O dia em que Pelé mentiu para todos nós

No começo dos Anos 80 o Brasil ainda não tinha o hábito atual de destruir e odiar todos os seus ídolos, e Pelé ainda era um nome respeitado. Por isso ele levou muita gente ao cinema para assistir Fuga para a Vitória, e se você acha estranho Pelé em um filme de Segunda Guerra, acredite, em 1981 também era.

No filme um grupo de prisioneiros aliados de diversas nações (Pelé é um jamaicano) é chefiado por um ex-jogador profissional, e as partidas de futebol acabam atraindo a atenção dos alemães, que veem nisso a chance de um exercício de propaganda. É armado um jogo em um estádio francês onde os degenerados prisioneiros miscigenados enfrentariam a Seleção Nacional de Futebol Alemã, e seria demonstrada a superioridade da raça superior.

Os prisioneiros toparam principalmente por estarem planejando uma fuga durante o intervalo.

O juiz passa o jogo roubando para os alemães (são os vilões, convenhamos) e isso é o que mais irrita os aliados, eles sabem que podem vencer, e desistem de fugir mesmo estando perdendo por 4 a 1.

Durante o segundo tempo temos atuações magistrais de Pelé e outros jogadores profissionais de verdade que faziam parte do time, é empolgante e emocionante, mesmo com o juiz anulando um gol no último minuto o goleiro aliado defende um pênalti e o jogo termina empatado em 4 a 4. Somos campeões morais, e as arquibancadas vão ao delírio, invadem o campo, os guardas nazistas perdem os prisioneiros de vista e eles acabam escapando para a liberdade!

Como era de se esperar o filme não fez muito sucesso nos EUA, mas com um orçamento de US$10 milhões, faturou US$27 milhões, não foi um fracasso como Os Últimos Jedi (ao menos segundo os críticos). O mais impressionante é que foi baseado em uma história real, mas este é o ponto em que a História deixa de ser bonitinha.

A versão do filme do Pelé tem final feliz, o Esporte Vence, a Justiça Vence, o Bem Vence o Mal, o Temporal é espantado e todos viveram felizes para sempre até a Sandra Regina.

Na versão real a partida aconteceu na Ucrânia, no dia 9 de Agosto de 1942. Sob ocupação alemã, a cidade de Kiev tentava manter a normalidade, e ucranianos adoram futebol. Alemães também. Nas poucas horas vagas os funcionários da Fábrica de Pães Número 1 formavam o Start FC, com vários ex-jogadores de times como o Dínamo de Kiev. Eles jogavam contra times de cidades e até países vizinhos, e de vez em quando contra times de unidades alemães.

O jogo do Dia 6 de Agosto foi contra o Fakelf, um time alemão, os ucranianos venceram por 5 a 1. Foi marcada uma revanche para o dia 9, e há até um cartaz original!

Segundo os relatos o juiz era um oficial da SS, e os ucranianos foram instruídos a perder, mas provavelmente as 2000 pessoas nas arquibancadas fizeram com que eles enfrentassem o medo e no final meteram 5 a 3 nos chucrutes. Os alemães chegaram a forçar o Start a escalar vários jogadores que eram policiais ucranianos leais aos nazistas.

Uma semana após o jogo nove dos 11 jogadores foram presos pelos alemães e mandados para campos de concentração. Um foi morto ainda na cadeia, três outros foram executados seis meses depois.

Aqui uma imagem do time original do FC Start:

Alguns dizem que não foi bem assim, que não houve pressão dos alemães, mas o fato é que vários dos jogadores presos e mandados para campos de concentração foram mortos, e no estádio do Dínamo de Kiev há um monumento em homenagem a eles.

O final dessa história não foi feliz, o que aconteceu realmente está para sempre perdido na bruma da História, com os soviéticos inventando uma coisa, os alemães inventando outra, cada um defendendo sua agenda política mesquinha. De concreto temos apenas o fato de que um grupo de jogadores destreinados, virtuais prisioneiros vivendo sob um regime invasor derrotaram uma equipe superior para desgosto de seus captores. Não uma, mas duas vezes seguidas, e isso sem ter um Pelé no time.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Ah sim, se você tiver Bitcoins sobrando, também estou aceitando!

