Combatendo nazistas com… astrologia

Em 1941 o Alto-Comissário para as Índias Ocidentais Francesas, George Robert, surtou, enlouqueceu, pirou na batatinha. Teve que ser detido pelos subalternos, hospitalizado. Nos EUA e Inglaterra a notícia foi recebida com espanto duplo, primeiro por não ser algo comum, segundo por ter sido prevista com precisão alguns dias antes por um astrólogo, o misterioso Louis de Wohl.

Ele já era figura conhecida nos EUA. Com milhões de seguidores, suas previsões espantavam pela precisão. Ele chegou até a conseguir uma isenção do FCC – Federal Communications Council para ser entrevistado no rádio, as regras de então proibiam que astrólogos, videntes e religiosos em geral fossem divulgados pelos meios de radiofusão.

Louis de Wohl

Com a Guerra se aproximando, Louis de Wohl continuou com suas previsões. Ele não chega a ser uma Agnes Nutter, mas deu muita esperança para milhões de americanos, prevendo a derrocada final de Hitler.

Só tem um problema: Como toda pessoa racional sabe, astrologia não funciona, por isso nem dá pra dizer que Louis de Wohl era um falso astrólogo, é como alguém dizer que viu um unicórnio de mentira. Mesmo assim, as profecias eram precisas.

Como?

Simples: Louis era parte de um programa secreto envolvendo o MI5 inglês e o governo dos EUA, na figura do Coronel Bill Donovan, aquele sujeito que fundou o OSS, o precursor da CIA, e que queria transformar Hitler em mulherzinha.

A crença em astrologia infelizmente não é novidade nem recente. Em 2014 a quantidade de gente que achava que astrologia era “científica” cresceu 10%, e millenials são mais crentes ainda. Nos Anos 1930/40 esse percentual era ainda maior, e para piorar, os jornais e revistas americanos estavam dominados por astrólogos pró-nazistas.

O plano do MI5 era trazer para os EUA Louis de Wohl, um astrólogo nascido na Alemanha, mas profundamente anti-nazista (ou antina como diriam hoje em dia). Ele faria previsões que direcionariam os leitores a aceitar a entrada dos EUA na guerra, ao mesmo tempo em que tentaria vender a imagem da Alemanha nazista como um país maligno e não-confiável. Sim, vender nazistas como vilões, que trabalho complicado…

O segredo de Louis de Wohl? O mesmo do tal Jucelino da Luz: As previsões dele eram todas de coisas que já tinham acontecido. O MI5 repassava informações de operações militares, bem antes de serem liberadas pela censura para a imprensa. Wohl publicava como previsão, relativamente vaga, e quando a notícia chegava nos jornais, dois dias depois todo mundo lembrava “nossa, igualzinho Pai Wohl previu!”

No começo de 1942 Wohl retornou para a Inglaterra, aonde continuou com seus serviços ao Governo de Sua Majestade, usando astrologia como arma de duas formas distintas, ambas baseadas no imenso interesse no oculto e outras bobagens, que era a base da filosofia nazista.

Darwin tinha um problema sério para os nazistas: Colocava todo mundo no mesmo saco, então os “teóricos” da Raça Superior começaram a inventar teorias de que sim o resto da Humanidade evoluiu normalmente mas a Raça Ariana era descendente de outra raça, mais antiga, confundidos com deuses, e outras bobagens.

Os nazistas financiaram expedições arqueológicas por todo o mundo, atrás de evidências dessa teoria, caçando objetos de poder místicos e tudo que pudesse servir de vantagem, tática ou psicológica. Sim, Caçadores da Arca Perdida e Castelo Wolfenstein têm base na realidade. E sim isso vai virar um artigo isolado.

O Sol Negro, decoração mística em uma das salas do Castelo Wewelsburg, que Himmler transformou em retiro para a SS, aonde realização cerimônias místicas, casamentos e Bar-Mitvzas. OK, Bar-Bitzvas provavelmente não.

