Dada a política de assinaturas deveriam mudar o nome para Revista Inpho*

 

ludditesNo Brasil é comum uma empresa tentar resolver uma redução de lucros causada por uma queda nas vendas aumentando o preço do produto. Assim ao invés de vender 10 unidades de R$10,00, o sujeito que vendia 7 passa a vender 5, por R$20,00.

Manter o lucro é essencial, mesmo diante da catástrofe iminente, por isso vemos casos de agricultores que preferem jogar fora seus produtos a vender abaixo do que consideram aceitável. Perfeito, mas receita ZERO para mim é mais inaceitável ainda.

Quando há alguma grande mudança tecnológica em geral o mundo se divide entre quem abraça a inovação e quem tenta tudo para evitá-la. A velha mídia é especialista na última parte, jornais ainda perdem tempo publicando previsão do tempo, quando qualquer telefone decente traz muito mais informação e muito mais atualizada, mas assustador mesmo é quando o pé firmemente fincado no passado não é de uma New Yorker, uma Gazeta Mercantil, um New York Times, mas de uma… revista de tecnologia.

OK, mais assustador ainda é quando a batida de pé se recusando a aceitar o futuro é algo já tentado… quase três anos atrás. Em 2009 publiquei um artigo mostrando o Newport Daily News, um jornalzinho dos EUA que resolveu combater a crise na mídia impressa cobrando mais caro pela versão digital do que pela versão em papel.

Agora, graças a uma dica via Twitter, descobri que a Info está fazendo o mesmo.

 

Simples assim: Se você assinar somente a edição em papel, que mata árvores, usa um monte de componentes tóxicos, faz o Al Gore chorar e gera lixo, você paga R$142,80. Se quiser a versão impressa E a digital, paga R$162,70. Se preferir salvar o planeta, ser sustentável, abrir mão do papel, para deixar de ser ecochato pagará R$203,30.

Significa: No combo a edição digital da Info custa R$19,90. Fora do combo, R$203,30.

Agora a marmotagem: Vejam a tabela de assinaturas da revista:

infodomal2

Notaram a sacanagem? O preço é para um ano, MAS você ganha 6 meses grátis. Já a digital você só pode assinar por 18 meses.

Vamos quebrar isso um pouco? Aqui uma tabelinha onde calculei o custo total para a assinatura de 18 meses, mais o custo individual de cada exemplar nos vários modelos.

infodomal3

Incluí como fator de comparação também o custo da Wired, considerada a bíblia geek. A assinatura anual sai a US$19,90, ou R$35,22 segundo o câmbio de hoje. O valor no caso não é cumulativo, a assinatura impressa dá acesso à versão digital. A digital não dá acesso à impressa, pois (ainda) não é possível fazer download de papel, apesar do que muitos usuários de fax imaginam.

Essa postura da Info, compartilhada praticamente por todo mundo no mercado editorial brasileiro é assustadora, pois mostra que todo o discurso de inovação, modernidade e compromisso com o futuro só vale da porta pra fora, se doer no bolso, voltamos ao Correio da Manhã, Última Hora, Samuel Weiner e Chatô.

A impressão que dá é que eles só aceitam ir para o futuro arrastados. Querem que nós financiemos sua ousada iniciativa mobile. Nós e os anunciantes, já que os anúncios na edição da Info para iPad custam entre R$16 mil e R$27 mil. Ah, não tem anunciantes? Poxa, que diabo de edição mobile cara é essa que UMA página dupla de R$150.600,00 da edição papel não cobre?

Essa estratégia avestruz vai durar até o dia em que blogs e portais perceberem que podem oferecer conteúdo premium em versão digital E impressa. Assim a mídia papel, que já não conta com uma boa reputação online descobrirá que invadiram sua praia, com know-how, reputação e PREÇO.

* sim, eu sei que a regra é “m antes de p e b”, mas não estrague minha piada!


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Cristiano_JVL

    Se fosse outro tipo de revista eu ate entenderia, afinal, "não conhecem" o mundo digital. Mas a Info? Sério mesmo? Não é atoa que deixei de entrar no site dela para ler algo sobre tecnologia.

  • Cardoso, mas ninguém lê a Info. Acho que tu tá chutando cachorro (já há muito tempo) morto.

  • Cardoso, eu juro que gostaria de ver qual a desculpa que um porta-voz da empresa daria para justificar essa política de preços.

  • maccrow

    Lembrando sempre da modernidade das dicas deles onde você sempre tem algum programa para fazer download! é muito legal e moderno! <not>

    que adianta contratar os designers mais nota 10 da anhembi morumbi se o editor veio do Pasquim!?

  • Philipi

    Na realidade, o pesquisador Dan Ariely explicou esse fenômeno em um TED Talk, inclusive. No caso, é um truque de psicologia. Como o objetivo deles é vender a assinatura impressa mais a digital. As pessoas poderiam ser tentadas a abdicar da assinatura digital e ficar só com a impressa, para economizar a diferença de 20 reais. Porém, coloque uma alternativa piorada da opção que você quer vender, e ela parece mais atraente. É como ir pra balada com um amigo feio.

    Eis o link do video; http://www.ted.com/talks/dan_ariely_asks_are_we_i

    • Alexandre

      Não tem truque de psicologia que consiga vender a Info.

    • Ely

      Eu estava pensando em postar esse vídeo ai mesmo, mas o colega foi mais rápido.

  • Visitante

    O Philipi postou isso antes que eu, mas o que foi feito é o contrário da idiotice, mas sim uma tática da "Adição de Uma Opção mais Cara para vender a do Meio".

