Evoluir também tem seu preço

Essa semana estava em um agradável jantar comemorativo de Bodas de Madeira, de um casal amigo, quando o grupo começou a discutir sobre a virtude da Sandy, e como ela ainda se mantinha virgem e imaculada, mesmo após casada (fácil, casou com blogueiro).

No meio da conversa, a dúvida: Qual seria a idade da Sandy Leah Lima? Ela pode ter qualquer coisa de 14 pra cima…

Enquanto a conversa desviava para os 100ml de silicone que ela colocou, eu quase sem pensar puxei o celular, pesquisei no Google e descobri que Sandy tem -pasmem- 26 anos.

Do outro lado da mesa uma cidadã que não tinha ainda chegado na casa dos 30 não botou fé. No meu ato, a idade da Sandy foi bem assimilada pelos presentes.

“Não acredito que você fez isso!”

Eu demorei a entender, mas aí a ficha caiu: O ato de usar um smartphone para consultar uma informação corriqueira era completamente alienígena para ela.

Não critique. 5 anos atrás era para você também, 10 anos atrás ter celular já era luxo e 20 anos atrás nem com todo o dinheiro do Banco Central.

Que fique claro que em momento algum eu estava me exibindo. Quando quero tirar onda puxo o iPod Touch. O ato foi completamente natural, algo que faço corriqueiramente, seja para localizar uma rua, seja para twittar alguma coisa.

Pensando sobre o espanto da moça em questão (sim, estou sendo muito gentil com os adjetivos. Obviamente ela era bonita) eu fiquei feliz. Não por ter alguma superioridade tecnológica em relação aos presentes, mas por não estar obsoleto.

Eu tenho muito medo de me acomodar, de virar um Vovô Simpson. Tenho esse medo desde a primeira vez que botei as mãos em um computador. Eu gosto de tecnologia, amo coisas com botões (ou quase sem botões, como o Touch) e como vivo disso, preciso estar atualizado. Mais ainda, não posso ter preconceito contra novidades. Me reservo ao direito de não gostar de muita coisa, como o Second Life, e não dar bola para tecnologias que um dia quem sabe pode ser que se tiverem uma chance vão salvar o mundo das cáries, como o Linux e o OLPC. Mas não posso me dar ao luxo de ignorar essas tecnologias, nem de dizer que não funcionam por serem chatas feias e bobas.

Quando o telefone foi inventado um burocrata inglês disse que a tecnologia era boa mas não tinham necessidade, na Inglaterra eles dispunham de muitos mensageiros.

É essa postura que nunca quero ter. Ela é quase tão ruim quando o oposto, o deslumbramento.

Tecnologia não funciona em pedestais, tecnologia só funciona quando faz parte do dia-a-dia. Eu gostava de ser um dos poucos com telefone celular, da TELEST do Espírito Santo maceteado pra funcionar no Rio sem pagar deslocamento, mas isso não afetou a sociedade.

O que mudou foi quando o pedreiro que morava no quitinete abaixo do meu apartamento comprou um celular em 12x no Ponto Frio e passou a poder falar com seus clientes sem depender de recados.

Quando eu puxo o celular para procurar o aniversário da Sandy (28/01/1983) sem dizer “vejam que FANTÁSTICO meu celular sabe o aniversário da Sandy!!!” eu estou muito mais próximo do pedreiro do que do deslumbrado dono de iPhone que mostra babando fotos do filho e do cachorro, mas não usufrúi realmente da ferramenta.

O preço que pago é ser olhado com espanto, curiosidade, incompreensão e até inveja. Mas tudo bem, isso vem de gente que nem sabe quando é o aniversário da Sandy…


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Junior Lins

    Ainda me lembro que eu fui o primeiro da minha rua a ter internet. Discada. Do Uol. Os vizinhos vinham até lá em casa pra ver se aquilo funcionava mesmo e a pirralhada ficou viciada no site da Playboy. Bons tempos.

  • plac, plac, plac

    <abbr>Thiago Gagante – último post do blog… Égua muleque</abbr>

  • Na verdade o "não acredito" da citada moça tem mais jeito de ser não por você ter aberto o google/wikipedia/whatever pra ver a data de aniversário mas sim de você ter ido atrás da informação em si. Acredito que o espanto seria o mesmo se você abrisse uma enciclopédia Barsa de dentro da mala (independente da situação engraçada).

    Como era uma informação literalmente inútil – ela é mais velha que eu e não dá, bitch – as pessoas não a tornam relevante para "gastar" tempo atrás dela. O fato de você ter se preocupado em buscar esta informação a espanta. Provavelmente se você tivesse visto isso em casa e apenas dito pra ela pelo MSN às 23h00 ela falaria a mesma coisa.

