astronomia surgiu, pois pensá-la e criticá-la a partir do NOSSO tempo é muito fácil. Não sei por que também esse endeusamento da ciência contemporânea, afinal, fico a me questionar o por que da nossa ciência ser melhor do que a que se fez no passado, e percebam que aí está implícita uma concepção teleológica da ciência (como se está evoluísse em direção a um objetivo determinado). Além do mais, também é importante frisar que, se há alguma avanço na ciência, é por que houve teorias mais antigas, por meio das quais, as atuais puderam ser desenvolvidas (mais aí já estamos entrando em Filosofia da Ciência, e está é uma discussão muito complexa), por exemplo, talvez não houvesse um Einstein se não fosse um Newton, e não haveria Newton se não houvesse Arquimedes, e assim por diante. Mas agimos desta maneira imbecil, satirizando o passado, por acharmos que estamos no "topo da evolução", por acharmos que a ciência do nosso tempo é melhor do que a feita no passado, "mais verdadeira". Se a astrologia é ou não válida como ciência, isto não vem lá muito ao caso, mas sim a sua importância num determinado período histórico, como forma do ser humano pensar a si mesmo e as suas relações com o cosmo. A astrologia também é utilizada pela Psicologia, pois seus símbolos fazem parte dos arquétipos humanos. Logo, discursos cientificistas, racionalistas, devem ser feitos com muita cautela, pois não adianta simplesmente descartar o passado, mas sim tentar compreender a relação do que foi pensado outrora com o que pensamos hoje. Aliás, e por último, quem disse que a ciência é dona da verdade? Por que nos apoiamos tão fortemente na ciência pra endossar opiniões? A ciência me parece ter tomado o lugar do Cristianismo na Idade Média, pois toma para si o papel de inquestionável, mas o fato é que a própria ciência passa por inúmeras crises e se vê obrigada a mudar seus paradigmas.

    • "A ciência me parece ter tomado o lugar do Cristianismo na Idade Média, pois toma para si o papel de inquestionável"

      Você definitivamente não entendeu sequer a BASE do método científico. Quanto ao conhecimento antigo, entenda: O que é certo fica, como o Princípio de Arquimedes. O que é errado vai embora, como o Geocentrismo. Nem tudo criado no passado está correto. Na verdade 99% está errado.

      Achar que planetas influenciam o cotidiano dos humanos por exemplo, é ridículo.

      • O problema não está no método científico, que é o melhor para avaliar qualquer coisa, mas em alguns defensores da ciência que atualmente se proliferam (isso é ótimo!), só que agem muitas vezes como fundamentalistas. Veja o chato do Bill Nye (The Science Guy, WTF??), ou então James Randi que na versão brasileira é algo como Padre Quevedo e Marcelo Gleiser que só repetem "Icso nom ecxiste…"
        Talvez o Thiago do comentário acima tenha se referido a isso, ou não :)
        A verdade mesmo é que radicais, não importa de qual lado estejam são uns chatos, NA MINHA OPINIÃO :)

      • Thiago

        Cardoso, você fala de BASE do Método científico como se houvesse um só método científico. Como assum: eu DEFINITIVAMENTE não entendi a base do método científico? Você entendeu DEFINITIVAMENTE a base do método científico? Depois de você não houve ninguém mais que discutisse os métodos científicos? A qual método você se refere? Cartesiano? Já leu Feyeraband? Karl Popper? Thomas Kuhn? Qual é a base do método científico? A dedução? A indução? Falseasionismo? Se considerarmos a questão pelo prisma da Fenomenologia, perceberemos que se trata de perspectivas diferentes com relação à significação que se dá ao mundo. Quando olho para o céu ensolarado, não fico pensando e nem vejo que o sol está há X quilomêtros de distância, e que ele é uma estrela do tipo G2, etc. Eu simplesmente percebo o sol tal qual ele me surge. Então perceba que a racionalização é posterior à percepção do mundo, pois não há ciência sem mundo, e que toda a ciência é construída pelos sujeitos, e não existe sujeito neutro (temos valores, cultura, crenças, uma posição a partir da qual observamos os objetos, etc.). Então, quando afirmamos que algo está certo ou errado, é melhor perguntar antes: certo ou errado a partir de qual perspectiva, da perspectiva de quem, em qual período histórico? Quando olho o céu e digo que está feio, e outra pessoa, olhando o mesmo céu, diz que está maravilhoso, como a ciência lida com isso? Excluindo o sujeito da observação, para definir o "fato absoluto"? Além do mais, a Lua não influência na Maré? A maré não influência na vida prática das pessoas? A chuva não interfere nas plantações? Temos que entender que a relação dos povos mais antigos com a natureza dizia também respeito sim ao seu cotidiano. Concordo que talvez não influencie a personalidade, mas será que um dia chuvoso não influencia as emoções? As emoções não são afetadas pelas percepções que temos do mundo?), logo, se a posição aparente do sol é verdadeira ou falsa não interfere em última instância na percepção que tenho dele, pois está continua verdadeira independente da distância a qual o sol se encontra de mim. E, por fim, há algo de Psicologia na Astrologia, há algo de Alquimia na Química, e algo de física newtoniana que permanece, apesar da física einsteiniana e da física quântica. Talvez seja melhor dizer não que as concepções mais antigas estejam erradas, por que aí daríamos o status de verdadeiras às nossas concepções atuais (por que só as concepções da ciência atual são verdadeiras em relação à todas as demais, em todos os tempos nos quais os seres humanos existiram?), mas sim que se tratava de uma perspectiva diferente, de uma circunstância diferente, enfim, acho está posição mais saudável.

