Parabéns, USP – Mentalidade de 1960 em pleno 2008

brokebackmountain2

Em 1960 Nelson Rodrigues publicou uma peça chamada O Beijo no Asfalto, onde um sujeito, Arandir, presencia o atropelamento de um homem. Agonizante a vítima faz um último pedido: Um beijo. Arandir atende. Partindo daí a imprensa sensacionalista começa a ridicularizá-lo, a família fica contra e a tragédia rodrigueana se sucede.

Dá para entender que 48 anos atrás (e isso é velho até pra mim) algo como um beijo entre dois homens fosse um escândalo de dar (epa!) no jornal, mas hoje embora o sujeito ainda não possa saltitar como uma gazela pelos corredores da vida profissional, ao menos não é apedrejado ou condenado à morte por ser gay. Exceto no Irã.

Como o Brasil é tudo menos uma república fundamentalista islâmica, fiquei muito assustado quando vi esta notícia aqui:

No dia 10 de outubro, sexta-feira, Jarbas Rezende, 25, e José Eduardo, 18, juntos com alguns amigos foram para uma festa realizada no Centro Acadêmico de Medicina Veterinária da Universidade de São Paulo. (…) No desenrolar da festa, o casal resolveu dançar em cima de um palco. (…)

“Estávamos só dançando e de repente eu e o meu amigo resolvemos nos beijar. Do nada, o DJ parou a música, acendeu as luzes e começou apontar para nós dizendo para parar”, conta Jarbas. Após a atitude do DJ, que segundo os entrevistado é o presidente do Centro Acadêmico de Medicina Veterinária da USP, todos presentes na festa o apoiaram. Segundo os estudantes dois homens grandes, os puxaram com muita força e os colocaram para fora. Jarbas conta ainda que, além dele e de Eduardo, os amigos também foram expulsos e alguns que tentaram defendê-los foram ameaçados de agressão.

É claro que não estou defendendo que o mundo vire uma Boate LeBoy, mas no meu tempo na UFF quando o pessoal alegre partia pro abraço, se fosse em um local mais ou menos privado, ninguém tinha nada a ver com isso. Já festas em casas dos pais ou locais um tanto públicos, se alguém se excedia era só dar um toque (no bom sentido) e pronto.

Por isso o meu espanto. Se algo que não era o fim do mundo para estudantes –sei lá, 20 anos atrás- é tratado como caso de perseguição com direito a camponeses com tochas em 2008, acho que involuímos bastante.

É uma pena. Com menos homofobia os homens heterossexuais teríamos um monte de vantagens:

 

1 – Menos concorrência

Cada gay feliz no mundo representa pelo menos dois homens a menos para competir com a gente. A mulherada já diz que falta homem no mercado. Diminuindo as opções, melhor pra gente. Sem contar que aquele seu amigo em crise, que gosta de meninos mas não se aceita então vira galinha e sai devastando o plantel pra se autoafirmar (é com você mesmo, Leozinho) pularia pro outro lado da cerca.

 

2 – Mais solteiras na praça

Quantos casamentos de fachada você conhece? Pense nessa mulherada toda solta no mundo, à procura de um braço forte, um ombro amigo para chorar as mágoas do ex-marido que não era o que ela imaginava.

 

3 – Novos álibis

Digamos que você esteja saindo com uma menina que tem namorado (não que eu defenda essa prática). Com menos preconceito e perseguição social ela pode dizer para o namorado que você é um amigão dela e é gay. O cara não ficaria com medo de te encontrar nem tentaria comprovar se o caso é verdade. E você estaria livre até para ajudar a menina a se vestir, participar dos programas do casal e levá-la para fazer compras na Rua Teresa, Shopping e Bijouterias na Saara.

Nota: Certifique-se antes que o namorado NÃO corta dos dois lados, senão vai sobrar pra você. E não preciso dizer o quê.

