Exoesqueleto da Copa – Brasileiro sendo vira-lata até o osso

hulkbuster1

Agora o alvo é o “dinheiro público” gasto na pesquisa do Miguel Nicolelis. Gente que nunca abriu uma Superinteressante que seja se tornando “o” especialista em fomento e pesquisa. Cobram resultados irreais, como se tivessem prometido uma Armadura Mark 15 da Stark Technologies.

Desconhecem o conceito de prova de conceito. Desconhecem que para andar é preciso engatinhar e que os carros que estacionam sozinhos não surgiram da mão de Henry Ford, que a Dragon V2, que a VSS Enterprise não saíram da oficina dos Irmãos Wright.

A mesma gente que acha INADMISSÍVEL gastar dinheiro com exoesqueletos para paraplégicos não reclama da USP gastar dinheiro publicando teses sobre grafitos de banheiro.

O que se vê é a Síndrome de Tom Jobim, onde o brasileiro considera sucesso alheio ofensa pessoal. Junte a isso um partidarismo extremista patológica onde quem vaia a Dilma é rico e onde o Nicolelis por ser petista é naturalmente uma fraude, e NADA consegue ser feito nesse país.

Nossa natural desconfiança da ciência também não ajuda, afinal boas são as curandeiras, o pessoal que receita florais, chazinhos, a medicina indígena. Eles são saudáveis, você não vê nem índios com Síndrome de Down. (pesquise o motivo)

Agora uma autora da Folha reclamou dizendo que o exoesqueleto vende… esperança. SIM, SUA MULA, CLARO QUE VENDE. Toda boa pesquisa vende. Elon Musk fala de colônias em Marte, mas a tecnologia dele ainda não chegou nesse ponto. Por isso é uma fraude?

O que vi na abertura da copa, e o que vi na Internet é a clássica rejeição brasileira a tudo que não é “humilde”. Todo mundo xingou o Governo por não dar R$50 mil e forçar a Olimpíada Brasileira de Astronomia a passar o chapéu. Agora querem reclamar de um investimento de R$33 milhões? Decidam-se, o Governo deve OU NÃO investir em ciência?

Não me interessa que o Nicolelis seja petista. Ninguém é perfeito. Não me interessa que ele seja um mané que nunca me respondeu no Twitter, ao contrário do Neil DeGrasse Tyson (yay namedropping!). Há que se separar o homem do pesquisador, e cobrar resultados da pesquisa. Resultados que uma busca no PubMed mostra que existem.

Eu tenho CERTEZA de que se a Dilma na época falasse que NÃO haveria investimento no “brinquedo do Nicolelis”, e que os R$33 milhões seriam gastos comprando cadeiras de rodas a popularidade dela subiria uns 200 pontos. Todo mundo acharia o máximo, que coisa linda, que gesto caridoso. Ela seria aplaudida de pé, menos por quem um dia poderia vir a se beneficiar da pesquisa.

O último governante brasileiro simpático à Ciência foi Pedro II. De lá pra cá ela é apenas tolerada. Por isso somos e sempre seremos meros usuários, comprando soluções prontas. É uma pena. Nos falta grandeza. Se a tivéssemos a Presidenta não estaria acomodada na Tribuna de Honra, mas no centro do gramado, ao lado do Juliano Pinto, sabendo que aquele chute era um gesto simbólico. Ainda há muito a ser feito, mas que ninguém estava parado.

O chute não foi um final, isso nunca foi prometido. Quando a ciência se defronta com a miséria, a doença, a morte, o abismo intransponível ela só tem uma coisa a dizer: “Hoje talvez, mas amanhã, NÂO!”

É por isso que seu filho hoje vive sem o fantasma da poliomielite, é por isso que nem AIDS é mais uma sentença de morte. É por isso que aquela batida de carro fatal 30 anos atrás hoje foi só “um susto”.

