O Principal Perigo dos Baderneiros não é a baderna.

honra

Quando Mark Felt, diretor interino do FBI contatou Bob Woodward com informações sobre o escândalo de Watergate a primeira coisa que fez foi se identificar. Ele sabia que poderia ser acusado de traição e no mínimo perderia o emprego e iria pra cadeia, mas colocou sua fé na Justiça e na ética dos jornalistas envolvidos.

Apesar de todas as pressões o mistério sobre quem seria Garganta Profunda, a fonte secreta de Woodward e Berstein, o segredo durou de 1972 a 2005, quando Felt no final da vida revelou seu papel na trama.

O sigilo foi essencial. Sem o anonimato ele não teria arriscado sua vida sua carreira e sua família. Isso é algo bonito e honrado quando OS OUTROS fazem, mas quando nosso próprio fiofó está na reta, o bicho pega.

Por isso me preocupa uma tendência que tenho notado nas manifestações que pipocam pelo Brasil. Depois que um bando de baderneiros aproveitou as passeatas para extravasar recalques e mostrar que podem ter paus minúsculos mas atacam de forma implacável vidraças que não reagem, a percepção pública mudou.

Qualquer um com o rosto tampado, -e isso foi dito até por líderes do movimento estudantil- tem má-intenção. Quem não tem o que esconder não tampa o rosto, etc, etc.

Ótimo, mas será mesmo? Eu sei que no Brasil tudo acaba em samba, pizza ou no caso do Rio chopp no Amarelinho, mas e se o sujeito quiser marcar presença sem se mostrar publicamente? Digamos que a empresa onde ele trabalha seja contra as manifestações.

Eu vi um retardado defendendo que publicitários não deveriam ficar trabalhando em dias de passeatas e que se fosse o caso, se demitissem. Acho ótimo, mas nem todo mundo tem a mãe para pagar as contas, como o idiota em questão. O mundo não é preto-e-branco, pessoas são complexas e fazer um julgamento absoluto baseado em uma única faceta é algo no mínimo infantil.

Se o sujeito quer colocar uma máscara (que não seja a do Guy Fawkes, se quer fanáticos cristãos prestigie produto nacional, o Feliciano) para evitar ser demitido, que coloque.

Quando vemos os próprios manifestantes demonizando quem não mostra o rosto temos a população trabalhando em prol do controle, da monitoração, do governo.

Isso é 1984 demais pro meu gosto.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • fellipec
  • 1k2

    Aqui em Ribeirão Preto 12 pessoas foram atropeladas, uma morreu, duas em observação no hospital. Em 20 minutos a capivara do sujeito já estava no Facebook. O legal é que a criatura responde a 30 processos e chama os manifestantes de "verdadeiros bandidos".
    E isso porque foi uma manifestação pacífica em que até os policiais estavam fazendo o favor de tirar fotos para os manifestantes colocarem as mesmas em seus álbuns em redes sociais como se fosse um passeio turístico a Ilha Bela.
    Deviam ter pensado na estratégia "senta e deixa rolar" antes do pau quebrar, mas duvido que alguém fique com uma nuvem de gás lacrimogêneo na sua direção.

  • Entendo o seu ponto de vista, e não discordo dele. Participei de muitas greves e protestos, na minha vida e, mesmo não usando máscara, sempre que percebia alguma máquina fotográfica apontada na minha direção, procurava virar o rosto, assim como muitos, para dificultar uma identificação e punição pela empresa. Hoje em dia, com celulares fotografando para todos os lados, isto seria impossível. Por outro lado, entendo que nos atuais protestos, a questão de cobrir o rosto tem sido combatida porque os primeiros a cobri-lo teriam sido justamente os que se aproveitaram do movimento para vandalizar…

  • Interessante o ponto de vista, Cardoso. Refletirei sobre isso.

  • Cardoso, perdão mas defender o uso de máscara por medo de represálias que o indivíduo possa sofrer por estar em uma passeata no momento e local em que vivemos é sem sentido. Isto vale quando se esta em um regime autoritário, em que instiuições não são transparentes. Fora este contexto é apenas para se fantasiar de figurante do filme V ou representar um bandido. Mesmo na historia (o garoto contra o tanque), um dos momentos mais perigosos que alguém protestou contra o governo, e ele estava sem máscara. Se você está protestando contra algo, ou acredita nas instituições e no ato que faz, ou tudo mais não tem sentido.

  • Não concordo, 2013 e alguém é demitido por participar dessa manifestação? Duvido muito. A não ser que trabalhe para o Renan Calheiro.
    99% dos empresários estão também de saco cheio desse país, dos impostos, da burocracia, da corrupção. O 1% restante com certeza é aquele que teve a loja saqueada, pasmem!! por gente com o rosto coberto.
    E na boa se vc trabalha numa empresa que te considera o novo Lula por ser visto na Paulista provavelmente deve ter outros problemas como as Câmeras no Banheiro e a escuta na sala de cafezinho.

    Veja bem não estou falando em regimes poucos democráticos ou Teocracias onde a chance de ser visitado de madrugada ao estilo captura do Bin Laden são bem grandes, aqui na Bananalandia a chance da ABIN aparecer na sua casa são nulas. Diria até negativa.
    Existe uma grande diferença de usar uma mascara que já uma forma de protesto (babaca no caso do Guy) e cobrir o rosto com camiseta. Conforme já disse em alguns lugares é bom pra saúde aqui no Brasil atualmente só demonstra má intenção.

    Então se vc não for flagrado de cara limpa com um cartaz escrito " Supremacia Branca" a chance de ser demitido pelo seu Salim são poucas.

  • junior

    Esse texto também é interessante: https://medium.com/primavera-brasileira/496f89557

  • Gustavo

    troque o "mostra o rosto" do penúltimo parágrafo por "é pacífico" e, com alguma ponderação, temos uma situação bem semelhante e que é mais demonizada ainda.

  • Isso daqui não atrapalha em usar mascaras não?

    IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;

  • Apenas permitam-me mostrar aqui como a palavra "baderna" adquiriu significados tão distantes de seu sentido original. A Senhorita Baderna me representa. http://blogdamartabellini2.blogspot.com.br/2013/0