Sisifode aí, blogueiro

mentalidade troll perfeitamente definida

Segundo as lendas gregas (lenda é como se chama a religião dos outros) Sisifo era um Rei, filho do Rei da Tessália (Elios, não o Michel, cacete) e um grande FDP, capaz de irritar gente em uma escala divina.

Como castigo os deuses o condenaram a uma eternidade empurrando uma pedra até o alto de um morro, apenas para no final do dia ver a rocha deslizar de volta.

A condição de blogueiro lembra muito isso, sendo que os trolls são os deuses (na metáfora e na mente deles) e nós empurramos pedra. A essência é que eles nunca, nunca estão satisfeitos. Assim como a Paz no Mundo, a Paz na Internet é extremamente simples para quem não vive a situação, por isso é comum ver gente soltando pérolas como “é só não responder”, “não seja rude”, ou então a famosa e nojenta “Liberdade de Expressão”, usada por gente honesta e sincera que não contemplou a possibilidade de gente entrar e sair xingando apenas pelo prazer de fazê-lo, e acha que o Mundo Online é igual seu bloguinho (no bom sentido) de 5 visitas semanais, freqüentado apenas pela família e amigos íntimos.

Aí entra a segunda posição errada: “toda critica é válida”. Não é.

Quem tem mais exposição (e não precisa muito, 15 visitas semanais e você já está na chuva) sabe que não é assim que a banda toca.

O risco é dar ouvidos a uma minoria barulhenta, é ter seu trabalho direcionado e controlado por eles, deixando de lado seus Leitores De Verdade. Quando um Leitor reclama de algo ele quer o bem do blog, ele quer o conteúdo que conhece e gosta. Ele vai dar sugestões, se as tiver. Não tendo fará um comentário do jeito que puder, mas nunca com aquela clássica frase de troll “este blog já foi melhor”. Essa aliás é uma das frases-chave indicativas de que o comentário e o comentarista devem ser ignorados.

Eu falo isso de experiência. Já passei por todas as fases, cheguei a gastar vários posts brigando com blogs insignificantes que ousavam me xingar (como eu fui burro!), fazia longas autocríticas sobre o conteúdo, tentei de aproximar dos trolls para “trazê-los para meu lado” e mostrar que “acrescentar é melhor que dividir”. Hoje vejo que nada disso adianta. Quem acha que adianta, não se mostrou um alvo interessante ainda ou então é um inocente útil, usado pelos trolls para atingir alvos maiores.

Hoje vi a prova máxima disso tudo: Vejam o comentário deixado no blog, por uma dessas criaturas patéticas:

O trollzinho, portador de nome falso e vindo do IP 201.93.247.87 conseguiu me confundir, e nem digo pela quantidade de erros de digitação que indicam (oxalá) um problema neurológico grave em um futuro próximo. O motivo da confusão é que ao mesmo tempo em que ele reclama da ausência de posts complexos e critica o post que se resumia a uma piada visual, o Trollzinho de Merda™ reclama dos outros textos.

Ou seja: se eu trabalho, ele reclama. Se eu não trabalho, ele reclama.

Dedicar um minuto sequer do tempo lidando com esse tipo de gente é mais do que merecem, não há nenhum interesse em acrescentar nada, eles não querem adicionar, só perturbar. Deve existir alguma explicação psiquiátrica para gente que passa o dia inteiro vigiando quem não gosta. Chega a ser assustador, mais do que frustrante ver que quem não gosta de você reage muito mais rapidamente do que quem gosta.

O potencial humano online para o Mal é enorme, e vem se espalhando como um vírus. O Janio definiu muito bem em seu ótimo post Agressividade na Internet — o que está acontecendo?:

A maioria dos que agridem na Internet, que partem para a falta de consideração são apenas aqueles que na escola apanham dos marmanjos, que na empresa são humilhados pelos colegas e chefes, e que em casa são cornos de suas esposas autoritárias. Com tanto estropício, só mesmo na Internet eles acham uma válvula para extravasar a raiva que acumulam — e que provavelmente vai virar um câncer dentro de alguns anos.

Eu não compartilho da conclusão otimista do Janio, mas concordei com a atitude que ele decidiu tomar:

Só há uma solução para isso, e é uma solução extremamente difícil de aplicar, que venho tentando adotar para minha vida a cada minuto — mas até a tentativa anterior eu sempre falhei — que é a de não revidar.