Aceitamos de bom grado esses benefícios da Ciência, mas desprezamos o caminho que leva até eles. Somos vira-latas. Sempre seremos e por isso nunca veremos um gesto como este:

 
Obama-Rewalk

Em visita a Israel, Obama foi conhecer as pesquisas de uma empresa que desenvolve próteses e exoesqueletos. Na imagem está cumprimentando Theresa Hannigan, veterana do Vietnã e paraplégica. Aqui não duvido que a pessoa mais importante a tirar foto com o Juliano tenha sido o boleiro.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Todo valor é válido, o que vale é a intenção e o seu cartão de crédito passar. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Mais uma vez um texto maravilhoso. Só vi verdades. O que é muito triste: para a nossa sociedade imediatista qualquer dinheiro gasto em "pesquisa" é um dinheiro desperdiçado, que poderia ser usado para construir um hospital ou uma escola. Só esquecem que depois tem que pagar a conta da manutenção e os salários dos profissionais que ali (talvez) trabalharão :P

  • Não à toa o gesto ontem foi um chute inicial, simbólico no jogo e na pesquisa.
    Discutir certas coisas hoje em dia anda irritante demais, essa de que "R$33 milhões do dinheiro público gastos" é de trincar o saco! É pra gastar com o que, porra? "precisamos de escolas e hospitais, não de um brinquedo caro" e as escolas servem pra algo muito melhor do que criar pessoas capazes de fazer outras voltarem a andar? Hospitais não servem pra isso também? Saco!

  • MAS VAI À MERDA. Pô, o governo financia o projeto do Nicollelis contra um monte de corneteiro e você acha que não é nada, que pra mostrar apoio à ciência a Dilma tinha que estar lá do lado do menino? Pra começo de conversa, não é o governo que organiza a cerimônia. E se ela tivesse sido convidada e ido lá, você agora estaria criticando e dizendo que foi pra aparecer.

    • Ih, esse aí não entendeu nada.

      Philhinho, leia o texto de novo. Esse negócio de querer pegar o bonde andando, sentar na janelinha e dar tchauzinho é uma coisa idiota.

  • kaiserspiegel

    Uou! Passei o dia fora ontem e hoje acordei tarde. Já tem gente reclamando do exoesqueleto e do investimento!? A única coisa legal naquela porcaria de abertura? Esse negócio de reclamar de tudo disseminado entre as pessoas é sinal do nível perigoso de ódio coletivo ao qual se chegou. É a má vontade para ver as coisas boas. Sabem aquele ditado budista que diz que "guardar ódio é como segurar um carvão em brasa: você é o único que se queima"? Parece que esse pessoal agora quer é botar fogo em tudo. Eu acharia muito legal que se daqui a algumas gerações ninguém mais ficasse sem movimentos por causa alguma. E todos esses egoístas que não ligam para o resto do mundo e as futuras gerações deveriam ser jogados numa ilha deserta para continuarem não ligando para ninguém sem prejudicar o resto da sociedade.

  • Fernando Miranda

    "Não me interessa que ele seja um mané que nunca me respondeu no Twitter, ao contrário do Neil DeGrasse Tyson"

    Isso eu acho uma pena. Sem bajulação, você faz mais (e melhor) divulgação científica que ele, o Gleiser e o Marcos Pontes juntos. Esse caras deveriam dar mais importância para esta questão.
    É triste saber que temos um cientista do nível do Nicolelis, correr no twitter dele e se deparar só com groselha. Parece que o militante revoltado do Adnet invadiu o twitter do cara.

    Oremos para São Sagan iluminar a cabeça deles.

  • W.W. Barros

    Vi uma matéria hoje com a opinião de alguns cadeirantes "famosos", e li coisas do tipo "o exoesqueleto não é prático", "não serão os meus músculos que estarão funcionando", entre outras coisas. Não conseguem entender que aquilo era um protótipo, que é algo que recebe comandos direto do cérebro, sem precisar de nenhum eletrodo implantado.

  • "O último governante brasileiro simpático à Ciência foi Pedro II." Perfeito! O governo atual pode ser criticado por tudo, exceto pelo investimento feito em C&T (não que já estejamos num nível ideal, é claro). Desafio qualquer um a chegar numa universidade federal e encontrar um professor mais antigo que afirme que na época do governo tucano estávamos em condições melhores!

    No governo anterior, bolsas (quando tinha!) e salários viviam congelados, novas universidades não eram criadas nem novas vagas para pesquisadores nas já existentes. chegou ao ponto do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), lá na Urca-RJ, ser quase fechado.

    Agora vem esse bando de babacas questionar o resultado de uma pesquisa científica, como investimento em C&T fosse uma ciência exata. Ciência é tentativa e erro, não tem jeito. Mesmo se o reultado do Nicolelis (que nem sabemos direito qualé ainda) fosse 1000x pior, ainda assim o investimento seria justificável. E sim, morrem macaquinhos, ratinhos, cachorrinhos fofos no processo. Até de maus tratos aos animais estão acusando o cara agora. Esse pessoal vive num conto de fadas.. Lamentável.

  • Por que isso é quando jornaleiros ou subcelebridades de twitter decidem que tem direito a dar o seu pitaco sobre pesquisas científicas.

    Como esse, por exemplo: hiw . me / Roxmo / status / 477165550964318208 (viu que falou merda, apagou o Tweet, mas a Internet tem memória). De que adianta ter QI alto?

  • Clap, clap, clap. Ainda há gente sensata que sabe separar as pessoas das coisas. Infelizmente, Nicolelis e a Folha tem travado uma briga pessoal há muito tempo, e por isso tanta bobagem tem sido falada. Esse projeto é sensacional, 33 milhões saiu barato pelo que vai gerar no futuro. Hoje se fala de ajudar cadeirantes. Mas no futuro (não muito distante, acredito), tecnologia como poderá vai permitir que qualquer cidadão comum possa utilizar uma máquina como se fosse extensão do seu corpo. E é pesquisa BRASILEIRA.

  • Ednaldo

    Infelizmente o valor q era p ser dado a pesquisa naum é pois enves d investir em mais, acaba fazendo o projeto e simplesmente esquecem depois e o dinheiro gasto foi simplesmente dinhero gasto e nuam vai nada p frente, porisso q o Brasil não si desenvolve, simplesmente faz e depois joga fora, sendo q isto q tá ae ia ajudar muito jente si dessem continuidade…

  • Pati

    Adorei o texto. Mas é claro que se eu postar no Facebook, pouquíssimas pessoas vão ler e entender. Muitas não vão ler e vão criticar direto o que acham que está escrito, muitas våo ler e não entender a mensagem que se quis passar. O brasileiro mediano tem muito problema de interpretação, muito.

    • Brasileiro médio é um ignorante. Ponto.

      E se for usuário do facebosta, aí é ignorante ao cubo.

  • pedro wolner

    Essa não é uma questão subjetiva, de apoiar ou nao a pesquisa brasileira, é uma questao de fatos. O professor Nicolelis, a quem acompanho ha muitos anos, prometeu que mostraria um exoesqueleto que levantaria da cadeira de rodas, andaria 25 metros e chutaria a bola. Ele não entregou isso, e tambem ainda nao publicou nenhum artigo com os dados de sua pesquisa. Portanto, está gerando desconfianca na comunidade cientifca mundial, nao apenas nos anti petistas. Nao vi nesse texto nenhum dado objetivo, só torcida em favor do professore do PT, o que evidentemente nao vem ao caso para o debate.

  • Gustavo Ventura

    Mas não podemos negar que as críticas surgidas possuem relação com a própria importância que deram ao exoesqueleto na abertura da copa. Para um público que passa metade da vida assistindo a programação da rede bola, R$ 33 milhões serem injetados "naquele troço" – eu ouvi alguém dizendo isso – que dividiu a tela com a chegada do ônibus, é dinheiro mal utilizado, afinal, não temos hospitais, escolas e todo o blá blá blá de sempre.

    Se o destaque dado à apresentação do protótipo fosse outro, talvez tivéssemos um resultado diferente. Mas como sempre, a FIFA manda e os governantes abaixam a cabeça. Por isso, apresentamos uma abertura (eita) que mais parecia um teatrinho organizado pela tia Matilda da 3ª série do nível fundamental. A ciência estava lá, num cantinho, escondida, dividindo tela, enquanto o festival colorido de papel crepom ocorria no palco principal e o acontecimento do século, o ônibus, chegava ao estádio. Ciência de ponta? Nunca serão! (se continuarmos assim).

