Faça sucesso mostrando seu salame

 

O vídeo acima é um viralzinho de raiz, mostra robôs de alto desempenho da Skynet ABB Robotics selecionando salames e colocando nas embalagens. Foi parar no BoingBoing e já tem mais de 72000 visualizações.

É o que geeks classificam como “coisa legal”. Não precisa de “passe adiante”, não precisa de “RT por favor” nem sequer de post pago. Um blogueiro mais pragmático chamaria de… pauta.

Curioso é que embora mostre uma parte do processo de embalagem dos produtos da Peperami, o “anunciante” é a fábrica dos robôs. Não passou pela cabeça do fabricante do petisco que seu processo industrial pudesse ser algo interessante, que pessoas gostariam de ver e naturalmente compartilhariam isso com os amigos.

Empresas contratam agências transadas para entrar em mídias sociais, gastam grana montando ações de emboscada, flash mobs, patrocinam eventos mas como todo mundo tendem a desprezar a prata da casa. Durante um evento da LG no Guarujá foi ótimo passear de lancha, ficar em hotel 5 estrelas na mordomia, mas do ponto de vista de blogueiro de tecnologia o MAIS produtivo foi quando fomos jantar e pudemos bater papo com os engenheiros da empresa.

O rolo da Stargate Studios teve 1,4 MILHÃO de visualizações no YouTube. Se resume a uma compilação do… trabalho deles, criando fundos em chromakey (sou das antigas) para séries de TV.

 

A viralização foi inevitável, mas se a empresa resolvesse investir em “mídias sociais” provavelmente contrataria alguém que inventaria algo mirabolante, completamente diferente, mais caro e que talvez não desse tanto resultado.

Portanto, seja você cliente OU agência, estude o produto, estude a fabricação, estude o dia-a-dia. Seja sabonete, seja um político. O José Serra, antes dos marketeiros ensinarem como se comportar em mídias sociais estava ganhando adeptos ao tuitar seu dia-a-dia, falar da neta, comentar seriados de televisão.

Isso mesmo, por um momento um monte de gente estava discutindo LOST com ele. O sonho dourado de todo marketeiro, humanizar seu candidato. Mas como ele estava agindo por conta própria, sem aconselhamento, estava errado. Agora virou mais do mesmo com seu tuiter burocrático.

“Ah, mas meu produto não tem nada demais, não se encaixa nisso que você falou”

Se você acredita nisso, já é tarde demais pra resolver in house. Contrate uma agência com os pés no chão, mostre explique ensine seu negócio e deixe que descubram o que você já nem percebe mais, por puro costume: Que seu negócio TEM SIM partes curiosas e atraentes.

Afinal, dificilmente você faz algo menos interessante do que embalar salame.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Perfeito, Cardoso. Não sou formada na área de marketing, mas trabalho nesta área dentro da empresa e concordo plenamente com você. Um dos maiores sucessos em feiras e eventos da área é um vídeo nosso explicando um dos serviços mais "simples" que a empresa presta – sempre temos grande público parado em frente ao stand e que, consequentemente, acaba entrando e perguntando por outros serviços e pelos produtos. A nova onda de coisas mirabolantes pode ser bem exagerada e nada, nada funcional.

    Beijoca.

  • As vezes a simplicidade é mesmo o melhor caminho.

  • parabéns, cardoso!

    realmente, os virais estão tomando conta das propagandas. :D

  • Godoy

    Na cena do chromakey há uma cena de uma nave pousando e uma astronauta caminhando no que parece ser marte, alguém sabe se onde é aquela cena?

    • Márcio Dias

      O seriado chamava-se "Defying Gravity" infelizmente cancelado após 10 episódios, uma das muitas injustiças feitas com seriados, digamos, mais "cerebrais". O estudio não tem muita paciência e se não der ibope logo, cancelam sem dó.

      [SPOILER] A cena do pouso na verdade é em Vênus. [/SPOILER]

  • Estou abismado com os recursos do cinema moderno. Estamos longe dos bonequinhos animados, dinosauros de borracha e tubarões mecânicos.

    É só ver "Furia de Titãs" versão antiga, com monstros animados quadro a quadro, e a versão moderna, digital, ainda sem estreia.

    Em relação aos robôs empacotadores… nada a declarar. O avanço continua. Há 40 anos, isto só se cogitava como SF.

    Valeu.

  • Faltou dizer:

    Se Asimov visse…

  • As vezes penso que os melhores marketeiros são os humoristas. Porque? simples…

    Eles entendem bem do que falam para trazer a tona a simpatia e o envolvimento emocional (risos e alegria) a respeito de um tema ou pessoa. São capazes de passar as mais sérias das criticas de uma forma tão única que ninguém jamais esperava. E também são tão brilhantes que ao lidar com as pessoas, se colocam no lugar delas para imaginar o que melhor funcionaria para envolve-las com seu texto.

  • Ótimo post! Concordo plenamente com vc, os virais estão tomando conta, mas tem que ser feitos com o que o usuário quer ver e geralmente qto mais simples mais interessante, direto ao ponto.

  • Marketing Viral, isso é do tempo do Ronka!

  • Todo mundo gosta de ver como as coisas funcionam. Esses vídeos de automação são muito interessantes.

    Profissionais de marketing, e não marketeiros, trabalham os benefícios do produto. Esse filme trata disso, dos benefícios ao se utilizar uma linha robotizada.

  • Bem legal!