Não se dá palco para maluco, já diz Millor Fernandes. Por mais que seja divertido dar *BANG* no Twitter, por mais que seja divertido escrever posts como este, no final temos um retardado rindo afinal conseguiu uma reação do alvo dele, e por um ínfimo momento no espaço-tempo o troll teve mais importância do que a nulidade que é, apanhando de chefe, tomando esporro da esposa e levando chifre da mãe. (ou algo assim)

Portanto, os comentários nos blogs ficarão mais limpos, o Twitter parecerá mais calmo, mas não se enganem. Não estou assumindo uma postura paz-e-amor. Isso não existe e não funciona. Ghandi só venceu por ter uma grande máquina de RP e os ingleses estarem envolvidos com uma tal de 2a Guerra. O que teremos aqui é uma dedetização, extermínio ou faxina silenciosa. Eu não posso perder mais tempo com esses idiotas, pois o tempo que estou perdendo é o tempo dos Leitores, que é muito mais valioso do que o meu.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Excelente…

    Por coincidênia (ou mesmo universo de informações e referências, provavelmente) estava escrevendo um post sobre um assunto próximo, e ele acaba de ser massacrado, mas td bem. Quando minha licença Sênior de blogueiro sair (daqui a uns 10 anos), eu vou poder me dar ao luxo de marcar opinião só uma vez,e n ter que me preocupar c/ os trolls.

    Obrigado pelo aviso.

    • Uai, manda ver! Quanto mais opiniões melhor.

  • Seu post foi encaminhado para a agencia contra-trollagem e está sendo averiguado. Seu adsense está suspenso enquanto durarem as inverstigações.

  • Felipe Decker

    parabéns!

  • Dafne

    Seus leitores agradecem! :D

    Sei – com certeza não tão bem qto vc – como é difícil receber agressões totalmente gratuitas de gente que nem sabe ler e ainda assim não responder.

    Mas é melhor ter paz do que ter brio (fácil de falar e difícil de colocar em prática, mas com os melhores resultados a longo prazo).

  • Uau, meu blog tá na chuva! :)

    Mas, Cardoso, é assim com qualquer coisa que ganhe certa projeção. Puxa, em casa quando acompanhamos uma série ou assistimos ao novo filme do nosso diretor favorito é inevitável que façamos algum comentário hora ou outra (elogioso ou não), mas a internet deixa a possibilidade de registrarmos nossa queixa na hora.

    Não que eu queira justificar os Trolls. Esse do comentário ali excedeu mesmo o bom senso. Aliás, bom senso é o que parece faltar na internet de modo geral.

  • Nunca comentei aqui antes, sigo pelo RSS e tenho o hábito de ler apenas. Gosto muito das coisas que você escreve Cardoso, e o que me deixa cada vez mais assustado com a internet, é o nível cultural (e nível de educação mesmo muitas vezes) dos usuários. Acho que talvez eu diga uma grande besteira e talvez não fosse o foco que você gostaria de ter dado no post, mas, eu acho que além do exemplo do fracassado total que você citou, a coisa é um pouco mais abrangente. Tanto se fala em inclusão digital, que as pessoas se esquecem da inclusão educacional. Se você não tem preparo pra usar uma ferramenta, nunca vai usar o potencial dela. Dá nisso.

    • Xico

      Infelizmente também percebo que esse fenômeno de analfabetismo (pura falta de educação) é generalizado!

      Quanto ao post do Cardoso, bem, o mais f**a é acompanhar alguém que você gosta e tem carinho pelas coisas que ele escreve (meio "emo", mas vá lá…), mas que vem cometendo deslizes atrás de deslizes, e você acaba parando de seguir o cara, a contra gosto e fazendo propaganda negativa no fim de tudo.

      Será que pelas bandas do facebook a coisa é diferente? Acho que vou criar uma conta lá…

  • Eu demorei muito para aprender a lidar com os Trolls, cheguei a fazer modificações nos meus antigos blogs, me matar por conteúdo, tentar explicar, mostrar o objetivo dos posts e muito mais.

    E hoje ainda não creio ter aprendido tudo, mesmo tendo um blog que não tem objetivo de ser sério me pedem seriedade e assim segue, as vezes ainda caio na bobeira de explicar qual foi a "grande sacada" que tive para colocar uma imagem ou deixar uma opinião no Blog, realmente ainda não aprendi tudo…

    Mas apoio a faxina dita no texto, um modo mais fácil de lidas com os Trolls além de facilitar a sua vida e melhorar o seu convívio com os leitores vai com certeza melhorar a qualidade dos posts, que vão ser feitos sem medo de uma censura idiota.

    A única coisa boa que aprendi é que todos os cuidados, todas as modificações que eu fiz pelos trolls foram erradas, acabaram prejudicando os meus leitores de fato.

    @billieblade

    • "… mesmo tendo um blog que não tem objetivo de ser sério me pedem seriedade".

      Enfrento o mesmo no meu blog. Os trolls normalmente pedem "imparcialidade" em meus artigos. Quando explico que pedir imparcialidade num blog de opinião é como querer pedir um churrasco num restaurante vegetariano os caras "piram".

      No começo ainda "esquentava a cabeça"; mas agora ignoro "na amizade".

  • Aposto que teremos uns exemplares dizendo aqui que o texto foi pra eles, se sentindo vitoriosos. O texto é pra nós, leitores, e por isso agradeço ao Cardoso pela atenção dispensada.

