Onde diabos eu acho essas coisas?

linux - penny arcado.jpg

A pergunta que mais escuto é – ok, a pergunta que mais escuto é “quando você vai me pagar aqueles R$50,00” – A segunda pergunta que mais escuto é “onde diabos você acha essas coisas?” e às vezes eu mesmo de surpreendo. A Internet é o paraíso para um sujeito dispersivo, então é comum eu chegar em uma página através do link do link do link, e não saber de onde vim.

Com isso acabo criando uma imagem de blogueiro que oculta suas fontes. O que é uma imagem injusta, já que constantemente cito os sites que visito, coloco sempre que posso créditos nos meus posts, e trabalho muito com informações públicas.

Mesmo assim isso não explica onde eu acho coisas como piadas prontas do gênero “25% das italianas considera salame seu afrodisíaco preferido“.

Bem, vou contar meu segredo: Eu penso em Sarah. O resto é fácil.

OK, OK, não conheço nenhuma Sarah, mas eu tinha que fazer essa citação do Cavaleiro das Trevas.

Voltando: Meu segredo: Eu leio comentários, o resto é fácil.

Sim, Virgínia, visitar sites agregadores de notícias, como o www.fark.com, www.metafilter.com, www.digg.com todo mundo visita. Achar algo lá não garante que será original, ou desconhecido (o que dá no mesmo). Só que em um post no Digg temos 200, 300 comentários. Alguns posts no fark.com chegam a mais de 1000. Com isso você tem boa probabilidade de encontrar links curiosos, imagens pitorescas e referências interessantes.

A tirinha de abertura, por exemplo, foi achada perdida em um thread de comentários do Digg.com, não lembro mais o post.

O que concluo: Se você visitar 100 sites atrás de material, não terá tanto material, disponível em diversidade, quanto alguém que visite 10 sites mas leia os comentários e contribuições dos visitantes. A web social é uma realidade (<ironia> afinal antes do Tim Oreilly ninguém comentava em blogs e fóruns </ironia> ) e blogueiros devem aproveitar o conteúdo gerado por ela.

Do contrário, um blogueiro que não lê comentários, retendo-se apenas ao conteúdo editorial dos sites e blogs que visita, não é nada melhor do que um veículo tradicional desqualificando blogueiros como fontes amadoras e não-confiáveis.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever. Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.

Leia Também:

  • Eu já tinha visto essa imagem, também não me lembro como cheguei nela e também não sei como cheguei a este post.

  • Muitos blogs que eu acesso regularmente eu conheci através dos comentários. É claro que muitos usuários postam muitas pérolas, mas muitos posts se salvam, que podem ter dicas úteis sobre um assunto relacionado ao post.

    Sobre a tirinha do início do post, tem um brasileiro que faz algo similar:

    http://lucsdf.googlepages.com/

  • Mario

    Fala Cardoso.. não tem nada sobrando ali?

    "A pergunta que mais escuto é – ok, a pergunta que mais escuto é “quando você vai me pagar aqueles R$50,00″"

    Seus posts são muito bons, dificilmente se encontra um erro de português, caso raro hoje em dia!

  • Esse lance de garimpar comentários é curioso… Já achei também muita coisa interessantíssima indo atrás de links citados em comentários…

  • O mais interessante é quando a gente acaba por comentar um comentário anterior, eventualmente até mais polêmico que o próprio post original.

    Alé, dos comentários, eu sempre gosto de dar uma espiada no blogroll do autor. Já encontrei muita coisa boa seguindo por estes caminhos. E é também por isso que eu sou contra a nova moda de retirar os blogrolls.

  • Uma coisa importante demais tambem, é comentar em blogs, você acabar de ver um blog novo, COMENTE, eu sempre faço isso, os comentarios que vc deixa te dão mais visitas no seu site(caso vc tenha logico, faz você achar novos site interresante pra comentar, fazem você interagir com outros blogueiros e outras pessoa e da comentarios pra outras pessoa verem…

    então eu acho que mais i]importante doque ler comentários é comentar.

    flw

  • hahahahahahahah

    adorei a tirinha!

  • Eu trabalho com Internet Marketing na Australia e tambem escuto esse tipo de coisa.

    E nao tenho problema em explicar e citar minhas fontes tb.

    Mas o que me irrita eh quando meus colegas de online marketing me perguntam sobre isso.

    Particularmente duas coisas me irritam:

    1) A preguica mental de se atualizarem

    2) o ar superior que alguns tem quando eu falo sobre a potencialidade de blogs.

    Quando digo que acompanho mais de 100 blogs via RSS sempre sacarsmo vem a tona, porem esse sacarsmo muda quando a necessidade bate a porta.

    Me revolta q preguica mental da grande maioria das pessoas quando o assunto eh aprendizado.

    Mas isso eh conversa para um outro post,

    Forte abraco

    Lucio Dias Ribeiro

  • Também já achei muita informação valiosa em comentários. Como é de comum conhecimento: o texto nunca acaba com a última palavra do autor, ele extende-se até o último comentário.

  • Pingback: Fotos Bizarras (#1) | novo-MUNDO - Vídeos legais, fotos interessantes e textos espetaculares!()

  • Poisé, comentarios rulez, porém, seu feed vem sem os comentários :P

    []s Cardoso

  • interessante o comentário do mario, mas se todo mundo reparar, é realmente muito difícil achar um blog que não acabe com o português. Não é o caso aqui :D.

    Uma outra coisa interessante, é que aos poucos, não sei se o Google não acabará sendo substituido pelos próprios blogs, a informação e as curisosidades são imensas, toda e qualquer novidade interessante vc acha em um post, e claro, nos comentários sempre aparece algum outro link interessante. :D