Como tem Jesus no Twitter

Eu confesso, estou começando a gostar do Twitter. Está sendo um processo demorado, não foi como aceitar que o Flickr é uma rede social. Bastou o Interney balançar a mão dizendo “O Flickr é uma rede social” e eu acreditei (mas ainda não achei os andróides que estava procurando). Já o Twitter, sua condição de rede social sempre foi evidente, talvez por isso eu tenha tanta implicância com o serviço.

É o termo “social”. Eu defendo que a única coisa com “social” no nome que funciona se chama elevador. Só perde para “democrático”, quando usado por brasileiros.

Mesmo assim o Twitter tem se mostrado bem útil, seja para discutir a questão do BlogBlogs, seja para marcas chopps, seja para acompanhar em tempo real o ataque terrorista em Mumbai. A cada 5 segundos, 80 mensagens de Twitter eram enviadas sobre o assunto.

Esse último caso aliás foi um show, o Twitter passou a perna em TODA a mídia tradicional. Os heróis da cobertura foram Twitter e Flickr. A ponto de uma jornalista da CNN, uma rede tradicionalmente adepta de novas tecnologias, citar Tim Mallon, um blogueiro claramente com medo de se tornar irrelevante:

Eu comecei a ver o lado feio do Twitter, longe de ser uma versão de notícias oriundas das multidões, ele é na verdade baseado em turbas e abastecido por boatos, em uma câmara incoerente de tweets, re-tweets e re-re-tweets. Durante uma hora eu acompanhei o Twitter e havia uma enorme diferença entre as estimativas de mortos e feridos, chegando a 1000.

Bem, caro dino-blogueiro, é isso que acontece quando você está no olho do furacão. A gente conta o que sabe, o que houve, o que vê. Quer a Big Picture? Boa sorte. No caso do acidente da Gol eu vi o número de mortos subir e descer o dia inteiro, a Velha Mídia tinha tantos problemas em apurar os números quanto qualquer um. Isso se chama CAOS e CONFUSÃO, faz parte de situações envolvendo acidentes, atentados terroristas e tsunamis.

Então, blogueiros com medo da obsolescência e jornalistas da CNN com ciuminho à parte, o Twitter já disse a que veio. Mas e os twiteiros?

Eu tenho visto um fenômeno que me preocupa: Os twitteiros estão mais preocupados em gerenciar seu número de seguidores do que expor suas idéias, fazer suas gracinhas ou mesmo descrever seu almoço.

Os trolls falam que os blogueiros pensam o tempo todo em cliques. Se eu escrevo algo que UM idiota discorda o sujeito desqualifica meu blog inteiro dizendo que ao discordar dele estou apenas atrás de “polêmica barata”. O fato de ter citado o acidente da Gol três parágrafos acima é o suficiente para gente pensar (não que eu considere quem imagina essas coisas gente, nem que pensem) “ahá, caça-paraquedistas!”. TUDO no blog que não for absolutamente pasteurizado, inócuo, branco-gelo e sem-sal é “caça-paraquedistas”.

Eu repito, sugiro e conclamo os blogueiros a soltarem um VTNC e escreverem o que acharem melhor, DANE-SE se alguém vai achar que é “pensado para atrair salsinhas”. Deixar seu texto ser afetado por causa disso é ruim, muito ruim.

E é exatamente o que todo mundo está fazendo no Twitter.

Perdi a conta de quantas vezes já recebi mensagens privativas dizendo:

Você não tem medo de perder seguidores, depois desse último tweet?

Eu não sou nenhum Messias para ter seguidores. No máximo eu chamo de leitores, e olhe lá. Mas eu sou eu.

Hoje um twitteiro famoso (isso é fundo do poço, Miss Cangaíba perde) estava desesperado pois queria parar de seguir várias pessoas mas teria que “responder por isso”, justificando pessoalmente sua decisão, pois as pessoas iriam perguntar “pq você não me segue mais?”

Ai meu saquinho.

“Followers”, “Seguidores” não são discípulos, cacete. Seguir alguém no Twitter nada mais é que acompanhar o RSS de um blog, o efeito é o mesmo. Ninguém fica se justificando por assinar ou desassinar um blog. Exceto os trolls. “Nunca mais leio esta merda de blog” significa que o sujeito acompanhará religiosamente, para ver se você fala dele.

