De CQC, Kibes e Moinhos de Vento

moinhos

Semana passada rolou um auê nas Internets, um quadro do CQC havia sido censurado na Justiça. Eu não gosto do CQC, já falei isso e não assisto o programa, mas ao contrário dos Trolls tenho grandeza suficiente para entender que um programa, mesmo um que não me agrada ser censurado é algo sério. Assim fui ver o tal quadro, posteriormente liberado por um Desembargador. (mais detalhes aqui)

Eu recomendo a TODO MUNDO que assista, foi algo delicioso de se ver. Colocaram um GPS em uma TV, doaram para a Sec. de Educação de Barueri. O Secretário (irmão do Prefeito) adorou o presente, falou que iria para uma escola, etc. Depois de alguns dias a TV foi retirada por um funcionário da prefeitura “para sintonização” e sumiu.

Sumiu em termos, graças ao GPS rastrearam até a casa de uma funcionária. O Secretário de Educação não sabia disso, foi um rebu. Só que como isto é Brasil, o corrupto se mostrou apenas uma engrenagem do Sistema, e a principal e única função do Sistema é proteger o Sistema.

Em entrevista ao CQC o Prefeito de Barueri, Rubens Furlan perdeu uma excelente oportunidade de baixar as calças e girar o pinto, como o Brüno. Seria menos danoso. Sério, foi uma Vergonha Alheia digna de lavadeiras, na visão mais estereotipada-novela-da-globo do termo. Ele xinga todo mundo, chama Marcelo Tas de Careca Babaca, xingou Deus e o Mundo, foi algo assim patético. Assistam, por favor.

Dito isso, no Twitter elogiei muito a idéia, apesar da péssima execução do Danilo Gentili, Sim, ele é muito ruim. Deveria vir para a mídia impressa, pois escreve MUITO, MUITO melhor do que standapeia ou reporteia.

A idéia foi tão forte que NEM ele estragou. AÍ meu mundo caiu.

Eu sempre soube que o CQC é uma franquia de um programa argentino. Isso é normal, a Globo vive licenciando formatos da Endemol, The Office, Life on Mars são séries que também foram “franqueadas”, não há demérito nisso.

Demérito há em repetir as mesmas idéias já feitas na edição original. Sim, os argentinos fizeram a matéria com o GPS na Televisão, igualzinho.

Entendam: A idéia continua do caralho, mas levando-se em conta todos os envolvidos, o mérito do sucesso da matéria é dividido entre o Prefeito de Barueri e os argentinos. Não é JUSTO elogiar ninguém do CQC Brasil pela CRIAÇÃO da idéia.

apedrejamento

CLARO, comentei isso e fui apredrejado. Minha sorte é que os fãs xiitas do CQC ainda não chegaram na Idade do Bronze. Dizer que não gosto do programa que os faz se sentir inteligentes é uma heresia.

Como Criador me decepciona quando vejo algo requentado, é uma postura pessoal, eu gosto de material original, admiro quem pega barro e cria Vida. Os mitos da Criação costumam ser os mais bonitos. Mas estou sozinho.

Meu grande embate com o Kibeloco é esse. É um blog que virou sinônimo de cópia. Hoje na Internet brasileira o termo “kibar” é de uso público. Ele repete material publicado em outros blogs com dias de atraso, não coloca fonte e quando coloca não põe link, exceto quando é algum blog da patota.

Não sou só eu. O Cocadaboa foi um dos grandes blogs a se posicionar contra a kibagem, o Treta iniciou a campanha Usura Não!, adotada por vários outros blogs para lembrar ao Tabet que ele não está sozinho no mundo e é bom creditar fontes.

Em resposta a essa acusação de falta de talento e ausência de criatividade, Antônio Tabet me ataca xingando de Gordo. Como dizem em Lei & Ordem, não há mais nada a apresentar, a Promotoria encerra.

O problema é que eu estou me sentindo sozinho. Minhas preocupações com criatividade, originalidade não ecoam. Piadas óbvias repetidas são aceitas, talvez pela familiaridade seja mais fácil rir delas. Gentili é chamado de gênio ao fazer piadas sobre o Trânsito de São Paulo. Ontem entre os vários ataques dos fãs do CQC, guardei dois especiais:

kibada1

kibada2 

Como podemos ver o mercado para o ChatRoleta vai bem. As SETE empresas que deram entrada no INPI tentando registrar a marca “Twitter” vão bem. Os iFones, oPhones e similares vão bem. As mais de 400 aplicações de peido do iPhone vão bem. O kibeloco vai bem, a Esfirra Doida, o Tabule Demente e vários outros blogs com certeza existentes vão bem.

Copiar não é demérito, copiar é quase obrigação, visto que o “Leandrinho” e a “Patti” não me deram sequer opção de discordar.

Eu só pergunto a essa gente, como pergunto ao Tabet: De quem vocês irão copiar quando todo mundo com criatividade tiver desistido de produzir algo original?


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Esfiha Doida. HAHAUHUHAUHAUHUHAHUA

  • smx

    Hm…que delicia! gostei!

  • São textos são sempre muito bons, mas os últimos estão geniais.

    E viva uma mente criativa e original!

    • Nando

      Verdade. Acho que depois que ele ficou algumas horas sem twitter, ajudou a focar de novo no blog. ;)

  • Eduardo

    Sairia mais barato dublar o CQC hermano.

    • Fábio Verdelo

      Concordo! (apesar de não ter noção dos valores de direitos autorais, dublagens e etc.)

      Mas COM TODA A CERTEZA a repercussão não chegaria nem perto de um décimo da que a matéria feita no Brasil teve. Por motivos óbvios, que graça tem de falar mal do governo do País alheio?

  • Lorena

    Acho q o efeito da reportagem – fazer um político ficar de calças na mão, mesmo sem balançar nada como o Brüno fez; não fez muitos verem o que vc percebeu, Cardoso.

    Não considero tão relevante a simples reprodução da ideia, é mais um sintoma do doente terminal.Mas percebo que vc vê moinhos de vento.

  • Infelizmente o que vemos na Blogosfera (para não citar outras áreas) é essa total falta de capacidade em gerar conteúdo original e único. Enfrento isso diariamente com o conteúdo de meu blog que é insistentemente plagiado/duplicado/roubado. Criar e gerar conteúdo é uma tarefa muito complicada para a maioria das pessoas.

    Criar exige estudo, dedicação e esforço constante. É preciso trabalhar (mesmo que intelectualmente apenas) e leva horas, até dias para se chegar em algo definitivo. A facilidade está na velocidade em que uma informação circula e como temos acesso fácil pelo meio digital. Para tudo há um "Ctrl+C" disponível.

    Até se pensarmos bem, o "RT" de nossos twitters são boas ferramentas de treinamento para a cópia irrestrita. Se gosto de algo, posso dizer (tuitar), sem precisar formular, raciocinar.

    Cardoso, também acredito que em breve, aqueles que criam, não vão mais querer este ofício.

  • Larissa

    Excelente. Parabéns.

  • Com certeza farão cópias das cópias, colocarão uma maquiagem e dirão uma frase de efeito como: "Algo inéééééditoooo!"

  • Gabriel Figueiro

    Como vc é chato…

    • Então vá se foder pra lá e não perca tempo lendo meu blog.

      • Robson

        Uahuahuahuahuahuahua

      • Fabio

        heuaheuahu

        Liberdade de expressão vem acompanhada de liberdade de levar um toco.

        • HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH…!!!

          Mandou bem, Cardoso.

          Não tenho ideia do que seja o assunto tratado, não conheço CQC, kibeloco, ou seja lá o que seja, mas conheço trolls.

          Dos argentinos gosto das mulheres deles.

          Tolerância zero!… Há já vi isso num programa humorístico.

