A Loura de Schrödinger – Xuxa, certa e errada ao mesmo tempo

Capa

CERTEZA que eu uso óculos por causa dessa capa.

Os Anos 80 foram bem servidos em termos de símbolos sexuais, mas ninguém atingiu picos tão altos quanto a dupla Xuxa e Luiza Brunet. Ambas chamaram a atenção de Pelé ao mesmo tempo, durante a produção de uma capa da revista manchete. O Edson chegou primeiro na Luiza, mas ela já estava casada. Sobrou pra Maria.

Depois que começaram a namorar a Xuxa, muito bem aconselhada por Pelé deu uma guinada na carreira, começando o caminho que a levou a ser por décadas um fenômeno nas manhãs da Globo. Pelé por sua vez começou uma reescrita do passado da moça, comprando os negativos de seus ensaios de nu. Uns dizem que foi por ciúme, outros que era estratégia, e teria funcionado, se não fossem esses garotos intrometidos, esse cachorro idiota e a Internet. 

A Xuxa sempre se preocupou com sua imagem, tentando a todo custo reverter suas decisões menos inteligentes, como participar do filme Amor Estranho Amor, de Walter Hugo Khouri.

Lançado em 1982, o filme é uma droga, mas não merece as acusações que sofre. Aliás, o filme em si não é acusado de nada. O brasileiro, em sua sanha de destruir os ídolos que cria, conseguiu o feito de acusar a Xuxa de pedofilia, quando era menor de idade atuando em um filme, sem nenhuma, NENHUMA consequência respingando para o diretor, a produção ou mesmo outra atrizes, como Vera Fischer e Matilde Mastrangi, que também fizeram cenas de sexo com o tal garoto.

FB_1329_002

Xuxa e Vera Fischer. Curiosamente a que fez a mãe do moleque e desvirgina o bacurinho sofre ZERO críticas.

Amor Estranho Amor é um filme ruim, chato. Se me permitem roubar o slogan de Top Gear, “Pretensioso mas lixo”. O único grande feito é ter uma Xuxa de 17 anos (alguns dizem 16) semi-nua. A temática não tem nada de original, nem de escandalosa, ao menos para a época. Brooke Shields aparecia nua e transando em Lagoa Azul e Amor Sem Fim. Tecnicamente todo mundo em Porky’s era de menor. Phoebe Cates em Paradise e em Gatinhas e Gatões saindo da piscina tirando o bikini vermelho forjou caráter.

Filmes ousavam e esticavam o limite. Pretty Baby, com Keith Carradine, Susan Sarandon e Brooke Shields é uma obra-prima de Louis Malle e um filme que ninguém que não seja um pervertido ousa assistir duas vezes. Tipo Lista de Schindler.

Reginaldo Faria não foi perseguido por camponeses com tochas, apesar de ter feito A Menina do Lado, com uma Flávia Monteiro muito pelada com 14 anos. Tudo pela Arte!

Como todo mundo menos a Xuxa faz arte legítima, e ela é a tarada? Ah, esqueci. Ela é bem-sucedida. Como dizia Tom Jobim brasileiro entende o sucesso alheio como ofensa pessoal. É preciso achar algo que “prove” que a Xuxa é falsa ídola de pés de barro.

xuxa manchete pele

Mesmo nos Anos 80 pipocavam histórias apócrifas de orgias com paquitas (mnham!) e cerimônias satânicas no porão da mansão da Xuxa. Ela, mui acertadamente, se defendia e processava os jornais evangélicos que espalhavam essas bobagens, mas aí a loura começou a perder a mão.

Ela entrou na Justiça para tirar das locadoras o Amor Estranho Amor. Censura pura e simples, agora que o filme não se alinhava mais com sua carreira. O resultado, claro, foi dar muito mais destaque a um filme esquecível do que ele jamais teria. Na minha locadora ele não parava na prateleira, mesmo (e principalmente por) estando proibido.

Com a chegada da Internet a situação pra loirinha ficou pior, entende? Imagens do filme apareceram em fóruns e sites. A banda larga fez com que cenas do filme chegassem aos quatro cantos das interwebs.

