Religião da Paz™ o cacete

Mais uma vez o Islã mostra a que veio. Queimando embaixadas por causa de charges de um jornal. Excelente motivo para tirar vidas. Não que precisem de um. Vamos, então, aproveitar esse furor uterino islâmico para algo útil.Ajude a divulgar a imagem abaixo, transformemos esse sentimento anti-humor em um sentimento anti-portenho!

Free Image Hosting
Agora sério: Será mesmo que um simples cartoon precisa causar tanto estrago assim? Será que a fé islâmica é tão frágil que qualquer brincadeira a abala?

Quando você vai a um Outback da vida (Carol, vamos repetir) não precisa se preocupar com algum militante hindu pulando, cheio de explosivos, gritando “Shiva Akbar” ou algo assim, antes de estragar seu almoço e transformar suas entranhas em decoração abstrata nas paredes.

Meu churrasco tradicional de sexta-feira santa nunca foi interrompido, mesmo por minha vizinha católica fanática que passou mal comendo carne de soja, por achar que ainda assim era carne.

Meus amigos judeus tradicionais não reclamam se peço um lombinho fatiado aperitivo no bar, no máximo pedem outra coisa e não querem dividir a conta do lombinho, mas isso era esperado.

Meu ex-padawan Wicca nunca tentou me converter, convidando praquelas orgias de bruxinhas pós-adolescentes dançando nuas em torno de fogueiras, em frenesi erótico. (nunca o perdoei por isso).

Desenhos animados hoje em dia estão se especializando em sacanagear as grandes religiões, em seus aspectos mais esquisitos. Seja a virgem que sangra pelo fiofó examinada pelo papa, em South Park, sejam as freiras assassinas em Family Guy.


Jesus, morador de South Park, Colorado

Pombas, a Matilde Mastrangi já fez uma cena de sexo vestida de freira, ótima (ela e a cena) e ninguém iniciou um Jihad por isso.


Matilde Mastrangi e David Cardoso (não somos parentes)

Mesmo nos mais exaltados protestos católicos, a coisa se resume a meia-dúzia de donas mal-comidas na porta de um cinema boicotando um filme que não iriam ver de qualquer jeito. Alguma coisa aprenderam desde a Inquisição.

Já esses fanáticos cabeças-de-toalha se acham acima do bem e do mal. ELES somente ELES não podem ser criticados, tocados ou mencionados. TODO MUNDO tem que agir de acordo com SEUS preceitos.

Eu como porco SIM e já admiti bêbado que tinha tesão na Miss Piggy. Nenhum islamaluco vai me tirar esse direito.

Agora estão queimando embaixadas da Dinamarca, Noruega, Áustria e outros países. Líbano, Síria, Irã, a tendência é a coisa se espalhar.

Notem: Nenhum desses países tem nada a ver com o peixe.


Clérigo Islâmico, ao fundo a obra de seus fiéis

Tudo começou quando um jornal dinamarquês, o Jyllands-Posten publicou uma matéria sobre a dificuldade de um autor em achar um ilustrador para seu livro sobre a vida de Maomé. Não era um livro de humor, não era um livro desrespeitoso, sequer era algo do nível do Salman Rushdie. Infelizmente usaram cartoons. SIM, aqueles que estamos acostumados no Charges.com.br, aqueles que ilustram TODOS os jornais diários no planeta (inclusive os muçulmanos). Ressaltando a liberdade de expressão, o jornal publicou 12 cartoons sobre como seria a aparência de Maomé.

Os islâmicos ficaram furiosos, começaram a perseguir o jornal, o país, o ocidente. Para piorar, lançaram diversos cartoons na internet, realmente ofensivos, que nunca foram publicados no jornal.

Há até uma carta-aberta em árabe, dinamarquês e inglês no site do jornal, explicando a situação e pedindo desculpas.

Eu sinceramente não conseguiria escrever um texto desses começando com “Honourable Fellow Citizens of the Muslim World”. Minha hipocrisia natural não chega a tanto. Muito menos minha diplomacia.

