O Nizan não entende de Internet mas o Washington manda muito bem

No post anterior critiquei a justificativa das agências de que não são criativas em blogs por falta de verba. Eis que pesquisando por um bom exemplo, dou de cara com uma campanha da W/Brasil.

“Pô, Washington Olivetto, clientes ricos, verba a rodo… aí é fácil”

Mesmo? Então me digam quanto custou essa campanha da FNAC de Campinas:

Duas mariolas, se tanto. É um filme baseado em uma BOA IDÉIA.

Idéias, minha gente, idéias. Não é caro ter idéias. Pague um bom salário, garanta café e brinquedinhos de plástico espalhados na mesa e um redator terá idéias para vocês 24h por dia. Só que é preciso saber OUVIR idéias. Um bom diretor de criação é essencial, assim como uma predisposição para comprar as brigas desse diretor. Isso faz diferença.

Só que não é só isso. Na seção de links eles incluem vários blogs, sem cair no velho truque de citar figurinhas carimbadas pra ganhar link love, e se você reparar na barra de informações de seu navegador, ele faz uma chamada ao Delicious. Sim, eles usam o agregador de links mais cult da Internet. Ah sim, reparem na url:

http://www.wbrasil.com.br/folder/conexoes.wbr

A extensão é… .wbr. Esse é um velho truque nerd, tanto pode ser feito para ocultar o formato de seus arquivos (.asp, .php, .cfm) como para… tirar onda. É o que eles fizeram. Quem cuida do site entende do assunto e gosta do que faz. Esse tipo de alteração nunca é sugerida fora da área técnica.

Fiquei surpreso? Fiquei. Esperava isso de uma agência menor? Na verdade também não. Há empresas promissoras, como a Pólvora*, mas no geral, quando descubro que uma das agências que se vende como mais criativa, rebelde, muderna, tem CARTÃO DE PONTO (meninos, eu vi!) eu choro.

* Conforme prometido, até eu ganhar uma caneca a Pólvora só será listada em letras pequenas.

Leia Também:

  • Cartão de ponto? Sério? Tsc tsc… :-)

    Nem tem como fugir do que você disse. Bons profissionais, bem pagos e com as condições necessárias para desenvolver seu trabalho é certeza de resultados. É a tal coisa já dita no post da Arlequina e da BatWoman/BatGirl: Coloque quem gosta para escrever sobre o quê gosta.

    Quando dá, é ótimo.

  • E esse comercial é brilhante!

  • Pô Cardoso,

    Já estou quase te convidando para ser colunista da Casa do galo… haha
    Bem bacana. Tivemos a honra de ter um artigo do Olivetto na casa há algum tempo. Além disso fizemos uma paródia comemorativa de um ano da casa de um comercial dele, um dos melhores de todos os tempos:
    http://br.youtube.com/watch?v=EusXY53BffY

    grande abraço

  • É, Cardoso, são fã do Washington e também do Nizan, um é criativo e criativo, o outro é criativo e empreendedor. No livro Na Toca dos Leões, de Fernando Morais, que conta a história da W/BR, tem a história do primeiro Leão de Cannes do Washington. Ele viajou an idéia bem além de como ela foi executada, e sabe o que salvou, a visão do Diretor de Criação. A idéia associada à uma pitada de experiência, que ele não tinha na época, fizeram a diferença.

    Adorei isso da W/BR, vou lá navegar nos blogs citados. ;)

    Abração!

    • Experiência é essencial, até Pelé teve que aprender a jogar bola, e o Maverick não nasceu pilotando.

      • Fato!

        • Lukas Mathias

          Cardoso, eu também vou ganhar um iPod Touch imaginário por ter reconhecido a referência ? E como ousas usar o nome do Maverick sem ao mentos uma trilha sonora ?

          *Take my breath away~~~*

          Anyway, piadas a parte. Eu acho incrível essas campanhas simples e criativas. Meu amigo comentou quando viu isso na TV: 'Cara, fNAC com dinheiro a beça e faz isso aí ?'

          Pois é, ele não teve ao menos o nível cultural de reconhecer os sons da batida com os das músicas em questão. Triste, eu sei…

  • Cardoso,
    Adoramos os dois, mas ainda há muito chão no quesito "blog".

  • Concordo com vc Cardoso… realmente é preciso saber ouvir as idéias…

    Conheça então a 5Clicks, 5clicks.com.br fizeram o pinóquio, o twitter game das olimpiadas, etc… escutam os usuários, sem grandes clientes, sem salários altos, mas com um bom ambiente, com bons profissionais, profissionais que GOSTAM e QUEREM trabalhar com eles…

    RA

  • Cardoso

    Como muitas das grandes agências, e não exclusivamente as do Nizan, existe muito discurso e pouco conteúdo!

    Diferente dessas agências a área de mídia digital da W/Br é relativamente nova, mas também diferente é a postura do Washington em relação as novas mídias, ele não formou uma estrutura apenas para dizer que agora ele também faz "mídia on-line", ele criou a estrutura para faz bem-feito, com relevância, pertinência e CONSISTÊNCIA!

    Abraços

  • Identifiquei que muitas agências conceituadas de publicidade convencional (televisão, rádio e mídia impressa) ainda estão amadoras no quesito "digital", a tendências é, em um futuro próximo, pequenas agências digitais se tornarem as princípis agências de publicidade do País. Acontecerá a típica "virada de mesa noi concito PUBLICIDADE CONVENCIONAL X PUBLICIDADE DIGITAL".

    Obrigado.

    André Rodrigues
    http://www.vendagora.com.br