Palmas pra Record, a Batgirl da TV Brasileira

Existe uma corrente que defende a idéia de que Informação é Poder. A Internet vai mudar o mundo, tirou o controle da informação das mãos dos poderosos, bla bla bla.

Uma corrente mais pragmática diz que se informação fosse poder as bibliotecárias dominariam o mundo. Eu concordo.Informação não é poder, Pai Mei é o Poder, mas na falta dele Poder é saber usar a informação. Então para o Poder Supremo precisamos de dois componentes: Informação e Sabedoria.

Filosófico, né? E onde entra a Record? Bem, a Record é uma rede de emissoras em todo o Brasil, disputa pau-a-pau com todas as outras, às vezes ganha, às vezes perde (oi Mion!) e está fazendo um trabalho bem profissional com a Internet. Nada revolucionário, mais do mesmo, diriam.

Até hoje.

Se informação é o primeiro passo para o poder, e todos mundo tem acesso à informação, como desnivelar isso? Fácil, tendo informação que mais ninguém tem.

A Record como todo mundo quer entrar nas mídias sociais. A Record como todo mundo tem um ENORME problema com métricas. Não dá para saber qual a real influência de um perfil no twitter baseado no número de seguidores, não dá para saber qual o efeito de uma comunidade no Orkut, qual a agilidade de uma informação dispersada por esses meios. É tudo uma grande caixa-preta, onde a maior parte das estimativas é chutada (pronto, entreguei) e quem vende viralização garantida, está mentindo.

Até hoje.

Como quem não quer nada, a Record estreou A Fazenda 3 sem aviso, sem fanfarra, um dia antes da data prometida. Qual o resultado disso?

Um monte de gente comentando no Twitter, postando em blogs, facebookando.

“Ah, mas fariam do mesmo jeito no dia da estréia”

Siiiim, querida salsa, fariam, mas com todo o ruído gerado pelo anúncio antecipado, pelos comerciais, pela mídia alertando para o programa.

O que a Record tem agora é acesso a dados e métricas de engajamento, participação, propagação, capilarização de um evento de âmbito nacional, SEM RUÍDO.

Cruzando os dados obtidos durante a exibição do programa com as informações internas da emissora é possível saber tudo que funcionou, o que não funcionou, o que viralizou, como se propaga a reação a algo exibido no vídeo… enfim, o sonho de um especialista em mídias sociais. A Record hoje potencialmente sabe mais do que qualquer um no Brasil sobre a real métrica das mídias sociais. Ela deu uma bela rasteira em todo mundo,  mostrando que distraídos venceremos é poeticamente bonito mas o mundo continua sendo dos mais antenados.

E quem não gostou que vá reclamar pro Bispo.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • E o pior de tudo é que é uma idéia simples. Eu acho que as outras emissoras devem estar pensando por que eu não fiz isso antes…

  • Mas será que eles realmente reconhecem o poder dos dados que tem nas mãos ou tudo não passa de uma "Cagada Ensaiada"?

    Digo isso porque não vejo os figurões da Record levando esses números a sério…

  • Se foi planejado foi muito bom mesmo…

  • Outra surpresa foi Mulher Melancia, uma inegável fonte de audiência.

    Record WINS.

  • Olha, sei não, mas isso ai me parece mais uma cagada sem ensaio do que uma grande jogada de mestre, e que diga-se de passagem, que jogada. Pelo menos agora eles podem medir o tamanho da audiencia, influencia e tudo mais que eles tem nas redes sociais.

  • Não sei se foi cagada ou ensaiado, mas que a Record acertou tanto no elenco quanto na divulgação não clássica do programa. E acho até que talvez tenha usado as mídias sociais para escolher os participantes pois a maioria deles já causou muito burburinho por elas…

  • Lucas Jim

    E onde entam os 10%?

  • Pingback: Tweets that mention Palmas pra Record, a Batgirl da TV Brasileira -- Topsy.com()

  • Quase não vejo TV.

    Mas andei vendo alguns programas da Record e concordo com Cardoso.

    Está se transformando numa potência.

    Aqui no sul comprou uma companhia jornalística – Jornal, TV, rádio – e mudou tudo. Tem conquistado muitos adeptos em detrimento da Globo.

    Esperemos para ver.

  • Fabio

    Leio o blog ha um tempinho, nunca havia comentado, desculpe sair do topico, mas só hj li as regras para os comentarios; sensacional!

  • Demorei a sacar o que a Batgirl tem com isso, hahaha. E que bom que, como insinuado no Twitter, você não botou a Alicia. Yvonne Craig é uma Batgirl muito melhor.

    • Diego

      Puts, ainda não peguei a referência à Batgirl… Alguém pode jogar uma luz pro perdido aqui? Valeu!

      • Foco no 2º parágrafo. A Record tem informação e sabe o que fazer com ela, como toda bibliotecária inteligente. Maiores detalhes no Google.

        • Diego

          Ah, a Batgirl era a Oracle da DC. Eu não sabia disso (e não usei a imaginação e usei o Google da forma errada). Valeu²!

  • Foi mesmo uma grande sacada, apesar de eu nunca ter assistido a mais de 5 minutos deste programa.

    Vale lembrar que o quadro da Record que mais tem incomodado a concorrência também usa as opiniões dos leitores do blog do apresentador…

  • Interessante mesmo essa estratégia, não tinha ficado sabendo ainda… o texto é muito bom, e vi também algumas outras opiniões suas pelo blog que eu concordo plenamente e não via ninguém falando no assunto! Número de seguidores no twitter não quer dizer nada! Metade das pessoas que seguem a Luciana Gimezes a seguem pra rir das besteiras que ela fala… enfim, gostei muito do blog, estou seguindo! Um abraço _o/

    • obs.: Luciana Gimenez, e não Gimezes =)

  • Sei não… Não creio que o pessoal da Record intencionavam isso quando anteciparam a estréia desse lixo de programa. Eles estavam preocupados em evitar que sua concorrente maior estragasse a estréia com a exibição de algo que derrubasse sua audiência. Não vejo o pessoal da Record utilizando as redes sociais da forma que deveriam!

    Quanto a reclamar pro bispo, você está falando do bispo Macedo, é? rsrs

    • nada é amis sem graça do que explicar uma piada :D

  • marcelo valen&ccedil

    ah Cardoso mesmo a Record usando brilhantemente qualquer mídia social acredito que seu conteudo é muito ruim…A fazenda mesmo que eles dizem que só tem os famosos….creio q 70% do elenco ninguem conhece :/ ….A Record por si só ja se ridiculariza….

  • ANARCK

    Puta que pariu, falando de novela… nível está derrapando mesmo.

    E nem "todo mundo" quer saber das porcarias de "rede sociais" seu marketeiro de merda!!!

    • ahahhahahahahahaahha segundo comentário. Você realmente tem muito tempo livre. Agradeço a visita, os cliques e o aumento nas estatísticas do blog, otário.

    • Uma palavra te resume: salsa

      • Se ele for quem eu realmente penso que é, é outra palavra que o resume: Desocupado.

  • Pingback: Tropeçando 33 | Rafael Bernard Araujo()

  • Carol

    O dia que a Record não for filiada e pautada pela Universal eu darei algum crédito a baterei palmas.

  • Na verdade talvez estejamos superestimando ap rodução da record. Tendo em vista que não se trata de uma edição 3, não é uma fazenda clássica é uma versão light do programa e como tal não fez alarde como antes. Na verdade essa é a primeira versão do que pretende ser o programa a substituir o BBB, já que este se sujou feio com anunciantes depois do estupro que rolou por lá.