  • Acho que você deu muito mais atenção do que eles merecem num post dedicado especialmente à eles. Mesmo que seja pra criticá-los, é isso que eles querem.

    Quer irritar um troll? Ignore-o. Sei que é muito fácil falar, como você disse no post, mas… é isso.

  • O problema é: A maldita inclusão digital, acrescida de horas me miguxês no Orkut, com os sites de copy&paste de 'scraps' criaram uma geração acostumada a ler, gosta, copiar, e não entender. Essa é uma geração sem entendimento do que é entender.

    Como esta a pouco no Buzz com alguns amigos, relembrando os tempos de ICQ, de mIRC, de passar dias para baixar aquela música, onde escrever, expressar, compreender eram realmente necessários para sobreviver em qualquer agrupador da época.

    A solução: Realmente, depois de também receber e-mails e 'scrpas' no Orkut por conta de um resumo que fiz no meu blog, percebi que o melhor realmente é ignorar. Perder tempo com trolls é deixar os amigos e leitores sem tempo também.

  • Saba

    Se você gosta de uma coisa que muita gente gosta, você é maria-vai-com-as-outras. É esculachado.

    Se você gosta de uma coisa que pouca gente gosta, você tem gosto esquisito. É esculachado.

    Conclusão: tá no público, tá fudido.

  • Eu concordo que tem muita gente que confunde liberdade de expressão com ofensa gratuita que são duas coisas diferentes. E se o extermínio silencioso de trolls for a solução, manda ver!

  • Hm e então para dizer que não vai mais dar palco aos críticos vc vai e…

    Faz um post inteirinho pra eles? E ainda cola o nome de um?

    Contraditorium, muito contraditorium…

    Po cara, cão que vai morder não precisa latir. Mas entendo o desabafo.

    A verdde é que SEMPRE vai ter gente criticando seu trabalho e exigir que as críticas sejam sempre construtivas é covardia, senão hipocrisia. Muitas pessoas não sabem se expressar, não nasceram com esse dom (no entanto devem fazer outras coisas melhor que eu e você).. então elas simplesmente criticam.

    Alguns descontam seus problemas criticando você, o que é normal.. Quem nunca descontou os problemas nos outros?

    Po, e de novo, você primeiro criticou quem diz que “é só não responder”, depois elogiou o cara que diz que a solução "é a de não revidar"… Contraditorium, muito contraditorium.

    Gosto desse espaço, é democrático. Quanto aos críticos infundados (recuso-me a chamar de troll, puta gíria nerd), fodam-se eles.

    abração

    P.S. Antes que reclame da minha atitude (como reclamou de quem acha a paz online algo fácil), meu bloguinho não tem 5 visitas diárias e provavelmente recebo mais trolladas por dia do que você recebe por ano.

    • Cara! Vc é um troll de casaca!

  • Cara, tu tens toda a razão. É muito mais fácil nos mexermos pra xingar e dizer que é ruim e o quanto não gostamos do que elogiar e apreciar algo bom.

    O teu blog é um sucesso e tu não precisas de mim pra saber disso. Mesmo assim, esquecendo de tudo que é idiota sem caráter na vida, gostaria de dizer que gosto muito da tua argumentação e ironia, podendo às vezes ser um pouco mais atencioso – mas isso é só um detalhe.

    Continua assim, parabéns.

  • Esse post me lembrou uma cena do filme "Uma noite no museu".

    Na cena, o personagem principal troca tapas com um macaco. Nisso chega o Roosevelt e pergunta:

    – Por que você está batendo no macaco?

    O personagem responde, "ele que começou!"

    Roosevelt: – Tá bom, mas quem é o evoluído?

    Os caras vão reclamar e vão encher o saco. Mas o importante é não revidar, afinal, você é o evoluído.

    Forte abraço ;-)

  • As vezes acho que o que esses panacas querem é apenas isso, ser citado em algum post do seu ídolo, de uma maneira ou de outra! Bom,..pelo menos rendeu um excelente post Cardoso! Abração!

  • ze

    O kid ficou triste com essa noticia.

    Mas o verdadeiro leitor do blog continuará a ler e comentar com sapiencia,diferente dos trolls q vivem rondando por aqui.

  • Pingback: Tweets that mention Sisifode aí, blogueiro -- Topsy.com()

  • Carlos

    Pôxa, e eu achando que era só um bando de chatos, e vem vc dizendo que – tadinhos! – são todos pobres vítimas de "bullying". Nah, é tudo chato, mesmo, eu inclusive. Como disse aquele jornalista, comentário aberto é, em geral, uma porção de minhocas acompanhando o bife.

