Resumindo o Dia dos Professores

❝Educação é a bala de prata. Educação é tudo. Não precisamos de pequenas mudanças, precisamos de mudanças gigantescas, mudanças monumentais. Escolas deveriam ser palácios. A competição pelos melhores professores deveria ser selvagem; eles deveriam ganhar salários de  6 dígitos. Escolas deveriam ser incrivelmente caras para o Governo e absolutamente gratuitas para os cidadãos, como a Defesa Nacional.❞

Rob Lowe, em The West Wing

E é tudo que tenho a dizer sobre isso.

Leia Também:

  • Sério, sem palavras pra dizer o quanto esse post é simplesmente GENIAL.

  • Falou e disse. :D

  • Mia

    pena que educar a população não é interessante pro governo =/

  • O que a gente precisa é de um ataque cilônio para colocar uma professora na presidência.

  • Cíntia

    É, infelizmente não é assim que muita gente pensa. Pergunte a algumas pessoas na rua qual deveria ser a prioridade do governo. Poucas responderiam "educação" (O Brasil é um dos países que tem menor investimento per capita na educação básica – $1425/ano, enquanto no Chile é $1936/ano).

    Estou cursando atualmente licenciatura em Artes Plásticas na usp, e vejo que muitos dos professores formados lá nem pensam em lecionar em escolas públicas. Até pensei em me inscrever em um concurso público, mas o salário não ajudava: R$600,00. Muito menos do que eu ganho em estágio.

    Ah, e mais um dado interessante: existem por aí vários professores formados somente no Ensino Médio que lecionam NO ENSINO MÉDIO.

  • Cardoso, esta palestra é muito interessante (na verdade é um resumo), fala justamente sobre isso. Devemos repensar o sistema educacional! São 11 minutos que valem a pena.
    http://www.youtube.com/watch?v=zDZFcDGpL4U
    Abraços!

    Eduardo.

  • Ah não @cardoso.. eu gostei mais dessa.
    http://twitter.com/#!/joseserra_/status/274468523

    Sim, to de sacanagem..

  • Muito bem resumido.

  • filipecazuza

    Cardoso voce lembra que episódio e/ou temporada de The West Wing ?

  • Emocionou!

  • "O Captain my Captain!" o>

    Porque além de todo o ensinamento de vida do filme (que é muito), ele teve a coragem de dizer que devemos aprender literatura para conquistar mulheres.

    • Guilherme Nascimento

      O que esse filme ensina? O professor é alguém que jamais conseguiu vencer os seus próprios problemas e incentiva os alunos a criarem problemas para si. Incentiva os alunos a rasgarem um livro (sem antes le-lo), sendo que ELE o leu. É absurdo jogar fora algo que você não absorveu, para discordar é preciso conhecer. O filme pode até ser bonitinho, mas não vejo nenhuma "lição de vida" nele.

  • Pingback: Sobre o dia dos professores… « Blog do Tikão()

  • will walbr

    Perfeito!

  • Júlio C&eacut

    Lembrei de imediato a ótima coluna do Lucas Mendes sobre a educação decadente nos EUA.

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/09/

    Aqui o cargo de professor é visto como outro cargo público qualquer: estabilidade e mamata. Não encontram a mamata, mas fazem de tudo para não merecer o já baixo salário.

    Quando um professor com dom e vontade para ensinar entra em uma sala é imediatamente desestimulado pela falta de educação dos alunos. Educação essa que o Estado não fornece e sim familiar.

    • Por isso a população em peso nos chamam de vagabundos!

  • Infelizmente a população do estado de São Paulo votou em peso no Serra e no Alckmin, logo ela aprovou tudo que o PSDB fez na educação. Portanto, ser professor e vagabundo é só uma questão de semântica. E como já disse antes em meu blog, eu vesti a carapuça, sou um vagabundo mesmo!

  • Se for depender dos nossos excelentes políticos, isso jamais vai acontecer.

  • A escolha da imagem e do texto foram matadoras.

    Infelizmente as mudanças gigantescas ainda dormem no mundo dos sonhos…

    abs

  • A educação é a base de tudo!

    O Brasil deveria investir muito mias nisso!

  • LIBERDADE É E

    ALCKMIN, SERRA, LULA, MARTA = TUDO LIXO COMO TODOS OS POLÍTICOS!!!

