Quem diria, alguns bilhões de dólares realmente ajudam a diminuir a pobreza

Muita gente no Ocidente tem a posição de que a pobreza é um fato da vida, e que nada ajuda, nada resolve, e que os pobrinhos encardidos remelentos vivem em um estado de remelência encardida constante.

A sensação de inutilidade de qualquer gesto (GESTO, doar dinheiro, tempo, não abaixo-assinado online e avatar no Facebook) faz com que cada vez mais gente faça cada vez menos.

Por outro lado gente muito mais rica e inteligente, como Bill Gates, Warren Buffet e outros estão investindo PESADO (no caso do Gates 90% da fortuna dele) em projetos que não tem nada a ver com coitadismo. Não compram sanduiches, criam toda a infraestrutura pro cara ir no McDonald’s, metaforicamente falando.

O resultado é que apesar do que vemos no Jornal Nacional, a situação hoje, por mais pobre encardida e remelenta que seja, está bem melhor do que 100 anos atrás.

Uma das formas de ver isso é através de estatísticas, e o gênio da área é o Hans Rosling. No vídeo abaixo ele demonstra como a mortalidade infantil E taxa de natalidade na África vêm caindo.

A visão de estagnação é algo muito perigoso, tendemos a achar isso mesmo do Brasil, e é capaz até de estarmos certos, mas mesmo que seja verdade, não podemos acreditar nela, pois ter certeza de que nada muda é a melhor forma de nada mudar.

E se até a Etiópia muda…


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Hans Rosling me chamou a atenção o ano passado nesta palestra do TED – http://www.ted.com/talks/hans_rosling_religions_a… e de onde estes números aí de cima surgiram.

  • tungah

    Ótimo post, Cardoso!

  • A máxima de que o dinheiro é o que movimenta o mundo se faz verdadeira novamente; como tu mencionaste, apenas distribuir sanduíches não torna a vida dessas pessoas melhores, e se analisado superficialmente a revolução do vaso sanitário ou camisinha pode ser algo bem idiota, mas no fundo são grandes ações que podem modificar a vida de toda uma nação.

  • Cesar

    Cardoso, uns tempos atrás você fez um post sobre estatística, e tinha um vídeo de um cara que fez um estudo parecido com esse, mas abrangendo 200 anos. Dava até pra entrar no site dele e brincar com as estatísticas, você se lembra qual é?
    É sempre inspirador ver o mundo através de dados estatísticos.

    Abraço

  • Já que linkei esse artigo na caixa de comentários de um post, nada mais coerente que fazer também o caminho inverso.
    Eis aqui – http://halfen-mktsport.blogspot.com.br/2013/03/ci… – um artigo mostrando como condições peculiares fomentam a criação de grandes fundistas na Etiópia, onde o mote do artigo é o paradoxo sobre como a falta de recursos contribui para tal formação.

    Não tem lá grandes relações com o artigo escrito aqui, mas ficou meio curioso (ao menos para mim) que dois feeds que assino tenham pinçado a Etiópia.

  • Gosto de iniciativa como as do Gates e do Buffet, e por outro lado odeio essa coisa de coitadismo, de correntes para salvar isso e aquilo. Acho importante e realmente muito bom que pessoas com muito dinheiro, como eles, tenham a disposição e a vontade de ajudar de forma produtiva, fazendo investimentos massivos como eles fazem.

  • A pobreza é um problema que vai além de simplesmente dar dinheiro.

  • Requiescat in Pace mestre Hans Rosling. :(