  • Danilo

    Não sou fã do CQC mas…o Rafinha avisou semana passada que a mesma coisa foi feita na Argentina e deu cadeia…só não especificou que foi no CQC de lá…

    • Ai meu cacete. ONDE, ONDE, ONDE eu falei que eles esconderam a origem? EM QUÊ isso muda?

      • Cristiano

        Oras. Isso não muda nada. Só significa que eles não roubaram a idéia de ninguém, só fizeram igual. Eles podiam ter legendado o programa argentino, mas é mais interessante ver o negócio acontecendo aqui mesmo, na voz original. Se eu visse o programa argentino pensaria "alguém devia fazer um negócio desses aqui".

        • Desculpe, mas eles não roubaram o quadro, roubaram "a idéia"!

          Poderiam ter colocado num computador, ainda assim seria a mesma idéia.

          O resultado provavelmente seria interessante, talvez o mesmo.

          Seria bom, e ainda assim, não original.

          Ziraldo, quando lançou seu "Onde NÃO estáo Menino Maluquinho" mencionou que era uma idéia de milhares de dólares, porque a idéia ORIGINAL do "Onde está Wally", sim, era idéia de milhões.

          Aloha!

        • "Não roubaram a idéia de ninguém, só fizeram igual" é uma frase deveras interessante.

        • Paulo

          É.. cada vez mais eu penso, que interpretação de textos na escola devia ser uma materia mais aprofundada.. Porque ta dificil das pessoas entenderem o que o cardoso escreve.

      • Respondendo ao ONDE: no momento em que você comparou a atitude do CQC Brasil com a do Kibeloco.

        • Não dá para esperar muita coisa de sofativista.

          Nem que eles entendam o que os outros escrevem.

      • Nando

        Que isso gente! O Cardoso não disse que ninguém roubou nada. Ele só chamou atenção pro fato de que os CQCs teriam ganho muito mais pontos se a idéia fosse original criação deles.

  • "o que é bom tem que ser copiado" é foda, hahahahaha! Os direitos autorais servem pra que então?

  • Cavedoon

    Cardoso. Minha visão de mundo pode ser um pouco limitada, mas sou um grande consumista de conteúdo. Uma coisa eu percebo, que conteúdo NOVO, novo é difícil de se encontrar. Quanta coisa nova ainda é possível criar!? Com sabe no que se cria algo novo?

    Aperfeiçoando algo antigo? Descobrindo algo para atender uma necessidade com base em novas ideais, já existentes? Imaginação?

    Tenho minhas duvidas quanto a isso, mas eu com certeza, acredito na maneira em que uma idéia nova, possa ser reciclada e apresentada de uma maneira nova.

    Acho que foi uma boa matéria, pelo resultado. Não é truque novo, mas ainda funciona!

    Não estou nem ai pro Kibeloko ou da rixa de blogueiros. Muitos acham mais fácil visualizar o conteúdo tudo reunido num blog só e ficam felizes achando que é de lá que eles surgiram.

  • Robson

    É, Cardoso. Não dá pra discordar do Gabriel Figueiro. Você é chato. Assisti pela madrugada de hoje e fiquei vibrando aqui em casa e pensando: "caramba, os caras tão começando a criar coisas legais!". Aí vem você e joga a verdade assim, dessa forma displicente, na nossa cara. Você é chato. Desmancha prazer. Chato e bobo. Ah, e gordo, parafraseando Tabet.

  • Cardoso, seu texto está realmente excelente. E concordo com tudo que você disse, mas acho que o problema que as pessoas tem com você é o fato de que é sempre 8 ou 80. Apesar de você ter achado o quadro "uma delícia" nas sua palavras, ao saber que foi copiado (coisa feia CQC tsc, tsc), você passou a atacá-lo. Aqui no blog você expôs sua idéia de maneira claríssima, quase impossível de não se concordar, tudo muito coerente, mas no twitter, acho que o seu "jeitinho" (rsrsrs) acaba deixando as pessoas muito putas da vida. Você além de criticar o quadro, criticou também o progama, e claro, opiniões se confundiram.

    Na minha opinião independentemente da idéia não ter sido original, ainda foi uma coisa nova pelo menos aqui no país, e não podemos dizer que não foi de utilidade pública, porque foi. O fato do quadro ter sido copiadíssimo tira sim o mérito da criatividade que todos nós estávamos dando ao CQC, porém não quer dizer que o quadro não foi bom, porque foi. E foi algo que precisava realmente ser mostrado na TV brasileira.

    • Respondo a esse comentário e ao Cavedoon, ambos muito bons. Originalidade é só um dos valores que você atribui a algo que alguém produziu. E não precisa ser inédito pra ser original. O CQC Brasil importou o formato argentino, mas vai além do q eles fazem lá. Arrisco dizer que conquistaram mais relevância e são muito mais engraçados q os porteños. Lá, eles são mais duros nas piadas e nas perguntas. Aqui é mais "solto". Nosso CQC não é uma fotocópia, nem uma adaptação medíocre. E melhorar o original também é uma alternativa pra se criar algo novo. Mas não pode ser a fórmula de todas as idéias, é isso q o Cardoso quer levantar e muitos de nós concordamos.

      • Mauricio

        Definições do Aurélio para inédito e original

        Inedito

        adj. e s.m. Que ou o que não foi impresso, publicado: poema inédito. / Novo, original: espetáculo inédito.

        Original

        adj. Relativo à origem; que remonta à origem; primitivo. / Que parece produzir-se pela primeira vez; não copiado, não imitado. / Que tem caráter próprio, que tem cunho novo e pessoal; que não segue modelo. / Extraordinário, singular. / &151; S.m. Pessoa excêntrica. / Manuscrito primitivo, primeira redação de uma obra, de uma lei, decreto, livro etc. / Obra de arte produzida por um artista. / Modelo primitivo (por opos. a cópia). / Texto primitivo (por opos. a tradução).

        Por aí acho que se uma coisa for original ela tem de ser inédita e vice-versa.

        • Segundo o dicionário q vc trouxe à discussão. Original: "Que PARECE produzir-se pela primeira vez; Que tem caráter próprio, que tem cunho novo e pessoal;"

          O que é inédito costuma ser original. Mas se for pouco criativo, será original apenas no sentido literal, não terá uma conotação original.

          O original não é NECESSARIAMENTE inédito. Um bom remake de filme, uma boa paródia, a regravação de uma música, etc etc etc Muitas coisas podem ser originais sem ser NECESSARIAMENTE inéditas. Isso não depende da leitura que se faça do dicionário. Não é demérito não ser inédito. Demérito é fingir que é inédito ou copiar e não acrescentar nada ao original. Aí, realmente não é inédito, nem original.

  • Daniel

    Sabe que os teus últimos textos voltaram a ficar legais, né? Acho que aquela parada forçada de algumas horas do Twitter foi providencial.

  • Diogo Techera

    Não dá pra esperar nada quando "um dos grandes gênios" da televisão brasileira é o Chacrinha(o Chuck Barris brasileiro).

    Concordo com você, a matéria tem seus méritos, mas chamá-los de gênios por ela é meio demais.

    • Mauricio

      Uma das máximas do Chacrinha era "Nada se cria, tudo se copia" e para tv ela é válida, só que realmente e qdo as fontes secarem de onde vai sair as idéias, vamos requentar coisas de qdo? Realmente é mais facil assistir então o que já foi feito. A Venus platinada faz isso com suas novelas, reencena-as com novos atores, somente para não correr riscos, pois é fácil fazer um sucesso com algo que já fez sucesso uma algum tempo atras.

  • João T.

    Eu só não acho que o CQC kibou pois eles mesmo falaram que a matéria original tinha sido feita na Argentina e que lá resultou em prisão, então, de certa forma, é dar a fonte.

  • Caralho…. É a melhor expressão que eu pude arrumar agora para expressar o que eu senti no texto. Desculpa o palavrão mais o texto é muito bom.

    Eu não vi o quadro, não vi a polêmica mas consegui entender tudo neste post.

