THIS POST HAS NO TITLE

Feed completo, feed parcial. Rolou por um tempo uma campanha por feeds completos. Não dei bola, eu mesmo já libero os meus assim faz tempo. Só fui me meter quando o  Henrique, do Revolução, etc se queimou com a imposição que vinha recebendo, quase no estilo “se você não tem feed completo você é chato feio, bobo e odeia o Brasil”. Eu não gostei. A decisão do que é disponibilizado no blog é do autor. Blogs pessoais não são democracias. É óbvio que todo autor com mais de 3 neurônios (ok, eliminei 80% dos blogs do UOL aqui) escuta seus leitores e aproveita suas sugestões, mas são sugestões.

Ele tem todo o direito de tomar uma posição que eu mesmo não tomo (soou esquisito,não? Depois piora) e eu fico do lado dele contra qualquer um que não entenda um “obrigado, mas não obrigado” e insista em moldar o blog dos outros à sua imagem.

Henrique, sofreu uma campanha de perseguição assombrosa, inclusive na mão de uma tal de Rosângela, versão nacional da Glen Close que muito provavelmente quer arrumar barriga com ele. Está perdendo seu tempo, querida, ele é designer ;)

Para piorar, a Osama-Sem-Fio complicou a vida de todo mundo oferecendo uma terceira via. (quem ler isso na maldade leva porrada!): Os feeds só com título, para dispositivos móveis.

Nesse caso eu sou contra.

Motivo? Simples: O ato de blogar tem que ser, acima de tudo, divertido. No meu caso uma das partes mais legais é criar os títulos, e desenvolver o texto em torno deles. Se eu disponibilizar um feed somente de títulos, não farão sentido.

Veja a lista completa de posts do Contraditorium. Sejamos realistas, a maioria dos títulos não funciona isoladamente. Não vai atrair ninguém. Você não abriria este post em seu leitor RSS, baseado somente no título “THIS FEED HAS NO TITLE”, abriria?

Para que um título seja eficiente sozinho, ou ele é maçante e meramente informativo “desbloqueie seu celular” ou é genial, instigante, sexy e sedutor.

Se eu conseguisse ser genial, instigante, sexy e sedutor, ao menos uma fração mensurável de meu tempo, estaria usando esses poderes para o Mal.

Assim, obrigado mas não obrigado. Feeds só de título aqui não. Programe seu dispositivo móvel para baixar o primeiro parágrafo somente, e assim terá uma idéia do conteúdo. Não vou trocar minhas gracinhas (que ME divertem) por uma vida de títulos chatos e burocráticos.

Quem não concordar, é livre para expor sua opinião, só mantenha a linha, senão mando a Rosângela atrás de vocês.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Concordo, afinal de contas, quem lê título e diz que sabe tudo o que se segue (além de burro e nada humilde) só mostra que gosta de manchete de jornal.

    Se alguém só tem tempo de ler título de blog e mais nada, é melhor "rever seus conceitos" e arranjar outra coisa para fazer.

  • james clebio

    pessoal, olha o radicalismo à toa… bom, detestei a campanha do henrique não pelo fato dele achar que o autor é quem deve definir a forma como o seu feed deve surgir (algo que concordo!), mas sim pela forma como colocou e tratou o fato, a começar pelo trocadilho de mau gosto no título da campanha… isso sem falar nas respostas prepotentes e no descaso com as opiniões de alguns leitores de seu blog, motivo que me levou a não mais passar por lá.

  • Sou da mesma opinião do James, senti que o Henrique extrapolou um pouco na arrogância.

    Uma campanha desse porte não serve para nada mais que melhorar a experiência do leitor com seu blog. Tá certo que o autor faz do blog dele o que ele quiser, mas se for para transformar ele em algo do tipo "se alguém quiser é assim, senão leia outro", então vale mais escrever em um caderno e guardar pra você e seu ego.

    A partir do momento que você expõe seu trabalho, como um bom profissional, deve estar aberto a críticas e sugestões, e discutí-las abertamente pensando em como agradar seus "clientes".

    E tem mais uma, se os feeds existem para facilitar, porque alguém tem que inventar de complicar?!

    Já pensou se todos os feeds que você assina fossem parciais, seria um saco acessar matéria por matéria certo?

  • Não. Vários dos feeds que acesso são parciais. Vem o título e um resumo. Funciona perfeitamente. Os que abandonei são os que só mostram o título como o Bluebus.

    Eu prefiro o completo mas o parcial não é o fim do mundo.

  • Essa briguinha não há sentido de existir… A campanha foi em prol dos feeds completos e não contra os feeds parciais. Aderisse quem quisesse. Quem levou por esse lado estava equivocado.

    Assino alguns feeds parciais, talvez não os visite com tanta frequencia… Mas não deixei de assinar pois o que me leva a ler os artigos no blog é o conteúdo e só.

  • Acho que o comentário do Aldemir reflete minha opnião na forma mais aproximada.

    Creio que a campanha foi interpretada de forma equivocada por alguns, que viram como "COLOCA ESSE FEED COMPLETO OU SEU BLOG SERÁ COMIDO POR MEIA DÚZIA DE MAFAGAFOS, SUA SOGRA IRÁ MORAR COM VOCÊ PARA SEMPRE E SUA CONEXÃO SE TORNARÁ DIAL-UP MESMO ASSINANDO UM PLANO ADSL".