    Apenas um adendo, dizer que você não se sente superior é simples e fácil mas você mesmo disse abaixo que se sentia bem em ser o único com celular do ES etc. A admiração que a pessoa teve (espanto na verdade) deixou você feliz. Pode não ser intencional mas fez você se sentir superior – com direito – sem a malícia da prepotência.

  • Sabe que na verdade o Paulo que comentou mais acima tem um pouco de razão, muitas vezes, temos sede de informação(principalmente para blogueiros), e isso espanta algumas pessoas, elas não acham convencional você querer saber quantos anos a Sandy tem, ou no meu caso que fui pesquisar para saber com quantos anos o Ozzy tinha começado na música, minha namorada ficou perguntando, "Por que você quer saber isso?" eu disse apenas que era informação, e claro um pouco de curiosidade, quanto a tecnologia, minha vó ainda guarda um motorola daqueles tijolos de 1993, e não quer se desfazer(embora não funcione)pois pagou R$2.600,00 , eu disse a ela que dou R$30,00 pra ela botar fora, abraço!

    • Pois é, eu acho também, assim como o Paulo e o Bianco, que o que causou mais espanto não foi ter usado o celular para descobrir a informação, e sim ter ido atrás da informação, da maneira que fosse. Isso aconteceu comigo há uns 20 anos quando tivemos uma dúvida numa conversa e eu fui para a sala pesquisar num almanaque abril da vida. "Não acredito que você foi lá só pra fazer isso!", foi o que ouvi.

      <abbr>Christian Gump – último post do blog… O goiano que queria cacetinho</abbr>

  • Sabe Cardoso, eu também tenho fissura por esses equipamentos todos. Porém temos uma diferença. Você tem dinheiro e eu não. No entanto sempre que entro numa FNAC da vida, é uma verdadeira tortura. Queria levar tudo para casa, testar de um em um, usar, compartilhar, mostrar. etc… Quero comprar um iPhone esse mês, ou no próximo, também quero um E71 da Nokia. Acho que eles são essenciais na vida de uma pessoa que trabalha com informática, como eu.

    Abraços,

    <abbr>Monthiel – último post do blog… Pesquisa de uma pergunta só</abbr>

    • "Quero comprar um iPhone esse mês, ou no próximo, também quero um E71 da Nokia."

      Não quer mais nada, hein amiguinho? ;)

      <abbr>Lucho – último post do blog… Para que serve a UNE? Eu mostro.</abbr>

  • Sandy tem 25, ela só faz 26 dia 28/01/2009, hoje ainda é dia 09/01/2009. ha! ha! ha!

    <abbr>Hamadão – último post do blog… Dica rápida para arrays e listas</abbr>

    • Pois é! Percebi a mesma coisa. Tanta tecnologia e não sabe fazer uma conta simples? Que pecado, Cardosão!

      Beijos e sucesso!!!

  • Entendido perfeitamente. Não sou fissurada em novas tecnologias, mas não me assombro quando topo com uma.

    O que me espanta de verdade são pessoas que se espantam. Com qualquer coisa.

    <abbr>Leticia – último post do blog… São Paulo 455 anos</abbr>

    • Godoy

      Aaa!! um carro azul

  • Muito bom pq me vi nessa situação várias vezes… hehehehe… Penso que se alguém estudou, pesquisou anos, gastou fortunas desenvolvendo e bancou alguma idéia ela merece triunfar entre a população do planeta, seja desde a internet até os IPods da vida!

    <abbr>Flavio Ambrosio – último post do blog… Nada como uma cerveja gelaaaaaaaaaaaaaad!</abbr>

  • Muito bom pq me vi nessa situação várias vezes… hehehehe… Penso que se alguém estudou, pesquisou anos, gastou fortunas desenvolvendo e bancou alguma idéia ela merece triunfar entre a população do planeta, seja desde a internet até os IPods da vida!

  • Muito bom o post. Vai pro e-mail da minha esposa que não sabe o que é RSS.

  • plac, plac, plac

    <abbr>Thiago – último post do blog… Égua muleque</abbr>

  • "mas visitar o site do museu na europa não sai muito caro não???"

    <abbr>Wallace Souza – último post do blog… Subscribe to Comments</abbr>

  • O interessante é falta de curiosidade e interesse por informações das pessoas…

    <abbr>Liliana – último post do blog… Eu adoro meu carro</abbr>

    • O mais interessante é a curiosidade por pessoas absolutamente inssossas, inodoras e insipidas como a Sandy. E ela nem é "tao" bonitinha assim :)

      <abbr>Alexandre, o tabajara – último post do blog… Vagabundo merece vala.</abbr>

      • Eu comeria.

        • AlexSandro

          Ainda tem a questão do mito que ficou …

          A f**** ** **ta nunca deu uma palhinha pra gente….

