Leitura Obrigatória para Focas e afins

Estava passeando pelos feeds do Pérolas das Assessorias de Imprensa, um blog que varia entre uma excelente leitura e um chatérrimo balcão de empregos, mas consegue pontos o suficiente para permanecer nos meus feeds, por publicar posts como este, indicando o artigo de Júlio Borges no Digestivo Cultural

Technorati tags: , ,

, “Por que os blogs de jornalistas não funcionam“.

Ele destrincha a mente dos jornalistas tradicionais de forma excelente, alertando para o perigo que os estudantes correm, se forem muito na onda dos professores. Todo estudante de jornalismo (você também, Gustavo!) deveria levar uma cópia impressa desse texto na carteira, e lê-lo uma vez ao dia, só por segurança.

Só como amostra, um trecho que bate direitinho com o que eu falo por aqui:

Jornalistas não estão acostumados a ter leitores
O grande problema para os jornalistas é que, na internet, os leitores estão presentes em carne e osso. “Quem colocou eles lá? Eles estão atrapalhando! (…) Para os jornalistas, os internautas são uma pedra no sapato. Ainda mais agora, que alguém disse, lá nos Estados Unidos, que “blogs são conversações”!

Então? Não perca seu tempo, corra para o Digestivo e leia o resto da matéria, os estudantes vão aprender o que não fazer e os blogueiros vão entender o motivo da blogosfera ser ignorada e/ou mal-entendida pelos figurões (e figurinhas) da mídia.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também: