Egocentrismo sim, egoísmo não!

Algum tempo atrás afirmei que o Rádio estava morto. Fui prontamente bombardeado no Twitter, a ponto de fazer o impensável: Mudar de idéia. Mas melhor que isso, mudei o meu entendimento da frase.

O Rádio como veículo top, como Grande Formador de Tendências está morto. Não mais Rádio Nacional, Roquete Pinto, radionovelas com capítulos finais encenados ao vivo do Maracanãzinho. A televisão ocupou esse glamour.

Só que não está morto como meio de comunicação de massa. Em tempos de HDTV e TV Digital o Pânico da Jovem Pan atinge 17 milhões de ouvintes em 749 municípios. Seu blog dá isso?

Ontem durante o Apagão eu estava no bar, acessando web via WIFI, com o Nokia N97. Quando a luz piscou, cambaleou e morreu, mudei para 3G. O Twitter pululava de informações, comecei a repassar o que estava acontecendo. Logo as pessoas mandavam mais informações, inclusive com fontes.

Tive a idéia de usar o rádio do celular. Sintonizado na CBN, repassava o que ouvia. O mais curioso era que aos poucos a informação da rádio foi ficando defasada. O Twitter montou um mapa muito mais dinâmico e atualizado. Televisão então, piada. Em algumas praças o Jornal da Globo passava com a tarja “GRAVADO”. 

Mesmo assim a combinação Twitter/Rádio foi imbatível. O Twitter era ótimo disseminando as informações e o Rádio excelente coletando dados específicos, entrevistando autoridades.

Mas Cardoso, se o Twitter tem tanto alcance, e há Internet, porque você não acessou o site da rádio?

Chama-se Lei da Descomplicação Universal. Acessar a rádio pelo celular (e mais tarde por meu fiel radinho de pilha) é simples. Não envolve digitar endereços, não envolve TCP/IP, não tem delay, congestionamento de banda, pacotes perdidos. Custa R$5,00 no camelô e as pilhas duram uma eternidade. No DealExtreme há até modelos a manivela.

O Rádio é uma tecnologia de mais de cem anos, pode ser condensado em um único e minúsculo chip, menor que o do Pedro. Sua INTERFACE é simples e eficiente.

O Twitter embora tenha um setup complexo (exige um computador, link Internet, etc) pode ser usado da mesma forma que o Rádio, depois de tudo pronto. Não é preciso sequer interagir. Quem estava apenas interessado em coletar informação seguia as tags #apagao ou #itaipu. Quem era mais esperto seguia a mim, interagia e ajudava a montar um quadro global da situação.

Com isso conseguimos até descartar as duas hipóteses mais prováveis, Apocalipse Zumbi e Skynet.

Houve gente se espantando, dizendo que eu estava sendo solidário. HELLO, ninguém pensa no óbvio? É DIVERTIDO brincar de Central de Crise, pô. A vida inteira vendo filmes, qualquer bom geek sempre quis uma posição assim.

A nota triste, fora a perda de minha colheita no Farmville foi ver o quanto há gente imbecil e egoísta na Internet.

Alguns idiotas reclamavam que o assunto “estava cansando”, outros mandavam eu calar a boca, “quem quer informação vai no G1”. Não precisa dizer que uma hora os portais de notícias caíram, por falta de energia, e o Twitter ficou no ar.

A postura desses idiotas me dá nojo. Entendam, como bom ególatra em SOU o centro do Sistema Solar, mas como boa estrela eu sei que meus planetas têm vida própria. Não balizo suas vidas de acordo com a minha.

Ao dizer que qualquer um poderia acessar o G1, o idiota esquece que nem todo mundo tem… luz em casa. Nem notebook com modem 3G. O filho da puta está no conforto de seu apartamento, FORA da zona de apagão, vendo milhares de pessoas ilhadas nas trevas trocando informações, e não consegue ENTENDER que em algum lugar, alguém, de alguma forma, não possa ir para casa, ligar o ar-condicionado, abrir uma página num link GVT de 100MBits e reclamar do Twitter.

Por isso defendo ardentemente a diferenciação: Egocêntrico é o sujeito que acha que o mundo gira em torno dele. Idiota é o sujeito que acha que o mundo pensa da mesma forma.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • O bom dessas pseudo-crises é que fazem a gente pensar como reagiríamos se fosse algo sério. Qual é o status da nossa infra-estrutura nacional? Se os backbones geralmente são da Embratel, pq a internet nãos aiu do ar quando a maior parte do sudeste ficou às escuras?

    Aparentemente tem alguém mais preparado do que outros no pensamento da segurança do Brasil. E, claro, quem gente que não tá nem fudendo pra isso tudo.

    • Como pseudo-crise, como não foi sério? ARRASOU minha fazenda no Farmville :(

      • Isso sim é uma grande tragédia. :P

      • Ogro

        Não reclame – você só perdeu algumas leguminosas – eu fui morto no Mafia Wars.

        [s]

  • Eu costumo escrever pra caralho nos comentários. Mas hoje, basta dizer um bom e sonoro: FODA, Cardoso! Nada mais.

  • Acho muito bom vc deixar claro que não faz isso, ou aquilo, por bondade, e sim por seus próprios motivos (como todo mundo).

  • "Egoísta é o sujeiro que pensa mais em si mesmo que em mim"

    Isso já foi uma tag line. Ei, CC, há algum tempo você postou assinaturas dos tempos de BBS, será que tem algum arquivo de taglines?

    Para os neófitos tagline é a avó do twitter, nos tempos da internet a manivela.

    • Tenho. Tenho até arquivos de pacotes QWK.

  • Simplesmente excelente o texto Cardoso. A conclusão então foi sensacional! Nunca tinha parado pra pensar nos termos da forma como você os colocou, mas é bem verdade mesmo.

    Uma coisa que aumenta mais ainda a idiotice do pessoal é que o cara só sabia que você estava falando sobre esse assunto porque ele te segue no Twitter. O imbecil prefere reclamar do que simplesmente parar de te seguir.

    Ou é muita preguiça ou então é pura burrice mesmo (o mais provável).

    Parabéns pelo texto!

  • O pior é que nem radinho de pilha eu tinha. Só soube do ocorrido depois das duas quando o Boris Casoy fazendo hora extra informou de pane em Itaipu.

  • O rádio ainda sobrevive porque ele tem a sua velocidade própria de informação. Ao contrário da TV, o rádio pode ser descontraído sem parecer tosco ou de simplicidade forçada, e ao contrário da internet, o rádio pode ser repetitivo na informação que continua agradando e com bastante credibilidade por parte de seus espectadores.

    O rádio, ao contrário do que muito pensavam nas décadas de 70 e 80 (e até hoje em dia se duvidar), sobrevive as mudanças de tecnologia, talvez por conta da sensação boa que se tem de não haver necessidade de ficar com os olhos grudados numa tela e poder ter uma "vida livre" e ficar bem informado ao mesmo tempo.

    • Ogro

      Honestamente?

      O rádio sobrevive APENAS porque o aparelho para sintonizá-lo é a) muito barato b) é de uma simplicidade absurda de usar – um botao pra ligar,outro pra girar para poder sintonizar.

      [s]

  • Sami

    Ainda sim acho o Twitter uma porcaria. E inútil.

    • As centenas de pessoas que eu consegui avisar para não irem para o centro de Recife porque estava escuro e cheio de ladrões discordam de você.

      Abs.

      • Cristiano

        Opa… você precisou avisar alguém que o centro do Recife estava cheio de ladrões? Essas pessoas não conhecem Recife com certeza :)

    • Para pessoas que não gostam de discutir e/ou expandir os seus conhecimentos (há outras formas, obviamente), é realmente inútil.

      • Sami

        Bom, que eu saiba, para isso já existe blog.

  • Não sei. Ainda tenho minhas dúvidas quanto à utilidade de ver uma revoada informações em realtime. É como ver um estouro da manada, um monte de twitts pra todos os lados, desordenados e confusos.

    Já a notícia radiofônica passou por um mínimo de tratamento antes de chegar aos nossos ouvidos. (teoricamente) Foi averiguada, organizada e tratada por profissionais para que, o que era mera informação aleatória de um lado, se transformasse em notícia para o ouvinte. No fim das contas é tempo ganho.

    Ou não.

    • Utilidade existe. É incontestável. Você pode não ter a NECESSIDADE de usar (e necessidade, cada um tem a sua, única), mas isso é outra coisa.

      E como jornalista digo a você que o jornalismo minuto-a-minuto do rádio é o twitter da mídia tradicional. Veja o caso de George Orwell narrando a invasão da Terra por alienígenas, ou o antológico caso de "Tapacurá estourou" aqui em Recife. Ambas "noticiadas" pelo rádio, mas não passavam de teatro e hoax respectivamente.

      • Aladdin

        George Orwell?… Que eu saiba foi o Orson Welles irradiando o livro de H.G.Wells, Guerra dos Mundos numa rádio americana lá pelos anos 30. Confusão entre Or…Well, Wells, Or…son Welles… coisas assim?

      • RikerBR

        Suponho que o caro colega esteja se referindo, na verdade, a ORSON WELLES (http://en.wikipedia.org/wiki/Orson_Welles) e sua famosa narração/adaptação radiofônica de "The War of the Worlds" (A Guerra dos Mundos) de H. G. Wells, levada ao ar nos anos de 1930. Por outro lado, George Orwell também narra, no livro 1984, uma invasão, não de alienígenas (como Welles e Wells), mas de privacidade.

        Claro, eu não sou "jornalista", não conheço a obra completa de Orwell, posso estar errado… vai que ele narrou mesmo uma invasão de alienígenas… tantos "well" confundem…

        abs.

        • Verdade. Erro terrível de minha parte. Que tipo de nerd sou eu que confunde George Orwell e Orson Welles? SHUAHSUHAUSHUAHs

          Sorry.

  • Disseminar a informação via Twitter é meio relativo, já que a "minoria" de uma já minoria poderia acessar. Já o rádio, quase todo mundo podia "acessar", pelo menos quem gosta de futebol ainda tem pelo menos 1 radinho à pilha.

    Aliás, foi interessante saber que as redes 3G não cairam junto com a energia, pelo menos isso.

  • Até hoje eu escuto diariamente a CBN. É bem como você colocou. A melhor forma de você se atualizar é o Twitter, e a melhor de você se "inteirar" do assunto é o rádio. A TV é atrasada por demais em relação ao rádio. Vale lembrar que a única rádio que presta é a CBN, o resto só passa música para massas e besteirolas.

    • Leticia

      "A melhor forma de você se atualizar é o Twitter, e a melhor de você se “inteirar” do assunto é o rádio."

      É isso, Richard. E eu que aprenda: da próxima vez, estoque de pilhas em casa. Me senti uma idiota na quarta-feira.

  • Eu não diferenciaria uma coisa da outra de

    forma tão hermética.

    Eu ouvi a BandNews (mesmo estando em Niterói-RJ). Não sei se a CBN não fez de forma parecida ou se simplesmente o Cardoso simplesmente não

    colocou no artigo, mas a BandNews fazia uma cobertura frenética com seus dois locutores preenchendo o espaço com informações de todo o

    País coletadas via … TWITTER (além de mensagens enviadas para a própria rádio).

    À medida que a rádio conseguia a palavra de uma autioridade, colocava no ar.

    Em um primeiro momento, achei risível que estivessem lendo no Twitter. Primeira coisa foi pensar: "putz… que cara-dura!". Mas pouco

    depois aceitei bem e vi que a rádio não se furtou em de fato aceitar a colaboração em tempo real de todo o País.

    Desta forma caótica, montei um mapa mental de onde tinha e não tinha luz, e MELHOR, de onde estava voltando, e que EFETIVAMENTE estava

    voltando, reduzindo a minha ansiedade.

    Pequena ansiedade, é verdade, pois estava na cama deitado. Mas imagino que alguém por volta de 00:30 ouvindo o rádio em uma estação do

    metrô, gostaria mesmo de fazer alguma ideia se a luz volta 1 da matina ou 7 da manhã. Faz toda a diferença do Mundo entre começar uma

    caminhada ou somente aguardar.

    Só para reforçar, achei que foi muito bem utilizado o Twitter pela BandNews em sua cobertura, além da sua estrutura para conseguir as

    palavras de Kassab, presidente da Furnas e outras autoridades.

    Além de colocar no ar entrevista ao seu canal de TV com Boris Casoy, sendo que em uma dessas, uma autioridade acalmou quem estava ouvindo

    garantindo retorno da eletricidade por volta de 1 da manhã (o que de fato aconteceu).

    ****

    Claro que este caso bem sucedido, não exime de crítica matérias em jornais e veículos maiores de comunicação pautadas por Twitter e Orkut

    como tendências gerais. Mas, naturalmente, são casos diferentes.

