Como ganhar dinheiro na Internet: Primeiro, extermine seu designer

terminator.jpg

Antes que o Henrique, do Revolução, etc saia correndo gritando “eu não sou Sarah Connor”, uma explicação: Não é exterminar, exterminar, no sentido Arnold. É esquecer a moda da Web2.0, a neurose dos webstandards e acima de tudo, ter um modelo de negócios sólido. Isso vale tanto para a startup com 10 milhões de dólares de capital quanto para carrocinhas de cachorro-quente. Ou garotos que fazem malabarismo no sinal. Ou telemarketing. Ou blogueiros. (a escala hierárquica foi intencional).

O problema (ao menos para os designers) é que alguns produtos são tão bem-pensados, caem tão bem no gosto popular que quando você percebe, está preso a um layout “regular” (na melhor das hipóteses) e não pode mexer, pois o seu público já se acostumou com eles.

Já para o pessoal da área de produto, o pesadelo é o design lindo que o diretor comprou por uma fortuna, mas não tem nenhuma função OU não pode ser adaptado para o modelo de negócios da empresa.

Não se começa um modelo de negócios pelo layout, a não ser que você seja a Gisele Bündchen, mas a web 2.0 é o oposto disso. São sites com layout sem função, efeitos AJAX que comem recursos de servidor e poderiam ser aproveitados em outras coisas, Flash pra tudo que é lado, com cada um criando sua própria interface; oduto que é bom, nada.

Parece que alguém chegou para um escritório de design e pediu: “Quero um site web2.0, pra viagem. Sem cebola”

Enquanto isso, gente com modelos de negócios vencedores vive com um layout mais feio que meu extrato bancário. Exemplos?

ORKUT – Mais feio que aquilo, impossível. Desde as cores até os formulários. O tal do Orkut deve ser cego de pai e mãe. Mesmo assim tem milhões e milhões de usuários.

MYSPACE– O Orkut americano. Feio feito a necessidade. Retiro o que disse, o myspace é mais feio que o Orkut. Foi vendido por US$580 milhões.

DEL.ICIO.US – Essa desgraça que nunca consigo digitar certo da primeira tentativa consegue ser web2.0 com um layout pré-invenção do HTML. Agora deram uma melhorada e ele ficou só… irritante. Só que feio como a Zezé Macedo ao avesso,o del.icio.us é absolutamente brilhante, seu modelo de indexação por tags é usado por 100% de todo mundo que sequer pensa em tags.

Um exemplo clássico de site com um modelo de negócios vencedor e um design feito pelo Ray Charles bêbado é o PlentyofFish.com. Qual o conceito? Um site de encontros, como o tal do parperfeito, só que gratuito. Feito não para geeks, mas para gente que usa o computador como ferramenta, gente que sabe ler uma instrução, sabe olhar uma foto e tirar uma conclusão, sem se preocupar com AJAX, com XHTML ou sequer se a foto no thumbnail está achatada, fora de proporção.

Search Engine Optimizing? CSS? DHTML VALIDATED?

garbo.jpg

Até a Greta Barbo ri quanto escuta isso.

O código-fonte do Plentyoffish não tem UMA tag <DIV>. Para dizer que não usam CSS, há um link:

 <link rel="stylesheet" type="text/css" href="styletest.css"> 

Isso mesmo, uma folha de estilo chamada… TEST.

A maioria dos designers já cortou os pulsos, mas nem todos, então vamos acabar com os sobreviventes:

Essa porcaria dá MUITO, MUITO dinheiro. Vejam UM dos cheques do Google AdSense:

chequinho.jpg

Não está conseguindo ler? Clique na imagem. Sim, NOVECENTOS MIL DÓLARES. Essa coisa feia é o site de encontros número 1 da Internet, totalmente gratuito, ganhando de sites muito mais modernos, ativos e propositivos, como o Match.com.

Algum tempo atrás, sem cobrar assinatura, só com seus milhões de usuários, o criador e único responsável do site, Markus Frind. estava tirando US$10 mil / DIA. Apenas do AdSense.

Ele vai mudar o layout? EU não mudaria. Com uma renda dessas eu contrataria snipers para atirar em qualquer designer que ousasse passar na minha porta e sugerir mudanças no site.

O problema é. Eu gosto de um design bonito. Acho muito melhor uma página bem projetada, funcional e elegante do que uma porcaria em texto corrido, eu bato palmas diante de um site elegante. Sempre defendi investimentos em design em todos os BPs que participei.

