O Experimento Fracassado do Silmar ou: O Brasil não está pronto pra Internet

Caso você não saiba, e dado o deserto do extrato do Paypal provavelmente não sabe, eu não coloco propagandas no Contraditorium acreditando na generosidade dos leitores, que se sentirão compelidos a, de vez em quando, doar uns trocados e garantir que textos de qualidade sejam escritos e publicados. Eu NUNCA impus, sugeri ou determinei valores, eu digo que toda doação é válida e falo de coração, mas eis que a cruel realidade aparece pra estragar nossa festa.

Em um mundo ideal você leria um texto e em um impulso, sem burocracia, clicaria um botão e uma moedinha cairia na conta do autor. Não é figura de linguagem, uma moedinha mesmo. R$0,25. Não é nada, nada mesmo mas se metade dos meus leitores no twitter achassem um twit especialmente engraçado, profundo, estimulante e clicassem no botão DOAR e isso significasse R$0,25, com um twit eu ganharia R$7875,00. Esse é o conceito de microtransações, e ele não funciona no mundo real, principalmente no Brasil.

O problema é que as operadoras de transações eletrônicas funcionam como operadoras de telefonia. Elas foram criadas em um tempo onde tudo era caro e difícil, onde havia hiperinflação e qualquer atraso de algumas horas era perda de dinheiro na certa. Quando transações em cartão de crédito eram manuais, você precisava levar canhotos pro banco e só então seriam processados, quando a segurança se resumia a um enorme livro sebento de cartões cancelados, era preciso se proteger.

Os valores cobrados hoje são absurdos, o tempo de processamento até o pagamento, irreal. Não vivemos hiperinflação, o dinheiro não rende ficando 15 dias na mão do banco, não existe o Overnight de antigamente.

Mesmo assim nenhum dos elos da corrente abre mão, e assim taxa em cima de taxa em cima de taxa,terminamos nisso:

Meu amigo Silmar, em um momento de insano mecenato resolver fazer um experimento: doar R$1,00 a cada texto meu. Eu aplaudi a iniciativa, mesmo, se metade dos meus leitores fizesse isso eu largaria o xvideos só pra escrever. (mentira, sou da velha guarda, uso downloads). Só que como você pode ver, a Realidade não colabora.

Se o Silmar me doar R$1,00 o Paypal ficará com R$0,65. Nessa faixa de valor, são 65% de taxas, isso é… insano. Isso é coisa de país socialista da Escandinávia.

Em valores mais altos a taxa se reduz. Vejamos uma doação de R$10,00:

Já cai pra 11%.

Em uma doação de R$50,00 só R$3,10 são consumidos pelas tarifas internas da operadora.

Por isso vou mudar o discurso: Não doe. Se você tiver menos de R$10,00 tome um chopp em minha homenagem, compre um pacote de figurinhas, um gibi, compre um pacote de pipoca e coma no ônibus lendo meu blog. Usufrua de seu dinheiro, com minha bênção. Eu adoro e preciso de dinheiro, preciso mesmo mas não há um mínimo de justiça em repassar 65% do SEU suado dimdim pra corporações bilionárias.

Se você puder fazer uma doação significativa, eu agradeço MUITO. Se não puder, TUDO BEM, troque sua doação por uma criança pobre, e a criança pobre por um comentário. Diga o que acha, participe, faça um RT. Sério, não importa quantos leitores você tenha no Twitter ou no Facebook, um compartilhamento seu vale mais que R$0,35.

Enquanto isso, vamos vendo a Internet falhar em vencer a última fase, em chegar ao modelo funcional de microtransações, que irá gerar toda uma nova era de ouro de criadores de conteúdo. Até lá, o jeito é continuar escrevendo e confiando que os leitores não vão me deixar partir pro Plano B, a banheira de Nutella.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.



Leia Também:

  • Rodrigo Cavalcante da Silva

    Cardoso, eu lembro da sugestão Projeto Vendra com doação de R$100,00, pra clonar a Vendramini…

    • PugOfWar

      aí tem que ser um crowdfunding no Kickstarter

  • O Datilógrafo da AEB

    Bitcoin tecnicamente resolveria. Custa nada adicionar um QR code com sua wallet.

    • Rodrigo Dias Javornik

      Essa é uma excelente ideia, mas, será que as pessoas que doam para o blog trabalham com bitcoin?

      • Diogo Nóbrega

        Pois é…. eu mesmo não tenho bitcoin, se eu tivesse beleza, mas não estou disposto a comprar bitcoins somente pra isso…

        • Ivan

          do jeito que ta subindo é investimento

          • Roberto

            o Bit ta subindo muito, mas bem menos do que outras Cripto moedas!

