O problema (e solução) da mulherada: falta de roupa pra lavar

É comum dizer que lugar de mulher é na cozinha, mas lembrando um anúncio que fiz para um curso feminino de cadetes muitos anos atrás, na realidade lugar de mulher é no tanque. Tem sido assim por milênios, e isso é o GRANDE obstáculo para que a mulher ganhe um mínimo de espaço fora de casa.

De todas as atividades domésticas lavar roupa é a mais intensiva. Boa parte do mundo ainda usa as mesmas técnicas de séculos atrás, buscando água nos rios, esquentando na fogueira, esfregando e torcendo. Isso leva horas, deixa a mulher exausta e consome o bem mais precioso que elas e todo mundo possui: TEMPO.

A popularização da máquina de lavar, hoje usada por 2 bilhões de pessoas deu a essas mulheres chance de fazer mais com seu tempo.

No vídeo acima Hans Rosling, aquele médico e estatístico sueco discute sobre a máquina de lavar, em uma apresentação do TED. “Os mais radicais militantes verdes usam máquina de lavar”. O ganho de tempo é imenso. E tempo é liberdade.

Hans conta como sua mãe explicou a ele, então com 4 anos, a vantagem da 1a máquina de lavar que a família comprou:

“Hans, nós colocamos a roupa suja, a máquina faz o trabalho e nós podemos ir à biblioteca”

No vídeo sobra até para a Dilma, elogiada como Ministra das Minas e Energia, com seu projeto de eletrificação, que possibilita a mulheres em condições carentes o primeiro passo para possuírem uma máquina de lavar, que se mostrou a mais importante ferramenta para o Feminismo, pois queimar sutiã é fácil, lavar dá trabalho.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Andei tentando reencontrar esse vídeo. Muito interessante pros ecochatos.
    Essa conclusão dos livros é sensacional, até emociona.

  • Gostei muito, Cardoso.
    Muito mesmo.
    Parabéns.
    VL&P

  • Eu adoro os posts que comentam as apresentações do TED, as boas e as não tão boas.

  • Silvia

    Gostei muito, do seu post, muito mesmo. Lembrando aqui de algumas ecochatas que conheço, que implicam com o meu uso de amaciante na máquina de lavar e usam fraldas descartáveis, em seus filhos, essas deveriam ir para o tanque.

  • Grande! Gostei muito do texto.
    Interessante perceber que a mulher demorou a ter uma atuação mais forte no mundo devido a falta de tempo, por conta da grande dedicação que o trabalho doméstico necessitava. Dá pra perceber que a mulher passou a ter mais participação no mundo depois da revolução industrial. O ganho de tempo que foi dado a mulher permitiu que mostrasse sua força e intelecto que outrora era desperdiçado no trabalho doméstico.

    Só pra deixar claro um mal entendido que ocorreu no Twitter. Foi só uma brincadeira, não falei sério. Esqueço que não há como entonar falas via Twitter. Apaguei o tweet que causou o transtorno. Sei que não usa Big Follow, já faz um bom tempo que acompanho seu Twitter e blog, apesar de quase nunca comentar. Peço desculpas. Acharia legal que me desbloqueasse. Gosto dos seus tweets. :) https://twitter.com/#!/OBileski

  • Eu também gostei da explicação de vídeo, excelente de tudo o que está escrito

  • Muito bom mesmo o artigo, heheh realmente tem toda uma economia por trás.

  • O bom da máquina de lavar é que poupa energia da mulherada pra mais tarde. rsrs
    Ótimo site!

  • Algo (esse algo: http://euescolhifornicar.com/post/52792548221) me diz que as feminazis não vão gostar desse vídeo.