  • Gostei mto do seu argumento.

    bem interessante

  • mas me admira vc usar o avatar do house e dizer de cópias, não estou defendendo ninguem, tbm não gosto de CQC, mas suas criticas a tudo e todos na internet ja saturaram de certa forma e, é como o nome do seu blog diz, vc é mesmo uma pessoa contraditória

    • Lamento MUITO que você não consiga entender o CONCEITO de avatar.

      • explique-me então vosso conceito, ó sabedoria internética

        • Twist

          nossa.

          que merda hein andrei, que merda.

          negócio é fotinho na frente do espelho neh?

          é cada um…

        • O fato do nome ser "avatar" e não "foto" já deveria ser uma pista muito boa. E nem os detentores dos direitos de House se incomodam com o fato de Cardoso usar a foto como Avatar. Muito pelo contrário.

  • É simplesmente, desnecessário, desmerecer o profissionalismo alheio só pq tal situação ocorreu na Argentina, o CQC é um formato internacional e coisas do tipo são previstas em contrato, quantas reportagens e quadros são copiados em outras versões do CQC? Espanha,Chile,Portugal,Brasil e tantos outros países…Qual o mal de copiar a ideia? Serviu muito bem para mostrar algo que acontece diariamente em nosso país e a população não abre os olhos. Esse fato ao meu ver ainda não tira o mérito da reportagem, jamais!! De todo o seu texto concordo somente com o fato de que o Gentili é ruim, não diria que ele é um repórter ruim, e sim, que o quadro não se adequa ao seu estilo, enfim, prefiro ele na cola dos senadores e dputados lá naquela ilha de corrupção que chamamos de capital do país.

    • Lupatel

      Em outras palavras, você é outro paga-pau de CQC.

      • Nossa. Que argumento bem fundamentado…

  • Negócio é que tem gente que acha legal ser copiado pelos "ctrl+c ctrl reis".

    Garanto que existem pessoas que se deixam copiar pq acreditam que isso pode dar status. Ter um post copiado pelo kibe, para muitos, é sinal de que o "mestre gostou". Sendo assim, ele não precisa prestar contas. E não devia ser assim.

    E também existe mais gente que gosta de adotar uma postura semelhante a esses caras do que criar seu próprio conteúdo. É mais fácil. E como eu já disse: povo ainda está muito pouco acostumado à sensação de poder ser punido pelo comportamento idiota.

    Eu assisti a matéria ontem. E achei toda a interpretação dos CQC's uma grande babaquice. Do início ao fim. Desde a reação cinza do Danilo sobre as ofensas até as piadas ridículas que o Rafinha Bastos sempre faz sobre qualquer coisa.

    Mas você não está sozinho. Eu também gosto das origens de qualquer coisa que preste.

  • 3T3RN4L

    Você não está sozinho e os gritos de morte da criatividade humana não são sem ecos…bom, eventualmente você vai ficar sozinho e a criatividade humana vai morrer sem ecos de agonia, MAS…o melhor que você pode fazer é continuar escrevendo coisas assim. Afinal, para ter um eco, tem que ter um grito inicial.

  • hijanuou

    e a conclusão, é que…?

  • Se produz pouco conteúdo original pq o crime compensa. Original ou cópia, bem ou mal feita, para o grande público, tanto faz. A cópia endossada pelo Zé Ruela da rede social da esquina é mais desejada q o original. As pessoas não têm conteúdo, não tem cultura, não gostam de estudar e não tem a menor vontade de aprender alguma coisa. Tudo isso dá muito trabalho, por isso temos 7% de analfabetismo e 68% de analfabetismo funcional (não é só falta de escola não). No Brasil, ninguém estuda porra nenhuma, mas todo mundo acha alguma coisa. Pra esse público, qualquer cópia piorada é melhor q o original. Ou seja, quem é louco de investir em conteúdo inédito se pode importar ou copiar e vender pra massa sem correr risco? A culpa é de quem? Do empreendedor e do público, em proporções iguais. Adoro o CQC Brasil, justamente por não esperar genialidade, apenas entretenimento despretensioso, que não machuque meu intelecto. Gosto do Danilo Gentili (embora a "endeuzação" q se faça dele seja mesmo irritante). E apesar de "discordar" do seu gosto, Cardoso, concordo com tudo o q vc disse. É isso q as pessoas não entendem. O que irrita é q não é tão complexo assim. Mas é preciso estar entre os 25% que lêem e entendem pra poder discordar, concordar e gerar uma discussão q chegue a algum lugar.

  • Olha Cardodo… não te sigo mais e o pouco tempo que te segui achei vc um puta chato.

    Mas concordo muito contigo.

    Tenho horror a cópia. Com ou sem créditos – até porque citar a fonte não isenta ninguém da cópia.

    Outro dia numa discussão mais ou menos como essa que vc propos, sairam 2 frases ótimas.

    Uma do Marcello Serpa via twitter, algo assim: Dar o crédito te isenta da culpa, mas não da falta de talento. – Perfeita para o caso.

    E a outra, minha, foi assim: Prefiro morrer medíocre mas morrer autêntico.

    Que bom que tem gente defendendo a criação, justo na época que as pessoas ganharam o poder de criar e divulgar, e justamente escolhem não fazer.

  • will walbr

    Também acho que eles não são "Tuuudo-isso!"… mas eles me divertem de vez em quando, isso quando consigo ligar a TV. Vou ver esse troço, mas entendo o ponto da postagem.

    O revoltante na rede é não ter muito o que se possa fazer… ou tem!? :D

    Muito bom!

  • Primeira vez que leio uma matéria sua e fiquei surpreso com a riqueza da mesma.

    Bem original.

    Como estudando de Direito, apoio o protesto do CQC, não pelo fato de gostar do programa, e sim, pelo fato de que se deixarmos passar uma única vez um episódio desse de censura em branco, é a mesma coisa do que dizer que a Ditadura Militar (política)ainda é existente.

    Não podemos deixar que nos calem, somos a voz da constituição, a mesma que defende nossos direitos de expressar idéias e denunciar a corrupção.

    Um grande abraço.

  • monica

    Simplesmente adoro seus textos e até então concordo com vc.Não se sinta só! por favor?

    • Concordo com vocês, mas devo enaltecer os CULHÕES para executar a matéria. =)

  • Marcelo

    Não condeno o CQC por copiar algo que foi feito na Argentina.

    Eles tem mérito sim pela forma como fizeram. E daí que foi cópia da Argentina?

    E outra: foi o CQC da Argentina que teve a idéia. Nada mais normal o CQC Brasil, que foi inspirado no CQC Argentino, ficar de olho e pegar boas idéias de lá.

  • Paulo

    Cardoso,

    O problema é que essa garotada cresceu sob o manto da cópia e não entende que originalidade é um mérito criativo.

    Suas mentes já começam a viciar na cópia desde o colégio, onde Ctrl C + Ctrl V é religião, e pior, no momento que não estão no colégio, estão a assistir televisão, onde, aqui no Brasil, não possui UM ÚNICO programa original.

    TODOS são cópias de emissoras internacionais, e pior, nenhum dá créditos ao original, sempre divulgando a idéia de que foi criado mediante uma grande reunião de pauta.

    Consequência? Oras, mentes acéfalas onde o slogan é: "Para que criar se podemos copiar?"

    O pior de tudo isso, é que quem reclamou de seu pensamento é, comprovadamente, uma cópia de um futuro próximo. IDIOCRACY

    Assim é dada a largada da grande vidência deste filme.

  • Também não gosto de CQC. Nem sei se o motivo é o mesmo mas, para mim, o CQC é um Pânico com roupagem cult. Humilha secretárias quando deveria humilhar prefeitos e por aí vai (não foi o caso desta matéria, mas é o comum…).

    Nunca li o Gentili, vai ver que ele me surpreende, minha opinião sobre o Stand Up dele é a mesma que a tua.