Não vejo nada de honorável em matar gente por causa de cartoons.

A justificativa, que Maomé proibiu sua representação para evitar adoração, não me convence. Ele já foi retratado sim em diversos materiais islâmicos antigos. Na verdade o islamismo não é a única religião que proíbe a representação de divindades/profetas em artes iconográficas.
Pesquisando os dez mandamentos, a regra é clara:

Êxodo 20:4,5 : “Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra. Não te encurvarás a elas nem as servirás(…)”


Haram claro. Micheglângelo é pecador contumaz.

Tomou, papudo? Nem pôster da Playboy, nem imagem de santa, nem arte figurativa. Recebi uma foto ontem de uma beldade em um pijaminha curtinho com um par de seios absolutamente lindos, desafiando as leis do Corão e da gravidade. Me encurvo, ajoelho e sirvo-os à hora que ela quiser. Que bom não ser islâmico. (ok, estou me exibindo).

A questão é: A regra está lá, perfeitamente clara. Felizmente os responsáveis pelos primórdios do cristianismo perceberam que lucrariam (nos dois sentidos) com uma arte figurativa rica. Acho a arquitetura árabe muito bonita, mas nada se compara a um Michelângelo (O artista, não a tartaruga).

Segundo nossos amigos fundamentalistas, o David, a Capela Cistina, o Moisés seriam prontamente destruídos, como as estátuas de Buda no Afeganistão.


Estátuas milenares destruídas pelo Talibã. Praise Alah!

Notem que na tradicional política dois-pesos-duas-medidas do mundo islâmico, é perfeitamente kosher ofender profundamente Israel. Embora, curiosamente, as Três Fés sejam irmãs, e pelo Corão um cristão ou um judeu não são considerados infiéis. (conheço uma cristã que é mas isso é outra história).


O papa diz “paz na Terra”, a criatura satânica de aparencia judaica diz “nossas colônias na terra”


Charge sobre “Expansão do sionismo na Dinamarca”

Curiosamente ofender o Islã É crime em Israel. Uma louca varrida de nome Tatiana Soskin pegou dois anos de cana, por desenhar um cartoon idiota mostrando Maomé como um porco, escrevendo o Corão.

Para mais detalhes sobre ela, inclusive como tal cartoon, visite este link.

PS: Assim que foi presa, foi levada para um hospital psiquiátrico para exames, onde declarou: “Prefiro estar em um pequeno hospital psiquiátrico aqui do que no grande hospital psiquiátrico que é o Estado de Israel”.

Claro que há excessos, sempre há. Excessos esses que em países organizados geram protestos oficiais, com medidas enérgicas, seja a prisão de Tatiana Soskin em Israel ou a ameaça de deportação de Larry Rother, ao promover reportagem falsa e fantasiosa acusando o Presidente Lula de exagerar no consumo de álcool.


Presidente Lula, injustamente tachado de cachaceiro pelo vil jornalista

A diferença aqui é que os muçulmanos ao mesmo tempo em que querem ser integrados à comunidade internacional, querem que todos se ajoelhem diante de suas crenças. Não é assim que funciona pessoal. Existe um pequeno detalhe chamado tolerância. O que vocês querem? Que todo mundo aceite o Islã como caminho verdade a luz e a vida? Moleza, não? Ainda mais vindo de fundamentalistas chatos que desprezam TODOS os nossos valores ocidentais, como sexo livro, álcool, rock-and-roll e Chuck Norris.

Em um editorial intitulado “O direito de rir dos deuses”, Tavleen Singh, do Indian Express comenta da parcialidade da mídia ocidental em relação ao Islã, que mesmo assim reclama da falta de apoio. Reclamam que os terroristas do IRA não eram tratados como “terroristas cristãos”, mas esquecem que ambos os lados eram cristãos, o que torna a definição irrelevante. Também esquecem que os hindus são terroristas tamil.

Aceitação pelo mundo, com todo mundo acatando sua visão, suas crenças e seus preconceitos, meu caro, não é integração. É conquista e dominação. E se é isso que vocês querem, podem vir, estamos preparados!