          Pelo mesmo motivo que mulher gostosa nao pode ganhar bbb…

  • Como eu gostaria de ter um Iphone e poder usar a internet a hora que eu quisesse, só que com o meu poder aquisitivo de universitário fudido, é impossível. Ainda mais com os planos das operadoras de telefonia móvel no Brasil.

    Abusivos.

  • Como eu gostaria de ter um Iphone e poder acessar a internet daonde estivesse, mas infelizmente meu poder aquisitivo de universitário fudido não permite.

    Claro, recebo uma grande ajuda das operadoras de celular com seus preços superbaixos.

    Acho que a mulher se espantou por você ter ido buscar essa informação e não pelo meio que você utilizou, mas posso estar enganado.

    • Bia

      Olha lá, remake! hahahaha

      • hahahaha, pois é, essa merda do firefox bugou… parecia que não tinha ido o comentário , daí escrevi dnovo, hahahaha

  • Isso me lembrou a primeira vez que abri um notebook na presença de amigos que mal sabiam ligar um computador ou que "abominavam" a tecnologia. "Metido" foi o mínimo que rolou. Mas, o que eles esqueciam era que, em minha profissão, era um instrumento indispensável e do dia a dia.

    Muitos têm mesmo é preguiça mental e falta de curiosidade para enveredar pela tecnologia. Se acomodam e acham que todos devem ser assim. Aos poucos, engessam suas mentes e sua criatividade e transformam-se em meros robôs que andam por aí resmungando contra tudo que é diferente.

    <abbr>Arthurius Maximus – último post do blog… ISRAEL, HAMAS, E A PRIMEIRA VÍTIMA DA GUERRA.</abbr>

  • Olá gostei muito do blog, sempre entro nele. Sou mágico profissional ha mais de 20 anos, trabalhei nos melhores circos e casas de espetáculo do mundo, e também em inúmeros programas de televisão brasileiros e internacionais. Sou o único mágico brasileiro que realizou em várias partes do mundo, mágicas com tigres brancos, elefantes e leopardos africanos. De um tempo para cá, venho fazendo vários vídeos onde ensino muitas mágicas legais e de graça. Muita gente tem procurado meus vídeos pela Internet a fim de aprenderem mágicas. Gostaria de lhe propor uma parceria: Eu mando os vídeos para você publicar no seu site, assim ele vai ganhar muitos acessos por causa dos vídeos e você me da um link.

    Entra em contato comigo, por favor, abraço.

    mr@magicorichard.com.br

    Show de mágica – clique aqui e aprenda mágicas fantásticas com o mágico Richard – Show de mágica, para adultos e crianças

  • Olá gostei muito do blog, sempre entro nele. Sou mágico profissional ha mais de 20 anos, trabalhei nos melhores circos e casas de espetáculo do mundo, e também em inúmeros programas de televisão brasileiros e internacionais. Sou o único mágico brasileiro que realizou em várias partes do mundo, mágicas com tigres brancos, elefantes e leopardos africanos. De um tempo para cá, venho fazendo vários vídeos onde ensino muitas mágicas legais e de graça. Muita gente tem procurado meus vídeos pela Internet a fim de aprenderem mágicas. Gostaria de lhe propor uma parceria: Eu mando os vídeos para você publicar no seu site, assim ele vai ganhar muitos acessos por causa dos vídeos e você me da um link.

    Entra em contato comigo, por favor, abraço.

    mr@magicorichard.com.br

    • Cardoso! Vai perder a oportunidade de finalmente ganhar dinheiro com o blog? O Richard aí deve ser a "galinha" (apenas força de expressão, amigo) dos ovos de ouro que todos tanto sonhavam! O youtube só virou o youtube por causa dos vídeos dele!
      Cada um que me aparece…
      Fora isso, também sou grande fã de novas tecnologias e compartilho dos mesmos medos seus… não quero virar meu avô daqui há uns 30 ou 40 anos…

      <abbr>Dmoura – último post do blog… Como Surgem os Eremitas</abbr>

    • Sugiro (otimo nome pra japones) spambomb.

      <abbr>Alexandre, o tabajara – último post do blog… Vagabundo merece vala.</abbr>

  • Aloha Chefe!
    Sinal dos tempos…
    Minha filha cantou Copacabana comigo durante Madagascar 2 e um dia meu telefone tocou para tirar dúvidas…
    Bons tempos…
    Estou sentindo falta dos Monolitos, Gatoberto, Encontros do Infolink, bons papos…
    A vida continua.
    Aloha!

    <abbr>Luis Santos – último post do blog… 2009, Deste lado do Paraiso</abbr>

    • Luis Santos

      p.s. Falando nisso, ganhei um Palm. Treo 680.
      Acho que saí do século XX.
      Só falta aprender a usar antes da minha filha…
      Aloha!