 

4 – Meninas mais liberais

Meninas que também gostam de ficar com meninas são a prova definitiva de que Deus não só tem sexo como é homem, na verdade Deus é Howard Stern. Infelizmente a maioria das mulheres reprime esse instinto, só abrindo exceção para a Angelina Jolie. É comum a aceitação de carinhos e contatos mais íntimos somente após a 2a tequila. Tive uma ex inclusive que só admitia ter namorado meninas na faculdade quando estava bêbada. Quase filmei para provar que ela realmente contava as histórias que negava até a morte, sóbria.

Com uma aceitação popular de comportamentos não-ortodoxos as mulheres podem explorar sua sexualidade em todas as variações, sem medo de julgamentos morais por parte de terceiros.

Desde que, é claro nos deixem assistir ou pelo menos contem em detalhes no dia seguinte.

 

5 – Fim da parada gay

A cidade fica um inferno, hotéis lotados e todo mundo fazendo piadinhas, se você por acaso vai estar em São Paulo em uma janela de 15 dias antes ou depois do evento. E se você der azar de passar perto do evento, ainda tem que segurar a onda pra não ser taxado de politicamente incorreto. Entenda, frutaiada: Eu defendo absolutamente o direito de vocês fazerem o que quiserem com suas vidas, mas também defendo o direito de achar esquisito um sujeito com pose de halterofilista usando uma tanga de oncinha e saia de tule. Da mesma forma que todos têm o direito de me achar ridículo de chapéu panamá branco (sim, eu tinha) eu me reservo o direito de rir de seu estilo caricato.

 

6 – E finalmente, o Alexandre vai poder se assumir

Porque na boa. Ex-Ator Pornô, Ex-Pastor Evangélico, que migrou de volta para o pornô gay, atuando somente como passivo, tendo realizado inclusive dupla-penetração (ou melhor, tendo sido realizado) e casado, dizendo que é hetero? E na bunada, não va- pensando bem vai, essa é a questão.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Processava o centro acadêmio! que é vitoria facil.. esse tipo de mentalidade é abusurda mesmo!

    O bom dos gays e que pras mulheres, ele é uma mulher com penduricalhos! entao contam todo tipo de informação interessante! e se o gay é seu amigo.. como toda mulher (com peduricalhos) adora uma fofoca!

  • Carlos Magno

    A USP me decepcionou agora. Alunos do ensino superior com uma mente "tão" retrógrada dessas só pode estar de brincadeira. Num lugar mais "família" – onde o beijo é proibido – eu até entendo, mas se os héteros podem se beijar na tal festa, porquê os gays não? Aposto que se fossem duas mulheres o DJ até mudava a música para animar um pouco mais.

    "Tive uma ex inclusive que só admitia ter namorado meninas na faculdade quando estava bêbada. Quase filmei para provar que ela realmente contava as histórias que negava até a morte, sóbria."

    Já vi um caso de dupla personalidade assim, fruto de um auto-preconceito. A personalidade hetero ignora o lado homosexual e assim vai levando a vida, "entre a cruz e a espada".

  • se um casal de homem e mulher pode se beijar praticamente em qualquer lugar, não vejo porquê um casal homossexual tenha que se esconder pra ser feliz.

    mas, também, eu já não fico nada confortável quando tem um cara e uma mina se beijando na minha frente, assim como quando vejo dois caras… (duas meninas é outra história, eu sou homem, afinal de contas)

    e esse pensamento retrógrado é só o retrato da sociedade brasileira. fala uma coisa, pensa outra e age de um modo totalmente diferente.

  • Edu

    Sensacional a lista de vantagens.

    Já existe abaixo assinado pra isso?

    Assino onde ??? ONDE ???!!!

  • Lendo esse post só me veio a imagem do Cristian Pior do Panico: Uhuuuuuuuuuiiiii!! Colega mais que gente mais atrazada!!! uahuahuaha desculpe o assunto é serio mais não resisti uahuahauhauha

  • Hilário esse post.
    As vantagens realmente são muitas…
    hehehehe

  • USP, UNICAMP ou WTF são só siglas e não quer dizer que só porque o sujeito estuda ali que ele é melhor ou mais civilizado, pelo que me consta pessoas são pessoas e elas andam por todos os lugares :)

    • "pelo que me consta" hmmmmm ok, acho essa frase nem existe, talvez errei porque não estudei nas grandes faculdades :p

  • O fato em si é digno de indignação e, punição para os responsáveis, mas generalizar a USP? Não faz sentido algum, chega a ser hilário esse post.
    Em tempo: o texto do Fausto é sensacional.