    Acho que o povo confunde "É COMUM TUDO SE COPIAR NA TELEVISÃO" com "É NORMAL TUDO SE COPIAR NA TELEVISÃO". Normal uma pistola. É mais fácil. E o povo ri porque concorda com o Boninho (ou foi o Bonner) sobre os simpsons…

  • Elogio cru é inócuo e improdutivo, mas vou elogiar: excelente post! Um dos melhores do Contraditorium que eu já li.

  • Acho que eles vão reciclar as ideias antigas de seus blogs, ou seja, copiar de si mesmo (e copiar pela segunda vez de outro). E isto não pára nunca, num sistema que fica se auto-alimentando eternamente (na física, dizemos que é um "loop" infinito).

  • Texto maravilhoso! Eu concordo plenamente contigo e fico muito feliz de saber que ainda existem pessoas que pensam assim, pois também estou preocupada. Acho que nem é preciso dizer que elas são maioria, tanto virtual como realmente, e ficando "sobrevivendo" (penso que o termo adequado seria subvivendo) da excelência, criatividade, originalidade, inteligência e boa vontade dos Criadores.

    Esse assunto, claro, não se restringe a blog. Como ótimos exemplos, citaste os do Twitter, por exemplo. E tenho certeza que há vários também fora da internet.

    É triste porque ninguém dá valor para "Fonte, Autor". Na verdade, só dá valor quem também cria, e quem cria é minoria. Os outros desejam, apenas, tirar proveito.

    É uma pena. Mas uma pena mais para eles, do que para nós.

    Um beijo.

  • *ficam sobrevivendo. Perdão.

  • Concordo contigo que tudo isso algumas vezes parece ser lutar contra moinhos. Mas o que é original transcende a vida do autor. Reconhecimento é ótimo mas não deve ser essencial para aqueles que amam a inovação.

    Como John Mclean diz, alguém tem que fazer a coisa certa, e isso normalmente não o faz ser o mais bem visto. Talvez, isso não ajude muito de fato, mais fica a contribuição…

  • Augusto Monteiro

    Eu acho sua opinião válida porém exagerada pelos seguintes fatos:

    – A idéia foi comprada, não foi roubada e foi avisado na semana passada pelo Tas "Uma matéria que já foi realizada na Argentina bla bla bla, lá os envolvidos foram presos". Ou seja, não tentaram dar uma de *Nossa idéia é demais* e sim *Olhem o absurdo que ocorreu em uma cidade Brasileira, igual na Argentina*.

    – Não é por que já fizeram antes que perde o mérito da questão no quesito informação.

  • PQP Cardoso, dessa vez vc se superou. Vou deixar esse computador aberto nessa página e comprar um computador novo, pq esse é um texto tão cheio de verdades que não tenho envergadura moral pra fechar a janela.

    E olhs que o lance da cópia não é novo: você certamente sabe da história do Rafinha Bastos copiando o quadro do Charlie Brooker, certo? O vídeo postado pelo Jacaré Banguela com um cara de pau "baseado em" no texto do YouTube. E lá vetam todos os comentários que mencionam a cópia do quadro.

    Enquanto você percebe que esse disclaimer não é feito no vídeo (ou seja, quando é mebdado ninguém sabe "baseado" no que é, o vídeo se espalha como "o vídeo do Rafinha". Aí é foda.

  • Sei que tu não gosta muito desses agradecimentos, mas valeu pelos links, Cardoso. Mesmo.

  • Alaide

    Hum…. vamos lá. Não vou usar os exemplos que você citou.

    criação x cópia.

    Até certo ponto concordo com você, originalidade é um quesito muito valioso num mundo onde há pressão para sermos iguais. Ser diferente sujeita o condenado a receber qualquer tipo de preconceito. E aí, quem tem banca, banca! rs Gostei da parte em que você se colocou como criador e fez a relação barro-vida e tal. Realmente uma criação dá muito mais gás do que uma cópia.

    Acontece que as cópias não são de todo mau, existem cópias que às vezes são melhores do que as originais, mais bem feitas, elaboradas, feitas com mais carinho e aí é é bobeira julgar mal simplesmente por ser cópia. Qualidade é tão importante quanto originalidade. Então, há de ter algum equilíbrio.

    mérito

    Mérito é de certa forma subjetivo, depende do foco que você quer dar, então fica um pouco óbvio não dar mérito de CRIAÇÃO pra alguém que fez a cópia. É imaturo pensar assim. Mas há mérito por vários outros motivos e aí negar isso pode até ser mesquinho.

    Se a cópia ou criação for ruim. Aí não tem jeito. É ruim e ponto. rs

    Quanto ao crédito, nem se discute né? É ético dar crédito.

    "De quem vocês irão copiar quando todo mundo com criatividade tiver desistido de produzir algo original?"

    É a pergunta mais hipotética que já vi na vida. kkkkkk

    É isso… :)

  • Fabio

    Chamar o Cardoso 8 ou 80 foi sacanagem, né? O cara não gosta e não assiste ao programa. Correu atrás quando viu a notícia da censura e, após assistir o quadro, teceu vários elogios ao CQC. Aí veio a descoberta da kibada, momento onde o programa perde, DE FATO, TODO o mérito.

    Eu vejo aí uma postura super neutra. Excetuando-se os críticos xiitas de BBB, ninguém assiste ao que não gosta, muito menos elogia. Se por curiosidade um chato vai assistir a algo que não gosta porque a parada fez barulho, o chato vai botar defeito em tudo. Fato.

    Mas o Cardoso continua: "A idéia continua do caralho…" Mas, porra, não tem como continuar creditando o CQC por ORIGINALIDADE, né?

    Se eu gosto de alguma coisa eu procuro descobrir o autor pra continuar acompanhando suas obras. Até no Twitter eu vou caçar o autor de um tweet legal e, se for bom, acompanho a pessoa. Continuo seguindo quem deu o RT, mas essa pessoa é só um filtro de conteúdo, no filtro perde-se informação.

    Agora, assumir a autoria de uma obra ou descoberta que não é sua é uma pilantragem do caralho. Eu não conhecia a história do Kibeloco, não sabia que o verbo 'kibar' vinha de lá, nem lia o blog porque não oferecem RSS. Acompanho no Twitter pelas piadas do BBB, mas confesso que vou deixar de acompanhar em protesto à quem é kibado. Tenho poucos seguidores, mas os seguidores dos seguidores dos meus seguidores não vão mais receber RTs do Kibe por mim.

    Também não gosto do CQC, nem do Gentili, nem do Tas, enfim. Por mim, Darwin cuida deles.

    Concluindo, me impressiona como eles próprios não se preocupam com isso:

    "Eu só pergunto a essa gente, como pergunto ao Tabet: De quem vocês irão copiar quando todo mundo com criatividade tiver desistido de produzir algo original?"

  • Eu até concordo contigo, Cardoso, mas acho que você está fadado a muitas decepções se só material original de agrada. Lembre-se que a Lei de Sturgeon é absoluta.

  • Eduardo De Bastiani

    Elogiar a matéria pela criatividade, conforme dito, não é válido pois foi outro programa que criou. Mas o trabalho do CQC Brasil foi recriar tudo em território brasileiro, e ter praticamente o mesmo fim. Se não fosse pelo programa, eu certamente não teria visto isso. Então, desde que passem os créditos de criação, não vejo problema nenhum. Muito pelo contrário, é bom ver matérias deste tipo.

