O triste estado das elites brasileiras

Em teoria as elites seriam os grupos mais bem-educados, mais inteligentes e com controle total da economia, política de da sociedade. Só que no Brasil a coisa está tão nivelada por baixo que nem a elite empresarial pode ser chamada de elite.

Já falei daqueles ignorantes que entram no Cadê, procuram por “telemar” ou “embratel”, caem na primeira página que encontram, vão tateando até um formulário de contato e fazem uma reclamação. Em 99% das vezes caem em um blog ou site que não tem nada a ver com a nossa história.

No caso abaixo um imbecil, que se diz “Diretor Geral” de uma empresa, deixou recado em um formulário desses (acreditem, não foi em uma empresa de telecom) e caprichou no português. Sério. Leiam. Esse sujeito não passaria em prova para gari, que exige 2o grau, e é um tipo de profissional que respeito, ao contrário do cidadão abaixo.

Ou seja: se essa é a classe dominante, parem o Brasil, eu quero descer.

Boa tarde:

Nossa empressa manteve um plano de banda larga (DiretNET e por motivos de mudança de endereço, cancelamos o plano o dia XX de Março via fax ao numero XXXXXX e XXXXXXX, conforme clausula contratual, via telefone nos falarom que deveriamos pagar o bloqueto do XX de Março e tambem o ultimo de XX de abril.

Pagamos março e abril e continuamos recebendo bloqueto para pagar o dia 31 de maio, entramos em contato e nos falam que não receberão o fax de cancelamento.

Alem do envio do fax falamos varias veçes com pessoas da neovia. Bom não estou de acordo em pagar por um serviço não usado, nossa firma cumpliu sempre as clausulas contratuais, gostaria de receber uma solução satisfatoria para este caso, tambem seguro que voçes podem observar no seu sistema que nossa empressa não utilizou o seus serviços desde a data de cancelamento.

Penso que na hora de abrir o plano tudo foi facil, mais agora na hora de fechar so empedimentos e querer faturar por serviços não prestados. Acho que seria bom para a imagem da NEOVIA, não entrar neste tipo de falho. Aguardando resposta.

Pds: Se o nome da minha empressa tiver algum prejuicio estarei entrando com meus avogados na justicia pedindo todo tipo de danos (morais emateriais).

XXXXXXXXXX
Diretor Geral
XXXXXXXX

PS: Não, o nome não era “Padre Quevedo”.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • E eu achando que o Seu Creysson do Grupo Capivara era um personagem fictício.

  • Olha, realmente isso foi horrível. Mas devo dizer que estou familiarizado com esse tipo de erro de gramática, etc.

    Não estou querendo entrar em debates, nem em questões de preconceito nem nada. Acompanho o Contraditorium a algum tempo, mas nunca me animo a comentar (não por não gostar, mas por ter preguiça mesmo).

    Voltando ao assunto, acredito que esse tal "Diretor Geral" seja de nacionalidade argentina. Não é preconceito, insisto. Sou filho de argentinos (tanto pai quanto mãe) e, quando ainda não haviam se acostumado com a escrita portuguesa eles escreviam assim, como parece ser falado… meio que um "portunhol"…

    Enfim, comentei isso pois são 3h40 da manhã e eu estou meio grogue.

    Agora, voltando realmente ao ponto do post, a "elite" é completamente alienada e de uma "fechadez mental" inacreditável. E cada vez mais estamos tendo um dita elite de meia tijela, que fazem com que desejemos (ou desejamos?) estar morando em outro país qualquer.

  • Esse cara é o Cebolinha da turma da Mônica.

  • Convenhamos hein? O cara me surpreende do começo ao fim e ainda fecha com a pérola "Pds:"… =D

  • é,

    com um presidente igual ao nosso (que não tem o ensino fundamental completo) isso é o mínimo que podemos esperar da nossa elite.

  • Em primeiro lugar, não creio que o cara seja argentino, como disse o Malka. Acho mais fácil ele não saber escrever, mesmo. Inclusive pela falta do hábito de ler, tão comum (a falta, não o hábito) no Brasil.