  • hahahah, quase me matei de rir, adorei as opções.

  • Compostela

    Cada curso da USP tem o seu perfil… o perfil de tanto da medicina qto da Medicina Veterinaria (a.k.a, os caras que não cosneguiram passar em medicina) são homofobicos (e idiotas, em geral).

    Estão organizando um beijaço na Veterinaria, como protesto. A idéia, original, era ser algo gay. Mas todo cara gay tem amigas que, embora não se improtem de beijar outras garotas, querem ter a presença de um de nós, caras heteros e bonitões. Já recebi propostas hetero bastante atrativas – e sinto a presença de suruba universitaria por perto.

    * * *

    Só mais um detalhe sobre a festa: era festa funk. Varios casais se beijando no palco, e casais heteros quase se comendo em público. A questão foi homofobia mesmo, e não "pq subiram no palco" e outras desculpinhas do tipo.

    • Wesmer

      Vai tomar no seu cu. "Caras que não conseguiram passar em Medicina"? Tá achando que é o que???? Defenda seu ponto de vista, mas respeite uma profissão importantíssima, que produz alimento para o mundo.

      • sam

        Veterinária é importantíssimo sim, mas pelo bem estar animal e não pra produzir alimento p/ o mundo seu troglodita!!! é a mesma coisa que dizer q a medicina serve p/ sustentar os donos de funerária e indústria farmacêutica…no final essa merda de medicina q temos acesso serve p/ isso mesmo, mas a idéia "correta" não seria essa, tal qual na veterinária…mundo escroto esse…

        e qto a homofobia…ridículo… os caras citaram o exemplo das meninas se pegando…digo mais…se os dois caras estivessem brigando não iria ser nada relevante, mas como os caras tavam trocando carinho foram escurrassados…aceitam o ódio entre 2 homens mas não aceitam o carinho…

    • Otavio

      Ahahahaha!!! bem irônico o primeiro parágrafo… E o que tem de gay beijar a veterinária ? ;)

    • tiago

      Falou quem frequenta lá ne? Na veterinária não existe baile funk. Tocam uns funks como em qualquer balada, mas não falta eletrônico, rock nacional e anos 80.

  • Eu tive a oportunidade de fazer uma especialização na USP, mais ainda, na ECA. Fiquei estarrecido e indignado. É inacreditável que uma das instituições de ensino mais bem reconhecidas no Brasil, e no mundo claro, seja tão absurdamente retrógada.

    Por fim, optei por fazer meu mestrado em Portugal. Sim, em Portugal, pq mesmo a mente tradicionalista e burocrática dos portugueses consegue ser mais liberal que muita gente na USP.

  • Cristiano

    Eu sou universitário também, e curso engenharia na universidade federal de Juiz de Fora, que pra quem não sabe é uma espécie de "polo gay" de minas gerais, é a Campinas mineira.

    O que eu gostaria de dizer é que existe sim uma aceitação dos gays na maioria dos lugares hoje. Mas existem também "nichos" de preconceito, existem cursos aqui na UFJF que sabe se lá por que as pessoas são mais conservadoras… citando os que eu sei por experiência, engenharia, direito, economia, veterinária, agronomia.
    E outros que são mais liberais quanto aos gays, geografia, história, biologia, medicina, comunicação.
    Não estou sendo preconceituoso com os cursos, é só um padrão que notei DENTRO DA INSTITUIÇÃO QUE EU ESTUDO.

    E concordo com quem disse que se fossem duas meninas se beijando a história seria diferente, rs. Mas isso tem uma explicação mais lógica também, os homens gostam de ver as meninas se beijando, as mulheres são no mínimo indiferentes a homens se beijando, e fora o que o Cardoso já disse no post.

