Deslumbrado sim, com muito orgulho

De todas as criticas que já vi sendo feitas aos blogs é a de que blogueiros são deslumbrados, se acham o máximo quando são paparicados por anunciantes e empresas.

Vou contar um segredo: Nos deslumbramos sim.

Nós nos deslumbramos quando somos chamados para eventos. Achamos o máximo a mordomia, abocanhamos os mimos com uma vontade que deixa os jornalistas tradicionais apavorados, afinal eles têm uma imagem pública a zelar, jabá só por baixo dos panos.

Isso já me incomodou, mas pensando bem, eu sou só um ser humano. Blogs e Soylent são feitos de gente. Não temos um veículo para se interpor entre nós e os jornalistas/anunciantes/marketeiros. Não dá para separar o blog do blogueiro. É fácil você dizer que não aceita nenhum convite que envolva pagamento de passagens ou estadia. Ou você não vai ou vai e o jornal paga. Assim, até eu.

A diferença é que nos blogs (bons) jogamos limpo. Fica a cargo do leitor julgar se nossa opinião está influenciada ou não pela mordomia.

A melhor saída é não se levar a sério. Aceite a mordomia mas não acredite que você ou seu blog são especiais e maravilhosos. Coloque os pés no chão, curta o deslumbramento consciente.

paris-hilton

Quando você trabalha no mercado formal, é só mais um número. Ninguém vai chegar para um analista de sistemas ou um designer e dizer “vamos lançar um produto em Las Vegas, quer ir cobrir? A gente paga tudo”.

Eu estou acostumado com empresas que enchem o garrafão de água na torneira, pra economizar, empresas que chamam você de “recurso”, na sua cara.

Acredito que a maioria dos blogueiros também tenha essa experiência.

Portanto quando a Microsoft chama, a LG chama, a Nokia chama, quando gastam uma boa grana investindo em nossas pessoas, por causa de nosso trabalho, é claro que ficaremos deslumbrados.

Isso desperta a ira de alguns jornalistas que percebem os blogueiros como invasores, nesses eventos, mas no fundo eu acho que o que deixa eles com mais raiva é a percepção de que sem seus veículos eles jamais seriam chamados, e nós fomos convidados pelo nome.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • <a href="http://209.85.215.104/search?q=cache:TUeeP_wMiRMJ :www.paulohernandes.pro.br/dicas/001/dica064.html estadia estada&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=2&gl=br” target=”_blank”>Estada vs Estadia – Mais mastigado um pouco (além de escrito por brasileiro).

  • Cardoso, vocês devem mais é curtir estes mimos mesmo. De certa forma, faz parte do reconhecimento a um trabalho sério e competente.
    Eu aproveitaria, com certeza.
    E é uma forma de também divulgar a profissão, certo?
    Quanto aos jornalistas, eles não têm saída, terão que se adaptar.
    Hoje, já vejo falar muito mais de blogs na mídia do que quando comecei a blogar (há menos de 01 ano)
    Ah, e o template ficou bem legal assim.
    Bjs

  • Já pensei até em fazer um bazar , de tantos presentes que recebo!Ontem recebio um e nem sei qeum me mandou pois não se identificou com o link.

  • Concordo que deva-se aproveitar. Mas também deve-se tomar cuidado(como você mesmo falou) com a importância dada ao jabá, e com a influência do jabá. Começar a gostar de um produto porque foi chamado pela empresa do produto tira seu crédito, na minha opinião. Isso não significa que não possa gostar do produto.

  • Gosto de ler o Contraditoriom mas esses posts contra os jornalistas não tem nada a ver.

    Se você pode aproveitar os eventos, ótimo. Se é chamado pelo nome, melhor ainda. Eles, os jornalistas, aproveitam da forma como eles podem, ótimo também.

    É frase de carro de Mano mas é valido "Deus deu a vida para que cada um cuide da sua".

  • "enchem o garrafão de água na torneira, pra economizar"

    kkkk já enchi muito garrafão com água da torneira. Pior era ouvir o chefe falando na frente dos clientes “Rodrigo vai comprar mais água”

    Quanto aos mimos, tem mais é que aproveitar.

  • No seu lugar, eu me sentiria da mesma forma. Ser "paparicado" é sempre bom… Pensando bem, não. Nem sempre é bom. Mas na maioria das vezes é =D.

  • O Jornalista em vez de ficar com raiva deveria virar blogueiro. Como diz o ditado: Se não pode vence-los(ou acabar com ele), junte-se a eles.

  • Bem, Cardoso, vc mais uma vez falou pouco, mas falou objetivamente o necessário pra que nós os "iniciantes" possamos nos sentir motivados a fazer um blog sério e interessante.
    Estou na faze embrionária (blogomoura.com), mas sempre acompanho suas postagens aqui no Contraditorium e Blog do Cardoso e tambéms em outros muito bons, como Interney, Meiobit, Sedentário e Hiperativo, onde tenho aprendido um "bocado".
    "um dia" espero ter um blog tão bom, quanto o de vcs.
    Parabéns pelos posts.

  • Paparicado? Só se for pela Luciana Vendramini ou pela Leila Lopes. O resto é resto!

  • eduardo

    Mas tirando aquela resenha do George Foreman Grill, o que mais você fez de "post comercial"? No negócio do celular da LG você não foi e em todas as grandes ações que se comunicam por blog nenhum dos deus foi incluído que eu me lembre. Talvez porque os seus assuntos sejam os próprios blogs ou orações inventadas para tirar centavos de evangélicos pouco instruídos.

  • Além de alguns jornalistas (que se frise que nem todos são assim) não gostarem de blogueiros, esses mesmos também não gostam de leitores de blogs, já que estes leitores possuem uma postura mais crítica e cética, ao contrário dos leitores habituais, que simplesmente consomem e dizem amém a tudo que esses jornalistas escrevem.