Porky e o Vulcão de 1º de Abril

Não, não era ESSE Porky’s, mas vale a lembrança.

Sitka, Alaska, é basicamente um fim de mundo. HOJE ela tem pouco mais de 8000 habitantes. Nos Anos 70 dá pra imaginar que não era nenhuma metrópole. Ou seja, havia muito pra se fazer por lá. Junte a isso um sujeito chamado Oliver “Porky” Bickar.

A regra é clara: Nada de bom vem de um sujeito com apelido de Porky, mas Oliver não era mau sujeito, só entediado.

Porky Bickar

Veterano da Segunda Guerra, tendo participado da Invasão da Normandia, o sujeito de 51 anos era o piadista local, adorava pregar peças nos amigos, mas ele queria mais, Porky queria se eternizar entre os maiores zoeiros do planeta. Com a cumplicidade -ou pelo menos tolerância- da esposa, ele planejou com calma sua pegadinha, até o fatídico 1º de Abril de 1974.

Sitka, Alaska, a 1986Km de Dutch Harbor

Por quatro longos anos ele acumulou pneus velhos, metanol, diesel, panos e bombas de fumaça, que nunca disse aonde conseguiu. No dia ele procurou um serviço de fretamento de helicópteros. Contando seu plano, o piloto se recusou a participar. Depois te tentar várias empresas, ele achou Earl Walker, em Petersburg, a 150Km de Sitka.

Earl, que também não era boa pessoa, adorou a idéia e assim que a visibilidade melhorou, decolou para encontrar Porky. Com a ajuda de dois cúmplices, Larry Nelson, e Ken Stedman, Porky prendeu 50 pneus em uma corda, encheu o helicóptero com o resto do material e rumaram para o Monte Edgecumbe.

O Monte Edgecumbe é um vulcão.

Chegando lá eles descarregaram o material, e enquanto Earl ia buscar mais 50 pneus, os palhaços arrumaram os que já tinham sido trazidos em um círculo, ensopados com queresone, metanol e os farrapos e panos.

Um dos sujeitos usou tinta spray para escrever “Primeiro de Abril” em letras de 15 metros, ao lado dos pneus.

Quando a nova carga chegou eles foram empilhados, Porky ateou fogo no conjunto e se mandaram dali. Chegando na cidade, Earl entrou em contato com a torre de controle do aeroporto, e depois dos procedimentos de rotina, o controlador soltou “Ah, e por falar nisso, o filho da mãe está fantástico!”

Ao fundo o Monte Edgecumbe, um vulcão que todo mundo sabia estar mais que extinto emitia uma longa e sinistra coluna de fumaça preta, como se estivesse prestes a entrar em erupção.

Porky, que era maluco mas não era burro, e era policial voluntário, havia notificado as autoridades aeronáuticas e à polícia, o que não impediu de basicamente a cidade inteira entrar em pânico e começar a telefonar pra polícia, bombeiros, etc.

A Guarda Costeira não foi avisada, a situação chegou até um almirante, que mandou um barco e um helicóptero para investigar.

O VP da Alaska Airlines instruiu seus aviões para voarem sobre o vulcão, para proporcionar aos passageiros uma vista da pegadinha.

Porky conta que uma vez encontrou em uma festa o tal Almirante, achou que iria levar um esporro, mas foi só elogios, o Almirante adorou a zoeira. A Alaska Airlines chegou a usar o caso em um de seus anúncios, e Porky entrou para o restrito Hall das melhores pegadinhas de Primeiro de Abril de todos os tempos.

Seis anos depois de sua peça, Porky recebeu uma carta de um sujeito. Dentro uma manchete com a erupção do Monte Santa Helena, e uma inscrição “Seu filho da mãe dessa vez você foi longe demais”.

Fontes:


Tá ruim pra todo mundo, mas especialmente para sites como o Contraditorium, que vivem de doações. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, mas com essa bactéria dos infernos as doações minguaram.

Prestigie o Contraditorium, faça uma doação via PicPay ou PayPal, ou melhor ainda, mande um Pix para [email protected] Toda contribuição é bem-vinda.

Se quiser, assine meu crowdfunding, torne-se um colaborador mensal e ajude a combater a mediocridade e o mais do mesmo! É mais barato do que você pensa.