O camarão é pequeno? Morda uma baleia.

seenoevil.jpgExistem duas Internets no mundo. A Internet que fala inglês e… bem… a outra não importa. O que chamamos de muitos acessos de um site grande no Brasil é pinto perto do dia-a-dia de um site grande na Internet angloparlante.

Na Internet em inglês temos o BoingBoing, um blog muito popular, que publica suas estatísticas online. Em 05/2006 foram 2.3 milhões de visitantes únicos, 142 milhões de hits. No ranking do Alexa, um site especializado em auditar o tráfego da Internet, o BoingBoing está na posição 1270. O UOL em 2004 tinha sete milhões de páginas de conteúdo, hoje deve ter bem mais. Tudo isso o coloca em posição 108. Parece bom, mas lembre-se que o BoingBoing é uma estrutura com meia-dúzia de quatro ou cinco pessoas. Compare isso com a Abril.

O segredo, além do bom conteúdo? Fácil: Eles falam pro mundo todo. Já perdi as contas de quantas notícias deixei de mandar pra sites como o Fark ou o Digg, por estarem em português. E antes que digam que eles é que devem aprender português, lembre-se que essa justificativa teria que valer para norueguês, italiano, farsi ou javanês. E que todos os usuários dessas línguas teriam que conhecer todas as outras. Lindo mas inviável.

Meu site é em português, e aí?
É um problema? Não. É um fato da vida. Ao escolher um idioma que não o inglês você está alienando 90% da Internet de seu site, mas se o seu conteúdo for direcionado a um público específico de um país, não faz mesmo sentido fazer o texto bilingüe. Um blog pessoal não tem motivos para ser em outro idioma além do falado pelo autor. Assim como um site empresarial voltado para mercado interno. A comunidade “Peguei Muito a Glorinha de São Cristóvão” no Orkut tem muito pouco a ganhar com uma versão em outra língua.

Já um site de notícias do mercado financeiro, por exemplo, pode ter muito mais visitação se o conteúdo for em uma língua que todo mundo entenda.

O que pode ser apreendido por blogueiros que querem aumentar sua audiência e credibilidade ao ponto de parar de justificar a baixa visitação com um patético “blog é só hobby”?

1 – Foco, foco, foco – Blog, Internet, é foco. Escreva sobre 50 temas e terá um site que desagrada 49 em cada 50 visitantes, a cada momento. Escreva sobre um único tema e seus visitantes estarão satisfeitos o bastante para apreciar um off-topic de vez em quando.

2 – Escreva na língua do seu público. Seja Inglês, espanhol, klingon. Esqueça fronteiras. Seu site é sobre técnicas de ordenhar a Cabra Campeira de Caicó? Seu público são pastores e fazendeiros de Caicó e arredores? Escreva em português. Seu site é sobre fãs de Tom Jobim? Escreva em inglês.

Isso quer dizer que todos os blogs bons devem ser em inglês?

Não.

Lembre-se, geografia é irrelevante. Existem dois tipos de nicho para um blog, o que ainda não foi feito e o que ainda não foi feito no seu idioma. Se o nicho existir você irá garantir visitação, mesmo em português. A diferença é que, usando a teoria dos conjuntos, descobrimos que um nicho em português pode não ser suficiente para sustentar um site.

Sites de futebol existem aos montes, mas quantos sites de Baseball em português a Internet brasileira comportaria?

Estou experimentando com esses conceitos, lançarei em breve um blog sobre humor em ficção científica, em inglês. São duas áreas que gosto e a receptividade nas listas que fiz um test-drive foi muito boa. No Brasil não teria esperança de um site desses conseguir mais de 200 visitas diárias, o que torna inviável o projeto.

Como reverter isso? Como fazer janta pra cinco tendo apenas um camarão? Mudo o site? Não, mudo o público.

Em inglês posso contar com a audiência potencial de milhões de geeks. Joguei o camarãozinho fora em prol de um peixe muito maior*.

