Revistas: Mídia Obsoleta ou morte anunciada prematuramente?

Nesta matéria aqui o autor simplesmente clama pelo fim da cobertura de gadgets e tecnologia pela mídia impressa. Diz que essa área é ágil demais, e as revistas principalmente não conseguem acompanhar. É verdade, mas será mesmo preciso essa atitude radical? Será que a mídia impressa como um todo está obsoleta?

O caso apresentado é bem convincente. A Entrepreneur Magazine de Outubro traz uma matéria elogiosa do novo lançamento da Palm, o Foleo. O problema é que um mês antes a própria Palm cancelou o Fooleo, ou Palm Fooleiro, como prefiro chamar, pois o Mercado em peso riu da proposta de um teclado com monitor que funcionaria como extensão dos Treos (e somente eles), não teria capacidade nem de rodar vídeos do YouTube, e ainda por cima custaria US$600,00 – preço de um notebook básico, nos EUA.

Motivo suficiente para que a cobertura desse tipo de lançamento, pelas revistas, seja repensado. MAS… é só isso que as revistas fazem?

internet_tough_guy_magazine.jpg

Blogueiros costumam ver o mundo como se o blog fosse a medida de todas as coisas. Não é. Também não existe uma vala comum para jornalistas (talvez na Birmânia). O modelo dos blogs compete com uma pequena faixa do jornalismo. Na verdade competimos muito com os colunistas, que curiosamente são quem menos se importa conosco.

Uma revista de tecnologia que cubra lançamentos realmente está em uma posição de inferioridade?

Depende do público. A INFO é uma revista que lista lançamentos com meses de atraso, mas o público não reclama. Sabem o motivo? Sentem-se, blogueiros, pode ser chocante mas… Quem lê a INFO nem sabe que nós existimos.

Doeu? Então de novo: NÃO EXISTIMOS PARA UMA ENORME PARCELA DO PÚBLICO.

soldier-of-surrender.jpg

O leitor da INFO não se sente desatualizado pois nem sabe que a matéria está desatualizada. Ele prefere ler com calma a revista de papel, ao invés de fuçar blogs.

E não é só em questão de forma que perdemos. Conteúdo também.

Em outras áreas, não podemos nem sonhar em competir. Lendo uma Veja sobre a Crise Aérea, notei um detalhe: No rodapé das páginas, frases de personalidades sobre o assunto. Alguém teve o trabalho de corno de ligar para pelo menos 43 pessoas (assumindo que 100% dos entrevistados rendeu algo aproveitável) para pinçar uma frase. Para o rodapé, nem era a matéria principal.

Qual foi a última vez que você falou com DUAS pessoas antes de escrever um post? OK, UMA? E passar um MSN pro Inagaki não conta.

Não temos equipe para isso. Mesmo os ProBloggers não têm tempo hábil para fazer algo assim.

Blogs também raramente fazem jornalismo investigativo, policial nem pensar. Blogueiro só sobe favela para buscar inspiração. (vou receber taaaaaanto hate mail por causa dessa…)

Quantos posts “em andamento” você tem? Quantos levaram mais de uma sentada (no bom sentido, a não ser que você blogue sobre teatro infantil)?

Cada vez mais eu vejo uma guerra que não existe. Nossos pontos fortes são os pontos fracos da mídia impressa e vice-versa. Nós não temos como ganhar em termos de cobertura em profundidade, blogs são iniciativas quase sempre individuais. Se o sujeito levar uma semana para fazer um post, vai falir.

Estamos para a mídia impressa como a televisão está para… a mídia impressa.

É algo que surpreendentemente as TVs não perceberam ainda, que nós somos competição para o jornalismo televisivo, e competição séria. Unimos o melhor de dois mundos, o texto opinativo e a capacidade de prover imagem e vídeo.

