Experimento Pânico – Primeiros resultados: Eu valho 10 Paris Hiltons

ak

Assim como a Rosana Hermann, ou mais provavelmente aprendido com ela em sua passagem pelo programa, o Pânico adora desmontar o brinquedo para ver como ele funciona.

As experiências nem sempre são bem-sucedidas, mas todo cientista que é a própria cobaia sabe disso. No caso o risco é que ao abrir o Twitter, futucar, cutucar e apertar para ver as reações, o Pânico corre o risco de mostrar que o Rei está nu, e que as a intercessão entre a mídia tradicional e a social não é tão grande assim.

Existe uma regra em Internet chamada Princípio do 1%,  ou 90:9:1. Baseada em observações essa regra define que de todos os usuários online, 1% criarão conteúdo original (Obviamente não estamos falando do Kibeloco), 9% interagirão, modificando o conteúdo ou comentando e interferindo, e 90% apenas consumirão, sem nenhuma manifestação, só corujando.

No Twitter a situação se agrava, pois a não ser em casos de perfis bem temáticos, o contingente de seguidores é muito heterogêneo. Todo mundo é Fantástico no Twitter, quase ninguém é Globo Rural, mas perdemos a vantagem de ser Fantástico na hora em que o nosso “espectador” deixa de ser obrigado a assistir os comerciais.

Espera-se do Twitter e das redes sociais retornos muito mais grandiosos que a propaganda convencional, mas a realidade mostra que o espectador da Internet é tão ou mais passivo (ui!) e bem mais disperso que o espectador de TV, e isso aparece nos números.

 

O blog Insider resolveu fazer um experimento com a Paris Hilton, mas não do tipo que envolve câmeras com nightshot e injeções de antibiótico no dia seguinte. A porn star amadora, socialite e nulidade enquanto criatura humana cobra US$3 mil por um twit pago. é um valor aceitável, proporcionalmente muito baixo perto do que eu cobro, aliás. Principalmente se levarmos em conta que a boqueteira esverdeada tem 6,8 MILHÕES de followers.

Pois bem: Na época do teste ela contava com 6,5 milhões de retardados pessoas acompanhando seus twits. Qual seria o alcance?

Se fosse 10%, significaria 650 mil visitas no link.

1%, 65 mil. Um valor atraente.

O site recebeu do link da Paris Hilton 2.652 visitas, com bounce rate de 85% e 75% de novos visitantes. Ou seja: Somente 15% deles continuou no site depois da página inicial do link.

0,1% de 6.500.000 dá 6.500 visitantes. 2652 dá menos de 0,05% de eficácia do clique.

O site que gerencia os anúncios da Paris Hilton insiste que foram enviados 6 mil visitantes. Sendo MUITO generoso e aceitando os valores, o retorno é de uns 0,09% e o custo por visitante foi de US$0,50. Um valor aceitável para o mercado americano, mas se existe forma mais ineficiente de anunciar, eu não conheço.

David Ogilvy dizia que 50% da verba em propaganda era desperdiçada, o problema era identificar qual 50%. Se vivo fosse ele teria um treco com esses números de Internet.

 

E o Pânico?

Ontem eles resolveram fazer um experimento disfarçado de brincadeira. Criaram um perfil vazio no Twitter, o @bemfudidex. Prometem transformar algum fã do programa em Celebridade do Twitter (sic, sic, sic), sorteando o perfil quando chegar a 1 milhão de followers.

É uma meta razoável? O bom-senso diz que sim, meu feeling concorda, mas só quem ganhou dinheiro com Feeling no Brasil foi o Morris Albert.

A favor temos o fato do Pânico ser um programa em rede nacional, várias vezes líder de audiência, agora em uma emissora decente. Quem melhor definiu o programa foi (de novo) a Rosana, que disse:

“o Pânico não é só um programa de TV, mas uma experiência em comunicação. É o único programa realmente transmídia, com web, rádio e televisão. E poderoso nos 3.”

Só no Twitter @programapanico são 5.8 milhões de seguidores. A Sabrina Sato sozinha tem 4 milhões de seguidores. Os outros participantes do programa figuram entre os perfis mais seguidos do Brasil.

Quanto isso significa em termos de poder de manip persuasão?

