Toque-me, sou teu!

Calma, não estou em nenhuma fase emo, nem -o horror!- comecei um blog de poesias. Eu explico.

Tudo começou quando eu cheguei na rodoviária de São José dos Campos, e fazia hora esperando meu traslado para a Clínica Liliana Pellegrini para Blogueiros Muito, Muito Nervosos quando reparei uma música no ar, uma sonatinha de piano simples mas corretamente tocada.

“Nossa, que belo sistema de sonorização tem nessa rodoviária…”

Logo depois a sonata foi substituída por uma série de ruídos como se o filho mongolóide do Sloth (ou eu) tentasse tocar Bartók ao piano. Não podia ser nada gravado. Nenhum técnico de som se dignaria a registrar tão horrendos ruídos.

Olhei em volta, e então entendi:

O projeto, hospedado em www.pianosderua.com.br não pretende encontrar lares para pianos que por um azar do destino estão vendendo balas nos sinais, fazendo malabarismo ou pior: roubando celulares em plena luz do dia.

A idéia é disponibilizar pianos em locais públicos, para que a população brinque, toque, faça o que quiser.

Cinco minutos observando já mostram o quanto a coisa dá certo. Desde gente que nunca encostou em um piano na vida a estudantes que estão mais que familiarizadas, e dão pequenos recitais informais.

No site do projeto já páginas para cada local, com direito a comentários. Melhor, HÁ comentários de gente que viu e gostou. O piano da minha foto está na Rodoviária Nova, e sua página é esta.

Claro, nas imortais palavras do Dr Cox as pessoas são canalhas com cobertura de canalhas recheadas de canalhas, então os pianos ficam em lugares públicos mas vigiados, e os bancos são presos por um cabo de aço.

Mesmo assim o projeto ainda é um sucesso, e dá gosto ver uma iniciativa assim. Palmas ao SESC de São José dos Campos pela iniciativa.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Muito legal a iniciativa.

    Mas, fale a verdade, você deu uma tocadinha?! risos!!!

  • o roubo é tão grande na cidade, que prender o banco com cabo de aço foi ótimo. ;)
    pois é, diz aí, tocou ou não?

    ;D

  • É realmente difícil entrar em uma loja de instrumentos musicais e NÃO mexer nos instrumentos. Imagino um destes pedindo "ME TOCA!", deve ser irresistível.
    Gostei da iniciativa. Espero que eu esteja errado e os pianos não sejam pixados, roubados, urinados, etc etc etc,,,

  • Faltou um "S" no endereço: é http://www.pianosderua.com.br

  • Vinícius

    O que você tem contra blogs de poesia, Cardoso? :P

  • Muito bom mesmo, mas no Rio de Janeiro isso não daria certo. Basta lembrar dos óculos do Carlos Drummond de Andrade

  • Tudo tem os dois lados… Na versão da Estação da Luz, improvisa-se grupos religiosos em torno do piano, cantando junto com o provavel tecladista esforçado.

  • Trigo

    Faz alguns meses tava tendo isso em São Paulo.
    pude precensiar na Estação Sta. Cecília, e olha, fazia fila pras pesoas tocarem.

    Foi espalhado por pontos famosos da capital, como a estação da Luz. Muito interessante o projeto, pena que durou tão pouco por aqui.

  • "O projeto, hospedado em http://www.pianoderua.com.br", pare de comer o S…

    é http://www.pianosderua.com.br e não http://www.pianoderua.com.br.

  • Thomas Fortes

    Tenho ido quase todo dia em são josé, e esse piano ficou bem legal, toda hora tem gente tocando, as vezes são pessoas que sabem o que estão fazendo, as vezes são pessoas que não tem a minima idéia do que fazem, ontem a tarde por exemplo, tinha um sujeito que exalava um "leve" odor de álcool a uns 10 metros de distância…

    Eu até gosto de música, mas em um piano, a unica coisa que consigo fazer com alguma habilidade é a escala de dó maior…

  • Isso que eu ia dizer, teve em São Paulo esse lance.
    Mas desconfio que não rolou o efeito "óculos do Drummond" (e, se tudo correr normalmente, o violão de Caymmi) porque ainda não há a proliferação do mercado de piano a quilo.
    Por enquanto, o máximo que a populêichon conseguiu foi desafinar os bichinhos.