  • Luciano

    Essa história de "este blog já foi melhor" dá um ódio inacreditável. E olha que eu falo isso apenas como leitor, visto que não tenho blog. Deve ser difícil manter o ritmo com tantos ataques gratuitos e (acredito/espero/torço que) este post deve ajudar alguns blogueiros a lidar com isso.

    Parabéns pelo texto.

    • NUNCA, NUNCA dão um exemplo, nunca elaboram, só "já foi melhor". Aliás, nem podem, quem fala "este blog já foi melhor" em geral está entrando pela primeira vez.

  • Bruno

    eu já trollei o cardoso.

    no inicio tinha a impressão que ele era aqueles que não tomavam partido e ficavam botando o dedo na ferida de quem toma um lado.

    depois vi que ele tinha uma postura equilibrada, acho que pq os primeiros textos que eu li dele me passaram essa impressão.

    hoje eu leio todos os textos dele, inclusive gostei muito do post sobre os haters.. tenho um amigo assim, e já fui um pouco assim tb… hoje eu sou tranquilão depois que parei de socializar com trolls e haters.

  • Eu sempre pensei que os idiotas eram aqueles que falavam mais rápido do que podiam pensar, mas essas pequenas mentes, amparadas pelo suposto anonimato da internet, nem se dão ao trabalho de pensar, apenas batem a cabeça no teclado esperando sair algum xingamento.

    Parabéns pelo texto

  • É isso aí, Cardoso!

    (Neste momento, dezenas de trolls estão a pensar: "olha lá a puxa-saco/empregada/faxineira/secretária/capacho do Cardoso" Tolinhos…)

    Como disse o Jânio, é uma decisão difícil de ser aplicada, porém os resultados para a nossa saúde mental são surpreendentes.

    Parti para a mesma solução e estou gostando. Nada de revidar, nada de responder aos ataques. No máximo, mostro para a minha "panelinha" (sim, dizem que tenho uma panela; só se for de pressão hauhauahua) pois não sou egoísta a ponto de querer me divertir sozinha, né?

    O engraçado é que agora, os meus Trollzinho de Merda™ resolveram me atacar nos blogs dos meus amigos. Coisa feia. E eu olho, dou risada e vou embora.

    Assepsia já!

  • Poxa, faltou a minha fotinho. Agora sim :)

    • Opa! tem panela sim e eu tô nela rsrsrsrsr

      Sobre o post, argumentos interessantes. Bem, quando sou muito trollada (tem horas que os comentários assim aparecem mais não é mesmo? Tipo virose…) eu desabilito os comentários por um tempo. Pra minha saúde mental é ótimo! E hoje em dia só me preocupo comigo e com os que valham a pena. O resto…bem, quem é o resto mesmo?

  • Pois bem Cardoso, lembra do email que te passei uns dias atrás elogiando teu trabalho e dizendo que ele é bastante inspirador para quem está começando.

    Não é que já recebi comentários trollando? Com 3 dias de funcionamento efetivo do blog!

    Minha postura é, sequer, aceitar o comentário. Não agrega em nada e só faz perder tempo.

    Boa iniciativa.

  • Eu acho que a solução é essa mesma, não bater palma pra maluco dançar. Eu notei que as poucas vezes em que um comentário meu recebeu réplica do autor de algum blog muito visto/comentado foi quando dei mole, vacilei e falei merda. Quando fiz algum comentário pertinente, fiquei no vácuo. Se provocar briga com algum outro comentarista, recebe uma réplica. Então o troll pensa só assim, que o melhor jeito de ter atenção é aloprar tudo.

    Não estou dizendo que quero atenção mas que os próprios blogueiros podem ter a parcela de culpa por dar atenção aos palhaços de plantão.

  • Sempre tem um "zezão" desses.

    É muito difícil lhe dar com esse tipo de pessoas que reclamam pelo nosso esforço.

    Também sou blogueiro, e estou iniciando mas já recebi várias críticas que te fazem até pensar em desistir. Mas se pensarmos nisso, pararia-mos hoje.

    Ótimo post e muito incentivante!

    Abraços.

  • Talvez a pessoa só queira que vc devolva na mesma moeda, atacando-a de volta. Ou talvez fazendo humor com ela.

    Lembra do antigo Mister Salsa? Pois é, salsinhas são pura diversão (pra não dizer depressão).

    Don't feed the trolls. É, talvez seja a única saída. "Or overfeed them". HAHAHAHA

  • Isso funciona fora da internet desde sempre. É a mesma coisa quando te dão apelidos para que você retruque e alimentar os "bullers". (isso?)