  • Pingback: Ululos Selvagens // Se acha que o “Eu não sabia, companheiros” era coisa de cara de pau,()

  • iunes

    eu gostei do texto!
    só achei um pouco chato o titulo q pode fazer c q pessoas generalizem..
    depende mtu d cada institução, onde as ideias do grupo, os valores mudam bastt.. a USP não é uma só.
    e dpois a culpa foi d uns individuos e nada tem a ver c as instituições.
    Eu faço Unicamp e sei q na instituição esta cheio d universitario lixo~ q jah entraum como lixo na facul, assim kmo deve ter em outras particulares. a diferença q os q entram tiveram bem mais preparo nos estudos. e isso nda tem a ver c a opiniaum e o respeito q cada um tem sobre o assunto.

  • Eu também presumia que os universitários e seus representantes agissem legitimamente e sem fundamentalismos. Até que, recentemente, tive três exemplos lamentáveis: os alunos da UFF que protestaram contra a instalação duma pós-graduação em segurança pública, onde exibiam placas "fora polícia da UFF!". A declaração do coordenador do curso de medicina da UFBA, que disse que os baianos tem um QI inferior, e que o único instrumento que tocamos é o berimbau, porque só tem uma corda. E, por último, a declaração da coordenadora da Escola de Dança da UFBA, quando disse que "os policiais são treinados como animais e agem como animais. Não podemos deixar essas pessoas cuidarem dos nossos alunos", quando se questionava o emprego da PM no campus da Universidade, após um estupro a uma estudante.

  • XXX

    – Nas festas da USP, muitos não são estudantes da universidade.
    – O que a instituição tem a ver com a postura de alguns poucos de seus alunos?
    – A USP é a melhor Universidade da América Latina. Ponto final.

  • Tom

    Olá,

    também criei um post sobre o caso, mas acabei editando para acrescentar a resposta do centro acadêmico da veterinária, veja
    http://stoa.usp.br/tom/weblog/35103.html

    Acho legal ouvir os dois lados.

    Tom

  • Se isso acontece na USP, imagina o que rola nas universidades gaúchas. Tchê, as coisas por aqui não chegaram a esses finalmentes, mas já ouvi cada comentário de amigos heteros que não suportam os colegas gays….muito reacionários.Acho que nem meu avô diria coisas do gênero em 1940.

    Enquanto isso nós, mulheres, que não abrimos mãos de braços fortes e másculos, ficamos descascando batatas no porão…mas ainda, desta forma, concordo com o Dudu: ter amigo gay é ótemo!

    • Isso é verdade. Já tive amiga de balada que era lésbica e era muito legal porque ela sempre atraia a mais gatas do lugar, sempre sobrava uma para mim e para outro colega.

  • Otavio

    Ahh Cardosão, posso ter um pensamento meio retrógrado, mas faltou muito cemancol pro DJ e principalmente pra dupla, se fosse pro pessoal do ECA ou pra qualquer outra faculdade mais moderninha da USP, os caras queriam no mínimo aparecer… e como já disseram… a USP tem mais de 76.000 estudantes (segundo a Wikipedia), não da pra generalizar…

  • iunes

    hum… agora q eu li a versão do centro academico, axo q realmente n podemos sair condenando injustamente…
    temos q ver os dois lados.. afinal n estivemos nessa festa, n temos como saber o q realmente aconteceu.. n é certo sair descendo o pau.. >_>

  • Pingback: De lado 24: Homofobia na USP? | Brontossauros em meu jardim()

  • Victor

    Quando comecei a ler ja imaginei que não tinha sidó só um beijo normal, que tinha sido pior. A carta de defesa diz que foi algo mais do que só beijos, de uma forma ou de outra colocar o titulo de "Parabéns, USP – Mentalidade de 1960 em pleno 2008" é totalmente sensacionalista, não foi a universidade que fez algo, foi um estudante de lá. Agora perdendo a linha, tira essa porcaria de texto pq me da nojo essas pessoas sensacionalistas, parece que ta querendo aparecer, chamar pessoas pro blog, só entrei por causa que li isso no ueba! Por causa desse titulo totalmente "idiota" não vou nem sequer ler o resto do blog, pq acho que deve ser uma droga!

  • Faltou informar a quantidade de alcool envolvida nesta encrenca toda.