  • Renato

    izzynobre foi pro meio do gelo, casou com uma prostituta e trabalha vendendo vibradores

    izzynobre passa as horas jogando videogame e brigando com desconhecidos na internet

    izzynobre se acha fodão por ter se casado com uma prostituta e gastar fortunas com jogos eletronicos

    izzynobre nem pra vigiar cameras (trabalho de macaco) ele serve

    izzynobre conseguiu ser aceito numa escolinha de imigrantes e acha que esta fazendo direito

    izzynobre seu circulo social inclui prostitutas amigas da sua mulher e funcionarios de sex shop

    izzynobre se gaba de contar historias onde é feito de palhaco pela esposa e suas amigas de guerra

  • Bons links haha =D

  • Se o Chacrinha já dizia, há mais de 20 anos, que na TV nada se cria, tudo se copia…

  • Excelente post!

  • Eu não vejo nenhum problema na falta de originalidade do CQC, se eles creditam e/ou pagam direitos para copiar. O formato do programa inteiro não é cópia do argentino?

    É claro que se criarem uma "versão dublada" de "The Closer", eu ainda vou preferir assistir ao original. Mas são casos diferentes.

  • Xico

    Como diria o JovemNerd: Chamar alguem gordo de… gordo? Uau, que xingamento!

    • Como se o cara por trás do kibeloco fosse magérrimo.

  • Aloha Chefe!

    Apenas citando, sou muito original às vezes, minto de vez em quando (quando inofensivo ou inevitável) mas "você nunca esteve sozinho"!

    Mundos diferentes, outros tempos, mas amizade, respeito e admiração, Sempre.

    Aloha!

  • Quando todos os criativos pararem de produzir, então restará ao Tabet e cia fazerem "remakes" dos que já foram copiados! :P

  • Olá!

    Achei o texto até poético e as seguintes frases suas ficaram na memória:

    "Como Criador me decepciona quando vejo algo requentado, é uma postura pessoal, eu gosto de material original, admiro quem pega barro e cria Vida".

    "Eu só pergunto a essa gente, como pergunto ao Tabet: De quem vocês irão copiar quando todo mundo com criatividade tiver desistido de produzir algo original?"

    Tava precisando ler uma artigo desse, foi quase uma auto-ajuda hoje para mim.

  • Bom, se for analisar, só por ser uma franquia de um programa argentino o CQC já é uma cópia. E demérito por demérito, por ser uma franquia, uma das funções da franquia é copiar conteúdo do original. Se fosse pra criar somente, não seria franquia. Não entendo como ser franquia não é demérito(sendo que a franquia já tem no nome: cópia), mas usar um quadro copiado da franquia é.

    • Exatamente. Em geral eu concordo com 100% do que o Cardoso fala, mas desta vez eu não entendo por que destacar tanto a falta de originalidade do CQC.

  • olha só!

    Meu comentário vai soar irônico quanto a finalidade do seu lúcido, corajoso e solitário texto, que é justamente sinalizar da falta de originalidade coletiva(deve ser quase coletiva), pois a falta do inédito está ficando até banalizada, então não resisti:

    "…apesar da péssima execução do Danilo Gentili, Sim, ele é muito ruim. Deveria vir para a mídia impressa, pois escreve MUITO, MUITO melhor do que standapeia ou reporteia."

    sabe cardoso, você já reparou numa modinha tsunâmica de artistas polivalentes, tipo, fulano: jornalista, escritor, músico, ator, humorista, palpiteiro de seleção brasileira que faz stand ups nas horas vagas? pois bem, fazer tudo isso não é o erro, mas a falta de critério em saber selecionar bem um bom texto para adaptar ao trabalho que se propõe, com qualidade. você vai a um show desses caras e parece que você está vendo a extensão do personagem ali! e não é só o gentili que cai nessa arapuca não, tem outros ali do cqc que vai no mesmo trem..

    "Entendam: A idéia continua do caralho, mas levando-se em conta todos os envolvidos, o mérito do sucesso da matéria é dividido entre o Prefeito de Barueri e os argentinos. Não é JUSTO elogiar ninguém do CQC Brasil pela CRIAÇÃO da idéia."

    lógico que não é justo dá méritos ao cqc brasil pelo"feeling" da matéria! assim fica fácil, você vai ao mercado, compra um daqueles pratos congelados incríveis e chega em casa, joga no microondas e depois incrementa com algo mais e pronto, ai você surpreende seus convidados, dizendo ser um cozinheiro de mãe e avó… assim fica muito fácil…

    "Meu grande embate com o Kibeloco é esse. É um blog que virou sinônimo de cópia. Hoje na Internet brasileira o termo “kibar” é de uso público. Ele repete material publicado em outros blogs com dias de atraso, não coloca fonte e quando coloca não põe link, exceto quando é algum blog da patota."

    esse "fenômeno" jornalístico não fica só no campo dos blogs não. tem vários portais(grandes por sinal) que trata a informação que vai ser publicada, assim dessa maneira e ainda se alastra na mídia impressa. veja esses jornais populares a preço módicos que pertencem a um grupo de mídia; 99% das notícias são oriundas de um outro jornal do mesmo grupo(com praço mais caro)… espero (inocentemente falando) que não se torne tendência…

    "Em resposta a essa acusação de falta de talento e ausência de criatividade, Antônio Tabet me ataca xingando de Gordo. Como dizem em Lei & Ordem, não há mais nada a apresentar, a Promotoria encerra."

    contra fatos não há argumento (não lembro de onde li ou ouvi essa frase…), não é mesmo!ser gordo é um fato…

    "O problema é que eu estou me sentindo sozinho. Minhas preocupações com criatividade, originalidade não ecoam. Piadas óbvias repetidas são aceitas, talvez pela familiaridade seja mais fácil rir delas. Gentili é chamado de gênio ao fazer piadas sobre o Trânsito de São Paulo."

    a razão é simples. silvio santos é o culpado disso tudo. ele arruinou com a vida de muitos roteiristas e encarregados de criação artísticas por décadas e ainda prejudica esses profissionais… ele passou a comprar atrações do exterior num ritmo cegamente frenético e se criou um hábito. com o tempo as novelas mexicanas, chaves e pegadihas da vida, já faziam parte do costume do brasileiro e a globo, não na mesma escala que silvio santos, seguiu da mesma estratégia. daí das outras emissoras copiarem também é um pulo…

    "Como podemos ver o mercado para o ChatRoleta vai bem. As SETE empresas que deram entrada no INPI tentando registrar a marca “Twitter” vão bem. Os iFones, oPhones e similares vão bem. As mais de 400 aplicações de peido do iPhone vão bem. O kibeloco vai bem, a Esfirra Doida, o Tabule Demente e vários outros blogs com certeza existentes vão bem."

    e o mercado de direitos autorais vai tão mal, que já perdeu a credibilidade…

    " Eu só pergunto a essa gente, como pergunto ao Tabet: De quem vocês irão copiar quando todo mundo com criatividade tiver desistido de produzir algo original?"

    mas antes disso tem que ocorrer uma revolução, não só no campo artístico, mas que afete a nossa vida civíl. uma grande e positiva mudança política vai inspirar da gente querer ver na mídia coisas mais típicas do nosso brasil… o capitalismo meio que padronizou nossas vidass…

  • Pedro

    cara, tem muita gente que s epreocupa com originalidade…

    eu, a maioria da spessoas em meu nicho social…

    mas infelizmente é desproporcionalmente maior a quantidade de pessoas que não tem esse tipo de preocupação…

    na maioria desses blogs que você citou eu percebo uma competição no sentido de "quem copia antes uma coisa original que foi criada em um blog de menor escala"…

    infelizmente é isso que acontece…

  • Gente, entendam que a crítica do Cardoso nao foi, de maneira alguma, à relevância da matéria do CQC: pelo contrário, ele foi bem claro nos elogios que fez. Não é pq é bom que tem que ser copiado, eu não compro esse discurso, o pessoal do Brasil podia ter se inspirado na reportagem dos argentinos e feito N coisas diferentes, tão ou mais legais quanto o que foi exibido (ou vcs acham q é justo com o Steve Jobs o pessoal sair copiando o iPod pq é bom?). Aliás, tem pessoas nas equipes de tv com a função específica de criar quadros e reportagens: ninguém está exigindo que façam nada além disso.