  • Alguns pianos foram emporcalhados por tinta spray em SP.

    Mas isso não vem ao caso. Vi uma matéria e achei uma ótima idéia. É uma forma de "dar um tempo" no stress das grandes cidades e despejar sensibilidade no pessoal. Sabendo ou não tocar.

  • Eu já tinha visto esse projeto na televisão há alguns meses… É realmente muito interessante!

  • Cardoso, aqui na estação de Trem de Santo Amaro (São Paulo) tem um desses também. Já vi muito gente brincando… mas como tenho mais habilidade com teclado de computador, preferi não me arriscar.

    Abraços,
    Monthiel, agora .com.

  • Olá Cardoso, já havia divulgado no http://www.netmusicos.com.br essa ótima notícia, mas tenho certeza de que mostrado aqui no seu blog muito mais pessoas verão!

    Só complementando, o Pianos de Rua foi idealizado por Luke Jerram, vale a pena dar uma olhada nos projetos em queele participa: http://lukejerram.com/showpage.php?page=home/gtwp

    Abraço!

  • André

    Eu vi um desses na estação de trem da luz, mas o que eu imaginei é que algum profissional iria tocar para o pessoal, nem sabia que eu mesmo podia experimentar.

  • Geralmente passo com pressa pela rodoviária de São José dos Campos (mesmo nos outros pontos que possuem piano, geralmente estou apenas de passagem). De qualquer forma, acho MUITO boa iniciativa, já vi gente legal tocando. Claro que aparece aquela galera bebada/sem noção, mas é interessante.

    Infelizmente não tenho tanta habilidade com piano, até consigo tirar uma musica ou outra que aprendo na guitarra, mas nada demais.

  • Pelo que se vê, Cardoso é blogueiro 24 horas por dia, com as antenas sempre ligadas. Na minha qualidade de estudante de piano posso dar alguns pitacos no projeto:
    1) Os militares da ditadura mataram o ensino obrigatório de música no Brasil, logo mataram o piano, que apodreçam no inferno!
    2) A maioria da população nunca ouviu um piano, tocá-lo então, só no céu entre as trombetas e harpas dos anjinhos.
    3) Até que ponto franquear um instrumento complexo e caro para qualquer um é uma iniciativa que vai incentivar as pessoas a entrar num curso de piano? Tenho as minhas dúvidas.
    4) O nosso governo atrozmente corrupto, se abrisse mão de 10% do dinheiro desviado para a corrupção, reimplantaria o ensino obrigatório de música nas escolas públicas e conseguiria colocar um piano em cada escola, há um mundão de dinheiro sobrando que escorrega para as ilhas Caimán.
    5) Eu não me sentiria confortável ouvindo o filho mongolóide do Sloth recriando um Bartok a ferro e fogo. Não vejo como apenas a iniciativa de franquear o instrumento em locais públicos faça brotar talentos por si só, sem um investimento massivo em educação.

  • Engraçado, aqui no metrô Carioca na exposição sobre o Machado de Assis colocaram um tabuleiro de xadrez, e de vez em quando alguém vai ali pra jogar. Na hora que vi pensei numa idéia parecida, tabuleiros de xadrez espalhados por aí e quem passasse poderia jogar uma partida, ou melhor ainda, dar mais um movimento numa partida iniciada por outrém.

  • Poxa, sou de SJC e nem fiquei sabendo disso…mas é bom saber que a minha cidade tá sendo bem vista!

    <abbr>Camila S – último post do blog… Primeira Segunda-Feira, han?</abbr>