  • André Krauss

    De fato, a frase é de um SERIADO da TV americana. É fácil inferir que reflete um pouco do que alguns roteiristas pensam e captam da sociedade em que vivem e para a qual trabalham. Se a educação nos Estados Unidos merece críticas o que dizer da educação no Brasil?

    Infelizmente, mesmo que o menos pior vença a próxima eleição presidencial, a educação aqui certamente não será alvo de nenhuma revolução que a melhore nos níveis que desejaríamos. Nesse sentido o único político que vi defendendo esse tema como o deveria foi o Cristovam Buarque na campanha para presidente em 2006. Ele foi alvo de muitas brincadeiras e chacotas, mas no fundo o que ele afirmava (resumidamente) "A educação é a solução para tudo" é na verdade a única solução para que POSSIVELMENTE a próxima (mais provável que uma depois da próxima) geração de brasileiros viva em um País melhor, pois para a nossa geração, eu sinceramente não vejo esperanças.

    O ensino público fundamental e médio hoje no Brasil é de um nível muito ruim por muitas razões. Estamos formando semi-cidadãos para o futuro, sem NENHUMA capacidade crítica (isso já é bastante visível nos dias de hoje). O ensino privado fundamental e médio varia muito de qualidade. De escolas muito parecidas com as públicas a verdadeiros centros de excelência. É claro que o custo acompanha o nível oferecido, os poucos centros de excelência são caríssimos e apenas uma ínfima parcela da população tem acesso a esse tipo de educação. Em muitos casos, mesmo em escolas particulares e de bom nível os pais preferem nem acompanhar a educação de seus filhos.

    A situação é tão ruim que o mercado de trabalho em geral está exigindo curso superior para quase qualquer qualificação, como se isso resolvesse o problema. Na verdade, até mesmo muitos formados em curso superior não sabem escrever corretamente. O mercado de trabalho no Brasil sofre com a carência de mão-de-obra qualificada há algum tempo. 

    As pessoas que tem possibilidade de pagar por uma educação de alto nível não perceberam (ou não fazem nada para mudar) é que no futuro, de nada adiantará para seus filhos terem um ótimo nível educacional mas viverem rodeados de uma imensa massa semi-analfabeta ou, na prática, de analfabetos funcionais, que saberão ler mas serão incapazes de tirar qualquer proveito do que leram, quando o fazem. E eu nem me atrevo a dizer que sabem escrever pois há aí uma diferença muito grande.  

    Os analfabetos funcionais de fato nem desejarão ler pois a tv já reduz esse trabalho e elimina o seu esforço desgastante de pensar. Isso já ocorre hoje. E não é só no Brasil…

    As pessoas de bem precisam EXIGIR dos governantes e políticos, ao menos, um ensino público de altíssimo nível, e, PARA TODOS. E mais, precisam cobrar e acompanhar. Mas, isso dá muito trabalho, porque eu vou perder meu tempo… alguém já deve estar fazendo isso. Na prática, ninguém faz… Não é impossível! Décadas atrás o ensino público em São Paulo era muito bom.

    Investir fortemente em educação de alto nível é o caminho que a Coréia do Sul decidiu seguir muitos anos atrás. Já há algum tempo eles estão colhendo os bons  frutos da decisão. Sob muitos aspectos a economia coreana já é mais forte que a japonesa e certamente já superou esta última em inovação.

    Se a informação é o que há de mais importante na sociedade atual (século XXI, pós industrial), o que privilegia algumas nações em detrimento de outras, a educação é o que permite à uma nação tirar proveito da informação.

  • Dany Lederman

    Com certeza… Há muito tempo a educação desse país está uma vergonha!

  • Monogo

    Educação, Saneamento básico e Saúde sao os 3 pilares principais de um país

  • eu naum enktrei nda sobre o dia ds profssores nsse saite

  • Pingback: Tropeçando 33 | Rafael Bernard Araujo()

  • Eduardo

    Sim, quanto mais comunistas doutrinando as nossas crianças, melhor!

  • Como professor estou decepcionado com o ensino no Brasil. Estamos ensinando a ser burros funcionais, futuros apertadores de porcas e parafussos nas indústrias, e não pensadores.
    Isso é bom para o governo, é claro, pessoas ignorantes são mais fáceis de dominar. A literatura ensina: Orwell, Huxley e Bradbury, respectivamente, "1984", "Admirável mundo novo" e "Farenheit 451", obras primas onde preveu-se esta distopia que aí está.
    Enquanto isso no Japão… um professor é um deus.
    Parabéns pelo post.
    VL&P