Eu quero muito ver o filme da Clara Averbuck

leandra_leal_02 O filme se chama Nome Próprio, é dirigido pelo Murillo Salles e baseado no livro da blogueira Clara Averbuck, mas ao invés da Clara é protagonizado por ninguém menos que a Leandra Leal.

Leandra é uma das melhores atrizes de sua geração. Além de talento tem uma postura discreta, não se mete em escândalos Paris Hilton, não fica mendigando juris de TV nem tirando fotos mostrando a bunda. Mesmo assim eu a considero uma das belezas da dramaturgia brasileira. Ela faz o tipo falsa-gordinha, tem uma beleza “difícil”, como uma música complexa que demanda atenção. Não é simples admirar a Leandra, temos que nos focar. Aí vemos que ela é atraente como um mistério bem-escrito. Uma Nastassja kinski do novo milênio.

Ela também nunca foi dada a cenas ousadas. Sempre manteve o recato. Então, quando li que no filme ela “faz árduas cenas de sexo e de jogo de sedução”, como diria o Judão, Endoidei!

Vejam a descrição, no site da Globo.com:

Sua personagem é uma aspirante à escritora cuja vida rock’n’roll e solitária em São Paulo se resume à busca pelo amor e à inspiração para o primeiro livro. Enquanto isso, faz sexo. Muito sexo. Com alguém que nem sabe o nome, com o namorado da melhor amiga, com a amiga ou com aquele que acredita ser sua alma gêmea.

Leandra Leal em cenas de sexo, muito sexo? OSCAR! ExiJo OSCAR!

Some a isso a descrição de um dos blogueiros convidados para assistir a uma pré-estréia: “pornochanchada”

Eu preciso desse filme.

Claro, outros blogueiros, que não têm o mesmo foco de interesse que eu nos filmes nacionais não estão sendo tão enfáticos. Lúcia Freitas por exemplo disse ter percebido “uns defeitos graves de fotografia”, já Fernando Mafra definou a protagonista como: “Tudo é muito, inclusive ser mala.“.

Relata o Estadão (com nofollow) que “A opinião geral foi catastrófica“. Adjetivo forte, incomum em um veículo contido como o Big E. Os comentários devem ter sido sinistros.

Mas não tão sinistros quanto as reações do diretor e da blogueira Clara Averbuck. Literalmente cagando no prato que comeu, Clara não engoliu as as críticas dos blogueiros convidados e soltou:

“Quem são os blogueiros? Na boa, é blogueiro quem não é nada.”

Mesmo, clarinha? Então me explique; se blogueiros somos nada, por quê, em nome do Sagrado Esperma de Cristo, vocês chamaram VINTE BLOGUEIROS PARA UMA SESSÃO ESPECIAL DA SUA PORNOCHANCHADA?

Se tivessem adorado você diria que blogueiros não são nada? Diria que o que vale é crítica do Rubens Ewald Filho ou do Tom Leão ou da Cora Ronai? Se bem que da Cora não, ela é blogueira. Eu adoro as críticas dos dois primeiros desde antes da Internet, mas também gosto das críticas dos blogueiros que respeito.

Querida Clara; blogs são casamento. Pro melhor ou pro pior. A gente faz uma coisa boa, aplaudem. Faz merda, abaixa a cabeça, aprende e pronto. Quanto eu participei de uma palestra do Proxxima no começo do ano e foi uma merda não saí atacando todo mundo que disse que foi uma merda. Os blogs que linkam você, que te têm no blogroll, que GOSTAM do seu texto não são ninguém? Ou só são alguém quando gostam de você?

Você é PIOR do que nada, Clara Averbuck, pois tem ANOS de blog e não aprendeu ainda que quem é pedra tem que saber ser janela.

E quer saber? Vou esperar o filme chegar em DVD e baixar só as cenas que me interessam do blog do Dino1.

[ATUALIZAÇÃO]

Vejam neste link aqui a resenha do Ato ou Efeito sobre o filme. É MUITO pior do que eu pensava. Um trecho:

A parte mais imbecil do filme é quando ela se hospeda na casa de um leitor. O cara é um tremendo nerd – se parece muito com o Pizurk, o estagiário E secretária eletrônica, aliás – e tenta embebedar a garota para comer, óbvio. Ela até pede o notebook do cara em troca de um boquete. Enfim, o fato é que o cara espera ela dormir, tira a calcinha dela, tira fotos, se masturba e deposita a porra em um pote CATALOGADO. Tudo isso, meus amigos, exatamente TUDO ISSO devidamente exibido, e com closes. COM MALDITOS CLOSES!