  • Realmente a USP deu uma grande mancada. Espero que isso não se repita na minha federal aqui do paraná!

  • Gus

    cara sem ofenças mais nao acho errado a atitude do C.A. não!
    sei la cada um tem que se colocar no seu devido lugar, se o cara tem uma opção sexual diferenciada, ele tem que saber se portar diante o resto da sociedade… por ex. um usuario de drogas, não é por que o cara fuma maconha ou da uns tiro que ele vai ir em frente a delegacia de polícia fazer isso…. tem locais específicos para cada atitude…

  • rafael

    CHUTA Q È MACUMBAAAAAAA!!!!

    Olha é um assunto muito delicado. E se vc bater ele xora.

  • Maubedo

    Como diria o grande John Gray "a técnica evolui, mas a ética humana não." Esse tipo de coisa acontece sempre por ai.. provando que realmente não evolimos… nada!

  • CKO

    So tenho uma palavra pra isso. TRISTE

  • Carol

    Eita, peralá – grande equívoco, não generalizemos!
    O "Centro Acadêmico de Medicina Veterinária da USP" não representa a USP como um todo em seus pensamentos, e muito menos de seus alunos. Cada Centro Acadêmico é como um mundinho dentro de sua faculdade, que por sua vez, é um mundinho dentro da USP.
    O ato repudioso cometido no CA da Vet não indica que isso ocorrerá em qualquer outra festa dentro da USP!
    Sou aluna USPiana, freqüentadora da maioria das festas, shows e etc e NUNCA ouvi e nem vi falar sobre NADA parecido com isso. Portanto, foi um ato isolado.
    Meu conselho é, ao invés de titular seu post sob "Parabéns USP", altere para "Parabéns DJ e participantes da festa X realizada no Centro Acadêmico da Faculdade Y pelo ato homofóbico". Assim você estará dando nome aos bois, sem julgar a boiada toda!

  • BKiddo

    Esses tópicos de vantagens mesmo querendo sair da homofobia foram extremamente homofóbicos.

    O post começou bem…mas decepcionou no final. Típica cabeça de homem mesmo.

    • o problema de ser irônico…

  • johan

    Na minha opiniao homem nasceu pra ser homem, e mulher nasceu pra ser mulher. Nao foi certo os caras do C.A. serem grosseiros com as bixinhas mas eu tbm pediria a eles que se retirassem, claro pacificamente. Ja me vi numa situaçao assim, expulsei um casal que estava se amassando no meu restaurante. Eu simplesmente disse: amigos, ou voces param com isso porque do seu lado tem um casal e duas crianças, ou vão embora, e eles se mandaram.

    • Marcos

      É um preconceituoso desgraçado mesmo… E se fosse um casal hétero? Expulsaria?
      Se eu descobrir qual seu restaurante faço questão de levar todos os gays que conheço lá, e se falar o mesmo pra eles, te processamos.

    • Alexandre

      É um idiota mesmo hein! Eu acho engraçado isso, um casal hétero ta quase se engolindo mutuamente no restaurante e ninguem fala nada, afinal isso passa na tv direto, agora um beijo gay ja deixa você td revoltadinho né?
      Bixinhas pq? Afinal são gays e não bixinhas, eu duvido que vc chame uma pessoa negra de negrinho!
      Pena mesmo que eu não sei onde fica seu restaurante, partindo do pressuposto que vc tenha mesmo um restaurante mesmo e não seja um garçon do lugar…
      Pois se fosse o dono mesmo eu iria ganhar uma grana em cima de você um dia iria expulsar a mim e meus amigos e estaria sendo processado do seguinte…

  • wgomes

    Sei que provavelmente vão achar meu comentário um saco, mas não posso deixar de fazê-lo.
    Uma coisa é a pessoa, outra coisa é o que ela faz. Na minha opinião, o cara que mandou parar tudo estava agindo corretamente. A Bíblia se posiciona claramente contra a prática do Homosexualismo (não contra o homosexual, pois ele é apenas uma vitima de uma sociedade podre, sem temor a Deus). Veja o que São Paulo diz aos Romanos:

    Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
    Romanos 1:26-28

    Pra quem não sabe o que é, torpe no Aurélio significa:
    1. Desonesto, impudico.
    2.V. infame (2).
    3.Repugnante, nojento.
    4.Obsceno, indecente.
    § tor.pe.za (ê) sf.

