Imagine o que o Estadão pensa dos portais

A mídia tradicional não acredita na Internet, se sente às vezes obrigada a investir nela, mas o faz com plena certeza de que Internet é algo no mínimo menor. E É. No momento O Maior Blog do Brasil segundo o Ranking Cardoso da Blogosfera não arranha a cobertura de um Jornal Nacional, uma Folha de São Paulo, ou mesmo o Programa da Hebe. Mesmo assim, se for pra investir seria melhor que não o fizessem com má-vontade. Só que o preconceito não vem só das organizações, malvadas e sem-rosto.

Digamos que na cadeia alimentar dos jornais e dos jornalistas, Internet é terceiro escalão, fica abaixo mesmo dos Jornais de Bairro. Isso faz com que em sua maioria dos profissionais mais experientes não queira trabalhar na área, e mesmo os mais novos, assim que se destacam são arrastados para o jornal “de verdade”. Arrastados com um belo sorriso no rosto, pois o próprio profissional não enxerga a Internet como um fim, no máximo é um “estágio estendido” até poder fazer jornalismo de verdade.

Para piorar os portais são os que mais sofrem com isso. Convenhamos, entre trabalhar na Folha ou no Terra, onde você prefere? Se for nas condições atuais, eu escolheria a Folha, sem piscar duas vezes. Setor de jornalismo de portal é encarado como despesa. Precisam depender de agências de notícias, estagiários e gente que comete erros primários, gente que comete barbaridades que ninguém veria na mídia convencional. Se uma besteira dessas passa em um jornal de verdade, não roda só o foca, vai um grupo embora junto.

Há gente que viva de catar barbaridades encontradas em portais. Eu mesmo já publiquei uma penca delas que achei por aí. O responsável pelas matérias não se dá ao trabalho sequer de pensar. É tudo feito na base do “de qualquer jeito tá bom”. O senso crítico, que cobro dos leitores, é ausente por parte dos portais. Vejam por exemplo a imagem abaixo.

carloscardoso-yahoonews.jpg

Segundo a legenda neste post do YahooNews, a mulher está mostrando duas balas que atingiram sua casa durante um tiroteio, no Iraque. Será que o estagiário simplesmente formatou e clicou “publicar”? “não ganho pra isso” é insuficiente pro sujeito se mexer e dizer “ei, um momento, essas balas não foram disparadas, essa notícia está errada”?

Não há um editor, responsável por verificar o conteúdo? Como os portais querem conseguir um mínimo de credibilidade assim? Apenas republicando material das agências de notícias, sem um mínimo de discernimento e senso crítico, estão dando munição para que blogs os sacaneiem, e garantindo menos uma fonte de concorrência para a Velha Mídia.

Logo os portais perceberão que os blogs estão comendo seu espaço, e mesmo com grandes nomes por trás, os leitores continuarão insatisfeitos. Não adianta você ter um “CardosoNet News – by Washington Post” se quem edita as notícias é o irmão mais burro do Forrest Gump. Esses leitores tendem a migrar para blogs, onde têm a opinião, e pra mídia tradicional em sua versão online, onde acham a notícia escolhida com discernimento.

Os portais tem, então, duas possibilidades. Em uma delas prestigiam, investem e criam um ambiente onde o profissional de comunicação se sinta satisfeito e orgulhoso de trabalhar ali, onde ele tem poder de investigar, gerar conteúdo, tem verba para investir e produzir conteúdo original de qualidade, competindo com os blogs E com a grande imprensa, tendo o melhor de dois mundos: A Agilidade da Internet e a profundidade e credibilidade de uma matéria jornalística investigada com competência.

Isso, claro, em um mundo ideal. Na prática, acho mais provável que optem pela segunda opção.

Isso mesmo. Para vocês mais uma previsão do Pai Cardoso, anotem aí:

“Em um futuro próximo os portais atacarão os blogs independentes, culpando-os por sua perda de audiência e credibilidade.”


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • AHUHAUHAUHAUAHUAHUAH!!! VIVO DISSO! HAUHAUHAUHAUAHUAHUAHAUAHUAHUA QUE PIADAAAAAAAAAAA!!