    Em segundo lugar, não creio que o fato de o referido senhor ser "Diretor Geral" de uma empresa o coloque automaticamente no que a gente realmente poderia chamar de elite. O país está cheio de empresas individuais, micro-empresas, etc. O sujeito pode ser simplesmente o dono de alguma empresinha de fundo de quintal, o que o deixaria bastante longe da "elite". Basta assistir qualquer programa da Universal, lá todo mundo que não é pastor, virou "empresário" depois de começar a pagar…

    Terceiro, parabéns pelo comentário de respeito aos garis. Eles merecem. Limpar a sujeira que o nosso povo porco faz nas ruas não é fácil.

  • PhX

    Ele parece mesmo ser argentino, ou pelo menos de fala castelhana nativa. Acho que nenhum falante de português escreveria "justicia", poderia até escrever "justissa", mas não justicia.

    Mas não é difícil encontrar gente da elite escrevendo errado, já que os tais diretores de empresas super-ocupados sempre mandam as secretárias escreverem as cartas. Aliás, eu como chato guardião da gramática estou sempre reparando em erros de português, e não raramente me deparo com jornalistas escrevendo e falando asneiras em rede nacional. Coisas como "preços caros", "temperatura muito quente" tornaram-se muito comuns, e o pior é que ninguém percebe o erro. Parece que o nível de conhecimento da língua vem caindo com o tempo, quando deveria ocorrer o contrário.

  • Como se não bastasse ainda vai "pedir todos os tipos de danos (morais e materiais)"

    ai ai… é de cortar o coração…

    bisou, raquel

  • Fabrício

    Em primeiro lugar concordo com a Malka. A "Reclamação" em questão parece ter sido escrita por um hispano-hablante (não necessariamente argentino). Ele constrói frases e comete erros comuns aos hispânicos que falam (ou tentam falar) o português. Concordo plenamente com a segunda colocação do Enio. Não é porque ele é "Diretor Geral" de uma empresa que ele é parte da elite do país. Hoje em dia qualquer empresa meia boca tem um diretor geral.

    O inegável disso tudo é a falta da capacidade apresentada em ler um pouco antes de reclamar. No Brasil isso está se generalizando, estamos nos tornando um país de analfabetos funcionais.

  • PHX: Uma vez vi um protesto em uma "comunidade" sobre uma bala perdida que tinha matado um rapaz. (claro, a bala era da polícia, sempre é) A "comunidade" estava pulando e gritando "justícia! justícia! justícia!". Não duvide da capacidade criativa de nosso povo.

    Fabrício: A tal empresa é uma empreiteira, com filiais no Rio e em SP, sendo que no Rio fica em um dos prédios mais chiques (e caros) do Centro.

  • Isso é bem normal.

    Mantenho contato com vários clientes meus através de MSN/Skype… Por Deus, quantas barbaridades eles escrevem!

    :)

    auehuaehuaehuaeh

    :P

  • deixa o cara entrar na justicia então

  • Sandro Dennis

    Vamos tentar ver outra possibilidade:

    Na Empresa que trabalhei anteriormente, o diretor era francês (era empresa do ramo de perfumes e Cosméticos) e eu ficava assustado cada vez que recebia um email dele em "português". Geralmente continha erros ainda mais grosseiros do que esse. PODE ser esse o problema. Sei lá, é difícil rotular um texto assim, sem o contexto e sem conhecer o autor. Eu mesmo cometo alguns erros que quando vejo até me assuto tipo: "Nossa! Onde eu estava com a cabeça quando eu escrevi isso?".

    Mas realmente o nível de atrocidades que andam cometendo com nosso idioma é vergonhoso, principalmente na Internet, tudo sob a desculpa de preguiça de digitar e outras abreviações e termos inventados nesse meio, tipo blz, vc, td, bj, e etc…

    Abraço.

    Sandro

  • Concordo com o PHX. É incrível e parece que a maioria não percebe estes erros.