O ato de acompanhar alguém no Twitter ganhou uma importância grande demais. Bolas, um twiteiro que eu acompanho direto, o Nick Ellis, vive entrando e saindo da minha lista. É mais cômodo colocá-lo no snooze (desassinando temporariamente) do que ficar acompanhando as fases chatas. Sim, todo mundo tem fases chatas no Twitter. Da mesma forma que pulo posts em blogs que gosto, pulo períodos de tempo em twitters que gosto. E ninguém morreu por causa disso, embora o Nick não esteja se sentindo muito bem.

O que não dá é essa preocupação se tornar o foco do Twitter. Eu não acho que seja saudável um monte de gente pensando 5 vezes antes de escrever algo, com medo de perder audiência e cair no ranking do Twiiter.

Aliás, boa dica: Que tal o pessoal da blogosfera vira-lata aproveitar o know-how e macetear também o Ranking do Twitter do Cris Dias?

O microblogging é uma tendência muito legal, é talvez o mais ágil meio de comunicação possível. Mas com 140 caracteres, há muito pouco espaço para se dizer o que é importante, que dirá se fazer de mascarado.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • O twitter é uma ótima ferramenta. Considero ela como a melhor forma de falar sozinho e obter uma resposta… porém, como ela está no nivel social, muitos a usarão como ranking para sua popularidade (provavelmente um reflexo da sua frustração por não ser popular na vida real)… ter 3 perfis lotados no orkut e ter 1 zilhão de seguidores no twitter te coloca como alguem importante… e por isso pessoas se preocupam muito no fato de serem seguidas, e criam chiliques como os citados… eu uso o meu bom e velho metodo de só adicionar quem eu conheço, ou quem mereça ser acompanhado (geralmente alguns blogueiros). Não sigo a politica de seguir quem me segue… se quer me seguir… blz, pode seguir, mas não espere um seguidor em retorno

    • "….Considero ela como a melhor forma de falar sozinho e obter uma resposta…."

      Cara, você disse tudo…

  • parabens pelo blog amigo … hj em dia n eh nada facil manter alguma coisa ;)

  • O twitter me enferrujou um pouco. Ideias razoáveis que eu poderia desenvolver num post ficam restritar nos 140 caracteres. Por outro lado eu faço alguma coisa com aquelas tiradinhas que eu teria preguiça de postar.

    Sobre perder seguidores? Oras, eu duvido seriamente da sanidade mental de quem me segue no Twitter. Ou que leêm o meu blog. Se eles me abandonarem fico triste mas só quer dizer que eles evoluíram…

    Ooops, acho que eu falei demais. Vou perder alguns deles, huahauhauha

    • Eu cansei daquilo, faz 1 mês que não entro e agora ranking? Mais um ranking pra eu não dar a mínima rs

  • Se eu disser que não me importo com a popularidade, me chamarão de hipócrita, com certeza. Mas com os níveis de audiência que eu ando tendo, eu parei de preocupar pra não sofrer. Posso dizer que estou lá, e se as pessoas acompanharem, é lucro. Porque, afinal, ningém gosta de ficar falar sozinho na "Web 2.0"…

    PS.: Acho que estou começando a levar essas coisas a sério. Se isso é um bom sinal, quem sabe…

  • Ai.. nem vou acrescentar muito, mas já enjoei do Twitter :(
    Acho ele uma perda de tempo tanto quando foi o Orkut pra mim, uns anos atras.

    Estou pouco me lixando para quem me segue. Nem sei quantos são…

    Maysa

  • "“Followers”, “Seguidores” não são discípulos, cacete."

    Nunca ouvi a expressão "vou seguir um (micro)blog", só "vou acompanhar um (micro)blog". O mais correto seria traduzir assim, eu acho. Mas tradução e tecnologia são coisas que não combinam (vide Linux e Palm).

    • Talvez seja porque "acompanhadores" não é uma palavra que soa nada bem, e "companheiros" tem um péssimo duplo sentido.

      • É uma palavra esquisita, mas expressa melhor o sentido desejado. O que não soa bem é ser seguidor do Cardoso (calma… amigo… é só brincadeira…).

        O que soa mal, mas mal mesmo, é "sincronismo". Mas todo mundo já se acostumou.

