Darwin continua atacando, desta vez nas agências

Que ninguém nos ouça (e nesses dias de feriadão ninguém vai ouvir mesmo) mas 90% do chamado “Marketing Online” é um lixo.

Longe de mim reclamar, quero mais é que gastem dinheiro no AdWords com seus “Compre Enfeites Natalinos”e outras chamadas inspiradas, mas a triste constatação é que mudou-se a mídia, mas manteve-se a falta de criatividade. Os SPAMs que recebo são reproduções fiéis das malas-direta de 50 anos atrás. Em alguns casos o spammer realmente ESCANEIA a mala-direta, ou manda um JPEG do site. Sem área clicável.

Os mais criativos são os picaretas estelionatários, esses ao menos usam de meios de convencimento eficazes para que o corno de pau pequeno ou o esperto que vai ver as fotos que a gatinha mandou por engano cliquem nos links. Nas agências, a mesma coisa. Existem cases excelentes, como o da Axe com as blogueiras, ou o da Gossip Girl, onde a agência contactou blogueiros pedindo “informações pessoais semi-constrangedoras” e usaram na campanha, gerando um buzz legal.

Mas isso é a exceção. O normal é o blog ser tratado como no máximo mídia convencional. “Oi, tome dezreau para falar desse produto aqui”. Em alguns casos o cliente sequer aceita que a propaganda seja anunciada como tal. Curioso. Ele pede pra Rede Globo não passar o Plim-Plim quado o comercial dele abre o break?

Algumas atitudes são extremamente simples, óbvias mas ainda são raras. Por exemplo: Eu recebi um Grill do George Foreman para testar. Com certeza saiu mais barato do que um post pago, mas muito provavelmente eu não aceitaria fazer, se assim fosse. Fica complicado falar de um produto que não conheço, ficaria falso e artificial. Ao me oferecer o Grill a agência “teve trabalho”, enviando o negócio, eu me senti bem (adoro receber pacotes) e pude colocar a mão na massa. O resultado ficou bem melhor do que um post “compre, dizem que é bom”. Eu saí perdendo por ter recebido um produto mais barato que um post pago? Acho que não. Nem tudo são números frios.

Jáa Intel preferiu seguir uma linha completamente tradicional. “fale aí do nosso comercial”. Fiz o post, recebi, mas faltou tesão. Melhor ficou o post que fiz depois, quando achei fotos semi-nuas das gêmeas do comercial.

Não faria mais sentido oferecer algo como “Cardoso, aqui está o $$ de um post pago. Queremos que você fique com este notebook por um mês e depois escreva um texto sobre o que achou do novo chip Intel MegaPentium XV”? Blogueiros gostam de gadgets, uma oferta dessas garantiria pelo menos uns três posts, pois se conheço minha raça, adoraríamos contar pra todo mundo que estamos testando um mega-notebook da Intel.

É fácil mandar um DVD ou um press release ou então pagar pra que um blogueiro fale de um filme. Mas não seria muito mais eficiente chamar um grupo de blogueiros locais para acompanhar um dia de filmagens? Garanto que o buzz seria bem maior. Só que para isso é preciso ser criativo. A Riot, com a influência do Ian (e agora da Mírian) tem se saído com propostas interessantes, mas a resistência dos clientes me parece muito grande. As verbas também não são isso tudo.

Quando os anunciantes começarem a se interessar mesmo por essa Mídia 2.0, as agências mais criativas terão caído na graça dos blogueiros. E como o espaço para mídia é limitado, Se tivermos que escolher entre um post-propaganda padrão e uma idéia criativa, diferente, curiosa, ficaremos com a segunda, pois com isso faremos posts criativos, diferentes, curiosos, e é isso que nosso leitor quer, seja pago ou não.

Leia Também:

  • carlos

    Gostei da sinceridade, poderia ter enrolado com um post sobre um suposto presente de natal ou algo parecido, mas usou a publicidade a seu favor, e no fundo vc sabe que os leitores de blogs como o seu nao vao comprar um produto só pq vc achou bom. rs!

  • Pegou bem no meio do X da questão.

    Lí o post do Foreman com gosto (apesar de suas força meio artificial pra colocar uns pontos fracos no produto). É AQUELE tipo de campanha que tem que rolar nos blogs.

    Acho que 2008 será mais um passo na procura da propaganda perfeita, mas um passo pra frente, e não para o lado, como em 2007.

    É nóis na fita, mano.

  • Lucas

    Opa, estava na dúvida se isso realmente funcionava, agora que li o seu post já sei que pelo menos um mané gostou, agora vou esperar os comentários para se tem mais gente que gosta de carne aprova realmente o Grill, me falaram que a carne fica seca, é verdade?

  • Fica se você deixar tempo demais. Ele é MUITO rápido, isso engana o pessoal.

  • Acho que é esse o tom e o mote: ainda estamos sim "a procura da propaganda perfeita", como disse o Slonik e como (mais que) sugere você aqui. Só não penso que tenhamos dado "passos para o lado" em 2007, pois até quando erramos estamos construindo alguma massa crítica. Ainda penso que a maioria dos formatos que encontramos até aqui são irrelevantes para anunciante, público e pra nós, blogueiros, mas estamos evoluindo com nossos muitos erros e poucos acertos. E concordo que a Riot é a melhor referência de acertos até aqui.

  • Excelente crítica. E por falar em anúncios on-line, saíram as propagandas evangélicas do teu blog!
    =)

  • Não entendo muito do que estão falando, meu blog tem 1 mês de vida só, não sou profissional como vocês, estou engatinhando ainda rs Mas acho que posso acrescentar algo. O post do Grill ficou muito bom, honestamente falando, não sou de ficar bajulando ninguém. Como consumidor me deu vontade de clicar nos links do Google, mas eu já tenho um… mesmo assim me deu vontade para ver se tem novos modelos. Como o Carlos disse "Nem tudo são números frios.", concordo com isso. Acho que o post do Grill é um exemplo de um bom post patrocinado, o texto é bem completo, para consumidores que estão se decidindo ele é perfeito, fala sobre tudo. Essa é minha opinião, posso estar errado pela minha falta de conhecimento na área, mas o que o cara que chega até o blog quer é esse tipo de informação e se juntar criatividade nisso tudo fica melhor ainda. Abraços

  • Às vezes fico na dúvida se isso é preguiça de pensar do anunciante (em alguns casos agência) ou simplesmente eles acham o modelo clássico de pagar/receber geniaaaaaaaaaaal…

    Mas isso também vai impactar no retorno deles mesmos, afinal, os posts com tesão também despertarão o tesão alheio (no bom sentido!). ;)

  • Tu é muito é esperto sugerindo idéias como "Mas não seria muito mais eficiente chamar um grupo de blogueiros locais para acompanhar um dia de filmagens?"
    Mas com certeza seria uma forma excelente forma de dilvugação.

  • Pingback: No donut for you | Boombust()