Eu não vou dizer que estou de boca aberta por causa da piada óbvia, mas PQP! Quem defendeu o filme como obra de arte nos comentários está par com o tal nerd, é um PUNHETEIRO!

 

 

Fonte (não deveria, eles colocam URL mas nenhum link) Estadão.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Hahahahhahaa, cês levam muito a sério esse papo de blogueiro… *rsss

    • Pois é. Desculpe por levar a sério o seu Hobby.

      • Os políticos não levam nada a sério e achamos tudo normal. Agora quando o cara faz um blog com conteúdo e leva a sério é estranho. Ahh fala sério! Chega de blah blah blah!

    • toredosilva

      vc e de belém eu qero conheser vc menho ok eu amor muito muito vc de corasaõ

  • rafaeldfmelo

    pois é. como já disse no twitter, a averbuck é uma Idiota. quem me conhece sabe que pra ganhar essa alcunha de minha parte tem que rebolar. uma bostinha hypada, que se algum dia conhecer a literatura de um Mirisola por exemplo, pede pra cagar e desaparece.

    • alexandre

      O mirisola já escreveu na contra-capa de um dos livros dela

  • Tem que dar um desconto pra Clara porque desde sempre ela foi meio mimada.
    Ela sabe criticar mas os outros não podem tem um opinião ruim de um trabalho derivado de alguma coisa que ela fez.

    • e só porque ela é mimada merece um desconto ?

    • Fran

      Tem que descontar nela toda essa imbecilidade que ela vem demonstrando, isso sim, esse é o único desconto que ela merece.

  • Não acredito que Clara falou isto, ela tem umas idéias bacanas,
    mas pena que não pode ser contrariada…
    que pena…

    Abraço

  • Eita, quando comecei a ler o post jurava que era um elogio ao filme.

  • Leandra Leal protagonizando cenas de sexo (inda mais com outra mulher)?

    Quando estréia? Quando? Quando?

    Mas juro que eu quero ver porque a Leandra é uma excelente atriz! Juro!

    Hããã…quem é Clara Averbuck?

    Prefiro a alice me perseguindo…

  • Fabrício

    Mode Pasquale On
    Cardoso, seria Exijo. Não?
    Mode Pasquele Off

    • Já corrigido. Céus, eu já fui melhor.

      • Fabrício

        Culpe o chá da madrugada… =D

  • já assisti é muito bom, a leandra leal é muito gostosa.

  • o "exigo" no meio do texto ficou muito feio…

  • Vinícius K-Ma

    Leandra Leal é um espetáculo!

  • Eu vi o filme numa sessão especial para jornalistas e convidados aqui em Belém. Leandra Leal é a única coisa que faz o filme valer a pena. É chato e cansativo, mas tem peitinhos da Leandra, bundinha da Leandra, Leandra fazendo sexo, Leandra fazendo sexo com uma mulher espetacular, Leandra Leal gostosíssima. Fora isso, você pode tentar ver o filme com boa vontade ao considerar que é o primeiro longa nacional a ter um blog como elemento principal. E eu não gosto da Clara, mas sou fã do pai dela (o cara do Tangos & Tragédias).

    • Rola perseguida?

      • Rola. Mas bem pouco. O problema é que são cenas de nojeira do tipo limpando a menstruação ou pós-mijo. As aparições da perseguidas não bem menos excitantes do que as da bunda e dos peitolas da Leandra. Embora o filme pareça interminável de tão chato, ele consegue nos prender naquela expectativa: "qual vai ser a proxima fudelança da Camila Jam?".

        • Corrigindo:
          "As aparições da perseguidas são bem menos excitantes do que as da bunda e dos peitolas da Leandra."

        • Percebe-se que é uma obra-prima da cinematografia pátria. Tudo com bom gosto e pertinente à história, imagino…

          • Com certeza as cenas de sexo estão totalmente integradas ao enredo do filme!!

            Posso afirmar que além de gostosa a Leandra é uma figura extremamente simpática e inteligente, tive a oportunidade e o prazer de me sentar a mesa com ela e beber umas brejas graças a uma amiga que cuida da produção do Teatro Rival, Na época ela e a mãe eram responsáveis pelo Teatro.