    O problogger aqui é você :P

  • Pois acredite, eu já vi o mesmo tipo de situação em jornais impressos, tais como Globo, Dia e outros.
    Tem gente que além de ignorante é arrogante, e aí destacam-se as editorias de jornais.
    Você, um cidadão que nada tem a ver diretamente com assuntos que envolvam armas de fogo consegue distinguir um projetil de um cartucho íntegro (munição). Muitos jornalistas não, e quando fazem matérias do gênero não submetem seus achismos à nenhum profissional da área. A opinião é deles e ninguém tasca.
    Acredite, já vi pior em jornais consagrados.
    Mas, no tocante ao assunto do post, de fato, é irrefutável sua afirmação, os portais via de regra são bastante precários em se tratando de qualidade de informação. Como mencionado, basta catarem os erros, diversos e diários, lamentável…

  • Thiago Santana

    Some a isso, a falsa sensação de segurança que, por ser editável, a internet passa, quando se manda imprimir milhares de cópias de um publicação qualquer, se convenciona pensar bem no que tá escrito ali. Até um profissional medíocre pensa com um pouco de mais antes de dar "enter", no entanto, esse mesmo profissional medíocre num portal pensa: foda-se, qualquer coisa eu edito essa droga…

  • Marcelo

    Ora cardoso, não maltrate o salsinha, digo estagiário.. raios! O reporter da matéria. Vai saber se a arma do cara não travo e ele pegou as balas que tinha ainda e mandou de estiligue?

    Excelente post.

    Abraço

  • Há um problema triste: o das pessoas que alegam não terem tempo pra blog. Gostei da tua análise e do teu vaticínío.

  • Eu acho injusto culpar o estagiário por erros absurdos que vemos em jornais e portais, como o que eu vi ontem em uma matéria simples do G1. O cara não teve a capacidade de pesquisar onde ficava o aeroporto Internacional Afonso Pena, simplesmente o colocou como sendo de Porto Alegre, mas pertence a Curitiba. É um erro simples, mas tira a credibilidade da matéria. Acredito que estagiário, em começo de carreira, não comete esses erros.

    Acho pouco provável que os portais comecem a atacar os blogs independentes. A tendência é que eles acabem copiando o formato, como acontece com freqüência. A originalidade não é o forte deles. As empresas já fazem isso. Exemplo disso é aquele blog da Closeup ELES 3.

  • tenho meeedo de vc…

  • Outro dia um jornal do Espírito Santo publicou um ideograma japonês.

    Mal sabia o diagramador da matéria é q o arquivo catado no google images era, na verdade, FODA-SE em português mesmo.

    E um jornal de Gramado (a terra do Copiador Descarado) publicou um longo editorial sobre o mapa da amazônia internacional nos livros escolares americanos.

    Nós não temos jeito mesmo. Todos os seres humanos são naturalmente estúpidos.

  • Rafael Netto

    O caso clássico é aquele da edição online de um jornal do interior (Uberlândia) que publicou aquele hoax do Cardoso sobre o acidente da Gol como se fosse verdade…

    Mas é mesmo fato que a "grande mídia" despreza a internet, o site do Globo é um ótimo exemplo. Ano passado inauguraram com toda pompa e circunstância a maldita "edição online" que além de infestada de problemas de usabilidade e acessibilidade, as transcrições das matérias (no formato "dobrado") não têm revisão nenhuma, há palavras mal-escritas, hífens faltando (sempre), quebras de parágrafo em lugares errados, e às vezes pedaços inteiros de texto faltando ou fora do lugar. Não é à toa que até hoje ainda não passaram a cobrar pelo conteúdo.

  • Pois é, a internet é a terceira força, mas é a que mais absorve os profissionais que entram no mercado hoje em dia. Digo isso, pois sou jornalista e NUNCA trabalhei em redação.

    Muitos amigos começaram em assessorias, outros trabalham com internet e poucos, muito poucos possuem contatos dentro de redações e conseguem vagas. Mas remoendo aqui a memória, não lembro de ninguém que está em um veículo "importante".

    A internet tornou-se um nicho de trabalho muito interessante e agregador e não respeitá-la é um erro enorme por parte da mídia "tradicional". Já estamos vendo os blogs sendo atacados com a campanha do OESP e espero que seus concorrentes vejam onde isso vai chegar a aprendem a lição.

    Abs

  • Eles preferem focar os profissionais capacitados nos seus veículos tradicionais, se arrependerão muito por isso em um breve futuro…

  • Cada vez mais me parece que as mídias tradicionais querem entrar em guerra com as mídias digitais. E essa previsão do Cardoso anuncia uma Guerra Midiática iminente.