Segundo a regra do 1%, com o Pânico pedindo na Internet para que os seguidores passem a seguir o @bemfudidex, teríamos 58000 followers. Em poucos minutos ontem o perfil saiu de um número mínimo para uma explosão de crescimento digna do Chefe Apache. Eu acompanhei alguns momentos, veja a evolução:

 

hora followers
16/4 – 09:28 153465
15/4 – 22:35 134081
15/4 – 22:35 133209
15/4 – 22:15 128846
15/4 – 21:41 101906
15/4 – 21:37 80081
15/4 – 21:35 76629
15/4 – 21:34 72664
15/4 – 21:29 13000

 

Em 45 minutos o perfil atingiu 100 mil seguidores. Isso é impressionante, mas só se enxergarmos as mídias sociais como algo compartimentalizado. Não são. Todo mundo interage com todo mundo. O @Boninho por exemplo anunciou que estava segundo o tal perfil, e com 1 milhão de seguidores fanáticos ele com certeza movimentou followers para o @Bemfudidex.

rubensSe você juntar todo mundo que retuitou a brincadeira, incluindo aí os perfis pequenos, temos um resultado decepcionante. Usando a regra do 1%, o alcance total da ação do Pânico, incluindo TV, Twitter, amigos e seguidores foi de 15 milhões de pessoas.

O pessoal que curte cyberativismo tem que levar isso MUITO em conta. Eu sei que todo mundo acha que está a uma petição online de derrubar o Sarney, a Dilma, o José de Abreu na Novela ou outro diabo da vez, mas foi preciso expor uma mensagem a 15 milhões de pessoas para que 1% se dessem ao trabalho de clicar em um link.

Ontem no meio de uma conversa sobre aviação militar postei um link com a foto de um helicóptero de ataque russo da FAB. Foram 294 cliques, em uma noite de domingo.

Com 35.537 followers, isso me dá um retorno de 0,83% nesse link. Comparado com o retorno da Paris Hilton, 0,09% eu estou bem pra caramba!

Essa média é normal pra quem não posta o lixo o dia inteiro e –PRINCIPALMENTE- engaja em conversações. Blogs, a gente dizia, são conversações. Twitter, dez vezes mais.

Pedir para os espectadores fazerem algo, seguindo a velha fórmula apresentador manda macaca de auditório obedece não é nem de longe tão eficiente quanto a verdadeira interação.

Notem, eu não estou dizendo que o Pânico não interage. Eles são quem mais entende de Internet na mídia eletrônica atual. O fiasco do BBB do Twitter onde não se podia falar Twitter mostra o quando ainda há para ser aprendido.

A lição que tirei da primeira parte desse experimento é que a mídia de massa tem sim uma enorme influência junto às mídias sociais, mas isso de modo algum é o mesmo que dizer que ela tem total poder de mobilização junto à essas pessoas. A Regra do 1% nos torna um espelho convencional. Agências e anunciantes que esperam mais que isso querem um espelho que responda e Internet não é conto de fadas.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • dennisaltermann

    Ai que entra a triste realidade do viral. As empresas não levam em conta nada do que você falou agora e acham que fazer qualquer coisa vai 'viralizar'. Acontece? Sim, mas está muito longe de ser uma regra.

    Gostaria apenas de fazer uma observação quanto a % de cliques. É bem complicado você definir a % de cliques se baseando em apenas um link porque temos vários fatores, como horário que tem mais gente online, público que te segue, tipo de conteúdo que você compartilha, etc.

    Portanto, não faz muito sentido você comparar um link interessante de quem é conhecido por ter links interessantes com uma socialite que é conhecida pela futilidade tuitando um 'link patrocinado'.

    Mas de qualquer forma eu acho a discussão interessante mesmo.

  • Heryck

    E o Marcelo DDOS Taz?

  • 1k2

    Isso lembra dois casos, o protótipo de ciberativista Felipe Andreoli, na época na MTV, que através do twitter tentou mobilizar uma manifestação contra o José Sarney no vão do Masp. Tinha somente 49 gatos pingados. Marcos Mion porém, um ou dois anos antes mobilizou os internautas para votarem no padre voador como candidato ao título do "Darwin Awards" que premia os candidatos "burros" que se sacrificam em prol do melhoramento da raça humana. E nos Legendários virou mestre em inflar Trendtopics no Twitter. Mas tem situações que são bizarras como o os internautas se mobilizando contra um humorista de fala ácida ou contra o encoxador do BBB.

  • Pensando aqui, de quem eu sigo, tirando os amigos, você deve ser o único da minha lista com mais de 1000 seguidores que interage mesmo. Aliás, o Roger e José de Abreu interagem também mas acho que como eles são famosos, não daria para olhar exatamente da mesma forma. Outros nem tão famosos assim se preocupam mais em responder a trolls do que a quem tenta interagir na boa.