    Portanto, não acho normal um homem beijar outro homem, muito menos em público. Não os julgo por isso, mas me recuso a achar isso normal.
    Sendo assim, minha palavra vai contra todos nesse post, a favor do cara que mandou que eles parassem. A humanidade precisa pensar um pouco mais em Deus.

    • Parei de ler na parte "A Bíblia".

      • Não parei de ler na parte "A Bíblia".

        Continuei apenas para constatar que, realmente, a Bíblia é um dos melhores livros de sacanagem já escritos.

    • E se você considerar que a homossexualidade é uma ferramenta divina para o controle de natalidade?

    • Eu também parei de ler quando li Bíblia. Os mesmos comentários vazios de sempre. :P

      Cardoso, parabéns pelo post. O protesto e as piadas forasm dignas! Achei mara! Hahahahahaa…

    • wgomes

      Fazer o que não é!
      Esse é um direito que Deus dá a vocês, de discordarem d´Ele, mas saibam que as consequencias virão. Espero que se lembrem dese Post quando quem sabe um de seus filhos saírem por ai agarradinho com outro homem.

      • Carol

        Se um dos meus filhos sair por ai agarradinho com outro homem, ou mesmo minha filha com outra mulher, vou respeitar a opção e tentar orientar, conversar, tirar suas dúvidas e ser amiga/conselhieira o máximo possível, mas NUNCA abandonar! A função de pai e mão não é de julgar e sim apoiar seus filhos por toda a vida. Ser gay não faz ninguém menos inteligente, ter menos caráter ou ser menos honesto. Prefiro um filho gay a um filho evangélico preconceituso!

        • wgomes

          Ninguém está falando em preconceito, ou muito menos em abandonar os filhos. Você que está sendo preconceituosa me julgando dessa maneira. Vocês falam em tolerância e não ser preconceituosos, mas quando pensam em evangélicos logo imaginam que somos todos uns burros e ignorantes. Em nenhum momento eu falei em abandonar ou recriminar alguém. O que eu disse que isso não é uma coisa normal, e que Deus condena esse tipo de pecado. Nunca disse que Deus não amava tais pessoas ou que as queria ver longe dele. Pelo contrário. Jesus mesmo disse que veio para os pecadores. Os Gays são sim alvo do amor de Deus, e tem todo o meu respeito, desde que se deem ao respeito. Convivo com pessoas que fizeram essa opção sexual, sou respeitado por eles e nunca faltei ao respeito também.
          Só que nem por isso vou achar normal uma coisa que vai contrária a criação e a palavra de Deus.
          Me desculpe, mas preconceituosa é você que me julta por pensar diferente de você. Então os Gays podem pensar diferente do que foi pensado durante toda a existância humana e eles são pessoas de bem. Agora Eu só por ser evangélico tenho de pensar como vocês, pois caso contrário sou um burro, ingorante e preconceituoso.
          Abra os seus olhos, pois nem todos os evangélicos são ignorantes que tomam o dinheiro dos outros. Sou um cara graduado, com formação em nivel superior, com pó-graduação e mestrado, portanto não me venha com ataques sem fundamento.
          Se quer devender sua idéia, saiba interpertar o que está escrito. Não coloque palavras na minha boca, e seja tolerante com os evangélicos como você é com os Gays.
          Mas saiba de uma coisa, mesmo você pensando assim, Deus te ama, e quando você precisar, ele vai estar pronto a lhe ajudar se vocÊ pedir.