    • Rodrigo Campos

      Com a popularização do bitcoin a taxa de transação tá ficando cada vez mais impraticável. Tá se parecendo cada vez mais uma operadora de transferência de crédito comum.

  • Dandalo Gabrielli

    Curiosidade… E aqueles Apps de telefone de transferencia? Tipo Click Pay… Eles se vendem como facilitadores para micro transferencias. Funcionam da mesma forma?

    • ????????? ???????

      Eles falam que entre “amigos” é grátis, só tem taxa pra pagamento de produtos. Se o Cardoso colocar eu mando umas pratinhas pra ele, senão, vou fazer um valor mais alto semestral ou anual… Acho válido

      • Henry

        Não sei exatamente como funciona esses apps de transferência, mas tentando entrar na mente de um burocrata estatal por alguns instantes, eu diria que, se o Cardoso recebesse algumas centenas de doações de valores pequenos originados de várias fontes diferentes, isso descaracterizaria uma transação entre amigos, e obrigariam ele a adquirir um plano empresarial, por uma taxa “simbólica”.

        • ????????? ???????

          Provavelmente… Já mandei minhas pratinhas… Vamos aguardar pra ver se ele tem que tirar um CNPJ em um futuro próximo.

    • Mario Neis

      ia perguntar isso mesmo, se esse cara ( ou algo do tipo) não se adequaria melhor ao problema

      https://www.picpay.com/site/

    • Diogo Nóbrega

      Eu ia comentar exatamente sobre isso! Tem o PicPay também… Se o @ccardoso:disqus tivesse uma conta dessas, talvez facilitasse bastante o processo, não?

  • Coffinator

    Se quiser apelar mesmo bastaria ter algumas aulas com alguns neopentecostais. De arrancar moedinhas, carteiras, carros e casas eles entendem mais que muitas mulheres.

  • Eduardo Sales Filho

    Eu pagaria 10 reais pra ver você numa banheira de Nutella!
    Hahahhahahaha

  • Rafael Rodrigues

    Cardoso, vc tem conta no Itaú? Pelo TokPag é custo zero e cai na hora.

    • Jonathan Nazareth

      Não conheço esse TokPag, mas não existiria a possibilidade de transferência direta entre contas bancárias ou mesmo depósito bancário?

    • Diogo Nóbrega

      Por TokPag seria tranquilo, mas limitaria somente a pessoas com conta no Itaú… fora que isso exigiria o compartilhamento de outras informações, como conta em banco, número de telefone, etc. que talvez ele não queira compartilhar.

      • Rafael Rodrigues

        Pois é, mas com o TokPag, só precisa do telefone. Realmente é um dado pessoal, mas acho que poderia estar condicionado a já ter doado. Salvo engano, das vezes que passei $$$ para o Cardoso via PagSeguro os dados dele apareceram para mim.

        • Diogo Nóbrega

          Realmente… mas acho que tem outras soluções mais “seguras”, como o PicPay, que já citaram aí em cima…

          • Rafael Rodrigues

            Sim, mas o picpay não é gratuito. Para “uso profissional” cobra 5%…

          • Diogo Nóbrega

            Basta ele não usar pra uso profissional… hue

      • Reinaldo Matos

        O Tokpag já funciona para transferências para outros bancos, porém, não sei se há alguma cobrança de Doc (ou Ted) de quem transfere…

      • Ivan

        dai teria que criar um com cnpj

  • Don Scopel

    Eu prefiro pensar que doando R$ 1,00 estarei colaborando com o Cardoso e, indiretamente, com a colonização de Marte

  • Podia vender autógrafo no Mercado LIvre

  • Nem me fale, depois de ver o roubo quando fui resgatar 110 dólares do Ad Sense.

    • Que método vc usou? Ainda não resgatei nada justamente pq desconfiei que ia rolar algo assim.

      • Transferência pra Caixa Econômica, comeram mais de 50 reais.

        • PugOfWar

          gostava o tempo em que só cobravam um quinto do ouro

    • O Datilógrafo da AEB

      Use sempre o banco Rendimento, é a opção mais fácil e barata.

  • Gabriel Nunes

    Cardoso, sei que você já deve ter lido e ouvido isso bastante, mas vc não tava agilizando o lance do Padrim ou do Patreon? Seria bem interessante e bem prático, pois coloca-se o cartão lá e debita mensal, sem nem precisa esquentar a cabeça. O Izzy já tá profissa nessa parada, pq ele tem o Patreon dele pessoa, o Patroen do 99 vidas e o Padrim do MPB.