  • valter

    … ciência midiática com o único propósito de comover as pessoas que estão assistindo e ganhar votos. Assim como o Lula fez ao gastar milhões para mandar Marcos Pontes para o espaço. Em nada trouxe de avanço, em nada trouxe de progresso. Como um traje que custou 33 milhões, fabricado com peças feitas na China, que matou algumas centenas de animais antes de chegar nesse resultado que nem o prometido foi entregue vai chegar a população? Ah meu caro, prefiro financiar 33 pesquisas sobre algo menos comovente mas que traga resultados. Se em 2010 já existia exosqueletos que entregam o que Nicolelis prometeu, o que vimos foi um retrocesso. Ciência é algo nobre, no Brasil feito com recursos e equipamentos escassos, que não chamam atenção não necessitam dela para trazer resultado. Nicolelis e sua pesquisa faz parte do "CIRCO PT".

    • Vira-lata detected.

      Maldita inclusão digital. Vai ler o Diogo Mainardi e seguir o Roger.

  • Débora Rubim

    Seu texto foi realista e objetivo. Amei! Achei uma grande evolução, já que o exoesqueleto foi criado por um brasileiro na sua casa! Porém essa história de ignorar grandes feitos não vem de hoje, infelizmente a nação brasileira rejeita a ideia do novo tanto que nossos inventores sempre vão para outros países desenvolver suas criações e lá nos perdemos nossas grandes mentes.
    Ainda vivemos em uma sociedade medíocre que fala de educação, mas sequer pensa nela; uma sociedade que quer viver por osmose! Lembrando que não sou a favor de nenhum partido!

  • Cibele

    O problema é que virou modinha agora falar do governo. Tudo o que acontece, a culpa é do governo. Se o governo faz uma coisa, o povo reclama, se não faz, reclama também, afinal, o que vocês querem? <o> Reclamam que a educação está ruim, que precisamos de escolas, sim, precisamos, mas o problema tá é no brasileiro mesmo que faz protesto porque "não tem escolas", mas reclama que "amanhã é segunda e não queria ir à escola" que ta com preguiça de ir à escola, reclama porque o professor foi dá aula, dorme na sala, não estuda pra prova e cola… Enfim, uma série de coisas. Ou seja, para a grande massa popular, o Brasil "não tem escolas", e as "poucas" que tem, o povo não quer ir. O brasileiro é realmente uma pessoa difícil de entender…

    PS: não estou defendendo partido A ou B, só estou falando o que acho, afinal, o povo tem o governo que merece.