            Me senti como o Cardoso numa mesa com a Luciana vendramini ….

  • Antonoly

    O grande problema de vocês Blogstars é esse, começam humildes, desesperados por um comentário e por um link e quando se tornam famosinhos, cospem no prato que os alimentou e são incapazes de ceder um link em seus preciosos blogs para outros que não são famosos como vocês.

    • Já que você generalizou com tanta facilidade, quem sou eu para discordar. Por isso tomei a liberdade de apagar sua URL. Have a nice day.

      • A colocação dele não é de todo forçada se você parar e pensar um pouco. Assim como há babaquices do lado de lá, há babaquices do lado de cá.

        Infelizmente, grande parte dos blogueiros grandes do Brasil criaram uma certa arrogância disfarçada por trás de um "movimento", que inclusive se protege – curioso, porque é difícil em outras áreas concorrentes se ajudarem – de fatores externos, quase xenofobia. É muito fácil falar sobre como toda a blogosfera é bonita, divertida mas é mais difícil achar quem admita que no fundo no fundo, só procura se satisfazer.

        Sinceramente eu acho que cada um pode ser o que quiser: arrogante ou humilde, o importante é que seja isso de forma clara.

        • Antes os blogueiros eram invisíveis, moravam atrás de suas telas de CRT's, mas hoje são mídia, fazem reportagens, apresentações, comparecem em eventos "importantes" e tudo. Tem lugar dentro e fora da internet. É fato. Você pode encontrar o Cardoso na rua hoje em dia e fazer uma crítica na cara dele. Esse era o princípio dos blogs no início, mas de uns tempos pra cá andam rolando fofoquinhas e cutucadas tipo "Nelson Rubens"….

        • Quem fala que a blogosfera é linda e maravilhosa é um idiota, mas quando um idiota vem dizer que não linko blogs pequenos, e sendo pejorativo ao extremo, quero mais que vá pro inferno. Ele claramente não me lê e quer me julgar. Que arda!

  • Zictor

    Eu sou fã da Leandra Leal desde que ela interpretou a irmã chatinha da Dara. E já achava ela gostosa ali. (ela é apenas um ou dois anos mais nova, não era pedofilia)

    Faz décadas que eu espero um filme com esse tipo de qualidade artística. Com certeza um dos clássicos da cinematografia pátria.

  • Clara? Nunca tinha escutado esse nome…
    Pensando bem, se for para generalizar geral (boa essa), a qualidade dos blogs é a mesma do cinema nacional, só salva 1 ou outro

  • Comentário1: Leandra Leal, eu ia!

    Comentário2: a Clara está se comportando como a raposa e fazendo dos blogs as uvas?

  • Vá ver no cinema que vale muito a pena, eu assisti domingo e adorei. A Leandra é realmente fabulosa. Em DVD capaz de levar mais 4 anos pra sair (se sair). O filme é do Murilo Salles e não da Clarah. É só baseado nos livros dela, mas caguei se ela gostou ou não (e ela realmente não gostou de terem mexido no texto dela nas partes que ele aparece no filme), mesmo sendo blogueira e gostando tanto dela desde os tempos do brazileirapreta!. Ficou foda. A Leandra faz o filme valer muito a pena.
    :* Beijo!

    • Filme nacional? Sai em novembro, pelo que andei investigando.

      • Será? O Wood & Stock levou quase um ano e meio desde que vi no cinema até sair em DVD. =õ(

  • Podem me xingar se quiser, mas
    Cinema brasileiro = Pornochanchada + Favela

  • Será que o despropósito das respostas da Clarah foi maior do que as grosseiras machsitas deste post em relação à Leandra Leal?

    • Falar que é gostosa é baixaria? Ela é gostosa sim, é um fato.

      • Leandra é talentosa, bonita e GOSTOSA pra caralho.
        E como eu não sou homem, não estou sendo machista. HAHAHA!
        É só uma constatação lógica.

    • Ela aparece pelada, trepa metade do filme a gente não pode chamar de gostosa? Não sou médico-legista. Que faça o filme de burca então.

      Machista é você que acha que uma boa atriz não pode ser também uma mulher atraente.