Os jornais e revistas estão vindo para a Internet, tentando competir nos nossos termos. Sinceramente? Tiramos isso de letra, eles não são problema. Problema será quando a mídia falada e televisada (tm Odorico Paraguaçu) perceber que nós somos uma ameaça.

Aliás, problema mesmo será se eles perceberem isso antes de nós.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Eu sempre fui "romântico" nesse sentido, sempre acreditando que existe um lugar ao sol pra todo mundo que é comprometido com sua causa. Veja a orda de seguidores do cocadaboa, a galerinha que não abre mão de assistir os shows que passam na TV Cultura, fãs incondicionais de BBB's e afins (infelizmente, é realidade) e muitos "seguidores" (no bom sentido) de blogueiros/as.

    Existem muitas oportunidades pra todos, cada um que sabe conseguir seu espaço e o mantém firmemente, sempre vai prevalecer sobre os demais. Afinal de contas, o capitalismo é isso né? Prevalecer sobre os demais usando o seu senso de oportunidade.

    E se outros quiserem competir conosco, basta apenas que nos capacitemos para melhor o nosso serviço e não teremos nada a temer. ;)

  • Concordo com você quanto a divergência de proposta entre blogs e mídia impressa.
    Entretanto creio que por vezes os públicos se confundem. Sou um exemplo de pessoa que lê blogs de tecnologia E a Info. Talvez eu seja uma exceção, mas acredito que não somos poucos, afinal se os objetivos das publicações são diferentes as formas de apreciá-las também são.
    Para finalizar digo que, apesar não ter os mesmos recursos em termos de tempo e equipe, os blogs não são menos profundos em relação à mídia impressa em termos de conteúdo. Pelo menos não os que acompanho, os seus inclusve. São abordagens diferentes. A veja jamais escreveria um texto desse tipo: http://www.carloscardoso.com/2007/07/18/aeroporto….
    É isso.

  • Ah Cardoso, depende do caso… Em tecnologia, muitos blogs tem mais conteúdo do que as revistas do gênero.

    Acho que com assuntos gerais é mais difícil manter isso, mas na area de tecnologia os blogs estão BEM melhores que as revistas/jornais, talvez por serem feitos por quem realmente gosta da coisa.

  • Muito boa a revista para militares franceses, só faltou um guia de Paris para alemães ;-)

  • "Blogueiro só sobe favela para buscar inspiração. (vou receber taaaaaanto hate mail por causa dessa…)"

    Me incluo fora dessa ;)

  • Basicamente é isso mesmo. Em geral (salvo os de jornalistas), blogs não vão na fonte. Portanto, não 'fazem a notícia'. A maioria apenas repassa (acrescendo opinião pessoal, nem sempre importante; quando não desvirtuando a matéria original) ou simplesmente copia. No entanto, acredito que tudo que fora apontado em seu texto está próximo de uma mudança 'radical'. O princípio de toda revolução são as palavras. Não demora e a ação se fará maior que o verbo. Por enquanto, ainda se está tentando saber 'como'. Grande abraço!

  • O problema é que poucos blogs possuem conteúdo original. O Goitacá (www.goitaca.com) é um desses. O meu pessoal é menos de 10% original.

    Engraçado isso.

  • Concordo com a afirmação de que estamos todos lutando uma guerra que não existe. Aliás, mais uma entre tantas…

  • Ótimo post.

    Concordo quando fala que os leitores da INFO não se sentem desatualizados. complicado mesmo é quando um deles vem nos dar uma notícia que saiu na revista.

    Aí nos seguramos, sorrimos e falamos: "Então, isso já existe há um tempinho, você não sabia? Faz assim, anota esses links que vou te passar, e comece a visitá-los, pelo menos, 2 vezes por semana".

    abcs.

  • Tenho que concordar em alguns pontos com sua afirmação. Mas é por isso que acho que blog precisa necessariamente emitir opinião. Não damos a notícia, ela é em geram commodity. Damos opinião, que é mais cara (em custos não monetários) de se produzir. E cada um com seu papel.