    Arrisco-me a dizer que em Portugal ainda está pior. Jornalistas e Políticos falando errado, e propagandas cheias de gírias e erros gramaticais.

    Acho que o exemplo mais comum que eles cometem é dizer "gostava" quando queriam dizer "gostaria".

    "Eu gostava de cortar o cabelo"

    "Eu gostava de ir ao centro comercial hoje"

    Isso, sem contar políticos importantes na TV falando "Portanto, entretanto, no entanto, decidimos tomar essa decisão, portanto."

    Outro dia resolvi contar a quantidade de "Portantos" em uma entrevista… Não queiram saber o número :)

    "Portanto" (risos), ainda não está tudo perdido no Brasil. Se bem que com o presidente que temos, não vai demorar para ganharmos dos Portugueses.

  • Samuel

    "Seu Creysson" neles!

    Diretor Geral de uma empresa, hum…

    Só falta a empresa do cara ser uma escola. (Eu vi que é uma empreiteira, mas vale a piada, né?)

  • PELO AMOR DE DEUS!!!!!

    E eu que me matei de estudar, desempregada, sem um emprego decente. Uma coisa é erro de digitação, outra coisa é isso aí (estou sem palavras até.)

  • Diego – Sphink

    Nah, o triste estado das elites brasileiras é não revisar o texto dos estagiários.

  • Hahah o Diego tem razao.

    A pergunta pra todos é porque tudo de ruim é culpa de uma elite alienada? Ou de politicos comodistas?

    To cansado de ler, "essa elite alienada" e quem escreve nao ter nem ideia do que isso siginifica.

    De forma geral a população é sim alienada.

    é mais fácil sentar num boteco tomando cerveja culpando a "elite alienada" de todos os problemas do que sentar a bunda e ler um livro e tentar romper os laços com o marginalismo e masturbação mental.

    Abracos

    Lucio

    Lucio

  • No meu modesto conhecimento da língua castelhana, aposto que quem escreveu a mensagem não "nasceu sabendo" português. Mas o sjueito podia ter sido mais cuidadoso em vez de imitar a língua do Orkut.

  • Fabrício

    Empreiteira? Espero não topar com nenhuma obra deles.

    P.S: Ia dizer que fiquei mais impressionado com a incapacidade em ler um pouco mais do que com o domínio do idioma. Mas me esqueci de algo: Domine a língua, domine a leitura (e a interpretação).

  • Joao Pereira

    Senhor Caio em Portugal fala-se algumas coisas erradas, mas creio que é precipitado falar que ainda vão ficar pior que os portugueses como se já nao fossem.

    Eu sou português e moro no Brasil á 2 anos e meio, minha esposa e filho são daqui, e pelo que vejo aqui fala-se muito pior que em Portugal pelo simples facto que lá as crianças desde pequenas falam NATURALMENTE devido á convivência do dia a dia, os verbos conjugados como por exemplo. Eu fui, nós vamos, eles foram. Agora uma criança aqui na rua diz Nois Foi, Eles foi. Atenção não estou fazendo qualquer tipo de sarcasmo. Apenas falando uma realidade. Da mesma forma em Portugal nós dizemos o tal do gostava em vez do gostaria, o que comparado com a maioria dos erros de português no Brasil nao é tão grave.

    Quantas pessoas aqui no brasil sao capazes de conjugar um verbo com a palvra "Vós" antes do mesmo? Pensem nisso…

    Quanto a essa carta me pareçe alguém que tirou um curso de digitação rápida para por no curriculo, mas esqueceu do detalhe de ter que saber o que digita…

    Abraços, o blog está muito bom.

  • Sol

    EM Portugal, não somente fala-se ERRADO! Como FEIO também!!!

    A pronuncia…. é feia de mais, e também o idioma é muito antigo não é moderno. não é LINDO E MODERNO como NO BELO BRASIL!!!

    EU SEI QUE EXISTÉM MUITOS E MUITOS PORTUGUESES QUE NÃO GOSTAM DO PORTUGUES DE PORTUGAL.

  • Christian Dillon

    vglozldnaip3dweu