    Eu acredito na criatividade, e acredito na apropriação inteligente tb: com o bruto da idéia argentina, repito, o CQC brasileiro poderia ter feito muitas coisas legais, pq mesmo não gostando do programa, respeito o potencial deles. Não precisava ter sido tão literal na cópia, não é elegante.

  • Cardoso, eu adoro idéias originais. Sei que com certeza eles não roubaram, já que devem ter pago pra usar a mesma idéia. Mas nós sabemos que nem tudo pode ser original. Acho que eles aproveitaram para fazer aqui. Um aproveitamento de idéias, podemos dizer.

    Lembre que até nós, que escrevemos textos originais, temos "bagagem" e por isso tiramos nossas idéias de algum lugar. Como já dizia algum velho deitado: Copiar de um livro é plágio, de vários, já é pesquisa.

    Gostei do texto, mas não acho que é algo tão fatal eles terem usado a mesma idéia do CQC hermano.

    Abração.

    • Concordo, Cardoso.

      Acho que o "nada se cria tudo se copia" se transformou em característica incutida na cultura popular, quando não devia ser. Numa internet ideal, seríamos todos responsáveis por nossos próprios vídeos, cartuns, textos e imagens. Tem nego que ainda se acha cool hunter por saber selecionar bem os "likes" de seu Google Reader.

      Caloã,

      Fatal mesmo é o CQC não ter dito em rede nacional que a matéria era baseada na matéria hermana.

      Abraços

  • "Demérito há em repetir as mesmas idéias já feitas na edição original. Sim, os argentinos fizeram a matéria com o GPS na Televisão, igualzinho."

    Não vejo demérito algum nisso. Quando compram a franquia compram o formato, as idéias, as piadas. Se fosse uma idéia ou um quadro idiota ou sem valor (conceitos esses totalmente relativos e subjetivos) haveria demérito, sendo original ou cópia. Afinal, o que é melhor? Uma porcaria original ou uma boa idéia copiada?

    "Entendam: A idéia continua do caralho, mas levando-se em conta todos os envolvidos, o mérito do sucesso da matéria é dividido entre o Prefeito de Barueri e os argentinos. No é JUSTO elogiar ninguém do CQC Brasil pela CRIAÇÃO da idéia."

    A idéia é foda. Quem criou é foda. E quem viu essa boa idéia, identificou como boa idéia, comprou essa boa idéia e a copiou, aplicando-a em nossa sociedade e na nossa televisão TAMBÉM merece crédito. Não pela Criação, mas pela execução.

    • Se havia alguma dúvida em relação à conclusão que devemos chegar, acho q você chegou nela.

  • Gutto

    O tema cópia x original é complexo e antigo. Mas me parece que o modo como você o abordou foi superficial, simplista e clichê. Ingênuo até. Talvez, esperar uma perspectiva mais profunda num único post seja querer demais, ainda mais quando esse nem é o assunto principal…

    Em todo caso, estranha-me que muitos aqui, sem maiores reflexões, se deliciem e louvem uma opinião que não vai além do senso comum. Quero dizer, todos repetem "Prefiro o original!" como se a questão se reduzisse meramente a copiar ou criar.

    Não acompanho o CQC, mas a priori não acho que "copiar", ou melhor, reaproveitar uma idéia seja demérito, especialmente por que daí pode de fato surgir algo "novo", ou melhor, diferente.

    • Se surgiu algo novo não é cópia. É inspiração ou no máximo apropriação. O que está sendo colocado como cópia no post é fazer algo exatamente igual ao original.

      E desculpa, vc diz que muitas pessoas concordaram que "melhor é original" sem reflexões profundas, mas dizer que o assunto é mais complexo tb não é reflexão. É clichezão pseudointelectual para parecer mais esperto.E não vai além do senso comum tb. Cite fontes e argumentos.

  • Ótimo post. Absoluta verdade. Pior é que muitos desses blogs mais famosos e de alta audiência copiam de blogs pouco acessados e, por isso mesmo, quase anônimos. Daí acabam levando o crédito pela idéia alheia. Há poucas coisas mais dolorosas para um autor do que ver sua idéia copiada, sob crédito de um completo desconhecido kibador.

    A verdade é que a maioria dos blogs hoje, quando não copia, apenas replica notícias e artigos alheios. Seus donos nem sequer se dão ao trabalho de acrescentar uma opiniãozinha que seja sobre o tema. Me pergunto para quê então montar um blog, se não é para divulgar as suas próprias idéias, gostos e opiniões – mesmo que seja apenas para os seus amigos mais chegados. Não entendo a lógica por trás desse tipo de coisa.

    Abraços!

  • Felipe Machado

    Se eu visse o programa argentino pensaria “alguém devia fazer um negócio desses aqui”. (2)

  • Augusto Monteiro

    Acho que o que incomodou a maioria é que a "Cópia" do CQC nada tem a ver com cópia árabe.

    • Se eu entendi bem, a comparação com o Kibe foi relativa à falta de criatividade, não à cópia.

      • Mas… falta de criatividade não leva à cópia?

  • Excelente post!

  • Daniel

    “Stable ownership is the gift of social law, and is given late in the progress of society. It would be curious then, if an idea, the fugitive fermentation of an individual brain, could, of natural right, be claimed in exclusive and stable property. If nature has made any one thing less susceptible than all others of exclusive property, it is the action of the thinking power called an idea, wich an individual may exclusively possess as long as he keeps it to himself; but the moment it is divulged, it forces itself into the possession of every one, and the receiver cannot dispossess himself of it. Its peculiar character, too, is that no one possesses the less, because every other possesses the whole of it. He who receives an idea from me, receives instruction himself without lessening mine; as he who lights his taper at mine, receives light without darkening me. That ideas should freely spread from one to another over the globe, for the moral and mutual instruction of man, and improvement of his condiction, seems to have been peculiarly and benevolently designed by nature, when she made them, like fire, expansible over all space, without lessening their density in any point, and like the air in which we breathe, move, and have our physical being, incapable of confinement or exclusive appropriation. Inventions then cannot, in nature, be a subject of property. Society may give an exclusive right to the profits arising from them, as an encouragement to men to pursue ideas which may produce utility, but this may or may not be done, according to the will and convenience of the society, without claim or complaint from anybody”.

    Thomas Jefferson

  • Se trata-se de uma FRANQUIA fico sem entender o seu espanto pela reprodução de um material feito pelo franqueador.

  • Henrique

    Olha, gosto muito dos seus posts que quase sempre tem um conteúdo inteligente. Entendi seu ponto de vista mas acho a argumentação mais pra um cara que não gosta de CQC do que pra alguém que analisou tudo de fora e deu uma opinião.

    Os caras copiaram o CQC de lá? Sim! Foi algo produtivo? Sim! Se o Brasil começasse a copiar as coisas boas de países europeus, seria bom? SIM! Seria ÓTIMO!

    Não se trata de criatividade ou falta dela fazer uma matéria nesse estilo, é algo produtivo e que no fim vai beneficiar alguém de qualquer maneira (visto que se não tivesse toda aquela confusão a TV iria pra uma escola pública e quem ganharia seriam os alunos). Se tudo que copiassem fosse de tal utilidade como foi essa matéria, é certo que viveríamos num mundo muito melhor.

  • Henrique

    Ah, e acrescentando o que esqueci de escrever no outro comentário, não dá pra comparar essa cópia que o CQC daqui fez do CQC da Argentina com o Kibeloco (que pra mim é o blog mais nonsense e ridículo dentre esses "famosos") copiando outros blogs… Eles postam conteúdo humorístico e inútil, enquanto o que o CQC fez serviu no mínimo, pra dar uma TV de LCD pra uma escola pública.

  • Cristiano

    Pô Cardoso, eu achava os caras do CQC Brasil imbatíveis, perdi um pouco do encanto, depois desta notícia.

