O Efeito Streisand e os supostos nudes da Marcela Temer

Eu costumo dizer que se Hitler aparecesse hoje, o Holocausto seria manchete por três ou quatro dias, e Auschwitz não ficaria nos Trending Topics mais que 24 horas. A culpa é da CNN, que inventou o ciclo de notícias de 24h, e nossa, que nos tornamos impacientes e insaciáveis atrás de notícias frescas. Na época do Tsunami do Japão 12h depois da primeira onda já tinha gente no Twitter reclamando que só se falava em Tsunami.

Curiosamente essa característica dos tempos modernos não é entendida por ninguém. Mesmo quem vive e respira internet. Outro dia um sujeito que virou alvo da fúria da militância retardada veio desabafar desesperado com medo de perder seu pequeno império online, por causa de boicotes. Eu ri, mandei relaxar, em 3 dias tops ninguém mais se lembraria. Não foram precisos nem dois.

Quanto maior a indignação geral mais rápido o povo esquece, pois saem atrás de novos alvos em sua cruzada desmemoriada. Quem lembra quando Rafinha Bastos estava acabado, quando o Danilo Gentili foi longe demais, quando aquele ator fez comentários homofóbicos terrrrrrííííveis que indignaram a nação? E o estuprador do BBB, que não passaria?

Esse “não passarão” aliás é o meu slogan retardado preferido. ADORO quando soltam um “xxxx não passarão” e ao lado tem uma avenida moscovita de 76 faixas com todos os xxxx passando.

Tapar o sol com a peneira não é uma atividade exclusiva da militância, todo mundo que não entende a Internet tenta, e aí surge o Efeito Streisand. Tudo começou com esta foto:

Essa foto, feita por Kenneth Adelman é uma de um conjunto de 12 mil, parte de um projeto que documenta erosão costeira na Califórnia. Não há nada de especial nela, exceto que Kenneth e o site Pictopia foram alvo de uma ação judicial de US$50 milhões, alegando invasão de privacidade. Motivo? A mansão que aparece no centro é a casa da Barbra Streisand, que se sentiu invadida.

Agora a parte divertida: NINGUÉM SE IMPORTA COM A CASA DA BARBRA STREISAND. É uma casa, ok, que legal, parabéns, the end. Não dá para ver nada, ela não está tomando banho de sol pelada na piscina, nada. Foi uma reação irracional, de puro estrelismo. E teve consequências bem maiores do que os US$154 mil em custas que ela teve que pagar aos acusados, depois que perdeu a ação.

Até o caso se tornar público a foto havia sido baixada 6 vezes, duas delas pelos advogados da cantora. Um mês depois, esse número já era de 420 mil. Na sanha de tentar censurar e bloquear a informação que ninguém se interessava, ela atiçou a curiosidade pública, e gente que jamais veria a tal foto, correu atrás. Isso ficou conhecido como Efeito Streisand.

Entra ano, sai ano as pessoas não aprendem, caem no mesmo erro, como Max Mosley, o bambambam da Fórmula 1. Caiu na mão dos tablóides ingleses um vídeo de uma festinha particular estilo BDSM Light, onde damas que trocam favores por dinheiro vestiam parafernália nazista e o castigavam.

A mídia claro é extremamente puritana, capitalizam na indignação dos leitores conservadores, e o que seria uma bizarrice inofensiva pessoal e íntima de um sujeito se tornou um escândalo. Sim, estou defendendo o uso de parafernália nazista se sua fantasia sadomasô envolve nazismo. Se você já começa sua sessão de punição cheio de melindres em não ser ofensivo, que bosta.

Claro, não que BDSM sem temática nazista seja de todo ruim, dá pra funcionar mesmo genérica, certo, Penny?

Esses escândalos na Inglaterra acontecem toda semana, e duram poucos dias, quem lembra do Príncipe Harry de nazista na festa a fantasia? Só que Max Mosley não gostou, e saiu processando todo mundo. A mídia manteve o caso por MESES, e mesmo que estivessem proibidos legalmente de falar da notícia original, o processo em si era notícia.

Eis que chegamos na Marcela Temer, a Primeira Dama mais bonita do mundo, disputando pau a pau (figurativamente falando) com Carla Bruni. Sorry, Melania, você é bonita mas igual a você vendem por arroba nos mercados de Bucareste.

Tudo começou quando um hacker clonou o celular da Primeira Dama. Neo, Crash Override, Cereal Killer, Mitchnick, Trinity, ZeroCool? Não, o hacker se chama Silvonei José de Jesus Souza. O sujeito vazou um áudio de uma conversa, segundo a Folha ameaçou vazar fotos íntimas e vídeos do Presidente, e chantageou a Marcela. Queria R$300 mil para não divulgar nada. Só que ao contrário do Pica-Pau Marcela foi inteligente e chamou a polícia. Silvonei agora está vendo o sol nascer quadrado, the end, certo?

Isso passou batido por um monte de gente, lembro vagamente do caso, tinha caído no esquecimento popular já que sempre há algo mais suculento ou polêmico para ser debatido. A Folha tentou requentar a matéria quando teve acesso aos autos do processo, que são públicos, mas Marcela e o Planalto parece que não entendem esse conceito.

Is good to be the king.