    Mas eu acredito que posts como esse só servem pra dar mais atenção aos mesmos…

  • Nem sempre o "esse blog já foi melhor" é um ataque gratuito, e diferente do que você comentou, não é uma pessoa que frequenta a pouco tempo, pelo contrário, é alguém que acompanha a anos o desenvolvimento do blog. Presenciei isso no Meio-bit, há uns 3 anos atrás a interação dos editores e leitores era excelente, mas ataques de trolls começaram a desanimar os editores(na minha opinião) e os leitores que agregavam conteúdo aos posts começaram a não mais comentar, e no máximo ler, discussão boa é aquela fundamentada em alguma coisa concreta, e não é o que estava acontecendo, bom para não fugir o foco, contra trolls uso a seguinte política, faça o primeiro argumento, e tenha certeza que ali é um troll, quando confirmado, simplesmente ignore. Isso vale tanto para leitores como para editores/blogueiros

  • A critica só é construtiva se for sincera

    muitas vezes somos criticados por inveja

    e não para nos ajudar.

    um abraço a todos!!!

  • Tudo bem ficar irritado com certas pessoas, mas qual o problema em relação aos "bloguinhos". Parece desprezo/esnobismo.

    • Só com quem é incapaz de entender o "no bom sentido".

  • Ah os trolls! Permita-me reproduzir parte do que eu disse no meu post sobre o tema:

    Todos que militam na seara da internet, seja blogueiro ou twitteiro, já presenciaram os ataques destes parasitas on line. Pergunte para um troll qual é seu intento? Ele simplesmente não saberá responder, por que troll não tem objetivo, tem vítima.

    As vítimas preferidas dos trolls são sempre algum blogueiro de prestígio, ou que possui certa relevância, seja na blogosfera, seja no twitter, ou ambos os casos.

    Muitos não conseguem aceitar o sucesso alheio e para se fazer notar, querem discordar e atazanar da opinião destas pessoas.

    Por isso ninguém deve dar crédito às provocações dos trolls, pois a intenção deles é justamente nos tirar do sério, despreze seus atos e logo eles irão procurar outro que lhe dê guarida, quando não mais encontrarem, eles morrerão de inanição. Afinal: “O desprezo é a forma mais sutil de vingança.”

  • Machado

    Sou leitor antigo, leio via RSS e acho que só comentei umas duas ou três vezes. Me senti na obrigação de fazê-lo deste vez.

    Quero deixar apenas uma frase: este blog está a cada dia melhor.

    P.S.: Estudo Ciências Sociais e minhas leituras de sociologia da mídia e da comunicação acabaram me levando, quase sem querer, a questões relacionadas a essa coisa louca (e, às vezes, assustadora) que é a trollagem. Deixando de lado discussões acadêmicas (que, pelo menos atualmente, estão mais aprofundadas na área de Psicologia), acho que vale a indicação de uma ótima reportagem recente do NYT:
    http://www.nytimes.com/2008/08/03/magazine/03trolls-t.ht...

  • Olá Cardoso,

    Confesso que seguindo seus blogs e Twitter achava você o Marcel do BQEG e outros blogueiros "mimimizeiros", mas hoje já senti na pele um ataque de troll e concordo com vocês 100%.

    Por exemplo, no meu blog técnico, recebi um comentário que o cara se preocupou mas com erros de escrita do que a mensagem em si. Adotei a técnica do não revide. Fui mais além, contra os meus princípios não publiquei o comentário e segui com a minha vida. Fui muito melhor do que ficar discutindo com uma pessoa que não falaria aquilo na sua cara.

    Como já disse no Twitter uma vez, eu admiro caras como você e o Marcel, blogando há tanto tempo sem desanimar, mesmo com esse tipo de feedback.

    Abraços,

    @furlan

  • O mais interessante é você ter que "fazer isso" uma última vez dizendo que não "fará isso" novamente.

    De qualquer modo, acho certo. Da mesma forma que meus leitores reclamam quando eu posto para dar desculpas de porque não estou postando. Eles querem o conteúdo que estão acostumados e que gostam sem ladainhas. E eles estão certos.

    Sobre trolls, bem… o nome do meu blog é O Crepúsculo (criado antes desse hype), e ele não tem absolutamente nada a ver com o livro/filme de vampiros. Agora veja só, eu tenho um post chamado "Odeio" (que é apenas um texto sobre o ódio). Quem você acha que aparece quando essas fãs malucas digitam "Odeio Crepúsculo" no google, com a única intenção de trollar?

    Elas caem no meu blog.

    No início, dava um pouco de ódio de verdade. Porque as pessoas simplesmente não querem ler, só querem xingar e tudo mais. Agora eu só acho graça disso tudo.

    Outra coisa que eu faço – mas essa só funciona com trollers inexperientes – é que quando ele vem com 34984 pedras na mão, eu educadamente explico novamente a minha visão e digo que discordo dele.

    Recebi vários pedidos de desculpas após tratá-los dessa maneira, isso é claro, quando você percebe que eles tem o mínimo de inteligência e compreensão. Porque se não, é só ignorar.

    Aliás, o "ignorar" é a kryptonita do troller.

    =)

    Apesar de ser dos seus posts que menos gosto (como desse tipo), é uma bela maneira de abrir um pouco a cabeça daqueles que te liam e faziam a mesma coisa com os devidos trolls pessoais.