Abaixo os cartoons que tanto causaram polêmica e estrago.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Muito bacana o texto… gostei mesmo! :]

    Abraços!

    • maria dos santos

      Eu tambem gostei deste texto das images muito bom principalmente o que diz assim:O papa diz:
      "paz na terra"a criatura santânica de aparencia
      judidica "nossas côlonias da terra.

  • Rogerio Riva

    Legal seu artigo, queria ver mais opiniões como a sua na mídia em geral.
    Grande abraço!!!

  • 14/88

    os arabes lutam pelo q acreditam… enquanto nos ocidentais perdemos nossas raizes eles lutam contra o maior mal que existe na terra… o mundo ocidental é um mundo crivado de homens froxos e mulheres prostituidas(seja por dinheiro, seja por prazer)… não irá demorar muito nosso querido mundo irá entrar em colapso… não existe mais sociedade… não existe controle… não existe ordem…existe mais direitos do que deveres…

    • Thiago

      poisé, homens frouxos como você que não tem a coragem de viver sem se esconder atras de um deus, de um profeta ou de um livro velho.

  • Alexandre Heliodoro

    é isso aí!!! gostei mesmo, muito bom e parabens! continue assim. e a galera de Maceió quer ver mais. Um abraço.

    • Alexandre HP

      PS* Retificando sobre minha resposta; Esse e-mail que respondi em 2006 foi me referindo ao filme. e não sobre homem-bombas que matam crianças, inocentes, e fere a dignidade da religião mundial…etc.

  • tainara

    olha,eu acho q voces deviam botar os costumes,como viviam,o q fazim,quais as regras,se nao cumprir as regras o q acontecee em fim td…..td q tem sobre este assunto.

  • Leandro Saad

    Ignorância gera ignorância!!!

    Que matéria estúpida!!!

    Se alguns muçulmanos agem de forma equivocada, tais muçulmanos devem ser punidos, mas, nunca, a religião.

    Não há erro na religião, pois esta vem de Deus.

    Se há algo errado, esse algo se chama "homem". Admitir um texto ridículo como esse é admitir que o homem regresse na história. Devemos aceitar e respeitar todas as religiões e repudiar as atitudes intolerantes.

    • "Devemos aceitar e respeitar todas as religiões" todas mesmo? Inclusive as que se odeiam? Devemos aceitar e respeitar o Cristianismo, que tentou exterminar os muçulmanos nas cruzadas? Devemos aceitar e respeitar o Islã, com seu conceito de guerra santa?

      • Jhonathan G. Moreira

        Se é isto que elas acreditam ,Sim. Mais a guerra santa defendida pelos muçulmanos ( eu sou Budista ) é pela sua defesa pessoal, mais muitos divergem tais penssamentos por causa de ignorancia.

  • Dagmar Marie

    Islamismo não é religião, é Seita Pedofílica e política, na qual a pedofilia é legalizada por lei do Islã. No Oriente Médio nós matam ou mutilam. Por que temos que os tolerar no Europa e Ásia , onde somente não nos matam, por temerem as conseqüências? Viva a ISLAMOFOBIA, que varrerá do mundo o islamismo, e suas perversões sexuais: a pedofilia.

  • Thiago

    Então tá, tem que respeitar todas as religioes pela liberdade de expressão e fé?
    ok estou fundando uma igreja que irá pregar o ódio a todas as outras religioes e pessoas que não se curvarem diante a minha. E NINGUEM VAI PODER FALAR NADA.

    Religião e religiosos são o cancer do mundo moderno.
    o homem que precisa de uma religião pra nao fazer merda é porque já nao presta e nao vai ser a religião que vai mudar ele.