          • Carol

            Não coloquei palavra alguma na sua boca, não conjuguei verbo algum em segunda ou terceira pessoa. Mas mesmo assim, respondo.
            Antes de tudo: eu não acredito em deus, e muito menos no seu deus!Não preciso do amor dele e muito menos que você me diga que ele me ama ou deixa de amar.
            "isso não é uma coisa normal", normal? O que é normal para você afinal? "e que Deus condena esse tipo de pecado", pecado? Pecado? Existem pessoas morrendo de fome e você vem me falar em pecado em duas pessoas demonstrando afeto?
            Amar é respeitar, ponto. Se você pode beijar alguém em público, pq um gay não pode? Preconceito é exatamente isso, condenar. A chave da questão é o respeito mutuo, acima de qualquer religião.
            Graduado, pós graduado e mestre não o faz melhor do que ninguém.
            Ninguém aqui fica exaltando o nível educacional e/ou religioso!
            Se é assim, prefiro um filho gay a um filho preconceituso.

          • wgomes

            Ótimo! então deixe de lado esse seu preconceito com os religiosos e ai podemos conversar novamente. Com um discurso totalmente livre de preconceitos. Pois com preconceito comigo e liberdade de expressão e pensamento somente para os Gays! isso não é justo nem democrático. Quando mostrei minha graduação, não foi pra dize que sou melhor do que ninguem, mas pra dize que não sou um crentinho burro como muitos pensam.

          • "mas quando pensam em evangélicos logo imaginam que somos todos uns burros e ignorantes". Eu não imagino isso, eu tenho certeza! ;)

            Eu tenho sim, e continuarei a ter preconceito com GRANDE parte dos evangélicos. Mostre que vocês são capazes de manter um diálogo sem cair nos mesmos discursos de sempre.

          • Carol

            Ninguém aqui te chamou de "cretino", "burro" ou qq coisa que o valha! E quer saber, cansei do seu discurso. Quando vc tiver argumentos mais mundanos, a gente volta a se falar.

  • Como uma boa leitora dos feeds, e cursando física na USP…
    Ok, o seus posts são fantásticos, como sempre.
    Mas eu tenho que defender isso aqui.
    O que tem a USP em relação à Festa da galera de medicina.
    E outra, se alguém interrompeu, com certeza foi o DJ (que não é da USP), segurança (que obviamente também não é ), pessoas do gênero.

    Acho que você colocou esse título no post só pra virmos aqui comentar a respeito.
    E se for. Me pegou. É um "vírus" que só pega em USPianos.

    A propósito, como você mesmo disse, meu canal no youtube é o melhor do mundo, assim como eu sou a melhor cantora. Acreditem.

    Parabéns Cardoso.
    Mais um ótimo post.

  • Ju

    Não entendi o que a USP tem a ver com isso… Se alguns alunos são homofóbicos, a instituição como um todo não pode ser rotulada como retrógrada. A USP é a maior universidade do país, tem muita gente…. vai dizer que na faculdade que vocês frequentam todo mundo pensa igual?!?!?! Na minha não, pelo menos…
    É preciso ter mais cuidado ao usar nome de instituições dessa maneira e acabar classificando da mesma maneira pessoas muito diferentes.

  • Elena

    Tão péssimo quanto generalizar a USP inteira como homofóbica, foi generalizar o Centro Acadêmico da Veterinária como homofóbico. Não foi uma atitude do CA, foi um cara simplesmente que tirou o casal de cima do palquinho com uma certa violência (e esse sim é o ato homofóbico condenável) que estava mais do que se beijando. Mas a atitude de pedir para que parem qualquer tipo de 'pegação' (com o perdão da expressão, me refiro a algo a mais que um beijo) no palquinho é tomada tanto para casais homossexuais como para heterossexuais.

    Também não podemos nos esquecer que nos happy hours da Veterinária vão muitas pessoas de fora, e que podem ter apoiado a retirada do casal do palquinho.

    A verdade é que em nenhum momento as vitimas procuraram o tal cara que os tirou a força do palquinho ou o acusaram, como fizeram com o CA da Veterinária. Pois claro, não haveria tanta ênfase ao caso, se não houvesse uma instituição envolvida.

    Houve homofobia? Sim houve…..mas não pode-se acusar toda uma instituição, pela atitude de uma pessoa.