* Eu sei que baleias são mamíferos, mas não vou mudar minha analogia por causa de um detalhe menor.

Technorati : , ,


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional SKO4

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.



Leia Também:

  • Olá, Cardoso! Por favor, algumas correções, se possível até mesmo no post…

    Quando fui contratada para editar o Business Opportunities Brasil, a idéia era traduzir os posts em Inglês da corporação Business Opportunities para o Português. Entretanto, muito da realidade americana foge do contexto da nossa 'blogosfera' – ou seja, um bom negócio lá não faz o mesmo sucesso aqui e vice versa, haja vista as diferenças sócio-culturais-econômicas entre os países envolvidos.

    Continuamos as traduções e ampliamos e espectro para notícias bilíngües e até mesmo algumas em espanhol. O resultado foi surpreendentemente positivo, tanto 'money wise' quanto em relação ao aumento do número de leitores.

    O Business Opportunities Brasil proporcionou-me grande reconhecimento e visibilidade na web, pois até o momento, sou a única mulher (e latina) a participar de uma corporação que conta com 11 editores estrangeiros, todos homens.

    Desta forma, surgiu a produção independente Virtual Entrepreneur, aproveitando um nicho de mercado bem pouco explorado por editores brasileiros. Se você é bilíngüe e tem leitores espalhados por todos os lados, por quê não proporcionar entretenimento e informação de acordo com seu público? O grande lance é a flexibilidade. As estatíscas são importantes e através delas é que mensuramos nossos focos. Blogs bilínguës também proporcionam melhores rendimentos no quesito 'anúncios', uma vez que não é muito parte de nossa cultura encher a empada alheia (brasileiro click menos nos ads do que o estrangeiro).

    Não acredito que um interessado em empreendedorismo na Internet tem familiaridade com o idioma inglês, muito menos é verdade que não me preocupo em traduzir o que 95% do público-alvo irá entender de qualquer jeito. Essa não é a nossa realidade. A maioria dos empreendedores brasileiros são de classe media baixa e empreendem mais por necessidade, contando com o apoio e orientação do Sebrae. Portanto, como citado supra, cada post para cada público. Se entendemos que alguma notícia internacional pode contribuir para o desenvolvimento econômico brasileiro, os textos são sim traduzidos, demandem eles o trabalho que for – não se esqueça de que, apesar de viver lá e cá, de ser casada com um estrangeiro e trabalhar massivamente para a comunidade internacional, sou brasileira sim e 'com muito orgulho, com muito amor' ;)

    A questão cross cultural é delicada, mas é muito bom saber andar de ônibus e de limousine… essa é a verdadeira liberdade de ir-e-vir.

    Anyway, please corrige meu nome – tá sobrando um M e faltando um N rsrs e obrigada pelos links :)

    []

    Cris Zimermann

    Business Oppotunities Brasil

    Virtual Entrepreneur

  • Corrigido ;)

    E sim, o ônibus é essencial. Nos meus tempos de estudante de publicidade meus amigos achavam um absurdo em aparecer lendo Contigo e similares.

    Bolas, se eu vou tivre que fazer um anúncio pra falar para leitores de Contigo como vou fazer, se não conheço o veículo e quem o lê? Não sou obrigado a gostar, já conhecer é essencial.

  • Excelente a sua análise!

    Eu por exemplo tenho um blog com pouquissimas visitas (raramente passa as 40 visitas diárias).

    Compreendo que o meu blog tem um grande problema: a maioria dos post's só podem ser "visitados" por quem tem banda larga devido à utilização de ficheiros de vídeo.

    Inicialmente estava com dificuldades em ter visitas aqui de Portugal, pelo que apostei em divulgar o meu blog no Brasil (tanto em listas de blog's como trocando link's com outros blog's) e a partir daí foi ver as visitas do blog a aumentar.