    Um abraço.

  • DGNovaes

    Ontem você "censurou" um comentário meu.

    Não sinto que tenha merecido, mas já esperava por isso.

    Confesso que desde o princípio suspeitei que o assunto não permitiria nenhuma "gracinha", mas foi irresistível a tentação (como aquele post do bom bril no ifone).

    Penso que minha atitude tem algo haver com a "imagem" que formei de você durante esse longo período que acompanho seus posts: um sujeito de bom humor.

    Nunca fiz nenhum comentário, esse é o segundo, e o motivo é que vim para aprender.

    Pai de duas pré-adolescentes (não são japinhas, não peça fotos) me vi angustiado por não compreender direito aquele mundo cheio de orkuts, msn e blogs. Sai em busca de auxílio e uma recomendação do google reader me trouxe a algum lugar próximo do seu blog, acho que o meio bit, nem me lembro mais.

    No começo meio preocupado com alguns textos, principalmente aqueles com foto de japinhas, e com a "acidez" de outros. Mas o tempo e alguns poucos posts cuidaram de demonstrar que minhas preocupações eram infundadas, que você não tem nada contra estagiários, que suas ironias não são (muito) agressivas e, principalmente, duvido que saia agarrando toda japinha que encontra pelo caminho.

    Gosto do seu texto.

    Mas devo admitir que seu estilo é, digamos, mais propenso a atrair trolls.

    Deve também despertar a ira de pessoas com pouco senso de humor.

    Mas há que ter alguma paciência com alguns visitantes como eu, que não tem tuiter, orcuti ou feicibuqui e, portanto, pouco conhecimento sobre o assunto. Não foi o meu caso, mas alguns podem querer se expressar e o fazem de forma inadequada. E blogueiro, convenhamos, sabe como pode ser difícil se expressar através de palavras.

    Vim, li, aprendi.

    Outros também merecem essa oportunidade.

    Nem todos somos trolls.

    Eu sei que para o você esse pedido não resolve muita coisa, como pode ser observado na resposta ao J.Batista. Mas esse é o Cardoso….rs.

    Finalmente informo que não deixo de acessar seu blog, mesmo que esse post tenha uma daquelas respostas "atravessadas".

    O máximo que pode acontecer é eu dizer as minhas filhas que elas não acessam o orcuti por sua causa. Afinal, foram seus comentários que me fizeram "navegar" por lá e concluir que tudo tem seu tempo, e o delas pode ser preenchido de outra forma por enquanto.

    Isso com certeza vai significar mais duas trollzinhas.

    Reclama mas não pare.

  • Cardoso, nem vou disparar frases motivadoras ao estilo do "não esquenta", pois tenho mais a colher do que oferecer.

    Mais interessante foi a revvolta do bloguinho de 5 visitas semanais, qual seria o politicamente correto, para referenciar? "Blog de alta segmentação"?

    Cara grande abraço.

  • Aos trolls:

    "Há algo de ameaçador num silêncio muito prolongado".

    (Sófocles)

  • Ótimo texto, Cardoso! Infelizmente, todo mundo que tem ou teve um site – não importando quão minúsculo seja – já passou por experiências semelhantes. É extremamente desmotivador. O que, por sinal, é o principal objetivo do troll. Desmotivar. Já que ele mesmo não produz nada de útil – exceto gás carbônico – então tem que atacar o trabalho de quem possui competência para fazê-lo. Até porque se ele não fizer isso, não terá nada mais para fazer, e sobrará tempo para se olhar no espelho e lembrar do quão LOSER ele é.

    Abraços!

  • clap!clap!clap! Cardoso para presidente!!! Partido dos Blogueiros do Brasil :)

    Beijos

  • Pato

    Parabéns, Cardoso!

    Um de seus melhores posts! Esse foi o motivo de eu ter eliminado meu blog. Não suportei a quantidade de trolls que só exigiam cada vez mais e me deixei levar pelos pedidos deles ao invés de manter o foco nos reais leitores. Seu post com certeza irá salvar alguns blogs iniciantes na internet.

  • Nailson

    Cara, q post maluco!

    tu dá moral demais pra troll, e vc sabe q o troll te irrita só pra ver o circo pegar fogo!

    na boa, ignora, do msm jeito q vc me deu block no twitter… (@nailson)

  • Silêncio, inércia e desprezo!

    Essa é a atitude mais correta! Não para acabar de vez com o troll, porque eles no fundo ainda serão alimentados ainda mais pelo ódio, mas para que não bebam da fonte que mais apreciam: o retorno!

    Continue a fazer o que você sabe de melhor Cardoso! A nos chocar com os seus textos!

    Abraços!

  • Zictor

    [ironia mode on]

    Uau, nunca esperei isso de você, Cardoso! Oferecendo a outra face?