  • Ivani Medina

    Tão perigosa quanto à imbecilidade assassina do Estado Islâmico é a covardia ocidental. Na década de 50 o historiador britânico Arnold J. Toynbee havia previsto que a próxima guerra seria entre cristãos e muçulmanos. Vale lembrar que, naquela época, Gerge W. Bush ainda usava calças curtas e nesses últimos 15 anos contabiliza-se quase 25.000 ataques islâmicos (da religião da paz). Depois de um dos ataques mais recentes, a um balneário tunisiano (26/06/2015), 82 mesquitas foram fechadas na Tunísia porque seus clérigos incitavam os fiéis à violência. Aqui não estamos a falar exclusivamente de grupos terroristas, mas também de religiosos com uma responsabilidade social considerável. Sermão inflamado contra o Ocidente não é escandaloso no meio islâmico. O problema é que outros fatos do tipo iriam repercutir negativamente na receita tunisiana com a debandada dos turistas europeus.

    Dizer que nem todo islâmico é terrorista significa o quê? Absolutamente nada! Dizer que os terroristas não são islâmicos, “se fingem de islâmicos”, significa o quê? Que são cristãos disfarçados a confundir a opinião pública? Qualquer bobagem é usada se for para contribuir com o avanço do islã sobre o mundo ocidental.

    Além de mentirosa e ridícula, essa mania de isentar o islamismo da sua responsabilidade é uma opção covarde e equivocada. Não se vai evitar nada de ruim desse modo, uma vez que a omissão favorece a expansão do islã por toda parte, com sua sedução enganadora. Seria mais digno e eficiente dizer:
    “Resolvam logo isso entre vocês. A construção de mesquitas, madraças, centros
    culturais e a difusão da sua crença estarão suspensas no Ocidente até que se
    mostre, na prática, uma solução confiável e duradoura para esse confronto”.

    Hoje, com as informações que dispomos relativas ao comportamento humano, podemos concluir que as atitudes mais ou menos agressivas acabam dependendo muito da índole do indivíduo. A maioria da espécie humana parece tender a boa índole. O problema é que a minoria má é grande demais. Quando o indivíduo se sente liberado à barbárie, não só pela falta da educação, mas principalmente por causa dela ou pela sua cultura religiosa, são os atos dessa minoria altamente numerosa que vão deixar todos em perigo.

    Nesse caso, o ego coletivo pode ser comparado, argumenta Toynbee, ao poderoso e mitológico monstro bíblico Leviatã. Este poder coletivo a mercê das paixões subconscientes escapa à censura pessoal que freia os baixos impulsos do ego. A má conduta, que seria condenada sem hesitação, no entanto, quando o indivíduo transita do singular para o plural, ainda mais sob a instigação de clérigos exaltados amparados por um livro sagrado (Alcorão), encontra a responsabilidade individual em recesso.

    Então, estes, chegam às barbaridades sem culpa alguma, e aqueles que não têm tal inclinação a flor da pele não os condenam Sabem que seus irmãos de crença agiram em cumprimento do livro imutável que orienta a todos. Portanto, ideologicamente devem apoiá-los. Mesmo que essa maioria se sinta constrangida e prejudicada nos seus interesses nas sociedades ocidentais que as abrigam, se veem moralmente contidas. São as sociedades ocidentais que reclamam dos excessos dos seus e não as delas. O Alcorão pode incitar a violência? Dizem que não. Então vejamos alguns versículos de algumas das suas suras.

    Sura 2,193 “E combatei-os até terminar a perseguição e prevalecer a religião de Allah”.

    Sura 3, 85 “Quem quer que almeje (impingir) outra religião, que não o islã, (aquela) jamais será aceita e, no outro mundo, essa pessoa contar-se-á entre os desventurados.”

    Sura 5:33 – “O castigo, para aqueles que lutam contra Deus e contra o Seu Mensageiro e semeiam a corrupção na terra, é que sejam mortos, ou crucificados, ou lhes seja
    decepada a mão e o pé opostos, ou banidos. Tal será, para eles, um aviltamento nesse mundo e, no outro, sofrerão um severo castigo”.

    Sura 8:12 “E quando o teu Senhor revelou aos anjos: Estou convosco; firmeza, pois aos fiés! Logo infundirei o terror nos corações dos incrédulos; decapitai-os e decepai-lhes os dedos!”

