O triste dia em que nem gente do YouTube entendeu a Internet

bloodandchrome

Hoje era para ser um dia perfeito, ao menos para os geeks de ficção científica. Com uma produção do canal SyFy iria ao ar o primeiro dos 10 episódios do filme Battlestar Galactica: Blood and Chrome.

Um retorno ao universo da excelente série Battlestar Galactica, o filme contaria a história do Tenente William Adama, em seus primeiros dias na guerra dos Cilônios. Feito com um cuidado de produção bem grande, CGI de 1a qualidade e ação pau dentro o tempo todo, o primeiro episódio já é excelente.

Como tudo que é excelente, claro, o SyFy não aprovou, então resolveu passar na Internet, no canal Machinima do YouTube, e somente em Fevereiro na TV. A recepção foi ótima, até gente da NASA comemorou. Então, uma excrescência da TV dos velhos tempos, um anacronismo patético se fez ouvir: Bloquearam geograficamente o episódio. A gente do Brasil, e provavelmente gente de outros lugares, não pode mais assistir.

Antigamente isso era culpa de licenciadores locais, que pagavam pelas versões e não queriam ver o conteúdo aparecendo em outras formas. Eu entendo. Não concordo, não gosto mas ENTENDO que as emissoras locais não gostem que as pessoas assistam de graça algo pelo qual elas, as emissoras, pagaram e bem.

O que não dá para entender é uma produção ORIGINAL, passando em um canal do YouTube, ser restrito geograficamente. Os filhos da puta bloquearam até o trailer!

Aqui, uma cena do primeiro episódio, em um canal que não tem nada a ver com o oficial, e por isso não está bloqueado:

Resultado: Uma série com fãs no mundo inteiro, que atrairia uma tonelada de visitantes para o canal da Machinima, está sendo tratado como um Seinfeld da vida por um executivo de televisão ganancioso, idiota, provavelmente com mais de 60 anos e que acha que Internet é aquele negócio que manda os emails que a secretária imprime.

Quanto a quem quer assistir, vamos simplesmente ignorar o canal do YouTube. Ignoraremos a publicidade, não daremos os views e cliques que são o SANGUE E A VIDA de quem produz conteúdo online e reverteremos para a pirataria.

Os dois primeiros episódios de Blood and Chrome já estão disponíveis via Torrent no Pirate Bay. Qualidade FullHD, podendo ser assistidos de qualquer lugar do mundo. Até de Cáprica.

Meus parabéns, Machinima, por mostrar que mesmo um canal de YouTube pode ser retrógrado e arcaico como um produtor de Hollywood.

 

 

Leia Também:

  • Ana

    Essa foi de cair o cu da bunda. Por isso que eu sempre digo:

    VIVA A PIRATARIA!!!!!

  • Eu vi (não vi, na verdade) e simplesmente não acreditei. Me senti de volta aos anos 80, sendo obrigado a esperar um filme passar na tv aberta. Perderam meus pageviews, eu não volto mais ao canal: TPB neles!

    E convenhamos: só não dá para chamar executivos de tv de câncer porque o último evolui.

  • Efenove

    Que decepção. Cheguei em casa para aquele programão de sexta à noite e tive essa desagradável surpresa. Negócio é torrent mesmo.

  • Xico

    Vi, e não acreditei… Bloqueio geográfico? Hidemyass dot com, assisti ao vídeo, sem propaganda, e 5 minutos depois baixei o torrent, pois achei que Adama merecia replay!

    Não entendi onde está a CABEÇA da MULA que propôs o bloqueio…

  • Fernando Cruz

    Peraí, Cardoso, apesar de todos os elogios que você teceu, deu pra engolir essa cena ai de cima? Adama pra mostrar que é o Cara resolve partir pro braço na base da pistola só porque o fragmento da nave Cylon estilhaçou o vidro do Cockpit e ele ficou sem visibilidade? E a tal " navegação por instrumentos" foi pro Espaço? Desculpe mas não me convenceu…. É insultar o espectador nerd fã da série…..aí forçou!

  • Interessante eles usarem o mesmo tipo de caça por 50 anos.

    • Leandro_Martins

      A rigor, não usaram. Em nBSG, o caça padrão Colonial era o Viper Mark VII, mas estes foram desabilitados devido ao ciberataque dos cilônios; Galactica tinha Vipers Mark II originais a bordo devido a estar sendo convertida em museu. Assim, durante a série regular, a Galactica ficou com um misto de Mark II antigos e Mark VII que eles removeram o datalink colonial para os deixar imunes a futuros ataques (recolhidos de sobras que chegaram na nave durante a mini-série de nBSG, restante da ala aérea da Pegasus, etc).

  • Marcio

    Cardoso, é verdade, eu tentei acompanhar e não consegui. Mas isso não é exclusividade dos produtores cinematográficos, em 2008, um show da banda inglesa The Pirates teve o mesmo "modus operandi", o show transmitido pelo canal oficial da banda no Youtube foi restrito geograficamente também. E só foi liberado a gravação depois do lançamento do DVD promocional desse show. Lamentável mesmo. Assim que eu achar o link eu posto aqui. Lamentável!

  • Realmente, lamentável. Ainda bem que existem os proxy… Instala essa extensão no Google Chrome e be happy.. https://proxtube.com/

  • Realmente, lamentável. Ainda bem que existem os proxy… Instala essa extensão no Google Chrome e be happy.. https://proxtube.com/

  • TRADUÇÃO: Os designers da década de 1980 eram melhores que nós, então vamos criar uma história sem sentido para justificar o mesmo feitio de nave.

  • T_E_Lawrence

    Um absurdo. Depois de xingar, espernear e gritar só resta baixar o Torrent e comentar: E pur, si muove…

    _____
    42

  • mark hamil

    Copyrights, meu caro. O problema nao eh do canal, mas do titular de direitos da serie. Talvez ele vendesse "mundo" em troca de 50% das acoes da universal.