Bear McCreary – Um músico que nunca vai conseguir invocar Satã

Da Vinci's Demons 2013

Quem me acompanha sabe que minha nova obsessão é a excelente série Da Vinci’s Demons, do Starz, que no Brasil é exibida pela Fox. Apesar de exagerar na biodiversidade, e preencher minha cota de Papas Pelados até 2036, não posso deixar de admirar o roteiro, os atores, a produção e o cuidado nos detalhes.

Mais ainda, a série me ensinou um monte de coisas novas, e se há algo que faz bem ao meu cérebro é aprender. Adoro séries que não subestimam minha inteligência. Digo isso desde Battlestar Galactica, quando as naves coloniais usavam jatos de manobra, ao invés de se moverem magicamente pelo espaço.

Galactica aliás tinha um componente muito forte: A música. Durante toda a série a trilha era excelente, mas no final ela se torna parte da trama. Uma das personagens tem visões do pai ensinando uma música ao piano, que se mostra uma mensagem divina. A música é All Along the Watchtower, o que implica que Jimmy Hendrix é Deus. Não tenho problemas com isso.

O mérito do arranjo foi de Bear McCreary, que também é compositor de séries como Eureka, Walking Dead, Terminator: Sarah Connor Chronicles, Caprica, Defiance, etc.

Em Da Vinci’s Demons ele fez uma boa trilha, que combinou muito bem com a abertura da série:

Até aí tudo bem, mas eis que descubro que Bear McCreary fez algo que eu nem sabia que era possível, muito menos que existia em música: Leonardo Da Vinci usava em seus códices um truque para que gente burra (todo mundo vivo na época que não fosse Leonardo Da Vinci( lesse seus trabalhos: Escrevia de trás para frente, invertido. Só com um espelho o texto fazia sentido.

McCreary compôs um tema que é um palíndromo. Tocando de trás pra frente a música soa da mesma forma. Neste post aqui ele explica em detalhes a técnica.

Aqui um sujeito reverteu a abertura, e fica evidente o efeito, que é sensacional e assustador. Músicas ao contrário deveriam invocar o Senhor das Trevas, não soar igual a música normal.

Muito trabalho pra algo que o espectador jamais tomará conhecimento? Com certeza, mas McCreary é preciosista assim. A ponto de quando foi compor o tema do Duque de Médici, ele descobriu uma música do Século XV comissionada a Heinrich Isaac pelo próprio Lourenço de Médici, que era uma espécie de “tema oficial da família”. É essa música, com mais de 500 anos que é ouvida quando o personagem aparece.

Essa é a diferença entre o trabalho de qualidade e o “faz de qualquer jeito”. Pode ser que o trabalho de Bear McCreary não dure 500 anos, como o de Heinrich Isaac, mas ele me ensinou algo novo, coisa que 99% do que vejo na Internet diariamente não faz.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Diego Maia

    Acho bem plausível Jimmy Hendrix ser deus, mas a entidade divina que escreveu All Along the Watchtower foi o Bob. Bob Dylan.

  • Amo Da Vinci's Demons. É genial, em outras palavras, um auto retrato de Da Vinci. Mas, mudando de assunto, Cardoso: Um blogger do seu nível, pode se dar ao luxo de fazer um comercial em sua página e HABILITAR os comentários. Sua credibilidade permite. E a propósito, aqui é Brasil, e 4GMax é utopia, Galaxy é realidade. Conceitos antagônicos são como água e óleo, jamais se misturam. O celular é bom, a tecnologia de conexão (do Brasil) é pífia. Não há 'nG' que resolva.

  • 1k2

    Tenta explicar isso pros clientes do DiVasca, kkkk…

  • Rafael

    A diferença entre um "músico" e um tocador de pentatônica.

    • Bruno L. K.

      ASUHsauhsAUH boa. "Olha cara eu sei tocar Eduardo e Monica".

  • joseneto616

    Eu meio que parei de assistir por causa do exagero na "viadagem" e pelo excesso de padres pelados.

  • anndreyy

    Muito bem Cardoso, me deixou curioso.
    Pretendo ver assim que possível.

  • Renato Lellis

    Tenho certeza que o Carlinhos Brown faz coisa muito mais sofisticada com uma caxirola…

  • Genial! Será que sincroniza com O Mágico de Oz?