  • o texto está ok, tbm concordo com o final dele, mas e o egoismo?

  • Jonathan Jones

    Aqui em Brasília, não fossem por algumas notícias apressadas na madrugada, jamais saberíamos. Muita gente não deu a mínima (tipo eu).

    Excelente post!

  • Adoniram

    Concordo com você Cardoso. O rádio fez a diferença ontem, muito veloz. A CBN, juntamente com seus repórteres que se encontravam em suas casas, ligavam de seus celulares para a central de notícias, davam informações de vários lugares do país e das cidades afetadas. Fiquei no Twitter desde o início do apagão com fone de ouvido ligado na CBN/Bandnews e a TV ligada. Chegou um momento que desliguei a TV, pois estavam atrasadas em relação a Twitter e Rádio. Valeu a experiência. Sites estavam quase todos "apagados". Quanto aos idiotas que disseram que o assunto estava cansando,tenho o exemplo de um Deputado Estadual, aqui do Paraná, Mauro Moraes despedindo-se dos seus followers, da seguinte forma "Só falam em apagão no Twitter,vou apagar minha luz e dormir.Boa noite" http://migre.me/bjes
    about 17 hours ago from web"

    Um abraço!

  • Eu ouvi a BandNews (mesmo estando em Niterói-RJ). Não sei se a CBN não fez de forma parecida ou se simplesmente o Cardoso simplesmente não

    colocou no artigo, mas a BandNews fazia uma cobertura frenética com seus dois locutores preenchendo o espaço com informações de todo o

    País coletadas via … TWITTER (além de mensagens enviadas para a própria rádio).

    À medida que a rádio conseguia a palavra de uma autioridade, colocava no ar.

    Em um primeiro momento, achei risível que estivessem lendo no Twitter. Primeira coisa foi pensar: "putz… que cara-dura!". Mas pouco

    depois aceitei bem e vi que a rádio não se furtou em de fato aceitar a colaboração em tempo real de todo o País.

    Desta forma caótica, montei um mapa mental de onde tinha e não tinha luz, e MELHOR, de onde estava voltando, e que EFETIVAMENTE estava

    voltando, reduzindo a minha ansiedade.

    Pequena ansiedade, é verdade, pois estava na cama deitado. Mas imagino que alguém por volta de 00:30 ouvindo o rádio em uma estação do

    metrô, gostaria mesmo de fazer alguma ideia se a luz volta 1 da matina ou 7 da manhã. Faz toda a diferença do Mundo entre começar uma

    caminhada ou somente aguardar.

    Só para reforçar, achei que foi muito bem utilizado o Twitter pela BandNews em sua cobertura, além da sua estrutura para conseguir as

    palavras de Kassab, presidente da Furnas e outras autoridades.

    Além de colocar no ar entrevista ao seu canal de TV com Boris Casoy, sendo que em uma dessas, uma autioridade acalmou quem estava ouvindo

    garantindo retorno da eletricidade por volta de 1 da manhã (o que de fato aconteceu).

    ****

    Claro que este caso bem sucedido, não exime de crítica matérias em jornais e veículos maiores de comunicação pautadas por Twitter e Orkut

    como tendências gerais. Mas, naturalmente, são casos diferentes.

  • Já instalou o Windows Seven no radinho?

  • Tínhamos alguns radinhos de pilhas, aos poucos fomos descartando. Ontem, me senti perdida sem informações, meu Vivo ficou morto, e confesso que senti falta de um radinho de pilha, e das pilhas para acender a lanterna, ambos serão comprados com urgência.

    Fantástico o seu texto Cardoso. RT Já.

  • Paula

    "Com isso conseguimos até descartar as duas hipóteses mais prováveis, Apocalipse Zumbi e Skynet… É DIVERTIDO brincar de Central de Crise"

    Cara, você não existe! Adorei esse post! #eurimuito

  • Por motivos egoístas o Twitter me ajudou demais ontem, principalmente você e o @buchecha fizeram um bom trabalho na cobertura e eu só queria que a energia voltasse pra poder dormir com meu ventilador ligado, só isso

  • Eu só tenho a dizer que o rádio é uma tecnologia "madura" e a internet engatinha nesse sentido, principalmente numa crise energética!

    Muita Luz para vocês galera!

  • Pedro Mutri

    Olá, se as pessoas te acompanhavam no twitter era porque tinham acesso a internet e logo poderiam estar acompanhando um site de noticias também.