      • Cardoso Comentou em: July 15th, 2008 3:38 am:
        Rola perseguida?

        Na boa, acho que esses e outros comentários sexistas do texto lá em cima mancham as críticas que você fez à postura da Clarah, com as quais até concordo.

        Precisa? É isso que os blogueiros chamam de escrever um texto mais desencanado e engraçadinho pra cativar a audiência?

        • Não, isso é perguntar se a Leandra Leal mostra sua BOCETA no filme, de uma forma mais desencanada e engraçadinha.

        • Leonardo Monteiro

          Só pode ser piada do garotão aí em cima, vulgo Luis, na internet a gente pode falar, buceta, cu, brioco, xereca, xoxota, chamar o cara de babaca , de ladrão e etc e é isso que torna a internet boa, a liberdade de expressão, que não existe na mídia comum.

          Se você quer ouvir a pergunta " Aparece os pelos pubianos da atriz no filme ? " então que vá assistir ao Nelson Rubens, ou qualquer programa FUDIDO que passa na TV aberta brasileira.

          Blogs só fazem sucesso porque você lê a opinião de quem escreve, como ela é e não eufemizada e editorada como você pelo que parece gostaria que fosse.

          • Comentário perfeito o seu ;) Daria até para fazer um post em cima disso :D

            O Brasil É de fato o país da putaria, seja na TV, nas revistas, nas festas, na vida do povo, na política. Tudo aqui é putaria e como já disse antes, nosso cinema é só pornochanchada e favela… Outro dia sem achar nada que preste na TV mudei para o canal Brasil na esperança de achar um filme do mestre Mazzaropi… Mas não, encontrei aqueles filmes idiotas cheio de pornochanchada e pedofilia… Tinha cenas de menininha de 11 anos peladinha tomando banho, velho de 70 anos querendo comer a menina e a família vendendo ela pro velho… Da mesma forma que a TV passa aquela merda de Big Brother com as putarias que rolam solta e aquele monte de gente defecando pela boca… Da mesma forma que tudo quanto é brasileira que consegue o mínimo de fama (mínimo mesmo) já aparece na Playboy… Tudo isso pode e muitos pais deixam os filhos verem novela e BBB de boa, mesmo se eles tiverem uns 6 anos.. Agora quando escrevemos qualquer coisinha já vem algum falso moralista falando que somos machistas, ignorantes, mal educados, grossos, boca-suja etc.

          • País da putaria? Bom, acho que qualquer sociedade tem putaria, saca: Brasil não inventou a Playboy nem a Hustler. E o maior mestre da putaria no cinema é italiano (Tinto Brass!!). Sinceramente só vejo neste comentário mais uma (e apenas uma) das tradicionais caracteristicas brasileira: a baixa auto-estima!!!

          • Não acho que tenha sido pejorativo. Eu entendo como elogio. Todo mundo gosta de putaria.

  • Aloha Chefe!
    No geral, não gostar do resultado de uma obra sua é comum, Stephen King não gostou de "O Iluminado" e nem Bruce nem seu alter ego gostaram dos primeiros filmes do Batman (continuo querendo acreditar que eles não existiram! Só Tim Burton para gostar daquilo!). Ela teria reclamar da produção e não da crítica!!
    O que é de estranhar (pois não conheço nem a Clara Averbruk nem os blogs dela) é a reação.
    O filme não agradou então "atire nos pianistas?"!?!?
    Parece a outra querendo processar por anunciar um filme que ela realmente fez e estava negando!!
    Se blogs não são nada, ela não é nada, pois dali surgiu.
    Ou foi geração espontânea ou Gênese, no sentido bíblico, mas pode ser fotossíntese!
    Blogs são a expressão (quando são) de opiniões pessoais, então reagem como pessoas. E existe todo o tipo de pessoas. "Não respeite um homem apenas por seus cabelos brancos, Canalhas também envelhecem."
    Algumas pessoas merecem atenção, por seus méritos e esforços.
    Então … "Salve Leandra"!
    Aloha!

  • hugo

    Eu não conhecia a Clara Averbuck muito menos o blog dela. Vi uma reportagem na folha e então fui até o site.
    Se vocês forem lá encontrarão o link para o download gratuito do livro "Máquina de Pinball". Dêem uma lida para vocês entenderem qual o estilo da Clara. É um livrinho de menos de 100 páginas. Eu gostei. E a personagem se parece com esta do filme.