  • Cristina

    Infelizmente, ainda que o Nicolelis tenha publicado bastante coisa na sua vida, e em artigos mais antigos tenha um número de citações que quase chega à casa do milhar, e que seja um pesquisador importante, DESTA pesquisa ainda NADA se conhece de resultados, parciais que sejam – e todo cientista, sobretudo os que captam dinheiro público de agências de fomento, tem o compromisso de publicar. Você falha quando afirma que há publicações dando conta da evolução deste aparato e sua tecnologia de comando. O Nicolelis conseguiu, há coisa de 10 anos, fazer com que um macaco movesse, com eletrodos diretamente ligados ao córtex motor do primata, um braço mecânico – e foi com base nisso que captou recursos para desenvolver um exoesqueleto que pudesse ser movimentado por eletrodos ligados ao córtex motor, ao cérebro, de um paciente humano paraplégico, que com isso conseguiria andar. Sobre isso, repito e insisto, ele não publicou nada em periódicos científicos, peer-reviewed. Sobre isso, ele sequer nada demonstrou, visto que na abertura da Copa somente fez um exoesqueleto muito grande e inviável (desenvolvido em Munique) e que não se sustenta de pé (ao contrário do Rex, de Houston, por exemplo) exibir um espasmo na perna suficiente para um chute, mas sem levantar-se ou caminhar – e mais: o fez pelo controle cerebral por meio de eletroencefalograma, tecnologia conhecida há 90 anos, e há 30 já aplicada para este fim (e sobre a qual muito já se publicou), e comprovadamente imprestável para que se exerça o controle motor fino. É justamente da comprovação (por tantos outros pesquisadores, ao longo de décadas) de que EEG não serve para o controle fino que vieram as várias críticas do próprio Nicolelis à abordagem, e que o fizeram, assim, propor-se a caminhar em outro sentido, com o uso dos eletrodos implantados no cérebro. Ele deve à comunidade científica, portanto, abrir os porquês de ter retrocedido a técnica já conhecida e previamente documentada, sem ter lhe acrescentado nada, e sem ter seguido pelo caminho alternativo que propusera e para cujo desenvolvimento captou recursos. No fomento à pesquisa, que é sim muito importante e deve ser apoiado, é fundamental que os resultados do que é desenvolvido sejam publicados e submetidos aos pares do campo, a toda a comunidade científica (e a documentação de caminhos que não funcionam também é considerado progresso – aceita-se que possamos aprender com a descoberta de como não fazer algo). Nesta pesquisa, reitero ainda outra vez, nada disso foi feito, porque o Nicolelis disse que começaria pela demonstração – e o que ele demonstrou, não era o que ele teoricamente vinha pesquisando, não é obra original, não é novidade, e ainda foi mal demonstrado (há exoesqueletos comandados por EEG que de fato se levantam, de fato andam, de fato mantêm-se de pé sem que ninguém os segure pelas laterais). Não se reclama do fomento, reclama-se de tão vultuosa quantia para nenhuma publicação na pesquisa fomentada, e uma demonstração decepcionante. Agora, passada a abertura da Copa, é por fim tempo de ele submeter alguma coisa sobre isso aos periódicos prestigiosos da área. Todos torcemos para que haja material interessante – mas os indícios até agora não são dos mais promissores, infelizmente. E ninguém entende como um pesquisador de renome, como ele, se prestaria a tal papelão – mas tem sido um papelão.

  • Cristina

    E aproveito para pedir: se o que impediu o Nicolelis de dar mais demonstrações do controle e autonomia do protótipo foram as limitações impostas pela Fifa, OK: que ele então chame a imprensa hoje a uma quadra qualquer de futebol society, e faça o que a Fifa não o deixou fazer. Que o paciente se levante vestindo e controlando o exoesqueleto, pare de pé, ande 25 metros, e chute uma bola. Ainda que seja por EEG… Se o fizer, terá se igualado a outros exoesqueletos já feitos no mundo. Aí fica só faltando segir o escopo proposto para a pesquisa, e desenvolver o controle fino, que comprovadamente o EEG não tem potencial para proporcionar.

  • Cristina

    Em tempo: se acham que existe briga entre o Nicolelis e a Folha, e por isso é que lá se critica a atual pesquisa e sua falta de resultados, então busquem uma reportagem de abril deste ano na MIT Technology Review dizendo mais fundamentadamente o que acabei de dizer, com depoimento de outros cientistas do campo, e chamando até o EEG de "fairly old technology". Não se bastem com as minhas palavras.

  • Carcarah

    Posso estar sendo excessivamente crítico, (cri cri, como se diz por aqui), mas o que o governo "vendeu" nos noticiários não foi isso. Alguém poderia dizer "Ah! mas o PT sempre faz isso, tem que dar um desconto no que eles dizem". Não tenho a menor obrigação de ficar garimpando verdade no que o governo diz. Imagino que muitos brasileiros não tenham lá muitas condições de fazer isso. Quando ouvi pela primeira vez sobre esse projeto eu pensei "ok, vamos reinventar a roda, já tem muita gente avançada nisso, mas melhor isso que nada" Afinal, o valor nem é grande para um projeto desse tipo. O problema é que o sistema não conseguiu sequer reproduzir resultados de projetos anteriores dos outros. Aí fica a impressão que estamos gerando conhecimento e evoluindo a tecnologia mundial, e isso é mentira. Na boa, não acho que na busca de dinheiro para "pesquisadores" tudo seja válido.

  • Infelizmente o povo criou o péssimo hábito de criticar por criticar. Eu não acompanhei a abertura, e só fui saber do exoesqueleto no Twitter.

    Acho ótimo que o governo tenha investido em ciência. É um grande passo para o país, mas que talvez alcance o merecido reconhecimento, só no futuro.