    Sura 8:13 “Isso, porque contrariaram Deus e o Seu Mensageiro; que Deus é severíssimo no castigo”.

    Sura 7, 4 “Quantas cidade temos destruído! Nosso castigo tomou-os (a seus habitantes) de surpresa, enquanto dormiam, à noite, ou faziam a sesta”.

    Sura 8, 60 “Mobilizai tudo quanto dispuserdes, em armas e cavalaria, para intimidar, com isso, o inimigo de Deus e vosso, e se intimidares ainda outros que não conheceis, mas que Deus bem conhece. Tudo quanto investirdes na causa de Deus, ser-vos á retribuído e não sereis defraudados”.

    Sura 8, 72 “Os fiéis que migraram e sacrificaram seus bens e pessoas pala causa de Deus, assim como aqueles que os amparam e os secundaram, são protetores uns aos outros. Quanto aos fiéis que não migraram, não vos tocará protegê-los, até que o façam. Mas se vos pedirem socorro, em nome da religião, estareis obrigados a prestá-lo, salvo se for contra povos com quem tenhais um tratado; sabeis que Deus bem vê tudo quanto fazeis”.

    Sura 8, 74 “Quanto aos fiéis que migraram e combateram pela causa de Deus, assim como aqueles que os ampararam e os secundaram – estes são os verdadeiros fiéis – obterão indulgência e magnífico sustento”.

    Sura 9, 14 “Combatei-os! Deus os castigará, por intermédio de vossas mãos, aviltá-los-á e vos fará prevalecer sobre eles, e curará os corações de alguns fiéis”.

    Sura 8, 60 “Mobilizai tudo quanto dispuserdes, em armas e cavalaria, para intimidar, com isso, o inimigo de Deus e vosso, e se intimidares ainda outros que não conheceis, mas que Deus bem conhece. Tudo quanto investirdes na causa de Deus, ser-vos á retribuído e não sereis defraudados”.

    Sura 8, 72 “Os fiéis que migraram e sacrificaram seus bens e pessoas pala causa de Deus, assim como aqueles que os amparam e os secundaram, são protetores uns aos outros. Quanto aos fiéis que não migraram, não vos tocará protegê-los, até que o façam. Mas se vos pedirem socorro, em nome da religião, estareis obrigados a prestá-lo, salvo se for contra povos com quem tenhais um tratado; sabeis que Deus bem vê tudo quanto fazeis”.

    Sura 8, 74 “Quanto aos fiéis que migraram e combateram pela causa de Deus, assim como aqueles que os ampararam e os secundaram – estes são os verdadeiros fiéis – obterão indulgência e magnífico sustento”.

    Sura 9, 14 “Combatei-os! Deus os castigará, por intermédio de vossas mãos, aviltá-los-á e vos fará prevalecer sobre eles, e curará os corações de alguns fiéis”.

    Sura 9, 111 “Deus cobrará dos fiéis o sacrifício de seus bens e pessoas, em troca do Paraíso. Combaterão pela causa de Deus, matarão e serão mortos. É uma promessa infalível que está registrada na Torá, no Evangelho e no Alcorão. E quem é mais fiel a sua promessa do que Deus? Regozijai-vos, pois, a troca que haveis feito com Ele. Tal é o magnífico benefício”.

    Qualquer semelhança não é mera coincidência com o perfil desses ataques e organizações. O Alcorão incentiva ou não a violência? Fica difícil alegar inocência do islamismo quando ele mesmo depõe contra si ao tentar impor seu ponto de vista.

    O cristianismo já passou por essa fase. Felizmente, a abnegação dos pensadores ocidentais, de todas as épocas, e o iluminismo, na busca constante do aperfeiçoamento, nos ensinou a arte da persistência, pois o pensamento não tem ponto final. Não nos vieram de graça a liberdade de pensamento e expressão que ora desfrutamos. Custou-nos muitas dores, sangue e lágrimas em nossa construção. Devemos muito a memória daqueles que fizeram por onde.