  • beto waltz

    leva a mal nao, nada contra quem e gay, mas o dia que eu quiser ver dois homens se beijando vou a um reduto gls. acho que foi correto a atuacao da seguranca, ainda mais q os caras estavao passando dos limites. Em sao paulo tem muito isso, mas no rio a coisa e diferente, os gays sao mais discretos e respeitam a posicao dos heteros assim como os heteros respeitam as posicoes deles. cada um na sua.

  • Eduardo, voce já ouviu falar na teoria do namoro? (procure no google) voce está precisando!

    • Magno

      Isso é spam, não? Não tem vergonha?

  • Pingback: Vestiário | U-SPírito de Porco()

  • Que episódio lamentável….

  • O "tendo sido realizado" me lembrou o guia de tempos verbais para viagens no tempo que aparece no Guia do Mochileiro das Galáxias.

    • Magno

      Conjugar os tempos verbais corretamente é essencial para um mochileiro que pega carona em viagens temporais.

      "Viajar no tempo e acabar se tornando o próprio avô ou avó não é nenhum problema para famílias liberais e bem-resolvidas."

  • Robinson Marinho

    Mandem os filinhos de papai ( que são 90% ) "estudantes" tomar no cu, e que a fortuna do pai deles é em decorrencia de enganar a população com mentiras.

    Esses filinhos de papai vão na escola só pra zuar, estudar pra que se já são ricos e herdam a empresa dos pais, pra que vai servir o diploma que por fim é lhes dado de mãos beijadas pelos corruptos reitores?

    Deixem de ter preconceito que ai o país melhora de verdade!

    • DK

      LOL! Boa champs! Beijos agora!

  • Jefferson Castro

    Dificil eu achar aleatoriamente um blog e ler algum artigo até o final…

    Parabéns pelo post! Curti mesmo o seu blog

  • Pingback: Socorro Mãe!!! Tem uma pessoa que não gosta de mim - Sobre Trolls | Parem o Mundo()

  • Em 1993, concluí o curso de Direito na Faculdade de Direito da USP, no Largo do São Francisco, em São Paulo. Aquilo era uma democracia sem tamanho. Era costumeiro entrar no restaurante, junto ao Centro Acadêmico e sentir o cheiro da "maresia" rolando no ar sem ninguém jamais questionar nada. Isso além da cachaçada sem fim. Cada um fazia o que bem entendia. Por isso mesmo, me chamou a atenção a discriminação feita contra dois jovens homessexuais durante uma festa num dos Centros Acadêmicos da USP. Pareceu coisa fora de época e não própria daquela Instituição Educacional. No entando, as vantagens elencadas para que não sejamos homofóbicos são hilariantes. A última, a do Alexandre que é passivo e já teve dupla penetração, mas é hétero, foi de lascar.

  • Buti

    Primeiro: Nenhum de vcs estava na festa pra ver o que aconterceu. Falar o que a mídia posta é muito fácil.

    Segundo: Nenhum de vcs conhece as festas da veterinária. Não, não era um baile funk, não, não tinham pessoas se agarrando no palquinho, até porque ele não é pra isso. E SEMPRE que tem alguem de fora da veterinaria nele ou algum casal "se pegando" em cima do palquinho ele é retirado, seja veterano, seja bixo, seja de onde for. É parte das tradições da Vet.

    Houve abusos, concordo, porem foram de ambos os lados. Antes de sair falando qualquer coisa procure analisar os fatos de ambos os lados. Já que o casal não saiu andando do CA, e seus amigos não foram nada pacificos.

    A imprensa publica o que vai dar maior visibilidade, as pessoas compram o dito pela imprensa e saem por aí condenando sem nem saber do ocorrido.

    Procurem se informar antes de crucificar a Vet.

    Até porque se fosse um casal hetero seria atentado ao pudor, como é um casal homossexual é considerado forma de expressão. Se temos de tratá-los como semelhantes, por que eles não começam se considerando semelhantes?

    Sem mais

  • Os gays estão atualmente menos repudiados pela sociedade, em virtude do combate ao preconceito e da mídia como um todo. Naquela époco, isso causava uma grande aversão social.

  • Os gays de hoje sofrem menos preconceito do que os do passado. O que se deve a muitos fatores, entre os quais a justiça. Mentalidade