    Acho que ela tem um pouco de influência do Bukowski… Mas não saberia comparar.

    • Eu não gosto dos livros wannabe fante-bukoviski dela. Não gosto do John Fante nem do Charles Bukoviski, não será de Clarah Averbuck que vou gostar. É como DJAVAN e JORGE VERCILO.

  • A Leandra Leal é td de bom.

  • Dito pela Clarah Averbuck:

    "Só pra avisar, eu não respondo perguntas sobre blogs. Eu não dou entrevistas sobre blogs nem participo de trabalhos de faculdade sobre blogs. Eu simplesmente não agüento mais essa baboseira de blogs. Chega. Blog não passa de um meio de publicação. O autor do blog, dono e soberano do blog, faz o que bem entender com seu blog. Não existe literatura de blog. Não existe escritor de blog. Blogueiro não é escritor. Escritor não é blogueiro. Não existe escritor de blog. Existe blog enquanto meio de publicação para um escritor. Escritor é escritor. Escritor não é blogueiro. Não sei nada sobre o fenômeno blog. Sequer acho que seja um fenômeno. Nunca mais respondo nenhuma pergunta sobre blog. Por favor, não me incomodem com essas coisas. Sou uma grávida tensa, isso não faz bem. Sem mais,"

    • Ahaaaa! É aí que você deveria dar uma de Dr. Gilmar e interromper a Clara Averbuck com um grito: "Cala a boca minha irmã que você está defecando pela boca!!!!!!!!!!!!!!!"

      Abraços
      do Terrinha

    • Eu diria para ela: "Então vá tomar no olho do seu cuH, Clarah".

    • NoGlauber

      Nervosinha a escritora. Sua resposta é do tipo gilbertogiliana, parece espertinha no sentido de ora ir prum lado, ora ir pra outro, parece coerente, parece articulada até. Mas é totalmente vazia! Fora seus comentários sobre os blogs… Mostra apenas que ela é da turma do "Democracia é bom, mas desde que não me contrarie".

      É obvio, mas não custa nada lembrar, que é justamente o fato dos criadores de blogs darem a SUA opinião que é sensacional. Mas o mais fodástico é que nós, simples leitores desses blogs, podemos também colocar aqui a NOSSA opinião. E discordarmos uns dos outros, D E M O C R A T I C A M E N T E. Vejam: podemos entrar na "casa" do Cardoso para discordar, criticar e discutir.

      PS: Também faço minhas as palavras do Pedrox.

  • Clara Averbuck não é uma bêbada bem escrota que esteve no Campus Party Brasil passado falando merda e vendendo seu livro (entornando uísque nos exemplares que autografava)? É sim, agora me lembrei…por que a vida de um ser abjeto assim poderia ser interessante? Ah, claro, porque a Leandra a interpreta! Ok, tudo bem, então. :P

    • Leandra está em uma das melhores interpretações de sua carreira. Uma Leandra vale bem mais do que 10.000 Claras Averbuks.

  • Emerson

    Esperta a moça: é só falar mal de blogueiro (e motivos pra isso não faltam!) que gera uma repercussão imensa. Sem pagar pelos posts.

    Mas vamos lembrar que o mérito não é tão dela. O Estadão já sabia disso um ano atrás.

  • Fala Cardoso,
    você não recebeu meu comentário não?
    valeu,
    :D

  • Cara, o filme é ruim. Muito ruim. Já preparei minha resenha e ela sai daqui a uns instantes, não poupei uma vírgula para "salvar" as pessoas: NÃO VEJAM O FILME, SALVEM-SE!

    Alguém aqui já comentou que aparece uma cena com um nerd se masturbando, com CLOSE, e GOZANDO, com MAIS CLOSE AINDA?

    Se isso é estar dentro do enredo, ok! Por que os filmes sobre Jesus não mostram o Espírito Santo gozando nas coxas de Maria?

    Sério, esse filme é emputecedor.

  • Pingback: ato ou efeito | Os 9 piores filmes da galáxia - 1. Nome Próprio()

  • Pingback: ato ou efeito | Overdose Adaptações: Nome Próprio (Pior Filme da Galáxia)()

  • Eu fui nessa tal sessão de blogueiros e fiquei pasmo três vezes no filme.