Uma notícia que ninguém daria importância, exceto seja lá qual for a versão PT do MBL, que faria um meme com “BOMBA! BOMBA! AGORA TEMER CAI!” virou o centro das atenções, com uma Ordem Judicial da Justiça de Brasília, impetrada (é esse o termo?) pelo Palácio do Planalto. Eles exigiram e conseguiram que a Folha e o Globo não dêem  “publicidade a qualquer um dos dados e informações obtidas no aparelho celular” de Marcela Temer.

A Folha, que não nasceu ontem, cumpriu a ordem, de forma deliciosamente sarcástica. Nesta matéria onde informa os leitores da decisão judicial, escreveram:

A reportagem da Folha teve acesso a informações tornadas públicas pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Os processos são os seguintes: 0000057-20.2017.8.26.0520, 0036961-28.2016.8.26.0050, 0036960-43.2016.8.26.0050 e 0032415-27.2016.8.26.0050.

Qualquer advogado ou pessoa cadastrada no site do tribunal pode acessar os autos.

Então tá então.

Parabéns aos envolvidos, agora uma pauta que ninguém mais se lembrava vai ser ruminada por meses. Nota 10 pro gerenciamento de crisos do Planalto.


Gostou do texto? Quer contribuir com um Chopp, um Chokito, um Gin-tônica? Se você quiser fazer uma doação, a casa é sua, use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Daniel Almeida

    “Gerenciamento de crisos” eu vi, heim?!

    • Só por causa disso não vou corrigir.

      • Daniel Almeida

        Mas foi um erro? Jurei que era uma piada!

      • Diogo Nóbrega

        Efeito Streissand aplicado a um erro do post… hehehehe

  • O lance não é o processo em si, mas a divulgação dos tais áudios para a chantagem. E tem gente comparando com o caso da gravação das ligações do Lula, mas a diferença é que lá as gravações eram PROVAS de uma investigação, enquanto os áudios das chantagens são assunto privado e que não precisam (nem devem) ser divulgados pela mídia. O processo é público, mas o conteúdo das gravações não precisa ser

    • Está nos autos? É público.

      • Isso só me parece meio contraditório. É como processar alguém por divulgar dados confidenciais, e incluir os mesmos dados no processo como prova, deixando-os públicos. Qual o sentido disso? :D

        • Bem-vindo ao maravilhoso mundo do Direito.

        • “Em resposta a várias petições iniciais que recebemos referentes à Lei de Direitos Autorais do Milênio Digital dos EUA (DMCA), removemos XX resultados desta página. Se desejar, leia as petições
          iniciais da DMCA que causaram as remoções em LumenDatabase.org: você pode acessar em: Petição inicial,Petição inicial, Petição inicial…

    • Rodrigo

      Tudo o que está no processo é público. se não deveria estar no processo, a bronca deveria ser com o judiciário.

    • Rafael Rodrigues

      No caso do Lula, as gravações resultaram em um PDF de 100 páginas. Pouca coisa ali era prova. A maioria esmagadora dos diálogos era irrelevante. Divulgá-los feriu a lei e expôs a parte à execração desnecessária. A lei 9296 é clara ao dizer que devem integrar os autos os trechos usados no contexto probatório.

      Sobre Temer, às favas com os nudes. Tirando o povo poeta, a questão mesmo é saber o que rolou que podia “jogar o nome de Temer na lama”. Ele é o presidente, a nossa maior figura pública e me parece coerente ter interesse no que pode ser isso.

    • Pedro H. Oliveira

      Só pra constar os áudios não constam nos autos ..na perícia talvez, na matéria é dito que poucas pessoas ouviram. O que a folha divulgou foram os trechos da conversa, no whatsapp, em que o tal sujeito fazia menção ao áudio que interceptou da primeira- dama. Algo como um assessor de Temer que faria a parte “baixo nível” de campanhas. Perfeito a sua colocação Cardoso, ela passou de tadinha tentaram extorqui-la pra sensuradora de jornais e mais mídia negativa pro governo.

  • Wagner Felix

    Ta, mas e as fotos?
    (mesmo “supostas”, podia rolar umas montagens e tal kakaka)

  • The fool on the hill
    • NestorBendo

      Poucas vezes eu ri tanto na minha vida. Obrigado!

  • Gui

    [O COMENTÁRIO A SEGUIR CONTEM SPOILERS]

    Em um episódio de Futurama- desenho de autoria de Matt Groening, criador dos Simpsons- é satirizada essa efemeridade das coisas dentro da Internet. A cíclope Leela tem uma bolha cantora chamada Susan Boil em sua bunda e um vídeo dessa última cai na rede e acaba viralizando.

    Para fazer com q Leela volte ao anonimato, Fry grava um vídeo dele mesmo mergulhando em uma piscina de vômito dum bode de duas cabeças. O sucesso do novo viral faz com q as pessoas rapidamente esqueçam da Susan Boil.

  • Eric

    Esse “não passarão” é tão retardado quanto o “lacrar”. Quando vejo alguém usando estes termos com uma propriedade de quem acha que palavras tem o poder de realmente impedir uma passagem ou selar algo com um lacre não sei nem o que falar. Acho que acabam lacrando minhas ideias e nenhuma passa.
    Quanto ao efeito Streissand é algo que se aprende desde moleque. Se lhe colocam um apelido e você se revolta, fica nervoso, apela certamente aquele apelido lhe marcará, afinal o apelido foi feito ali justamente para incomodar. Apelou, perdeu.