A volta dos mortos vivos: Pimentel strikes backs

Quando a Nextel lançou a campanha do Blog do Pimentel confesso que achei meio fraco. Tudo bem, havia o blog do personagem, basicamente passando vídeos do YouTube, mas sem um texto realmente atraente. Tanto que perdi o interesse, e deixei pra lá.

Agora, lendo o Sim,Viral, descobri que o Pimentel voltou, ou melhor, nunca foi embora, apenas melhorou. Há outras gracinhas, imagens estilo concurso de legendas, posts incentivando interação dos visitantes e até uma campanha nova onde ele entrevista blogueiros.

A primeira foi a Rosana Hermann, que embora não faça o estilo de blog que me atraia, tem o inegável mérito de ser um dos poucos blogs que saíram do gueto mantendo seu estilo E as características de blog.

O bate-papo dos dois funcionou direitinho, e confesso que gosto MUITO dessa coisa de interagir com um personagem, como faz o Stephen Colbert, (link corrigido, obrigado, Ronaldo)em seu programa.

Acho que isso pode dar muito pano pra manga, não só para iniciativas de marketing de empresas, como para os próprios blogs. Infelizmente vejo muito poucos blogs seguindo esse modelo, na verdade não consigo lembrar de nenhum.

Será que o ego desenfreado e a sede por fama dos blogueiros impedem que façamos uso de um personagem para blogar? Será que não estamos perdendo oportunidades? Um dos blogs mais acessados atualmente é o diário do Fake Steve Jobs, que segundo declarações de ambos, é lido pelo verdadeiro Steve Jobs e pelo Bill Gates. O autor só foi desmascarado recentemente, e não gostou nada disso.

Convenhamos, como todo verdadeiro ególatra sabe, não importa que o mundo não tome conhecimento de você, você sabe que se o mundo gira é por sua causa, então tudo está bem ;)

Qual é o mais importante para o ego? O carloscardoso ter um site com o nome dele ou o Fake Steve, anônimo, saber que dois dos empresários mais importantes do Século lêem seus textos?

Blogs utilizando o recurso de personagens devem sim ser considerados como opção, se o personagem for bom. Só garanta que tem como provar que você é ele, para não acontecer como aquele picareta que chegou a ir no Jô Soares dizendo que era o Tourist Guy, para depois ser desmentido em todos os sites.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Faltou um t no link do Colbert.

  • Pois eh Imperador… podiam até mudar o nome, de blogosfera para egosfera… ou umbigosfera… Cara não aguento mais, todo dia é um memê novo, todo mundo querendo ganhar, ganhar, links e clicks…

    Quem não quer? Eu também quero, mas essa "blogosfera" brasileira apesar de insignificante é pretensiosa e "se acha"… É um corporativismo que só encontra paralelo no congresso nacional…

  • Do lado do marketing posso dizer que blogs de personagens fictícios é um tema polêmico não porque ser fictício é ser menos nobre, mas sim porque algumas empresas usaram um personagem fictício como se fosse verdadeiro.

    O problema passa a ser AUTENTICIDADE.

    Para marketing é necessário que, desde o início, esteja claro para o mercado a intenção e se um blog é de uma pessoa verdadeira ou não. Os clientes buscam identidade com uma empresa. Se a identidade for falsa e ele não souber disso pode se sentir traído.

    Já do lado pessoal, uma mentira (como o caso do Fake Jobs) pode até ser divertida.

    Não me agrada a idéia de blogar para conseguir um ego mais inflado. Prefiro pensar de forma indireta no tema: eu blogo para instruir, para discutir, para trazer um benefício x… nem que para isso seu ego fique (e ele vai estar) no segundo plano.

  • Também achei o vídeo excelente, e aproveito para dar uma dica pro Pimentel, porque não entrevistar o Cardoso na próxima?

  • É desse tipo de iniciativa que precisamos na blogosfera, furar a "bolha" que prende os blogueiros à seu próprio umbigo.

    Precisamos sim conversar, precisamos de memes, isso é sempre bom, porém, como foi discutido no blogcamp, precisamos de leitores que não sejam da blogosfera, para parar de conversar com iguais e atrair os diferentes.

    O Pimentel é um exemplo de blog empresarial, porém não está nem aí pra blogosfera, ele quer é vender o produto, passar uma imagem interessante dele, demonstrar que funciona, e mesmo agora com o pé na blogosfera (através dessa entrevista), ele não perdeu o seu foco e nem resolveu falar apenas de blogs, falta isso hoje, pessoas que se proponham a não fazer mais do mesmo.

    Afinal, já temos ótimos blogueiros escrevendo de blogueiros e blogs…

  • Eu uso pseudônimo. Se é ruim ou bom eu não sei. Mas acho que se há interesse no que se escreve não tem muita importância quem escreveu (a não ser, é claro, para quem ganha com o que escreve, o que não é o meu caso).

    Quanto ao Pimentel, nunca me interessei muito pelo blog dele. Se for tão entediante quanto eu acho os comerciais, então estou fazendo bem! ;-)

  • Os comerciais são ruins, o blog provavelmente também é. nem visitarei

  • O bom mesmo é quando sua namorada começa a te chamar de "Anderssauro"
    =D

  • Olá Cardoso! Realmente não conheço um blog que siga esse "modelo pimentel" vindo de uma iniciativa própria. No entanto há um Vlog muito bacana feito por uma gurizada com talento. O Babilonia1981 conhece? Vale a pena dar uma conferida. http://www.youtube.com.br/babilonia1981

    Abraço!

  • Ei, mas o Papel Pobre fez um puta sucesso tendo um personagem como autor – escondendo assim seus dois blogueiros, que acabaram com o blog quando um deles teve sua identidade descoberta.

  • Essa idéia de personagens…é pura perca de tempo!

    Quem vai perder tempo criando personagens para blogar?

    Ah…só para cutucar…não entendi alguns comentários neste post que acha lindo iniciativas como essa de olhar para "fora da bolha da blogosfera"…mas peraí…o post acima trata justamente de um BLOGUEIRO (mesmo que fake) entrevistando uma BLOGUEIRA…ou seja…o assunto é BLOGS…não vi furar bolha alguma….

    Mas enfim…personagens fakes são totalmente desnecessários! :D

    Mas a idéia de entrevista gravada no YouTube é boa!

  • Pingback: Blog do livro Blog Corporativo » Post » Blogueiros falsos, fama e $$()

  • Marcelo

    Também achei o blog legal, e aproveito para dar uma dica pro Pimentel, porque não entrevistar um representante autorizado na próxima ? De preferencia um vendedor