    A primeira vez, quando vi que as cenas de sexo da Leandra Leal iriam ser no esquema do filme "9 Canções". Ou quase. Sensacional.

    Na segunda, quando vi que o recurso de texto+filme estava sendo empregado com boas frases e tiradas da Clarah. Aliás, o que ela faz de melhor é criar frases de efeito quase poéticas. Sem sentido pejorativo aqui, entendam. Eu realmente acho que a Clarah, quando acerta, manda bem. A merda é que ela deveria ser letrista de bandas, e não uma romancista wannabe.

    Na terceira, quando me dei conta que à medida que ia me "esquecendo do filme" – ou seja, das cenas de sexo – a qualidade do mesmo na minha memória ia decaindo exponencialmente. É um filme que, além de não acrescentar nada no cinema – no DVD, em casa, sem a namorada por perto é outra história – não comove nem empolga. Não nada.

    Por um outro lado, acho foda que uma *blogueira* tenha conseguido ter os textos publicados, ter virado romancista e tenha virado roteiro de cinema. Só lamento que tenha sido ela. E não eu.

    abraços!

  • Silabas traçantes voando. Frases de efeito moral disparadas. Quem já errou que atire a primeira ofensa.

    Nos blogs web afora, têm rolado uma série de criticas ao filme e à Clarah Averbuck, confundindo as duas coisas e falando mal sem inclusive terem visto o filme. No meio da disputa entre as duas Camilas irmãs, separadas pelo fosso da adaptação, caem os primeiros civis. Blogueiros atingidos após um debate. E o pior, por fogo amigo, de quem está cuspindo no prato que comeu e que ainda come, só que com outra louça.

    Como uma boa ofensa não vem sozinha, logo aparecem os primeiros árduos defensores dos blogs, da liberdade e da igualdade. Uma simples briga de família começa a tomar maiores proporções.

    A guerra entre a Camila da Clarah e a Camila do filme vai durar ainda por um bom tempo. É inevitável. O que podemos e devemos fazer é separar os seus autores! O filme não é o "Filme da Clarah", como escreve Cardoso no blog contraditorium.

    Clarah é Clarah e "Nome Próprio" é "Nome Próprio". Não façam das palavras dela as nossas. Isso aqui não é o adioslounge!

    A briga por qual é a melhor Camila ou por defender tal e qual estilo de escrita, não passa da mesma disputa. Uma disputa que não reconhece nem valoriza a diferença. Que prega o autoritarismo do melhor, daquele que se acha melhor. Uma disputa para soldados de chumbo. Soldados de uma guerra que poderiam ser de uma única e mesma brincadeira; uma brincadeira com a vida. Pois tanto a Camila da Clarah quanto a nossa, a escrita acadêmica quanto a escrita cotidiana do blog, tentam dar conta da mesma coisa: viver.

    • Uma Cena. De masturbação. Em Close.

      Desculpe, isso é pornografia, não é arte. Nada contra, eu curto. Mas não é arte. Se bem que "sílabas traçantes voando" É masturbação.

    • Franco

      Puts, sabe aquele momento em que você deveria ficar de boca fechada e não fez?!

  • O filme é horrível. Meu Deus!

    Pornochanchada mesmo.

    Muita, mas muita nudez gratuita.

    A Leandra Leal deve ter ganhado muito bem pra fazer esse filme, putz! Mais parece pornô do que tudo!

    Idéia interessante. Execução fraca.

    Mas, fazer o que?
    É só papo de blogueiro…

  • Sábado agora o Murillo Salles deu uma entrevista sobre o filme no noticíario local da CBN Campinas, eu gravei e postei o audio, pra quem estiver interessado: http://mais.uol.com.br/view/94346

  • Robertto

    Vi hoje o filme. Ruim demais. A melhor coisa do filme realmente são os peitos da Leandra, mas poderia ser melhor ainda se a personagem fosse menos lama (close dela vomitando anula bastante o efeito positivo de sua nudez).
    Outra coisa legal é a música do final, nos créditos, chama nome próprio e é de autoria e execução da banda Porcas Borboletas.

    Que pena que tive que pagar pra ver isso. Tudo culpa da minha namorada que viu o novo Batman sem mim, era esse que eu queria ver mesmo.

    As poucas coisas legais do filme são impotentes contra o tédio generalizado e enredo vazio. Eu tinha curiosidade de ler alguma coisa da Clarah, agora não mexo com isso nem a pau.