Assim que puder contratarei os serviços de um bom designer, para resolver os meus sites. Só que, ao ver todos esses casos de feios vencedores, percebo que o foco é um só:

Os designers que me perdoem, mas conteúdo é fundamental.


O Contraditorium vive de doações. Não veiculo anúncios no blog. Somente sua colaboração me incentiva a escrever artigos cada vez melhores, sem rabo preso com anunciantes, partidos ou militâncias. Prestigie essa liberdade, faça uma doação. Use o PagSeguro no botão abaixo ou via PayPal com o email cardoso@pobox.com. Caso você tenha uma carteira PicPay,meu usuário é @carloscardoso. Caso não tenha e queira uma forma de transferir pequenas (ou grandes, de preferência grandes) quantias sem taxas, é só se inscrever.  Eles te darão R$10,00 para experimentar, basta utilizar meu código promocional CARDOSO

Toda moeda é bem-vinda, desde que seja de país com luz elétrica e água encanada.




Leia Também:

  • Noooossa mãe, vou fazer um plentyofcab.com, quem sabe assim também consiga tirar uma nota dessas por dia. =x

    Tu falou a chave de tudo: "conteúdo é fundamental". Embora seja bem importante trabalhar nessa palavrinha que a Greta Barbo rir: "Search Engine Optimizing".

  • Muito bom. Uma outra façe são os modelos que necessitam de design pra sobreviver imagine o camiseteria.com com um design de merda?

    Ok, em contrapartida temos o Mercado Livre com seu layout "pintinho amarelhinho" faturando milhões/mês.

    Falando em "design de merda" olha só isso: http://www.merda2000.hu

  • esse post vai me insprir pra lançar um novo post no meu blog. Ah, publicarei o link pra este post. Abraços

  • "Os designers que me perdoem, mas conteúdo é fundamental."

    Concordo plenamente e nem precisa pedir perdão para a "classe" de designers. Eu prefiro um site feio com bom conteúdo do que um bonito e ordinário.

    Mas eu não acredito (e nem posso acreditar) que a regra do "feio" com bom conteúdo sempre resulte em bom trafego. Usabilidade, acessibilidade, semântica, padrões web, SEO são os melhores amigos do marketing e nas mãos de quem sabe lidar bem com elas.

  • acho que vc precisa entender o que é design, em primeiro lugar, design é projeto e não simplesmente o visu de alguma coisa…

    O designer não trabalha apenas mudando cores, ou sugerindo usar um typo legal [ah, tá certo, typo = o que vc chama de font]. O trabalho de um designer inclui a ergonomia do sistema, a transmissão de valores, através de imagens, cores, posicionamento, etc…

    Layout bonito que não vende, é pq não tem design adequado!

  • Rafael: A questão é que um site sem NADA disso ainda vende, se for o produto que o visitante quer. Já um design LINDO ergonomicamente perfeito de nada adianta se o CONTEÚDO não for atraente. E no mundo real o design é quase sempre deixado por último, designers piam muito menos do que dão a entender nas faculdades de desenho industrial com ênfase em webdesigner.

    Henrique: Claro que não, o ideal é fazer bonito com conteúdo, mas entre ambos prefiro o conteúdo. Nunca vi um site lindo sem conteúdo crescer e se "conteudolizar", já o contrário é bem mais comum,

    Luciano: McLuhan já morreu. Se forma e conteúdo é a mesma coisa, experimente transformar um website em podcast e tente manter a audiência.

    Doufer: Exato. Casos como o da Camisteria ou o Revolução, etc são sites cujo principal ponto de venda é design. Se você não consegue aplicar o que defende nem no SEU site, que credibilidade resta? Eles conseguem. Esses são projetos corretos, com conteúdo E visual correndo lado a lado.

    Cab: A Garbo e o carinha do plenty of fish podem rir dessas coisas, a gente não ;)

  • *face com “ç” foi fod*…

  • "A separação conteúdo x forma se dá apenas na teoria, nunca na prática." eu Não concordo com isso, um tutorial impresso ou em vídeo passa essencialmente a mesma mensagem.

    E eu não estou querendo, estou mostrando casos onde o design não foi pensado por profissionais, onde nenhum dos conceitos de ergonomia e interface foram aplicados, e mesmo assim são produtos vencedores.