  • Certamente,

    O CQC, Pânico e outros programas que vão ao planalto deixam os políticos intimados e, quase sempre, sem respostas. Acho muito interessante o que eles fazem!

  • Denommus

    "Hurr… falta de originalidade, eles transmitiram a matéria pela televisão."

  • Bem, desta vez sou obrigado a discordar em partes de você.

    Bem como foi dito, o CQC é uma franquia de um programa argentino, um formato licenciado, logo, a contratante tem plenos poderes para replicar o conteúdo, inclusive repetindo matérias. De direito, é muito justo e legal.

    Contudo, entendo o verdadeiro âmago da sua crítica, que é simplesmente a falta de capacidade, ou mesmo de vontade de criar algo novo, que traga perspectivas diferentes para nossa programação na TV, como restou demonstrado (fartamente, diga-se de passagem)no seu post.

    Lamento em conjunto contigo não só pela matéria replicada, mas por estes fãs cegos e estúpidos, que são incapazes de assumir uma falha naquilo que gostam. Parabéns pelo texto, como sempre.

    Abs

  • E é por essas e outras que o ditado "Nada se cria, tudo se copia" se torna cada vez mais verdade.

    Parabéns pelo texto!

  • Amigo,

    Acabei de ler seu texto e agradeço pelo esclarecimento. Mesmo sendo fã do CQC, concordo contigo ao deixar claro que a matéria do escândalo em Barueri não foi tão original assim (fico chateado em saber que eles não fizeram qualquer menção ao fato de uma matéria semelhante já ter sido realizada na Argentina).

    Mas ainda assim acho que a reportagem foi uma das mais corajosas que já vi na televisão brasileira pois colocaram corruptos e imorais em uma clara situação de flagrante (mesmo não se tratando de uma idéia original). E além do mais, copiado ou não, o Brasil precisa disso.

    Um abraço!

  • Marcelo

    Você está procurando chifre em cabeça de cavalo.

    Sei que você não gosta do programa e consequentemente sempre que possivel tenta arrumar um motivo para criticar. Tudo bem, direito seu, mas reclamar que a franquia está copiando uma idéia do original já é forçar a barra, chega a ser meio ridículo.

    Se o programa é uma franquia, nada mais natural de eles copiarem o formato do programa e também as idéias do programa original. Se fosse para ser original eles não pagariam para ser uma franquia.

    Quando você vai ao McDonalds você tambem reclama que eles estão imitando o Big Mac dos EUA ?

    • Você tem noção de que o McDonald´s tem UM MONTE de opções regionais, desenvolvidas e adaptadas para cada mercado?

      • O que é o caso do CQC também. Ele tem seu conteúdo inventado E tem conteúdo copiado. Cada franquia tem o seu Big Mac, e copiar o que vem da franquia não é demérito.

      • Marcelo

        O CQC tambem, ele tem o seu conteudo oriundo da franquia e tb tem seu conteudo que é desenvolvido/criado localmente. A analogia com o McDonalds continua valendo.

        • "mossa que deliioso bigmac no macdonald´s de uberada, igualzinho ao de NY, parabéns aos envolvidos". Quando você ouvir algo assim, volte a comentar aqui. Até então, SHUT THE FUCK UP.

    • não pensei que leria um comentário que pusesse abaixo o post… tava até concordando um pouco, agora porem acho que foi "ver chifre em cabeça de cavalo" mesmo… o cardoso tá aloprando mesmo… equivoco.

  • Cardoso, boa tarde! Não podia ter tido um post melhor para conhecer o seu blog – apesar de nome vc ser uma "celebridade" na blogosfera brasileira, a verdade é que eu não tenho muito saco para aturar narcisistas complexados que à falta do que fazer escrevem as coisas mais do mundo, como o é a maioria. Enfim… Digam o que disserem, não me parece ser o teu caso, e o que escreveste faz todo o sentido, seja na revolta contra a censura (nem me vou dignar a comentar isto, sugiro a leitura do livro A Cabeça do Brasileiro ao invés de estarem a assistir o CQC), seja na questão da originalidade do conteúdo.

    Ambos os tópicos são polêmicos e complexos, como deu pra ver nas dezenas de comentários, e a minha contribuição para a discussão é a seguinte: quem filtra o conteúdo? Quem varre a internet à procura das novidades, das curiosidades, das informações pertinentes a cada nicho? Não existe mérito nisso? Se eu descubro um video legal, é errado publica-lo no blog (mencionando a fonte, logicamente)? Se descubro uma tirinha humorística em alemão, russo ou francês, é errado traduzi-la?

    O que quero dizer é que precisamos desses Curadores de Conteúdo, como uma forma de dar sentido ao que se passa no mundo.. Apenas 4% do que está na internet é em português, e bem-haja a todos os que se dão ao trabalho de buscar o conteúdo e traduzi-lo.

    Finalmente, parabéns pela imagem da Vida de Brian no post – um história relatada milhões de vezes, mas traduzida para o cinema com o cunho Monty Python, de forma original….

    Continuação de bom trabalho!!

    @TSSVeloso

  • Walteen

    Cardoso,

    Considero importante a sua análise, pois também me preocupo com o desenvolvimento de idéias originais. Porém, em um país em que o que a indústria do entretenimento adora copiar fórmulas ruins, acho legal quando aparece uma nacionalização bacana como a do CQC.

  • sol

    vichi…ainda demora pra ver algo original por aí. Se faz sucesso vai sendo copiado e a gente vai engolindo.

    Mas fiquei com uma fúvida. Há algum formato brasileiro sendo copiado lá fora?

    Melhor frase do texto (todo ótimo): A única e principal função do Sistema é proteger o Sistema

  • Pô, Cardoso… Eu tinha dado nota dez para a sua paródia "A Queda da Uniban". Rachei de rir! Mas como você insiste que requentar idéias é demérito, acho que é mais justo adotar um "teto" de cinco, porque antes de ver a sua eu já tinha visto outras tendo como fundo a mesma cena de "A Queda".

    A não ser que você tenha dado início à moda de fazer paródias em cima de "A Queda" (faz sentido, já que no vídeo você não credita ninguém pela idéia). Nesse caso, devolvo a nota dez e ainda dou mais dez pela originalidade!!!

  • Bruno

    Só para informar:

    Li num post acima que o CQC não disse que a idéia era copiada. Isso não procede.

    No primeiro programa o Rafinha Bastos informa SIM que a matéria já tinha acontecido na argentina. Ele explica ainda que deu o maior rolo do mundo lá, que teve gente perdendo os cargos e que, inclusive, a pessoa que recebeu a televisão foi PRESA.

    Olhem aí no youtube.

    Acho que o blogueiro podia ter colocado isso no post, pois acabou induzindo as pessoas que o CQC copiou a idéia e ficou quieto. Quando o sr. Cardoso faz uma crítica dessas e omite que o programa informou que a idéia não era original, acaba caindo naquilo que ele mesmo condena. Lamentável…

    • Incrivel como as pessoas não sabem argumentar. Me diga AONDE eu caio "naquilo que condeno" nesse caso…

      • Bruno

        Entenda, não se trata aqui de saber ou não argumentar, não tenho interesse e nem disponibilidade pra isso.

        Apesar do senhor só ter dado atenção à parte pessoal do meu comentário (lamentável mais uma vez), reitero que houve um erro grave cometido no post.

        E esta foi minha intenção ao vir aqui: apontar o tal erro. A crítica que faço ao final foi apenas uma conclusão que tive, e não deve ser encarada como o ponto principal da minha opinião.