    Só uma reflexão: o que significa filme independente? Não conheço nenhum filme no Brasil que não conte com patrocínio, principalmente provenientes das leis de incentivo à cultura…

  • Bruno F

    Gente é muita idiotice junta. Tudo bem não gostar do filme, mas o que tem haver ficar escrotizando a Clarah ou ficar enfatizando a nudez da Leandra. Falem sobre a porra do filme que é uma obra do Murilo não da Clarah. Escrotos!

    • Curioso, o nome dela está espalhado em tudo que é lugar, ela faz blog falando do filme… quando é ruim não é dela? E enfatizar a nudez da leandra quem fez foi o filme, que deixa a mulher pelada 80% do tempo.

      • Já ouviu falar em ADAPTAÇÃO DA OBRA? Isso, o roteirista pegou a OBRA da moça e adaptou livremente pro cinema. Claro que depois do filme ficar pronto, é mais do que normal que todos tenham curiosidade em conhecer a autora por trás dos livros que foram adaptados para o cinema, isso não faz com que ela tenha ligação direta com o filme, só ganhou os royalties mesmo.

    • Bruno, se a Clarah não tem nada a ver com o filme, por que então todos os comentários praticamente envolvem ela? E concidentemente, por que ela participa de todos os jams de press releases do filme? Hummmmmm acho que ela deve ter alguma coisa a ver sim heinnnnn!!!! hahahaha

      Enfim, é no mínimo co-autoria da Clarah apesar de ela não ter colocado o nome dela. No mínimo, novamente, mostra má fé do autor ao não mencionar isso nos créditos do filme (opa, será que é o Murillo novamente?).

      Peraí vai, o filme tem um quê de arte trash e tal. Mas o legal mesmo do filme é ver a Leandra Leal pelada e interpretando altas cenas de sexo. Porque ela é linda e ótima atriz. Portanto meu amigo, se você acha que isso não faz parte do filme, sinto muito, perdeu a única parte interessante do filme todo.

  • O filme não é ruim. Chato é ler sinopses divulgando-o como se a personagem principal fosse um ser "denso à procura de si" e todas aquelas filosofadas. Camila Jam é só uma carente que quer receber os louros da vida sem precisar fazer esforço por isso. É a figura do indivído que faz as bobagens e quer culpar os outros por tais erros. Profunda? Tanto quanto um pires.

    Beijos estratégicos…

  • Caco

    Inveja mata…

    Vocês que falam da Clarah acham que a conhecem bem, no mínimo já leram muito o Blog dela e sentem o máximo de inveja de seus escritos.

    Seu texto meu amigo é ridículo assim como deve ser você como pessoa.

    Vai escrever algo melhor ou exploda com sua vida de merda.

    A Clarah para mim e mais um monte é uma super escritora.

    A adaptação de sua obra é um mero detalhe vendido, vender algo sempre é um cú!

    Enfia o dedo no seu cú e roda só assim você consegue interiorizar algo de bom já que sua mente é limitada demais.

    Caco

    • Se ela fosse tão boa escritora você saberia que "cu" não leva acento.

    • Dario

      Uma pessoa que não consegue enxergar a tolerância das diferenças, respeitando a opinião alheia realmente não merece fazer parte de nenhuma comunidade de discussão, seja ela qual for. Eu não estou nem aí se você gosta de deixa de gostar dos textos da Clarah. Você deve respeitar uma opinião diferente da sua e deve respeitar a comunidade.

      Você só conseguiu mostrar em sua resenha que tem uma certa aficção por cu. Será algum trauma recente?

  • dani

    eu pessei qui era um filmi e essa merda

  • o filme é justamente interessante por TUDO ISSO.
    não é filmeco besta, tem uma ousadia, mostra essa coisa da blogosaria, em elementos narrativos legais (como as letras sobre a tela, quando ela digita) e o EXCESSO de nudez pode ter uma leitura de "ELA ESTÁ SE EXPONDO PRA CARALHO". ela, no caso, não é exatamente a clarah, já que é um personagem que a clarah criou e que tem algumas coisas dela, madame bovary c'est moi, etc…
    sei que a clarah não AMOU o filme. ei, escrever livros e fazer filmes não são coisas tão simples.
    assiste, cardoso, e fala o que achou.