Em 2010 ela entrou com uma ação na Justiça contra… o Google. O objetivo era impedir que buscas por seu nome retornassem imagens do filme. A ação de novo só serviu para chamar atenção para o filme. Não só ele está disponível na íntegra no YouTube como há centenas, talvez milhares de vídeos “denunciando”, com aquele veneno que só o brasileiro invejoso consegue ter, a “pedófila” Xuxa. Como sempre ignoram as outras atrizes do filme, e o fato de ser UM FILME.

Agora a 1a Vara Cível da Barra da Tijuca julgou improcedente a ação.

“O juiz Arthur Eduardo Magalhães Ferreira seguiu a linha da jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e negou a ação movida por Xuxa, estabelecendo que o direito das pessoas à informação deve prevalecer sobre eventual pretensão da apresentadora de dificultar a propagação do conteúdo na web”

Tirar conteúdo da internet é como remover xixi de piscina, se você acredita em homeopatia. Quanto mais você remove mais potencializado fica o restante. Logo aquilo que todo mundo tinha acesso e ninguém ligava se torna raro e desejado. Veja se alguém procura por “Miley Cyrus Pelada”.

A Xuxa vive em um mundo de faz-de-conta, sendo praticamente o nosso Michael Jackson? Aparentemente. Ela tem o direito de apagar o passado, reescrever a História e apagar as partes que não gosta? Não.

Só que nós também NÃO temos o direito de julgar acusar apontar o dedo e gritar histericamente exigindo a cabeça de uma mulher que quando era uma criança de 16/17 anos foi convencida a fazer um filme ruim, junto com algumas das maiores estrelas de seu tempo, e 33 anos depois ainda é perseguida por isso.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Dainsu

    Tem que perseguir não pq ela fez o filme, mas porque ela quer esconder o passado. Você que não entendeu nada.

  • Quando eu estava na faculdade o pessoal de história convidou todos do campus para ver o "filme proibido da xuxa" arrumaram um projetor tosco um vídeo cassete, o VHS e passaram no auditório do campus. No fim rolou um discurso anti-globo, mas nem o ouvi direito, peguei minha namorada e sai correndo para deixa-la no ponto… de ônibus e fui pra minha casa… e lá fiz justiça…

    Vida de estudante sem carro era uma merda mesmo…

  • Silvio Luiz de Carvalho Filho

    It’s Alive!!!!

  • Hm, e a Vera Fischer não é bem-sucedida? Acho que você errou nessa teoria. O povo implica com a Xuxa não porque ela faz sucesso, mas porque o trabalho dela é voltado para o público infantil.

    E, como todos sabem, a mente da opinião pública conservadora dá um piripaque toda vez que cogita a possibilidade de que alguém que lida com criancinhas não seja uma virgem imaculada. E aí o fato do garoto ser um dimenor é um mero detalhe. Se ela tivesse feito um filme nacional de respeito (oximoro proposital), teria exatamente a mesma reação.

    Caso semelhante foi o daquela professora americana que foi contratada e, quando foram analisar o currículo dela, descobriram que ela já teve o currículo analisado muito antes na frente das câmeras. Foi demitida por justa causa, tentou recorrer e não conseguiu. Guardadas as devidas proporções, ela recebeu a mesma retaliação, mesmo sendo uma total desconhecida.

    • Luiz

      Poxa, mas a Xuxa tem muito mais poder midiático que a Vera Fischer. Acho que no caso o fato de ela fazer programas para crianças (e não COM crianças, não resisti rs) só potencializa as críticas a ela, mas o que foi posto no artigo continua válido (pelo menos na minha opinião).

    • Nogueira

      O Cardoso aponta a perseguição à Maria da Graça como fruto de uma inveja popular característica do brasileiro (o lance de apontar falhas nos ídolos que nós mesmos criamos, etc), mas não acho que seja bem assim.