        Mas em resumo: o senhor critica o fato do programa ser ovacionado por uma matéria cuja idéia não é deles, condenando o fato de serem reconhecidos em função da desinformação alheia. No entanto, quando o senhor faz um post desses, acaba também sendo ovacionado, pois as pessoas passam a vê-lo como "O CARA", enquanto na verdade se soubessem da verdade dos fatos, seu post não ia ser "isso tudo". Ou seja, usou da mesma filosofia que o CQC, foi espertão pra ter sucesso… a diferença é que o CQC não omitiu nada, como o senhor o fez.

        Ah, antes que diga que "não entendi o CONCEITO, o NÚCLEO CENTRAL do que você quis dizer", adianto que entendi sim o "conjunto da obra" do seu post. Só vim apontar um erro que julgo muito grave, ainda mais cometido por alguém como o senhor, que é crítico de tudo.

  • Caro Cardoso,

    Tenho lido nestas últimas semanas muita discussão com relação ao frenético "ctrl C" e ctrl V na rede, o que segundo os autores é uma total falta de criatividade. Será que vc permitiria um pequeno comentário em cima disso ?? Primeiramente deixa eu desabafar…Tenho 45 anos, sou formada em Jornalismo, porém desisti cedo de sobreviver da minha profissão. Há uns 25 anos atrás, a carreira era extremamente fechada e elitizada, não havia tantas oportunidades, e a troca, a velocidade e a facilidade de informação não eram assim, como direi, tão ilimitadas como hoje. O que vemos atualmente, na minha humilde perspectiva, é uma imediata "retuitada" de frases, imagens, textos. Onde antes não podíamos nem sequer imaginar transmitir em tempo real encontramos jovens, crianças que navegam incessantemente e quando encontram algum material divertido, interessante, engraçado, elas desejam compartilhar, divulgar da mesma forma. Ao meu ver, o criador primário deveria sim, colocar uma marca d'água, uma assinatura em suas imagens, o texto deveria ser automaticamente impedido de ser copiado…mas sabe porque não o fazem ?? porque é exatamente essa propagação que faz com que os blogueiros anônimos, que muitas vezes, são pessoas comuns, que nenhum tipo de orientação editorial tiveram, e são capazes de redigir, a tal ponto que colocaram a necessidade do Diploma em questão. É exatamente essa onda de ctrls C's e ctrls's V's que permite descobrirmos um anônimo fotógrafo de celular que captou o momento certo, que nos coloca diante de um texto super interessante de álguém que queria apenas expressar sua opinião e tornou-se recordista de acessos. Vc entende como é difícil esse posicionamento ?? Hoje encontro qualquer pessoa escrevendo em blogs e fazendo sucesso, e isso me faz questionar exatamente ao contrário…será que não está havendo um estímulo para criação, uma explosão de escritores. O que vejo, sem dúvida, é a utilização de uma imagem, de um texto, sem os devidos créditos…mas, como dizer com certeza que esse ou aquele blogueiro é o verdadeiro proprietário de tal material. Chegamos num impasse, onde, acredito algumas ferramentas para os que buscam crédito exclusivo ao seu conteúdo garantam seu reconhecimento. Ética na internet já. Isso sim é o que falta. Tenho um blog de variedades coletadas na internet, e o meu blog especificamente, é uma coletânea escancarada de outros blogs, sites, etc. E, caro Cardoso, não me considero com pouca criatividade, apenas, criei uma maneira bem simplificada de reunir aquilo, que no meu ponto de vista, vale realmente um clique. Meus amigos aprovam, e muitos deles são pessoas da 3ª idade que possuem uma certa dificuldade de clicar em links, de conhecer tantos endereços. É impossível criar todo o conteúdo de um blog de entretenimento e variedades sem buscar notícias, imagens, fontes externas…

    O que eu quero é mostrar o curioso, o inusitado, o design diferente, e nem que eu tivesse todo o dinheiro do mundo, eu certamente não teria tempo para ir registrar cada momento desses.

    O legal de um blog, é que você pega tudo de cada canto, e junta aqui, compartilha aqui, isso que deixa o blog interessante. Meu blog está compartilhando um conteúdo que está na rede justamente para isso, para ser compartilhado. (detalhe…as últimas 3 frases eu copiei, ok….alguém que não sei quem seja, havia comentado e achei que essas palavras demasiadamente corretas para o meu comentário.)

    Bem, Cardoso, essa é minha modesta opinião, apesar de hoje discordar de você, gostaria de dizer que o admiro e respeito. Vc tem uma versatilidade infinita, eu por exemplo, estou engatinhando no mundo dos blogs..no meu caso é um puro divertimento, uma razão para minha busca de entretenimento na rede…uma reunião de coisinhas interessantes que encontrei e gostaria de dividir com os amigos…e quanto a sua dúvida com relação à criatividade…acredito sinceramente que de alguma maneira até mesmo essa "falta de originalidade" estimule a criatividade adormecida dentro dessas mentes…também com tanto estímulo !! rsrsrs

    Denise Goulart
    http://www.deniseggoulart.blogspot.com

  • Simplesmente completo e perfeito. Dá mesmo pena criar conteúdo e ver blogs que te copiam terem mais visitas do que você. Isso é dose. Sem falar nos que acham "homenagem" ou "divulgação" fazer isso.

  • camus

    Gostei das idéias e da disponibilidade pra dizer o que pensa sobre outros blogs. Pena que muita gente que poderia dar um peso a essa corrente se omite com medo de arrumar encrenca com alguém muito forte. E pena também que só o kibeloco seja o alvo desse tipo de crítica.

    Mas em relação à cópia de idéias ou a sites que só reproduzem conteúdo de outros sites, eu não acho que sejam de todo ruim. Eu que não tenho muito tempo pra passar na net, quando entro vou direto a esses tipos de sites, pois me poupa tempo e pouco me importa quem é que teve a idéia original enquanto estou me entretendo. Isso pode ser um problema sério, mas o boicote me parece longe de ser a solução pra esta situação. Você precisa continuar pensando.

  • Lalah

    Para vc ver como são as coisas, o programa de humor mais "inteligente" do Brasil é um fake.

    Quando vamos produzir algo bom e original? Precisar copiar programa argentino é o

    fim da picada!

  • Porra, deixa roubar a ideia e foda-se.

    Agora, pq escolheram JUSTO Barueri? Em qualquer cidade teria sido igual, por isso que o prefeito ficou PUTO.

    Eu ficaria.

    • “Porra, deixa roubar a ideia e foda-se.”

      E que se foda também a criatividade e os direitos autorais.

      “Agora, pq escolheram JUSTO Barueri? Em qualquer cidade teria sido igual, por isso que o prefeito ficou PUTO.

      Eu ficaria.”

      Pois é. Todo mundo roubando e eles resolveram implicar com a gente?

      Brasileiro realmente tem os políticos que merece. “Não me representa” de cu é rola.

  • Michel

    No caso, o produto pertencia ao mesmo grupo. Não há como alegar que se feriu algum direito de alguém. Assim, se ninguém perdeu nada, qual o problema?

    Você fala de originalidade como se ela fosse uma coisa absoluta. De nihilo nihil.

    De Shakespeare aos Trapalhões, todo mundo toma elementos de outras pessoas e incluiu algo.

  • Paulo

    o fato do CQC ter usado uma ideia reciclada não a torna menos brilhante.

    a meu ver, as opiniões não se anulam. Não acho válida a idéia de se idolatrar, muito menos de ficar achacando por que reciclaram.

    Defenda a sua idéia, mas não precisa se ofender e nem ofender o tabet. São estilos de trabalho diferentes, cada um na sua.

    • E qual o estilo que o kibeloco possui?

      Idiota baba-ovo do kibeloco detected.

  • Não tinha muito conhecimento sobre essas coisas que existiam, quando comecei a ver mais blogs e ver como o Kibeloco copia sem dar créditos na maioria das vezes, vi esse post e apoio tudo isso.

    Resultado mesmo, só se cada um, como eu era, ver o que esse cara faz (que ainda foi colocado como uma das pessoas mais influentes de 2007) e parar de visitá-lo