    Daqui a pouco estará pelas praças da cidade, de Bíblia de baixo do braço e pregando.

    [ironia mode off]

    (ninguém me acuse de ser troll porque escrevo pouco. Freqüento o blog a muito tempo e sempre tento manter o nível do debate. Só tô sem tempo agora porque é tarde e preciso ir dormir.)

  • Comentando atrasado devido a n fatores…

    A única coisa que não gostei do texto, foi o fato de que não haverá mais *BANG* no twitter. Poxa Cardoso! Eu adorava quando você caçava unicórnio! Era um *BANG* e uma gargalhada.

  • Só conheci o blog agora, mas tive que adicioná-lo. Parabéns não só pelo texto, mas pelo sangue frio de simplesmente ignorar pessoas desse tipo. Na certa, é desses que dirigem carro velho, mas com o adesivo de "tire o olho, trabalhe pra conseguir um" hahaha.

    Abraços!

  • Ainda bem que eu não tenho mais do que 20 visitas por dia no meu "muquifo", mas de fato a "trollagem" é algo que infesta os comentários, de vez em quando aparece um tipinho deste por aqui. No mais parabéns, seu texto esta muito bem escrito e reflete o que acontece em uma lista de discussão que sou administrador, os trolls fazem de tudo pra atrair a atenção pra eles, se você revida ele (o troll) sobe em cima de uma gilete e quer fazer discurso, e se você ignora ele fica tacando ervilhas pra ver se você morde a isca e revida. Difícil…

  • Keka

    É Cardoso, a internet é uma grande derrubadora de máscaras. Já é pequena a parcela de gente no mundo que PARECE "boazinha". Menor ainda os que realmente SÃO.

    Seu texto é certeiro quando diz que esses chatos da internet são mesmo aqueles que não tem voz na vida real, mas que escondem dentro de si uma bomba de agressividade que é liberada aqui, por conta da anonimidade.

    Isso me entristece, pois me mostra que pouquissimas pessoas no mundo realmente tem bom senso, bom caráter e respeito aos outros (muito menos do que eu, ingenuamente, acreditava existir).

    Adoro o seu blog, apesar de nem sempre concordar com suas ácidas opiniões. Por favor não desanime, estamos contigo!

  • Querido Cardoso,

    Outro dia mesmo estávamos falando disso no twitter! Não tô na chuva pq não tenho nem metade de seus seguidores mas já senti a trollagem na carne, vc viu. Concordo com vc. É chato, é foda, é uma merda, mas mandar troll tomaticru não adianta, eles gostam…

    Beijinho, adoro seus escritos.

    B.

  • Eu só tenho 50 acessos diários e já sofro com os trolls. Imagino o quão dura deve ser a vida de blogueiros em maior evidência.

  • Abreu

    Ah qual é

    mas que choradeira é essa?

    você está pensando que é quem, o Diogo Mainardi?

    Acha que forma opnião com esses posts escrotos que ninguem lê?

    Se liga Cardoso, esse blog nunca foi melhor, e aliás, nunca será.

    Faça um favor a todos: Conforme-se com sua insignificância, e desfrute de seus posts patrocinados e do AdSense. Por que é só o que te resta.

    • Senhoras e senhores, apresente-lhes Abreu abreu_343@gmail.com 187.105.179.76, um legítimo trollzinho de merda.

    • Além de troll é leitor do Dioguinho Mainardi. Não precisa dizer mais nada.

  • Ai Cardoso! Tô ficando famoso. Jà recebi minha primeira ameaça de morte (rs).

    Esses trolls são "a cereja do bolo". Eu me divirto com eles e adoro ler os comentários em caixa alta (fico imaginando o cara apoplético digitando aquilo). Se me enchem muito o saco dou um "ban". Mas, costumo responder "na boa" – pelo menos uma vez e tentar criar uma exposição de ideias em um nivel maior. Na maioria das vezes os caras apenas ficam se repetindo. Aí ignoro.

  • smilecaolho

    Esse blog já foi melhor… ¹

    Em tempo "(lenda é como se chama a religião dos outros)", <- LOL

    &sup1; Desculpa, não resisti :)

  • Hahahaha… muito interessante mesmo esse post! O comentário do critico é altamente maléfico! Precisamos de software de inteligência artificial ultra-avançados para filtrar comentários maldosos…

  • justin bibier

    cada blogueiro tem o leitor (troll) que merece he he

    se o troll tem um problema neurológico, o blogueiro então…

  • É chato eu entendo, mas não tem jeito faz parte do show! Quem não passa por isso?

  • Eu acho isso muito engraçado.

    Faço artesanato e já recebi um comentário dizendo que o que eu fazia era horrivel, e que só podia mesmo vir da Bahia.

    O primeiro comentário eu respondi (via email, pois deixaram o email)que eu não estava preocupada com a opinião dele.