    Só sei que é muito improdutivo isso tudo, as mídias tradicionais deveriam se adaptar logo ao mundo digital. Hoje mesmo eu estava lendo sobre uma pesquisa feita em 1998 nos E.U.A (prestem atenção na data), que colocava a internet como a terceira mídia mais consultada pelos norte-americanos, atrás da tv e do rádio e muito à frente dos jornais e das revistas. Não sei como são estes dados hoje, mas creio que não devem ter mudado muito.

    Pra eles, esse tipo de pesquisa deve preocupar; pra gente, que nos utilizamos da internet como suporte para nossos conteúdos, devemos mais é que trabalhar para manter uma certa qualidade para atrair (e manter e provocar e fascinar e informar e etc) a audiência.

  • Com relação à foto, uma probabilidade é que o fotógrafo, vendo que dois pedaços de chumbo amassado não seriam tão "fotogênicos" resolveu melhorar a foto com dois projéteis não disparados. Não seria a primeira vez na vida que eu veria algo assim partindo da mídia tradicional.
    Com relação aos portais, não é preciso ser um expert para perceber que o espaço de notícias é cada vez menor, em comparação com os links patrocinados e os links para outros "serviços" do portal e sites associados. Assim, é óbvio que a saída para a perda de audiência será culpar os blogs.

  • Pingback: Blogueiros respondem()

  • Mas querer comparar blogs com televisão é sacanagem!!!
    A realidade é esta que você falou sobre os blogs sacanearem as informações dadas nos grandes portais, você está coberto de razão!
    Abração

  • Flavio, "o estagiário", assim como "as salsinhas", é um personagem mitológico usado nas parábolas blogosféricas. Não é necessário defender a classe, não. :)

    Bender: Então, de salsinha e de louco todo mundo tem um pouco? :P

  • Caro, concordo com sua colocação. Acho, entretanto, que o buraco é mais embaixo. Não são somente os grandes jornalões ou a mídia tradicional que passa por dificuldade de encontrar rumos. A discussão é sobre o jornalismo mesmo. Se é web, blog, jornal, revista, TV, não importa. As características primordiais do jornalismo – como investigação, apuração, senso crítico, entre outras – se perderam ao longo dos últimos anos. Até mesmo a imparcialidade, talvez a primeira dessas características, sumiu (vide o que a Veja vem fazendo). Inclua nisso o choque de gerações que é inevitável.

    Mantenho um blog sobre pérolas das assessorias de imprensa. Muita gente já me criticou dizendo que eu detonava as agências, quando na verdade queria mostrar alguns detalhes neste relacionamento redação X assessoria que poderiam ser melhorados. A grande discussão do momento é o valor que os próprios clientes dessas assessorias dão para a web: na maioria dos casos, nenhum!

    Sou profissional de redação, trabalho em uma editora pequena de revistas especializadas. Já fui editor dos sites e quer saber, desisti. Não tem idéia de como é difícil encontrar uma empresa que desenvolva sites com seriedade, que assuma um projeto, que saiba sugerir idéias para quem estava acostumado com papel. Este mercado, por incrível que pareça, chega a ser mais canibal que o de assessoria de imprensa. Nas primeiras conversas com gerentes de projetos e programadores, na web tudo é possível. Quando você começa a entrar em detalhes da mídia, os caras não sabem o que fazer e começam a barrar várias idéias. Ainda estamos batendo cabeça com isso. De qualquer forma, ótimas colocações as suas.
    Abraço

  • 1 – O Eduf (eduf-ponto-net), editor do site da revista Superinteressante, tem uma série em que expõe os desafios e dilemas da integração mídia impressa x mídia digital com muita coerência;

    2 – Assumiu mesmo o "Pai Cardoso"? Vai fazer um despacho na encruzilhada Rebouças x Faria Lima aqui em SP na semana que vem no BlogCamp? Huahuahuahua… Cuidado prá não acostumar com o encosto do 'cabôclo', kkkkkkkkkkkk…

  • Não tive paciência de ler os comentários pra saber se alguém comentou a mesma coisa que vou falar agora. Semana passada, em que o presidente Lula estava viajando pela América Central, um dos países que ele visiou foi justamente a Jamaica. Estávamos à mesa eu, meu pai e meu irmão, e este último simplesmente comentou:

    – A Jamaica não fica na África?