 

Leia Também:

  • Fernando Vieira

    Será que a história dos jogadores ucranianos foi alguma fonte de inspiração para o filme “The Longest Yard” de 1974 com o Burt Reynolds (refilmado com Adan Sandler no papel principal)?
    Ao menos com o filme do Pelé, a história é parecida.

    • Tem sim, é um dos vários filmes inspirados nessa história.

  • Monstro Medieval

    O filme teve um elenco de peso com Max Von Sydow, Michael Kane e Stallone no gol.
    Seria esse que o Chaves tanto queria ver?

    • ffcalan

      Se não me engano era o Os trombadinhas.

    • Humberto Jorge

      Na verdade, isso foi uma adaptação a tradução brasileira. Na versão original mexicana, o Chaves fala que queria ver o filme do “El Chanfle” que foi o filme da Turma do Chaves fez sobre futebol que o Bolaños era um atacante do América do México.

      • Cesar Dias

        Ce jura? So falta dizer que eles nao foram pra Guarujá!!

        • Humberto Jorge

          Tem muita gente que até hoje pensa que essa é a versão original, não as ironias postadas aqui.

          • Andrhé

            Inclusive eu.

    • Felipe Vinhão
      • Monstro Medieval

        Ana Maria Nascimento e Silva era conhecida da minha mãe, faleceu em dezembro :(

        • Felipe Vinhão

          Poxa… Legal e triste ao mesmo tempo.

  • André Luiz

    Bela e trágica história.

    O futebol no leste europeu até hoje é meio maluco por causa da segunda guerra, tem os times do exército (CSKAs ), da polícia secreta (Dínamos) os da indústria
    ( locomotivs e estrelas alguma coisa) e o resto é dos nazistas, principalmente na Polônia, por mais contraditório que seja eslavo nazista.

    Tem um podcast legal que mistura história política e futebol, o fronteiras invisíveis do futebol, recomendo

  • Hemeterio

    Tenho uma camisa do Dínamo de Kiev. Uma vez entrei com ela, na maior inocência, na tenda de um russo que vendia memorabilia soviética. Era 2015, o auge da invasão dos Comunas do Norte contra os Comunas do Sul, depois que me toquei que pareceu uma provocação. Felzmente minha cara de cangaceiro com gripe denunciou que sou apenas um idiota sem noção perdido, e não um agente infiltrado, e ficou por isso.

    foto aqui:

    h t t p s : / / twitter . com / Hemeterio / status / 949297503039496192

    • E. Bicalho

      Next time,use

      https://twitter.com/Hemeterio/status/949297503039496192

    • hbeira

      Desta vez foi bom tem uma cara de cangaceiro com gripe :-P

  • Esse filme tinha a participação de vários jogadores de futebol além do Pelé. Se não me engano o número 8 que faz um gol no trailer era o Ardiles da Argentina.

  • Não conhecia nem a história, nem o filme. Me sinto menos burro.

  • Felipe Vinhão

    Pô, Cardoso. Dessa vez a história eu conhecia.

    Brincadeiras a parte, boa história pra ler. Principalmente quando você estava alegre por ser sexta-feira, final de tarde, e eu quase indo pra casa…

  • Ronaldo José Carneiro Bernarde

    O Start venceu o campeonato semiamador de Kiev. Goleou todo mundo e no fim seus jogadores foram mortos. Os soviéticos não os reverenciam como heróis, antes os acusaram de colaboracionistas. Somente com o ressurgimento do nacionalismo ucraniano a história do Start veio a tona.

  • LV

    Tem um filme com Adam Sandler parecido. Kkkkkkkk
    Ele tá preso e monta um time de Futebol Americano pra jogar contra o time da guardas corruptos.
    Adam ia entregar o jogo mas no final desiste e vira o jogo.

    • Pobretano

      Tem um trecho em que o time começa a fazer bullying nos juízes ladrões.

  • Hugo Marinho

    Se vocês soubessem o que aconteceu nos bastidores de Dínamo de Kiev naquele dia, ficariam enojados… /s

    • hbeira

      Conta aí então…

  • hbeira

    Morreram como prisioneiros, viverão como mártires.