  • Só para constar, eu estou me sentindo ótimo! :P

  • "Eu não sou nenhum Messias para ter seguidores." Há, muito bom.
    Eu sou satisfeito com os poucos que me seguem. By the way, eu te sigo.

    • seguidores são importantes para não ficar falando sozinho, mas se preocupar demais com isso é preocupante… Eu sigo um montão de gente e poucos estão me seguindo, porém, sempre consigo respostas quando pergunto algo.

      Abraços,
      @monthiel

  • Porque o Flickr é uma rede social?? Pra mim é só um lugar de guardar fotos.
    Eu aprendi a gostar do Twitter, aprendi a ser mais sucinta e breve com ele e tambem já fez eu ter várias idéias pra escrever nos momentos de pouca inspiração.

    Estou nem aí, sigo quem eu gosto, mas fujo de quem não responde, não comenta nada, não interage e não dá moral pra reles mortais..
    Cara, você não sabe se divertir e se preocupa muito com o que teus “folowers” acham, manda quem reclama tomar banho na soda e prontinho. :)

  • Bigode

    "…audiência e cair no ranking do Twiiter."
    Typo aqui. Passou a meleca do l pro i, cardoso? Also você oscila entre twiteiro e twitteiro, decida o termo mais adequado e abandone o inadequado.

    "“Nunca mais leio esta merda de blog” significa que o sujeito acompanhará religiosamente, para ver se você fala dele."
    QFT.

    Eu não curto basicamente o Twitter porque
    o limite de 140 caracteres que deveria estimular
    mensagens "curtas, grossas, brutais, rápidas e intocáveis"
    acaba sendo corrompido pela multidão
    virando um mimimimimi pralápracá, fica, "Social", sabe?

  • JV

    Bigode, isto é deslexia…

    • Bigode

      Se o cardoso é *disléxico* (ou então apenas algum usuário com um teclado melequento), isso não faz as typos dele deixarem de ser typos.

  • Putzzzzzzzzz,DESLEXIA,foi forte……..
    Dislexia seria melhor,embora não seja o caso do compulsivo.
    E olha,é de grátis que falo isso,porque o Compulsivo nem sabe da minha existência.
    Eu fiz o Twitter,de vez enquando coloco alguma coisinha lá,mas como "falo"demais,140 caractéres é só pra dizer oi,aí fico colocando váriossssssss postzinhos.

    Prefiro meu blog mesmo,que falo e falo e se tem alguém lendo ou não,não sei,(gostaria muitoooooooo que tivesse),mas…..não sou novela para me seguirem.Ler sim,sempre é bom.Mas seguir???????
    Ah para ôh!!

    Beijos Compulsivo.

    • Eu mandei beijos pro Compulsivo no blog errado?????
      Cardosooooooo me perdoa?????

      beijos para você Cardoso.

      O que falei acima continua valendo,O cardoso também não sabe da minha existênica.

  • Tão sucinta quanto o Twitter:
    1- Eu AMO o Twitter, assim como amei intensamente o Orkut um dia;
    2- Já faz tempo que não me preocupo com o teor dos meus twitts… Sim, um dia, eu já achei que isso fosse importante #confissoes
    3- Eu sigo o Cardoso! E não me arrependo, mas ai dele se me der unfollow :-P

    Nem tão sucinta:
    Uma coisa interessante que, inclusive, estava debatendo no outro dia é:a INGENUIDADE de certas pessoas em acreditar que se os "grandes twitteiros" te seguem você é importante.
    É sério isso… Eu já ouvi isso! Então, se o Nick, o Cardoso, o Cris e o Ian me seguem, eu sou importante por isso?! Tão tá, né?! Deixa eles acharem que eu sou alguém hauhauhauiahuiahaui.

  • E quantos blogs não deixam de produzir ótimos textos, por estarem sendo vigiados? Me lembro que o Bruno Alves escreveu um texto sobre isso há pelo menos dois anos.

    Eu utilizaria seu texto não apenas para falar do twitter, mas de blogs também. Criamos uma massa de egocêntricos, que estão fissurados pela pseudo-fama, e confundem chatisse com formar opinião.

    Mas é a velha história, troll só é macho na internet.

