É viral sim, e daí?

O Sim, Viral está questionando se a iniciativa do Enloucrescendo, de lançar as garrafas de Absolut customizadas para blogueiros é iniciativa de marketing ou uma “inocente homenagem”.

Eu tenho impressão de que ele sabe a resposta. Eu também. Mas sinceramente? Estou pouco me lixando.

Eu não gosto de ser enganado. Não gosto de campanhas virais que abusam da credulidade alheia, como aquela campanha de carro que anunciou o fim do mundo.

Já campanhas inteligentes, criativas e inovadoras? Isso não é propaganda, no sentido de coisa que atrasa minha vida. É propaganda que se confunde com entretenimento. É o Shoptime do tempo da Viviane Romanelli, do Rodolfo Botino e daquele Japa (não é você, Ina) que viviam invadindo os programas alheios, e no final tivemos o fenômeno de um canal de telemarketing que era assistido como entretenimento.

Compare com os malditos anúncios de televendas que poluem as manhãs dos canais de TV por assinatura.

Nota: Eu ia colocar uma garrafa personalizada das criadas pelo Ian, mas o Enloucrescendo está fora do ar, então preferi colocar, de forma totalmente gratuita e apelativa essa foto da Dani Koetz disponibilizada pelo Jacaré Banguela. Se bem que pensando bem a Dani é muito melhor que qualquer garrafa. Acho que fiz a escolha certa.

Faz diferença que o Super-Trunfo de blogs seja uma invenção para ganhar links? Ser uma iniciativa de marketing torna as garrafas de Absolut dos blogs ruins, subitamente?

Para mim não. Eu gosto de uma boa idéia, não importa sua motivação.

Só espero que isso não se torne a regra. Campanhas criativas virais são reproduzidas gratuitamente, para quem adora posts pagos como eu é uma derrota, me sinto moralmente obrigado a participar das brincadeiras realmente boas, mesmo perdendo dinheiro.

Claro, há poucas justificativas mais nobres para deixar de ganhar dinheiro do que abrir mão dele em prol de uma boa idéia.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Já que é para fazer marketing, você chegou a ver a versão Sgt. Peppers versão "blogosfera"?
    http://www.jonnyken.com/infoblog/2007/09/12/blogg

    já tem um tempinho…

  • Não tenho dúvida que a escolha foi certa. Quem gosta de garrafa é cachaceiro! A Dani é muuuiiito melhor, rssr,srsrs

    Abraço do Mensagens Personalizadas

  • Eu admiro as boas idéias. Mas admiro mais ainda as boas idéias que geraram muito dinheiro para o criador.

  • Eu acho que é campanha da Absolut. :-)

  • Alguém está QUESTIONANDO o cara fazer uma garrafa de vodka?

    Meu deus, a bostaesfera precisa de sexo urgente.

  • Segundo minhas mais profundas (e desimportantes) convicções de marketeiro, toda campanha que precisa ou acaba, por um motivo ou por outro, sendo explicada ou justificada, é uma campanha fracassada. Por exemplo, há muito mais carinho pela marca Absolut (que não importa a campanha, não vai deixar de ser uma puta vodka) que por qualquer campanha em si da marca. Digo mais: se os marketeiros da Absolut tivessem meia dúzia de neurônios a mais, jamais gastariam um único dólar novamente em campanhas. Não precisa. A Absolut já é – assim como, por exemplo, a Sony, a Porcshe e o iPod – uma coisa que todo produto queria ser e nem todos são: objeto de desejo.

    Publicidade para quê?

  • Porra, campanha da ABSOLUT pra mim é praticamente algo de cunho religioso. Fico feliz, orgulhoso e – daqui a dois dias – bêbado, de participar dessa bagunça.

    Pior do que um bagulho criativo e obviamente monetizado é uma campanha que começa com um teaser enganador e mal-produzido (como a balela dos colares).

    Mas, sacramentando essa discussão, as piores campanhas de posts pagos são aquelas que deixam o TRETA de fora. Isso sim é inceitável.

    Abraço!

    PS – Estamos negociando com a Dani um percentual do cachê caso essa bagunça pelas blogueiras na Playboy vingue. Ou, pelo menos, queremos assistir o ensaio fotográfico pessoalmente. Já estaria de bom tamanho..

  • Essas campanhas não vão se tornar regra, Cardoso. Não as que funcionam, elas são poucas, escassas, assim como é a criatividade.

    Essa do Absolut foi um tiro certeiro.

    E discordo totalmente do MarcosVP acima, dizendo que grandes marcas não precisam investir em marketing e publicidade. Isso é o maior erro do mundo.

    Após chegar no topo, elas precisam se manter lá, e é muito mais difícil do que uma campanha "cool" deixa transparecer.

    Abraço

  • Daí a diferença entre uma boa idéia viral e um viral boa idéia.

    Abraço do Beto. ;)

  • Essa e tantas outras estão atingindo o objetivo de gerar buzz, burburinho comentários. Mas uma pergunta que deixo aqui e pretendo comentar mais tarde no Sim, Viral é: será que tudo isso transpassa as barreiras da blogosfera?

    Não basta criar barulho na blogosfera e a notícia ficar só no nosso mundinho. A nao ser que este seja o público-alvo. A maioria do que eu posto no meu blog ngm da minha cidade sequer ouvir falar. Mesmo tendo acesso à internet diariamente. É bom ver até onde vai e o quanto é efetivo tudo isso.

    Enfim, isso provavelmente é um pré post. uaehuaheuea. abraço cardoso!

  • Respondendo ao Marcos VP, sempre haverá a necessidade de marketing para qualquer marca. A diferença será a forma de fazê-lo, e aí a tranquilidade existe em dar seqüência a essa forma. A Absolut foi muito feliz com essa proposta de customização. Por mais que todas tenham praticamente a mesma coisa dentro, a vontade de consumir uma por uma sempre existirá. O iPod tem toda uma linha de raciocínio para os seus produtos. Até a Bombril, que com o ator Carlos Moreno conseguiu encontrar a fórmula do sucesso (quase) duradouro (pois, ao que parece, depois que ele deu a primeira sumida – aliado às mudanças em relação à competitividade e à novas formas de consumo de mídia – a coisa miou de vez.)

  • Só assim, pque "aquele Japa" é meu amigo… O nome dele é Carlos Takeshi, ator com formação shakespeariana e uma longa carreira em teatro antes de ir pro Shoptime.
    |)
    bjins

  • Marcelo Macedo

    "Eu não gosto de ser enganado."

    Mas não vive lançando notícias "mentirosas"?

    Fotos do acidente da gol, paparazzo das blogueiras?

    Se não me engano, você tem comentado o quanto as pessoas não conseguem passar do primeiro parágrafo ou não conseguem discernir de um texto mentiroso, e ainda chamava estas que acreditavam de ignorantes, (não com essas palavras).

    No final, acabou sendo uma senhora campanha de marketing, pois foi noticiado nas principais mídias online, e agora diz "Não gosto de campanhas virais que abusam da credulidade alheia"

    É um senhor paradoxo.

    Lembro quando comecei a ler seu blog, achava muito interessante o foco de ganhar dinheiro com ads, e como faze-lo, plugins, modo de cobranca, como fazer, foco do site, direcionamento. Só que depois passou a dar muita pancada, agredir posts e pessoas, eu acho que de certa forma baixou o nível do proposto do site.

    Hoje, torço pra que volte a ser como antes, afinal pra que ter o carloscardoso e o contraditorium iguais?

  • ana flavia

    acho que nos sim podemos evitar sim acidentes apenas nos comtientisar