    De maneira alguma a intenção foi esta.

    Eu também assino feeds parciais, não tenho aversão aos mesmos, só acho que se eles fossem completos seriam melhor. Na escolha dos feeds parciais, se o autor não fizer um primeiro parágrafo excelente ou um bom resumo, ele perderá possíveis visitantes.

    Mas, isto é escolha dele, não é ?

    Pois então, este foi o enfoque da campanha, tentar abrir o olho para os lados positivos desta escolha e não obrigar o blogueiro a escolher um lado (e que odeie com todas as forças o outro lado).

    O Henrique tem toda a razão em expor a opnião dele. Vivemos em uma democracia, não acham ?

    Só creio que o trocadilho e algumas frases/palavras inapropriadas acabaram pegando um pouco mal, mas isto é escolha dele, é o que ele acha melhor pro blog dele e pronto. Da mesma forma que várias outras pessoas acharam esta alternativa mais viável. E é isto, sempre vai ser assim. Sempre existirão pessoas para os dois lados. Esta é minha opnião.

    No caso da Bia, até onde entendi, ela sugeriu que fosse TAMBÉM disponibilizado o resumo, e não apenas os títulos. Mas posso ter perdido o fio da meada e não ter entendido de forma correta.

  • Ela quer um só com títulos. Vai ficar querendo, se for fazer tudo que ela pede eu fico sem moral ;)

    Eu acho interessante que na hora que a louca da Rosângela cai de pedrada em cima do Henrique, apareceu gente pra pedir pra ele desconsiderar as patadas mas entender a MENSAGEM dela, mas quando foi ele que escorou nas quatro patas e desceu a lenha, ninguém se preocupou em entender a MENSAGEM dele. Dois pesos, duas medidas.

  • Douglas

    Gosto da idéia de feeds parciais, pois força ao leitor a visitar a página do blogueiro, pois de que adianta todo um projeto de website bem trabalhado e ninguém para admirar.

  • Conteúdo ou design?

    full feed or not full feed, is that the question?

  • james clebio

    em resumo; eu prefiro os feeds completos. feeds parciais têm basicamente o mesmo efeito dos completos e os feeds somente com títulos são quase que uma total porcaria.

    uma pergunta ao cardoso: o sr. acompanhou os comentários e contracomentários dessa campanha do henrique? se sim, assina embaixo?

  • É isso aí! E cabô!

  • Eu sempre preferi Feeds completos. Para mim pessoalmente é muito mais prático.

    Assino alguns que são resumidos, mas nem por isso mando carta com antrax para o autor. É uma decisão dele e pronto.

    Como autor de Blog (novo) decidi disponibilizar os dois tipos de Feeds (completo e resumido) de forma a atingir o maior público possível.

    Mas Feeds só de título é o fim-da-picada. Em 90% das vezes é impossível saber do que se trata o texto só pelo título (e considero esse recurso muito inteligente).

  • Acho que já li tudo isso por aqui (ou seria no blog do cardoso?)

    mas enfim, apóio _o/

  • Cardoso, Eu gosto de Feeds completos, por ser mais simples de ler e comentar (quando leio um post que me interessa, abro em outra aba e depois vou lá comentar), eu acompanhava o Revolução.etc, porem como design não é o meu forte, acabava não tendo interesse em ler todo o post, logo deletei ele do meu netvibes. Talvez, se tivesse feed completo eu continuaria assinando, assim como eu faço com o http://www.inovacaotecnologica.com.br/ que apesar de cortar o paragrafo no meio, é assunto que me interessa !

  • É tudo muito complicado….

    O Henrique foi bem escrotinho no modo como ele lidou com a situação embora eu entenda a posição dele e não discorde do direito dele de cortar tudo no meio (nem no de todo mundo, inclusive eu, que não lê o revolução justamente por isso).

    Teoricamente rss diminui os cliques em banners e isso talvez justifique o rss servir só como teaser; mas se os posts forem ruins, você se ferra em dobro: nem o rss mais vão ler. se é ruim mas é feed completo ainda, por que já está lá mesmo, acabam lendo.

    Mas em mobiles, poutz, sendo o brasil dominado por telefonicas horríveis, eu acho que receber só os títulos parece ser uma opção válida, ainda mais porque isso não é restritivo, dá para ter um feed para Internet e um para Internet Móvel e economizar uns bons trocados do visitante.

    Só que … é imbecil! Feeds geralmente não trazem informações super necessárias em qualquer lugar, como o saldo do seu banco. Se é para ser pão duro, vá ler feeds no bloglines usando mc internet, por apenas o 2r$ e ainda ganha um sorvete.

  • HAhahahaha verdade, acaba virando mesquinharia. E mais, o título do post não é necessariamente informativo, muitas vezes ele não funciona isoladamente.

    E eu NÃO vou abrir mão dos meus títulos.

  • Pingback: » Feed/mais não cheira bem >> Milhouse Blog()

  • bom, na minha opinião, cada um cuida de seu cú, no caso, o blog, mas eu utilizo o feed inteiro, talvez por gostar dele assim, talvez por não saber colocar ele como um resumo

    ps: sem tú o meio bit não é o meio bit, tu eh o mais foda de lá, tú, o leo, e o moardib tbm eh manero

  • Pingback: And After()