    Na segunda vez( ele mandou email também..rsrsr) eu simplesmente mandei ele procurar algo pra fazer, já que eu estava muito ocupada em fazer "porcarias" não tinha tempo a perder com ele.

    Não tem como explicar um comportamento desse tipo…

    Eu acho o seguinte, se não gostou, sai, vai embora…não precisa ser grosseiro, assim de graça…

    Sinceramente….recuso qualquer tipo de comentário maldoso, não me interessa quem não gosta.

    Só estou interessada em quem gosta do meu blogue.

    Gostei da matéria…parabéns.

    Beijos

  • Ah, nunca bati boca com troll no blog. Mesmo os poucos que chegaram por lá foram solenemente ignorados (principalmente os que vieram questionar meu gosto musical dizendo que PINK FLOYD nunca foi uma banda de rock). Devem ter morrido de inanição.

    Troll bom é troll ignorado.

    Ponto.

  • Rebeca

    Você deve ter gastado 30 minutos criando essa metáfora wikipedia based e ainda diz que ela está na cabeça dos trolls?

  • Pingback: BLOGOSFERA, AMIGOS, APRENDIZADO E MUITA GENTE BOA. | Visão Panorâmica()

  • Olá Cardoso, bom dia

    Conheci seu blog através de uma referência no Visão Panorâmica.

    A ofensa é somente uma tentativa desesperada da pessoa de sentir um pouco de alegria na vida. Deve ser tão frustrada que tenta de tudo. Por isso que ignoro este tipo de comentário, pois não há nada de útil que possa ser extraído dele.

    Eu já tive alguns comentários ofensivos em meu blog, e o engraçado é que todos foram de modo anônimo, comprovando que a pessoa é tão covarde que nem mesmo o nome tem coragem de explicitar.

    O melhor é ignorar, que na verdade é somente dar a masma importância ao comentário que a pessoa se dá.

  • Boa Cardoso, vc se mostrou preocupado com seus leitores.

    Parabéns, ganhou mais um fã.

    Sem mais, queria digitar mais, mas estou em um pc sem o cedilha.

  • Ulysses Verço

    Queria chamar a atenção também que a trollagem ela está amplamente difundida no cenário virtual, não só nos Blogs brasileiros mas o que me deixa profundamente irritado é nos sites de jogos, principalmente os competitivos, jogo todos os dias no ''www.chesscube.com'' principal site de Xadrez, e pessoas de todos os niveis saem xingando gratuitamente outros usuários porque foi derrotado ou algo do gênero, numa total falta de educação com tudo que tem direito, desde de xingamentos que envolvam a foto da pessoa, a mãe, a opção sexual (sou hetero btw), e etc… Ou seja tudo evoluiu MENOS o próprio ser-humano, ele não está civilizado, é ainda aquele ser instintivo que sentindo-se ameaçado ou quando vê o sucesso alheio (seu caso) parte para a agressão e xinga, trolla mesmo e tá nem aí. Pessoas deveriam LER mais, serem pessoas CIVILIZADAS, e ainda reclamam quando os politicos pintam e bordam, aposto que os mesmos sujeitos no poder fariam IGUAL ou pior. Lamentável

  • em algum momento, eu temo que meu IP já tenha sido 201.93.247.87… só espero não estar auto-diagnosticando dupla personalidade

  • Pessoas escrotas são inconvenientes. E eu nem estou falando de sexo. Estou falando de trolls…

  • Eri

    Eu sinto um distúrbio na Força. Para o lado negro caminhar, sua destruição será Cardoso.

    Ignore essas pessoas, é difícil, mas eficaz.

  • Bom essa foi a primeira vez que entro no blog, primeira impressão: Gostei.

    Estou fazendo esse comentário para acrescentar uma frase que simplismente define tudo isso.

    Reconhecendo um problema banal (Troll), você lhe dá existência e credibilidade.

    É isso aí …

  • Vinicius Mendes

    A parte que fala sobre "Liberdade de Expressão" é a melhor.

    O blog é meu.

    Quem paga sou eu.

    A opinião é minha.

    E se o troll não gostar, o problema é dele.

    Troll que acha que blog é lugar pra impor opinião ao invés de discutir é o tipo de pessoa que para resolver um problema em uma loja, por exemplo, sai de casa dizendo "Hoje eu vou lá fazer um escândalo, eles vão ter que resolver meu problema"

    Ridículo.

    Não conhecia seu blog, um amigo mostrou-me e adorei. Li só alguns posts, mas até agora é o melhor blog que já li sobre assuntos não (apenas) relacionados a humor.

    Sei que você deve saber do seu potencial e do potencial do seu blog, mas tenho certeza que é bom chegar em meio a um mar de comentários inúteis e ler um elogio. Parabéns.

  • Gostaria de saber mais sobre o assunto.. vou me subescrever em seu feed !

  • Very nice. Thanks