    • Cardoso, a parada do Feeling com o Morris Albert foi sensacional!
      Ótimo texto e análise!

  • pausaplanche

    Ótimo texto como sempre Cardoso!

    Um exemplo que você poderia dar relativo ao tema está ligado ao nosso blog. Postamos esse texto aqui, onde citamos um app de iPad que você reocmendou: http://pausaprolanche.me/2012/04/11/coluna-do-dal

    Esse foi o 5° posto do blog, que até o momento tinha média de 20 acessos por post, no dia da publicação. No dia 11, quando o texto saiu, mandamos um tweet pra você, e só o buzz que isso gerou rendeu mais de 200 visitas em menos de 1 hora!

    Isso pra nós (eu @fusinato e meu "sócio @Dalmorah, no twitter) foi uma grande vitória!

    Mas como você mesmo disse, é um resultado momentâneo. Ontem saiu um post novo no blog e voltamos a rotina de 15~20 views…

    Um grande abraço!

  • Lembro que há poucos meses o Pânico teve sua conta invadida e o hacker -um garoto -aproveitou para postar o link de alguns sites. Um desses sites usava o “Amung” e vi o número de visitantes do blog subir, em poucos minutos, de aproximadamente 10 visitantes simultâneos para mais de 5.000.

    Já estava evidente para todos que a conta havia sido invadida e, ainda assim, todo esse povo clicou em um link postado por um hacker.

  • AndreK

    Creio que os vídeos de Feelings do Morris Albert no YouTube terão um estranho aumento de audiência.

    _____
    42

  • Comentarei por respeito, admiração por você e por elegância: Não vejo o Pánico na TV, nada que eles façam, digam ou postem, me afeta no mais mínimo. (Aliás em TV só vejo filmes e algúm noticiário).
    No máximo sinto-me como um simples espectador dos debates e comentários no twitter, do lado de fora do aquário (ops!) . Não entendo muito do que se comenta sobre o Pánico, e raramente clico en links relativos, a não ser que você faça algum comentário ao respeito, recomendando ou indicando ser algo hilário. Sempre estou disposto a ver algo hilário, é bom para a saúde.
    Mas é só isso.
    Às vezes penso se não seria mais feliz fazendo parte da massa ignara… mas esse pensamento passa logo. É só escutar uma música clássica.
    Parabéns pelo post.
    VL&P

    • mourasouza123

      É poca zuera!?

    • Lexico

      Acho que ficaria melhor se o comentário fosse: "Parabéns pelo post. "
      O restante podia deixar como monólogo interno, ou parte de um blog mais pessoal, introspectivo. Imagine se a resposta a este comentário começasse com "Responderei seu comentário por me importar, apesar de não compreender exatamente o que motiva tal atitude."
      Apesar de não assistir Pânico, entendo ele como um programa que busca atingir diferentes públicos, inclusive, talvez, um que não faça parte da massa. Claro, só estou repetindo alguma coisa que alguém já falou.
      Não posso elogiar seus textos, pois ainda não despertou meu interesse, mas sugiro que continue com eles independente das críticas e comentários. Comentários podem ser úteis para caminhos a serem explorados no futuro.

  • poxa que bacana

  • Eu arriscaria mesmo a dizer que desses 1% de criadores de conteúdo, mais de metade provavelmente apenas se limitará a traduzir de outras língua para o Português.

  • Cara, não sei como alguém vê um programa como o pânico. No rádio vá lá, mas na TV fica um torre., a audiência de ser pela qualidade, não a do programa, mas pela falta de qualidade da TV aberta brasileira.

  • Esse é um problema da Internet, temos muito volume de gente visitando e consumindo conteúdo, mas quando vamos avaliar a qualidade das visitas (tempo que essas pessoas ficam na página/percentual que eles efetivamente leem do texto), a gente percebe que praticamente ninguêm lé o que esta no site, mas acaba scaneando as paginas

  • Cada coisa buzarra nessa internet

  • THESS

    Visite o blog: http://livrocibercelulas.wordpress.com/
    Ou busque no google: LIVRO CIBERCÉLULAS
    A princípio pode parecer um livro sem relevância; porém, trata-se de uma análise aprofundada do universo subconsciente – sabedoria que existe dentro de nós mesmos. Permita-se conhecer a existência humana por um novo prisma.
    ESTE LIVRO IRÁ TE SURPREENDER!

  • Que legau!
    muito bacano