    E acaba sendo um plano ainda melhor, porque também podem não só faturar mais com a venda impress+ online (que é a planejada para aumentar), como também podem ganhar mais com idiotas que decidem gastar mais para ter só o conteúdo online (a terceira opção).

    O Economist fez algo parecido com isso, só que oferecendo a assinatura impressa por 125 dólares, a impressa+digital por 125 dólares e a só digital por 59 dólares (esse é o exemplo do livro "Predictably Irrational, do Ariely).

  • Lucio Luiz

    A título de informação: Todas as revistas da editora Abril que têm versão pra iPad possuem assinatura mais cara que a da versão em papel "disfarçada" com os "meses grátis". Possivelmente o objetivo é minimizar a migração de leitores para as versões digitais.

  • Rafael

    Eu parei com com revista de papel. Quero informação na hora que acontece, tudo em tempo real.

  • Senti isso na pele há poucas semanas, quando comecei a baixar apps de revistas nacionais para o iPad.

    7 dólares numa revista avulsa digital, que dá bem os 12 reais da banca. Com a desvantagem do IOF e possivel variação do câmbio.

    Qualquer pessoa um pouco mais esperta vai entender que o download não usa nenhum dos principais insumos da versão impressa (papel, tinta, distribuição), e que o custo para produzir um ou um milhão de exemplares é o mesmo. E essa pessoa vai se sentir uma trouxa de pagar o mesmo ou mais caro que o preço da banca.

  • valor economico faz igual…….

  • Fabio

    Meu caso também é surreal: eu possuia assinatura vigente da Info de 36 meses. Para adicionar a assinatura da versão iPad, a Abril não aceita que se pague apenas a diferença do valor anual deste pacote (20 reais). Mesmo sendo assinante há quase 20 anos de duas revistas (Info e Super), eles queriam que eu comprasse nova assinatura da versão digital (203 reais). Fofos, né? Sabem como ninguém a maneira de encantar um cliente, não? Resultado: fiquei tão decepcionado que cancelei as duas assinaturas.

  • Não quero nem entrar no mérito da qualidade editorial deles que é péssima, a info é uma revista de tecnologia gerida por pessoas que tem a mentalidade no século 19.

    É a revista Caras da informática. Quem paga mais, aparece na capa.

  • Simone Miletic

    A regra vale para qualquer revista Abril. Tentei assinar a Veja e a Vida Simples (aquela que fala sobre sustentabilidade) ó em versão eletrônica e ficava muito mais caro. Acabei cancelando a assinatura física e não fazendo a digital.

  • Sergio Clemente

    Uai, querem que a impressa tenha mais visibilidade do que a versão online. Provavelmente ouve uma queda na compra da versão impressa e agora querem recuperar.

    Mas bah, é só deixar a Info de lado e passar acessar o meiobit diariamente que tá tudo certo… :P

  • diegotietz

    Estão na mesma linha da Blockbuster, que resistiu e não largou o osso da mídia física. Aí veio a Netflix e…

  • Luiz Felipe

    Revista? o principal da revista sao as materias feitas pelos colunistas. Colunista eh coisa do passado, hoje temos blogueiros. Quem precisa de revisa agora.

  • Meu caro Cardoso e demais amigos de bom senso,

    O problema não reside somente na Revista Info, mas também em TODAS AS EDIÇÕES DIGITAIS DA EDITORA ABRIL.

    Só por curiosidade liguei pra lá um dia para questionar o porquê da edição digital da Veja ser mais cara que a de papel, e a atendente (muito educada mas achando que sou um completo idiota), disse que era uma tecnologia nova a edição digital, e que são outros profissionais de diagramação e programação, bla bla bla bla. Só que ela esqueceu (ou quis esquecer) de me dizer que a edição digital não tem custo com tinta, papel, impressão, logística de distribuição, lucro do jornaleiro e perdas (aquelas revistas que "apodrecem" nas bancas e ninguém mais quer e a editora tem que recolher e arcar com o prejuízo).

    Como um colega já falou aqui, você está chutando cachorro morto Cardoso :-) Só para citar outro exemplo, recentemente comecou a chegar DO NADA aqui em casa, em nome de minha esposa, a famigerada REVISTA CARAS. Nunca assinei Caras, só tem futilidade e o papel não serve para nada, nem para limpar você sabe o quê. Resultando: continuam mandando a tranqueira sem eu pedir, e vai direto pra lata do lixo.

    Agora não somente de maus exemplos como o da Editora Abril vive o mercado brasileiro. Há iniciativas excelentes e a preço justo, a exemplo do jornal O Globo para o Kindle, cuja assinatura mensal custa em torno de 17 reais, perfazendo cerca de 57 centavos de real por edição.

    De resto, aguardemos a quebradeira dessas empresas xing-ling que acham que conseguem enganar os consumidores hoje em dia como faziam com tanta facilidade no passado.

    • Nobre colega, venho respeitosamente discordar de um ponto de vossa opinião: o de que o papel da Revista Caras não serve para nada. Serve sim, para forrar gaiola de periquitos! É excelente! E você ainda se diverte com os periquitos fazendo coco na cara dos famosos! :)

  • Luiz

    A Info fez o que a revista Time fez, o nome disso é ancoragem de preço, é só uma estratégia para que as pessoas assinem os dois juntos.

  • sratoz

    Senhores.

    Faz alguns anos que o Cardoso já veio aqui explicar o que é ancoragem de preço. Aliás, foi ele quem postou o linque para sua própria explicação.

    Portanto, sifazfavoire, parem de explicar a missa ao padre.