    Claro, a gente tirou o maior sarro da cara dele… Óbvio.

    Mas, essa semana meu pai veio com a seguinte história:

    – Tava assistindo ao jornal quando vi o apresentador falando: "… quando o presidente Lula chegou à Jamaica foi muito bem recepcionado e aplaudido pelos africanos do país em questão…"

    – Meu Deus! Quem falou tal atrocidade?

    – César Filho, num jornal no SBT, ao vivo…

    – OMFG!

    Acontece.. Cada vez pior.. Cada dia que passa..

  • Sou profissional de redação, trabalho em uma editora pequena de revistas especializadas. Já fui editor dos sites e quer saber, desisti. Não tem idéia de como é difícil encontrar uma empresa que desenvolva sites com seriedade, que assuma um projeto, que saiba sugerir idéias para quem estava acostumado com papel. Este mercado, por incrível que pareça, chega a ser mais canibal que o de assessoria de imprensa. Nas primeiras conversas com gerentes de projetos e programadores, na web tudo é possível. Quando você começa a entrar em detalhes da mídia, os caras não sabem o que fazer e começam a barrar várias idéias. Ainda estamos batendo cabeça com isso. De qualquer forma, ótimas colocações as suas.

    Permita-me discordar.

    Concordo plenamente que 99% dos profissionais e empresas de informática são um lixo.

    Mas isso que vc relatou é culpa do cliente, se eu vou lá com a minha empresa e te dou um orçamento de 50 mil reais, vc acha caro, dai chega uma empresa dessas ai, que fazem milagres, com um orçamento diminuto e vc contrata quem?

    You get what you've paid for!!!

  • Estive cruzando alguns números entre os rankings do Interney (baseado no Technorati) e o Blogblogs. No Comscore você nem aparece (o 'sample' deles é pequeno no Brasil), e no IBOPE/NetRatings o Contraditorium aparece muito abaixo do Interney por exemplo, com apenas 53.000 unique visitors (contra 579.000 do Interney).

    Alguém está interessado num estudo parecido com esse? (é um trabalho bem manual). Estamos de acordo que a base deveria ser o TOP 100 do Blogblogs?

  • Silva, não há um ranking "correto", todo ranking tem uma metodologia própria, acho que quanto mais segmentação melhor. Vamos esquecer um pouco essa coisa de "maior blog do Brasil", isso é muito bonito mas no final não rende nada de útil.

  • Quero mais qu eos portais "se matem" tô nem ai!

  • Não entendeu a notícia?!

    A casa da velhinha foi atingida por aquelas munições, que caíram de um caminhão que trazia um carregamento de munição e capotou alí próximo.

    Certa vez dei entrevista por telefone ao Correio Braziliense sobre um inquérito que presidia e publicaram tudo distorcido. Virei motivo de gozação entre alguns colegas e levei alguns meses para convencê-los de que não tinha dito aquilo que foi publicado.

    Em resumo, e concordando com os colegas: não é só nos portais que a qualidade está ruim. É na imprensa como um todo.

    Depois de ler esse post e visitar os links das mancadas publicadas na internet fiquei com uma pulga atrás da orelha. Será que vou ter que revisar todos os posts do meu blog?

  • Nil

    Olá Flavio até ai o editor apenas deixou de pesquisar , mas a partir daqui já passa a ser erro grave .

    "Vida saudável: Lindsay Lohan anda de —>bicileta nos EUA"
    http://i227.photobucket.com/albums/dd125/photodir

    Abraço

  • Pingback: O ATESTADÃO - O Jornal que vem na contra-mão()

  • eu

    Pronto, agora o Kaputz do ueba nunca mais vai linkar voce, que criticou as pessoas que criam sites chupadinhos de outros lugares.

  • O UEBA não faz reblog, ele é agregador social, como o digg, o rec6 e tantos outros. São modelos completamente diferente do sujeito que copia um post na íntegra, coloca no final "via meiobit" e acha que tem um blog.

  • Não é só em notícia não, da uma olhada aqui http://videotutoriais.blogspot.com/2007/07/e-mail

    Abraço

  • Me lembrei da foto na capa do UOL após o acidente da TAM… a pessoa, que supostamente, se jogava do prédio…