    • Leia de novo o texto, POR FAVOR.

  • Acho que vale a pena olhar para os jornais impressos. Eles ainda existem! (…rs) Pense no dilema do homem que, enquanto você estava no boteco com seu twitter, pensava no que ia escrever para "todo mundo" ler no dia seguinte.

    http://novoemfolha.folha.blog.uol.com.br/arch2009… – o jornal precisa achar outro caminho, urgente.

  • Quanto a utilidade do tuíter, eu acredito que quem dá a utilidade é você na hora que escolhe o que está seguindo, eu posso usar ele para acessar diversos portais de notícias, ou simplesmente pra fofocar com os amigos, ou saber dos últimos links do kibeloco.

    Agora quanto ao rádio, apesar de não ser muito adepto dessa mídia, eu acho que ele ainda pode ser bastante útil em certos momento, como por exemplo durante a sua ida ao trabalho de carro.

  • RikerBR

    Cardoso, você tem razão ao destacar que as informações da CBN (e outras emissoras) foram ficando um tanto defasadas. No entanto, entre os radioamadores não. Pelo menos entre as frequências que "corujei" do meu modesto "shack". Eu ainda não tenho habilitação legal para transmitir – e respeito estritamente esse regulamento – mas ouvir (ou seja, "corujar"), como você sabe, é livre. Perdi qualquer conexão com a internet (3G? Ah, ah, ah… negativo!). Meu velho e analógico rádio (que herdei de meu avô, juntamente com o gosto pelo radioamadorismo) felizmente, também funciona com uma bateria comum de carro (12V). Dessa forma, antes que as emissoras comerciais dessem a notícia (ou mesmo na "internê", mas quanto a isso não estou muito seguro), eu já tinha um quadro bastante razoável sobre o que estava acontecendo. Talvez eu esteja errado, mas pelo que deduzi, no meio radioamador a defasagem de informação em relação ao Twitter, se é que existiu, era negligenciavel.

  • Pingback: Midiamorfose » Blog Archive » O Twitter e o Apagão – Considerações sobre o Jornali()

  • Até hoje meu radio de pilha funciona, que ganhei a uns 10 anos atrás funciona :D o radio vai demorar muito para morrer, tecnologias estáveis demoram demais para morrer(cobol que o diga…)

    []'s

  • Nada contra o twitter. Até tenho, por sugestão de um aluno, mas não uso. Desconfio até que já devo ter esquecido a senha.

    Mas tenho orkut, netlog, sonico, facebook, hi5 e não sei o que mais. acho que vou sair de tudo isso e ficar com um só. The question is: orkut ou facebook? En facebook achei 465 parentes que nem sabia que tinha. No orkut, um monte de trekkers, gente que pensa como eu. Será que ficarei com os dois? that is the question.

    O problema que que também devia de ficar com o sonico, por causa de que é o único contato com meu filho mais velho que navega pelo mundo…

    Em tempo:

    O apagão não me afetou. Mas não me convenceram as explicações dos noticiários. Acho que isso foi um ensaio.

    Medo! Muito medo!

    Vida Longa e Próspera…! Se a skynet, os aliens e o Grande Irmão permitir.

  • Juca Alvim

    Cara, eu tava em dúvida se comprava um N97 ou não. Achei meio caro… Mas pô, se vc tava usando durante o apagão deve ser bom.

    Mas me diz aí, qual a operadora 3G que você usa? Ainda não tenho um plano e esse aí deve ser bom.

    abraços e parabéns pelo blog!

  • O rádio é fantástico. Essa mídia ainda tem um poder de regionalização que nenhuma outra consegue alcançar em um país tão imenso quanto o nosso. Só para acrescentar ao excelente post, algumas mídias se complementam e isso justifica a sobrevivência e ainda, a força do rádio.

    Abçs a todos.

  • Eric Souza

    "Com isso conseguimos até descartar as duas hipóteses mais prováveis, Apocalipse Zumbi e Skynet"

    Skynet não seria muito bom, mas apocalipse zumbi seria foda. #zombielandfeelings

  • Cardoso,

    já que você gosta de publicidade bem bolada, segue uma que se valeu do blecaute.

    Uma rápida passada de olhos pelo Google e já dá para conhecer o criador da campanha.

  • Pingback: bompraburro.com.br | Causos | O câncer dos outros | Bom pra burro()