  • Esperando o Raul_Anderlaine aparecer aqui para pregar sobre bitcoins.

    • E só restou ele. Já que o danielzinho fragay largou mão de ser youtubeiro e decidiu fazer algo na vida.

  • Talvez seja o caso de apelar pra algum serviço mais especializado. Algum desses deve ter um método que, digamos, acumula as doações até um valor X, e daí faz a transferência, amortizando as taxas.

    Mas que é uma puta falta de sacanagem, isso é.

    • gfg

      Foi o que pensei, seria ótimo uma espécie de cofrinho. Tu vai mandando os valores e no final do mês ele faz uma transferência só.

      • ffcalan

        É realmente necessário um aplicativo para isso?

        • gfg

          Bem, acredito que muita gente aqui, assim como eu, mal vê dinheiro em espécie, fazendo tudo no cartão ou online.
          E pequenas quantias são sempre mais fácil de se “desfazer” .Ou vai me dizer que você tira a nota de 100 na primeira oportunidade, mesmo tendo outras pra usar ?

          • ffcalan

            Uhmm, talvez faça sentido pelo fator consciência! Não tinha pensado nela.

    • Ivan

      a taxa ta na doação em si e não na transferencia final, pelo menos é o que eu acho.

  • Hugo Marinho

    A gente pensa que não, mas na verdade o Brasil está preparado pra Internet sim, quando se trata de tributação o Brasil é hexacampeão mundial (:

  • Bruno Aveiro

    Foi num post desses de “não doe pra mim se não quiser” que acabei doando pro Cardoso mês passado.
    Seria o equivalente a um pastel especial e um caldo de cana de feira em SP.

  • Márcio Tondin

    Não rola criar um patreon ou um apoia.se?

  • BD

    Problema sério! Estou há tempos procurando uma forma de receber um real que voluntariamente os leitores me dariam se estivesse à distância de um clique e, obviamente não fossem cobradas taxas escorchantes como essas. Frustrante, mas, por outro lado, fica a esperança que algum gênio do empreendedorismo consiga visualizar um modelo de negócios que supra essa demanda…

  • Toqen

    E se colocar uma propaganda do google para nos clicarmos e gerar receita em cada post? Acho que funcionaria tipo o botão de microtransação, ou não?

    • BD

      Não é uma má ideia, mas (i) você não estipula o valor do clique, (ii) quem veicula o anuncio recebe apenas um percentual de 68% e (iii) vamos enriquecer o google assim e não o Cardoso.

  • Carlos Ferreira

    Puts que roubo. É mais eficiente juntar moedinhas e no fim do mês doar via pagseguro. Ou então simplesmente comprar bebida na Internet e colocar o endereço do Cardoso pra entrega. Vou doar 2 litros de cachaça do Ceará.

  • Monstro Medieval

    Quer dizer, melhor o Silmar juntar tudo num montão no fim do mês.

    Com o próximo livro é melhor você pedir que as pessoas o comprem ao invés de doar. Tira aquela sensação de estar dando dinheiro sem levar nada, embora as pessoas só vão comprar uma vez.

  • Allan.’.

    Não imaginava que eram estas as proporções de repasse, não é a tua que o Elon vai abrir uma tesla em marte.

  • Allan.’.

    Cardoso, voltamos aos velhos tempos, passa o número do cel e a gente coloca crédito para vc.

  • Eu acho que o PicPay cobra 4,89% de taxa. Pode valer a pena.

  • Marks William

    Mandei uma grana pelo PagSeguro e espero que a taxa seja menor que a do PayPal.

  • Lucas Linki

    Eu vou juntar pra te dar tudinho de uma vez no fim do ano…

  • alvaro lordelo

    Na China seria bem simples e nenhuma taxa, lá tem serviços como wechat e allypay, aqui tudo tem que ser taxado e cobrado, temos que lutar por um país com menos impostos.

  • Julio Cesar Goldner Vendramini

    Rapaz… O paypal tinha que ter vergonha na cara…
    Então, num rola colocar conta pra transferência direta nao? Muita gente tem internet banking.

  • E eu que estava pensando em doar a sugestiva quantia de R$ 6,66 pelo PagSeguro.

    Será que também há essas bichisses nele?

  • Rafael Oliveira

    Pesquise sobre o steemit. Plataforma e conceito ainda são embrionários, mas quem sabe pro futuro.

  • Geraldo Sant’ana Jr.

    Já pensou em usar o picpay??

  • Rafael Mendonça

    É muito perigoso se você passar o número de sua conta bancária?

  • Wbrown

    Poxa Cardoso, me desbloqueia no twitter pra compartilhar…