      <abbr>Luis Santos – último post do blog… 2009, Deste lado do Paraiso</abbr>

  • Sohakes

    Lol, eu teria o mesmo comportamento da moça.
    Amo tecnologia, sei de todas as novidades e tudo mais, sei as funções de gadgets que nunca vi, e etc…
    Mas nunca coloquei a mão em quase nenhum, nunca vi um iphone, quer dizer, o máximo que vi foi um blackberry. O uso "corriqueiro" seria ainda mais estranho já que os planos de dados custam uma fortuna e não tem muitas pessoas capazes de comprar.

    Conclusão: Ela não precisa ser uma pessoa que não gosta/não conhece tecnologia pra ficar impressionada! Mesmo conhecendo o aparelho, não significa que você não vai ficar surpreso com ele, e você ainda usou a internet no iphone, e é bem caro xD! Ela pode ter ficado surpresa justamente pelo contrário: ela sempre vê notícias do iphone, adora o iphone, e queria ver como é um, e então ela ficou surpresa por isso.
    Realmente, não é o caso, mas poderia xD.

  • Eu acredito que hoje nem todos entendem a tecnologia.
    Isso aconteceu comigo, quando estavamos em um bar e começaram a discutir sobre a beleza da Bruna Surfistinha.
    Resolvi ir no Google Imagens para ver algumas fotos e a conversa acabou.
    Mas ao chegar em casa, ouvi comentários de minha mãe, que estava lá:

    "Ridículo… em pleno bar, usando internet pelo celular. Vá viver a vida!!"

    Acontece.

  • Lex

    O pior é que já ficamos viciados em tecnologia e em gasgets….

  • 26 anos? O que será que botavam na água da Sandy?

    Aliás, bela imagem a do post.

    <abbr>Eduardo – último post do blog… Sobre meritocracia e casas populares</abbr>

  • Diego Cabral da Cama

    Acredito que, como alguns comentaristas deste artigo disseram, o fato principal para o espanto é a busca da informação em si, e não o uso da tecnologia para buscar.

    É muito comum as pessoas entrarem em discussões e se espantarem se alguém busca uma informação mais aferida dentro do tema de discussão. Fato é que este espanto é sempre formado pelo desleixo das pessoas, que mesmo que tenham uma ferramenta como a sua (que disponha de informação de fácil acesso), acabarão não buscando informações relevantes para a discussão em pauta.

    É uma espécie de um desleixo do ser humano, uma fuga da procura de informações. É um tema sem dúvidas profundo, cheio de pontos de vista e visões diferentes. Mas acredito que isso seja tratado com tanto espanto principalmente pelo excesso de comunicação e de informação que as pessoas hoje tem disponibilidade e acesso (graças a TV, internet, revistas especializadas, etc.). É o que chamamos de "desligar o cérebro" em Teorias de Comunicação. Em momentos de conversa fora como estes, o mínimo que o ser humano quer é informação real, comprovada, oficial.
    Acredita-se que o ser humano necessita de entretenimento barato para suportar o excesso de informações que ele recebe diariamente. O tema pode ser qualquer um, até mesmo sério, mas o que vale é que ele não seja mesmo levada tão a sério assim. Velho papo de boteco.

  • Eu me sinto um ET o tempo todo. Agora com o iPhone…piorou. No meu ciclo de amigos, de trabalho e familiar eu sou a única geek-nerd-blogueira-maluca.Mas eu adoro!

    <abbr>Juliana Sardinha – último post do blog… Template Blogger Onix</abbr>

  • Eu so acho lamentavel nao ter dinheiro pra ter um gadget desses. Mas eu acho extremamente natural (e util!!!) voce ter uma biblioteca infindavel de informação nas suas maos. Infelizmente vai demorar pro pedreiro do andar de baixo ter acesso a esse tipo de informação, ja que vivemos num país vergonhoso e – pasmem – com pessoas que ainda acham engraçado e pra tudo de ruim que veem, dizem que "isso é Brasil". Um dia a gente chega lá, em 2239.

    <abbr>Alexandre, o tabajara – último post do blog… Vagabundo merece vala.</abbr>

  • Muitas vezes me sinto assim, um pouco bizarro, quando saco meu gadget para algo simples e rápido vem logo alguém e pergunta como fiz, mas cada dia que passa vejo que está mais comum, espero que a popularização torne o aniversário da Sandy acessíveis a todos! rs

    Excelente texto! Abs.

    <abbr>vio Silva – último post do blog… Sem limite para beta do windows 7</abbr>

  • Pingback: A Última Ceia é só a pintura de um lanche « Dois Espressos()