    Quanto a ser parte do produto, em um mundo ideal claro, mas na Web o ciclo normal de um produto só chega no designer quando já estão saindo de beta, e os usuários reclamando demais que "está muito feio". Quem diz quantos botões ou menos terá um sistema é o engenheiro, não o designer.

    O que, curiosamente, não explica o fato de todo engenheiro ser todo pelos produtos da Apple.

  • Interessante o texto, mas confunde vários conceitos:

    1) Design gráfico não é sinônimo de design. O design gráfico insere-se dentro da área maior de design. Teoria dos conjuntos.

    2) Forma não é estética. Design (mesmo o gráfico) nunca teve o foco na beleza de um produto.

    3) “O meio é a mensagem”. A separação conteúdo x forma se dá apenas na teoria, nunca na prática.

    []s!

  • Oi Cardoso,

    Mas transformando um website num podcast, não estaríamos mudando a forma da mensagem? E com isso, seu conteúdo e a própria mensagem?

    Você está tentando disassociar design de produto, tendo como referência o design gráfico. Quando design nada mais é do que projeto de produto. Projetar é alggo ruim?!

    []s!

  • Pingback: Thalis Valle Weblog. Tecnologia, Marketing e Design de Internet » Design E conteúdo()

  • Logo acima eu tinha dito que este post havia me inspirado, para que eu escrevesse um outro post. Pois bem, ta escrito. Os convido a ir até meu blog. Abraços

    http://www.thalisvalle.com

  • Cardoso, depende muito do tipo de site que está se tratando. Por que otimização do mecanismo de busca não é interessante para a dona do site de encontros? Oras, faça uma enquete para saber quantas pessoas já pesquisaram no Google para encontrar esse tipo de site.
    Se se for, por exemplo, uma loja online, como a Americanas.com, será que não vale a pena eles investirem para o site obter melhores posições no Buscapé?

    Voltando ao PlentyofFish (que raio de nome é esse?), você se contradiz ao citar o cheque do Google. Será que eles largaram o banner do AdSense em qualquer lugar, para ocupar espaço? Ou suas cores e localização foram pensadas e repensadas para atrair o máximo de cliques possível? Isso também é design.

  • Marcus, tirando mais de trezentos mil dólares / mês eu não mexeria em uma palha. Ainda mais JÁ SENDO o maior site do setor. Entenda, o site é um fusca. Funciona daquele jeito.

    Não é uma loja online.

    Quanto a me contradizer, não sei aonde. Visite o site, diga se há alguma coisa pensada e repensada, ou se alguém que faz um site daqueles tem ALGUMA noção de design.

    Gente, entendam. O Thalis fez um artigo inteiro dizendo que eu sou conta design. Precisa melhorar sua interpretação de texto. Não sou, sempre defendi o investimento em design, mas o que estou demonstrando é que CONTEÚDO é mais importante.

    Nenhum site lindo, funcional e bem-projetado, mas que não atende as necessidades de seus usuários, sobrevive.

    Vou dar outro exemplo aqui: Um dos sites mais visitados da Internet, em 29o na lista do Alexa.com:

    http://www.craigslist.com

    É um site de classificados, pra região de São Francisco. Vá lá. Visite. Clique em um dos posts.

    Com que cara você chegaria pro site de classificados mais visitados da Internet dizendo "seu site está uma merda, precisa melhorar?"

  • Sabrina

    Realmente, um site bonito e sem conteúdo é o mesmo que uma loira burra.
    Mas a discussão vai longe… se o site tem ou não tem conteúdo, não é problema do designer, o papel dele é deixar o site atrativo, inteligível e intuítivo. Claro que qualquer designer que se preze sabe que conteúdo é o motivo do site existir, mas as vezes é o cliente que não sabe disso.
    Esses sites que vc citou dão certo não pq são feios, mas pq funcionam. Não seria muito melhor se funcionassem e fossem bonitos?

  • Sabrina

    Como designer me senti ofendida… sério mesmo… como assim extermine seu designer?? Deveria ser “escute seu designer”.. deixa eu entrar no orkut e me cadastrar no “eu odeio o Carlos Cardoso”!
    :c)

  • Sabrina, eu soube que a comunidade morreu, uma pena.

    Quanto aos sites feios, não tem mais o que eles ganharem, já são líderes absolutos. O Orkut ser feio afasta alguém? Acho que só quem não estaria no orkut de qualquer forma.