      A meu ver, essa “perseguição” é uma espécie de reação à super imposição da Maria goela abaixo, de forma tão exagerada. Rainha dos baixinhos, capa de inúmeras revistas, “atriz”, musa do Renato Aragão, ex do Pelé e do Senna… Meu, o povo vai cansando. A reação mais natural é essa desconstrução do “mito” como forma de “defesa”. Ainda mais – como o Danillo mencionou aí em cima – pelo fato da loirinha sapeca lidar com crianças. Se ela não é “virgem imaculada” o povo vê como um pecado mortal.

      De resto concordo com o texto. O único vacilo dela é a piração de apagar o passado e remar contra a maré da rede mundial de computadores.

    • Marcelo Bauducco

      A Xuxa não foi simplesmente “bem-sucedida”. Ela era um ícone brasileiro. Mais do que isso, um ícone do público infantil. Por isso a existência de um “filme pornô da Xuxa” era algo tão ultrajante e por isso ela foi a única demonizada por ele.

  • Hm, e a Vera Fischer não é bem-sucedida? Acho que você errou nessa teoria. O povo implica com a Xuxa não porque ela faz sucesso, mas porque o trabalho dela é voltado para o público infantil.

    E, como todos sabem, a mente da opinião pública conservadora dá um piripaque toda vez que cogita a possibilidade de que alguém que lida com criancinhas não seja uma virgem imaculada. E aí o fato do garoto ser um dimenor é um mero detalhe. Se ela tivesse feito um filme nacional de respeito (oximoro proposital), teria exatamente a mesma reação.

    Caso semelhante foi o daquela professora americana que foi contratada e, quando foram analisar o currículo dela, descobriram que ela já teve o currículo analisado muito antes na frente das câmeras. Foi demitida por justa causa, tentou recorrer e não conseguiu. Guardadas as devidas proporções, ela recebeu a mesma retaliação, mesmo sendo uma total desconhecida.

  • Adorei o texto.
    Na verdade, a semântica e a forma como o assunto é abordado — que, por sinal, acho que já deu o que tinha que dar. Independente pra quem ela anda dando. :-P

    Parabéns. =)

  • Eu lembro de quando eu era pirralho, lá pelos anos de 1996 ou 1997, Um amigo meu me falou que tinha um filme pornô da XUXA que ela proibiu depois que começou a trabalhar na globo. E dizia que um amigo dele que tinha a maior locadora da cidade na época tinha o filme, mas não podia colocar pra locar porque passou um oficial de justiça recolhendo as cópias, e ele conseguiu guardar uma.

  • Concordo com a sua opinião até porque, eu vi o filme na estreia e quem realmente transa com o garoto é sua própria mãe (Vera Fischer), quem hoje não é criticada.

    Coisas do Brasil.

    Parabéns pelo texto.

    VL&P

  • Parabéns pelo post.
    Concordo com tudo. Vi o filme na estreia, e quem transa com o garoto é a mãe, (Vera Fischer) que curiosamente não lembro ter sido criticada.
    VL&P

  • Ronaldo

    Me pergunto: o que aconteceu com o menino que aparece no filme? Morreu? Fugiu do país? Recebe pensão vitalícia da Xuxa? What?!

  • Gabriela(Bia)

    Outro dia entrei na antiga sede da TV Manchete (hoje é uma editora) e lembrei dessa história do Pelé. Pena que não tinha nenhuma pessoa com quem compartilhar (coisas corporativas) e viva o suporte a imagem de mercado!

  • Pâmela Parker

    Qualquer personalidade com apelo nacional tal qual Xuxa no Brasil (e diga-se de passagem há bem poucas.Talvez 4 ainda vivas e contando com ela) chega a um nível de superexposição exacerbada que ultrapassa o que é normal.O que ela fez ao esconder o filme é comparado ao que grandes autores fazem em uma obra d suspense.Prende e estimula a atenção pelo que é escondido. E como a ação veio de Xuxa (poderia ser Roberto Carlos, Silvio Santos ou Pelé) teve um efeito astronômico de divulgação. É uma pna que ela não soube tratar com a devida importância, ou falta dela,tudo isso.Agora vai colher o que plantou até o fim da vida.