Como misticismo e crendice nunca andam sozinhos, os nazistas compravam o pacote completo, e Goebbels era o principal entre os crentes, mas Rudolf Hess e Heinrich Himmler também não davam um passo sem consultar Karl Ernst Krafft, que se tornou basicamente o astrólogo oficial do 3º Reich.

Krafft era amigo de Wohl, afinal picaretas devem permanecer unidos, um conhecia bastante o estilo do outro. Isso foi fundamental para as duas formas com que o MI5 usou astrologia contra Hitler.

Primeiro, Wohl, conhecendo a mente de seu amigo, estudava os mapas astrais e deduzia as previsões que Krafft faria, para seus mestres nazistas. Em essência, ele sabia qual mentira o outro iria contar, e entregava tudo para os ingleses.

Karl Ernst Krafft adaptou as profecias de Nostradamus para se preverem o sucesso do Terceiro Reich.

Na segunda parte, os ingleses fizeram o oposto da operação realizada nos EUA. Wohl escrevia previsões astrológicas sobre eventos da guerra, afundamento de submarinos, derrotas, todas já acontecidas, mas escondias do povo pela censura nazistas.

Essas previsões eram impressas em edições falsas da revista Zenit, uma revista astrológica muito popular na Alemanha. As revistas eram lançadas de paraquedas, e distribuídas por simpatizantes antiná. O objetivo era fazer com que as pessoas começassem a perder a fé na propaganda oficial, a achar que a guerra estava indo mal, e que estava escrito nas estrelas que a Alemanha seria derrotada.

Curiosamente, embora boa parte do alto-comando nazista fosse extremamente místico, Hitler mesmo achava isso tudo uma bobagem, e só piorou quando um astrólogo recomendou a Rudolph Hess que ele desertasse de sua posição, que chegou a ser o Número 2 na Alemanha Nazista, e tentasse uma missão de paz junto aos ingleses. Hess roubou um avião e atravessou o Canal, repleto de informações valiosíssimas para o Inimigo.

Hitler ficou puto nas calças, e foi deslanchada uma perseguição aberta contra astrólogos e videntes em geral, sabotada também abertamente por seus colegas de partido. Nas palavras do Führer:

“Que bobagem! Nós finalmente alcançamos uma era que depois o misticismo para trás, e agora [muitos nazistas] querem começar tudo de novo! Nós poderíamos muito bem ter ficado com a Igreja”

Mais de 600 astrólogos, videntes, curandeiros e similares foram presos, objetos de adivinhação como bolas de cristal, tarô, pêndulos, etc foram confiscados e banidos. Livros também foram banidos.

“Ah Cardoso, mas e a tal revista?”

Essa é a parte divertida: As revistas falsas eram VELHAS, ficava mais impressionante ainda para os alemães acharem uma cópia antiga de uma revista com previsões precisas pra meses ou anos no futuro.

O plano do MI5 de usar astrologia e misticismo contra Hitler provavelmente deu certo, é impossível contabilizar com precisão os efeitos desse tipo de ação, mas o interesse da população por astrologia leva a crer que não há porquê não ter dado certo.

Até porque o plano se baseou na credulidade e na preguiça das pessoas. Ninguém se deu ao trabalho de procurar cópias antigas da Zenit, e comparar com a versão falsificada, e a Velha Mídia (que na época ainda era Mídia 9vinha) aceitava os press releases sem checar nada.

O tal Alto-Comissário para as Índias Ocidentais Francesas? Nunca enlouqueceu nem deu alteração. Boa parte das previsões do Wohl eram apenas Fake News, que o MI5 plantava na Imprensa e nenhum jornalista verificava.

Ainda bem que a gente aprende com a História, né?

Fontes:


Tá ruim pra todo mundo, mas especialmente para sites como o Contraditorium, que vivem de doações. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, mas com essa bactéria dos infernos as doações minguaram.

Prestigie o Contraditorium, faça uma doação via PicPay ou PayPal, ou melhor ainda, mande um Pix para [email protected] Toda contribuição é bem-vinda.

Se quiser, assine meu crowdfunding, torne-se um colaborador mensal e ajude a combater a mediocridade e o mais do mesmo! É mais barato do que você pensa.