        • Aprenda gravitação newtoniana, aí vai entender a patetice que é comparar a influência gravitacional da Lua sobre as marés achando que essa mesma influência afetaria pessoas.

          As concepções mais antigas ESTÃO erradas, desde a Terra Plana até o conceito dos gregos antigos de que inteligência era localizada no coração.

          Astrologia é um conto de fadas que se perpetua até hoje. Astrologia, ao contrário da ciência não se auto-corrige, identifica os próprios erros e reformula suas hipóteses. Astrologia aliás NEM tem hipóteses. "funciona pq funciona" é coisa de religiosos.

          A ciência não lida com o fato do conceito de beleza ser subjetivo por isso NÃO SER algo que diga respeito à ciência. Da mesma forma que não existe um método científico objetivo de avaliação de qualidade artística de um poema, e daí?

          • Thiago

            Cardoso, eu sei muito bem o que é a gravitação newtoniana, obrigado. Eu disse que a atração gravitacional afeta a vida das pessoas de maneira PRÁTICA, e em momento algum me referi à influência na personalidade, mas, ao contrário, falei de colheitas, plantações, etc. Portanto, leia bem o que eu escrevi antes de criticar, pois ao criticar sua concepção, li o que você escreveu parte a parte. "As concepções mais antigas estão erradas" . E as nossas concepções estão certas! Impressionante! Nós, os seres humanos do presente, somos mais avançados que os demais que viveram antes! Não concordo de modo algum com isto, senão o passado se transforma no alvo a ser atingido, ou como se diz em Filosofia: "chutamos cachorro morto" por que eles não estão aqui pra responder. Além do mais, temos que considerar que culturas diferentes podem viver no mesmo tempo cronológico, porém, em tempos históricos diferentes. Logo, essa coisa de nós sermos mais avançados, por que somos mais "científicos" não é nada convincente. Como se fôssemos o parâmetro para todos os outros povos que viveram antes. O fato é que a gente vive numa época em que se exalta a ciência e que ao mesmo tempo sofre de vários problemas, tais como a fome, guerra, preconceito, destruição do meio ambiente, etc. O que a ciência faz pra resolver isso tudo?

          • Se tem uma coisa que não é avançada são os seres humanos e nossa tecnologia não é TÃO desenvolvida assim também, sei que estou me metendo no papo aqui, mas é que não resisto :p

          • Tirando o fato da gente não morrer mais de tuberculose, lepra, resfriado, dor de dente, paralisia infantil, de tirando na África uma criança ter boas chances de chegar à idade adulta, tirando o fato da vida média hoje em países desenvolvidos chegar a 80 anos enquanto 2000 anos atrás era de 30 anos?

            Tirando o fato de hoje uma área plantada produzir CEM VEZES MAIS do que a mesma área em tempos medievais? Tirando o fato de termos identificado coisas como a vitamina C, cuja carência matou centenas de milhares de marinheiros durante séculos?

            Tirando o fato de hoje um diabético levar uma vida perfeitamente normal, quando 100 anos atrás estaria MORTO?

            É, a ciência não serve pra nada mesmo.

            Besteira dizer que somos mais avançados que os babilônios e outros tipos. Meu macbook é igual a uma tabuinha de argila suméria…

          • Thiago

            Cardoso, tirando o clima, valeu pela discussão! Huashuashuas, pelo menos existem pessoas no mundo que ainda gostam de discutir as coisas. Abç

  • Mr. Prawiro

    Como diria Sheldon, ela é compartilha da ilusão coletiva de que a posição aparente do Sol em relação a um conjunto de constelações de definidas arbitrariamente podem, de alguma forma, afetar sua personalidade.

    • Thiago

      ôps, eu não disse que a ciência não serve pra nada, eu só disse que a ciência não deve ser elevada à posição de salvadora da humanidade e critiquei a opinião chula acerca da astrologia (na qual eu também não acredito, diga-se de passagem). Um pouquinho de história, antropologia, e Filosofia não faz mal pra ninguém. Mas concordo no que toca à longevidade humana, sim, realmente avançou-se muito neste sentido. Mas temos também problemas novos a serem enfrentados, enfim, não podemos simplesmente dizer: óhh, como a ciência é maravilhosa! Aliás, vide a relação entre ciência e poder, ciência e capitalismo (e tanto seus benefícios quanto malefícios), e por aí vai. Eu apenas sou a favor de ponderarmos a respeito da ciência com mais cuidado, assim como também falarmos com mais cuidado de coisas milenares, como a astrologia (que teve grande papel na história humana, assim como a crença nas porcarias que a TV passa atinge grande parte da população).