  • Quem diria que o cardoso iria se render ao twitter e gostar! Gostei comparação com jesus, tem bastante sentido…

  • Twitter é sou de bola uso muito

  • Cardoso, não sei se foi proposital de sua parte, mas olha o que o Luiz Weis escreveu no Observatório da imprensa: http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/blogs

    Na boa, sou jornalista, tenho um blog sobre o futebol carioca e estou entre os dois mundos. Concordo 1000% com você.

    Abraços, Carlos Alberto

    • Não tinha visto. Céus, acertei na mosca.

  • A unica coisa que me assustou forasm as mensagens que você recebe em PVT. Isso realmente existe ? Apavorante.

  • Não sei se o "twitteiro famoso" que vc citou sou eu, hehe, pq eu justamente reclamei disso hoje. Mas é fato, Cardoso: aconteceu recentemente. Deixei de seguir uma pessoa, uma blogueira gostosa (que, na verdade, é mais ou menos gostosa e chata pra cacete, e sei lá pq eu a seguia), e aí não só recebi dois e-mails como ela ainda me apareceu no gtalk pra saber o motivo. WTF?! Posso parar de seguir, ou então de ler?! Não, me parece. Diminuir o número de seguidores é um absurdo — pra esse povo.

    Concordo totalmente com tudo o que você disse.
    Mas vai cagá, Miss Cangaíba FTW. =D

  • House strikes back. Acho que concordo em gênero, número e grau. Eu também sou chato no twitter quando estou muito empolgado com algo, reconheço. Assim como tem muitos outros que o são também em momentos, mas aí só ignoro as twittadas e procuro quem quero "ler" nakela hora.
    A última pessoa que veio tirar satisfação comigo de porque parei de seguí-la levou um tão grande na fuça que até hoje "baixa a cabeça" pra falar comigo. Não devo satisfação do que acredito ou deixo de acreditar, e muito menos de quem "sigo" ou deixo de "seguir". Eu sou "stalker" de quem eu quiser, ora bolas. Se sou evangélico ou ateu, se estou entre cris dias e cardoso é problema meu. Cada um no seu quadrado mesmo.
    ótimo post!

  • Até então estava criando uma grande resistência ao twittter.

    Por que? Uma rede social em que me limito a escrever curtas frases e ler curtas frases seria útil na minha vida?

    Bem. Até então não tive a resposta. Mas, já vejo que algumas informações lá veículadas são uteis. Quando não, e passam a incomodar basta deixa de seguir o veiculador inútil. Enfim, algo simples, objetivo e que me aparenta um dia ser útil.

  • Entrei no twitter ontem e estou achando muito legal, apesar das besteiras que a gente lê por aí (como o artigo do Luiz Weis).

    E ah… Eu te sigo Cardoso!

  • Pingback: vivablog.com.br» Arquivo do Blog » Twitter()

  • Eu não consigo gostar do Twitter.

    "Aliás, boa dica: Que tal o pessoal da blogosfera vira-lata aproveitar o know-how e macetear também o Ranking do Twitter do Cris Dias?"

    Vou falar com os autores daquele meme e vamos ver o que nós podemos fazer. Mas, caso conseguirmos, quais são as chances de você excluír o seu acc?

  • sou muitooooooo preguiçoso para acompanhar twittar…rs

  • Concordo com o seu texto, mas o fato de vc só seguir 28 pessoas não depõe de certa maneira contra você?

    Você incentiva as pessoas a escreverem o que quiserem, mas se segue tão poucos não podemos interpretar que é pq vc acha apenas esses poucos "relevantes"?

    • Não, seguir pouca gente só quer dizer que eu não gosto de redes sociais. Na verdade era para seguir menos gente ainda.

  • Uso o twitter da mesma forma que uso os blogs, adquirir informações e me divertir…

    Confesso que parei de seguir o Cardoso, pq parecia estar seguindo Deus ao inverso, era toda hora um trecho da bíblia e uma pergunta e mimimi, e tals… muito bitolado! Virou moda ser ateu extremista na internet. Se já não bastasse os crentes gritadores…

    • E eu não fiz mimimi por causa disso. Viu? Assim que funciona. Twitter não é nada de especial.

      • pode crê…ajuda mesmo quando as pessoas se propõem a linkar coisas interessantes, artigos, etc…como diário pessoal é chato. Mas continuo lá…huahuahuhauh

  • Sou aidna muito novo, poderia alguem me ajudar de o que seria e como usar o twitter?

    Grato