    Mas continuo com o grande entrave que é o blog ser praticamente dirigido para quem tem banda larga.

    E tal como eu, penso que muitos "blogueiros" têm o mesmo problema.

    Continuação de um excelente blog!

    el_lopez

  • Excelente tópico, parece que está lendo pensamentos…

    Há algum tempo, venho pensando em disponibilizar meu blog em 2 idiomas, só não consegui pensar direito em como fazer isso de uma forma simples, via plugin, já que as alterações necessárias para isto envolveriam mudanças no core do WordPress, o que me traria sérios problemas em atualizações.

    Até que possuo uma visitação bem razoável para um blog que fala de Sl em um país que prefere pagar dé real no camelo para adiquirir seu software do que estudar um pouco para ter uma alternativa gratuita, porém, se eu disponibilizasse meu conteúdo no idioma universal, acredito que o resultado seria bem melhor.

    Ainda vou arruamr uma solução eficiente para isso ;)

    Abraço.

  • Hi, my name is Great Leader Smith and I am the CEO of a Company that wishes to remain anonymous.

    Boa idéia, quem sabe um dia…

  • Cardoso,

    Sou leitor da Cris e cheguei ao Blog dela através de um comentário no meu Blog. Só aí descobri a maravilha que é o Blog dela. Moro fora do Brasil e dessa feita muitas vezes só sei dos acontecidos quando a leio. Me interesso bastante pela parte empreendedora, e utilizo por várias vezes o blog da Cris como referência para o que quero fazer aqui. Uma das matérias citadas era um link para o Sebrae, de como montar uma pousada. Apesar de viver aqui, aproveitei o material para montar nossa acomodação em Toronto :) Até teria material em Inglês, mas a nossa clientela é brasileira!

    Boa matéria, muito obrigado!

  • Excelente texto… tenho duas questões/indagações a fazer :-)

    Um CMS que pudesse tornar um blog sobre 50 assuntos mais semântico, não minimizaria o efeito citado no texto de desagradar 49 em 50 leitores? O leitor só leria o assunto do seu interesse!

    Escrever também em inglês, sem dúvida aumenta o número de leitores, MAS, também disputa com mais produtores de conteúdo! Pode ser, que dentro de certos nichos a equação não seja favorável!

    Só estou "pensando alto" !

  • Isso implica em trabalho pro visitante, Sergio. Em teoria é possível utilizar as categorias de um blog e tornar o site bem específico, mas muito pouca gente faz isso. O que acontece é a criação de blogs/sites acessórios, como o http://games.slashdot.org.

    A concorrência pode ser terrível, se você for competir com o http://www.thesuperficial.com para falar de celebridades, por exemplo. Mas e se… você fizer um site sobre receitas com frutas brasileiras, ou dicas para turistas?

  • Realmente, o usuário médio ainda não está acostumado a personailzar sua experiência com blogs :-(

    Vou começar a pesquisar receitas com frutas brasileiras :-)

    Falow

  • Só uma observação, comparar o UOL com o BoingBoing através do ranking do Alexa não é muito justo visto que 99% do público do UOL não usa a barra do Alexa ;)

  • Ahá! Mas eu não usei o Alexa para obter os dados do UOL.

  • Pingback: Bruno Alves » Blog Archive » Blog poliglotaPoliglot Blog()

  • Eu queria que vc alterasse ali o "quero um peixe maior" porque não só a Baleia não é peixe…como o camarão também não o é.

    XD Camarão é crustáceo

  • ahahahahah eu sei, a imprecisão total foi proposital.

    é pra não fazer sentido mesmo.

    curiosamente você foi o primeiro que pescou. (sem trocadilhos)

  • Eu optei pela alternativa mais trabalhosa, criei um novo site, inclusive com outro nome, mas que segue mais ou menos a linha da versão em português. Acho que isso dá mais liberdade para levar os sites para onde a maré indicar.