    Repetindo o que já disse: CLARO que um site é melhor com um bom design, e CLARO que um designer tem que fazer parte de qualquer projeto,

    Só que ao contrário do que ensinam, de que um não sobrevive sem o outro, temos exemplos práticos de situações vencedoras onde o design não passou nem perto.

    É algo a ser imitado? NÃO, a lição aqui não é pra eliminar o design e assim ganhar dinheiro, a lição é para ter uma ideia de um bom produto, ANTES de pensar em “como o site vai ficar”.

  • Concordo com você. Mas eu parei de usar o del.icio.us e passei a usar o blinklist pelo design do blinklist. Mas a comunidade que tem no del.icio.us é muito maior, conseqentemente ele tem bem mais conteúdo.

  • Bom dio a todos.

    Cordoso, você disse: “O Thalis fez um artigo inteiro dizendo que eu sou conta design. Precisa melhorar sua interpretação de texto. Não sou, sempre defendi o investimento em design, mas o que estou demonstrando é que CONTEÚDO é mais importante.”

    deve-se tomar cuidado ao escrever os post. Um post deve ser bem claro, não com o intuito de mostrar que voc~e escreve bem, mas pra fazer com que o leitor entenda, sem dúvidas. E o que eu entendi e muito aqui foi sim, que você tem uma certa “cara virada” ao design. Você dá [+] valoao conteúdo? Mas que conteúdo? Texto informativo?

    No meu post eu, de uma maneira geral, disse que o layout é o conteúdo como um todo, e a faceta aí, é fazer o design abraçar a informação. os dois andam juntos.

  • Não sei, não sou designer, nem entendo muito disso, mas tenho notado que certos programas de TV também seguem essa lógica. Assim como sites, eles não têm um visual inovador ou bem trabalhado, mas mesmo assim dão certo, porque o conteúdo agrada ao público alvo. Não é regra nem exceção, mas acontece.

    Antes de qualquer coisa, o design tem que ser funcional ao target. Se para o público alvo a beleza é fundamental, então o design necessariamente tem que ser bonito.

    A questão é – e não vejo outra afirmação em seu post – aliar o conteúdo com a forma, agradando assim o usuário.
    Ou seja, o problema, antes do que construir design ou conteúdo, é identificar o que o público quer.

  • Design é importante, mesmo que ele não seja pensado. Quando dá certo sem ser pensado, como no caso do site de novecentos mil, foi construído ao acaso, mesmo que seja uma aberração.

    Certo é a questão de que design sem conteúdo é lixo, e conteúdo sem design é alguma coisa. Vide sindicalização de conteúdo.

  • Thalis, Claro que dou mais valor ao conteúdo. Se quer exemplos, releia a matéria e visite os sites citados. Está tudo lá.

    Desculpe se o mundo não funciona do jeito que você gostaria, mas sites feios também fazem sucesso.

    Gustavo: Exato, e nos casos apresentados o público não faz a menor questão de um design bonitinho, quer funcionalidade. Exemplo máximo? Aquela aberração do Fotolog. Eu AMO o Flickr, mas não sou cego para dizer que ele é complicado e careta pro público do fotolog.

    Só que o Fotolog não foi pensado como uma ferramenta para atingir adolescentes brasileiros, foi feito para um sujeito compartilhar fotos com os amigos, tudo ali foi essencialmente funcional, sem preocupações estéticas. Deu certo? Sim. Foi pensado para jovens brasileiros de 12 a 17 anos, classe AB? Duvido.

  • Olá Cesar,

    Sobre o que você falou sobre “Search Engine Optimizing? CSS? DHTML VALIDATED?”: isso não é estética e nem design, é parte do conteúdo.

    Um site pode ser feio aos olhos humanos, mas quanto mais legível for aos olhos de máquinas (leia-se google/yahoo/msn bots) maiores as chances do site ganhar visibilidade, e, se o conteúdo for bom, maiores as chances do autor ganhar dinheiro.

  • Cardoso, tudo bem. Entendo o seu ponto de vista e imaginar os meus pensamentos pra dizer: "Desculpe se o mundo não funciona do jeito que você gostaria, mas sites feios também fazem sucesso."

    Mas, Eu disse como eu gostaria que o mundo funcionasse? Pé no chão! Não sou eu que estou "ditando" as regras ou estou "revelando" a verdade suprema e absoluta. Há verdades e não, verdade.

    Entenda, sites feios também fazem sucesso, claro! Mas será que eles fazem sucesso justamente pela ausencia da beleza estética? Ou pela ausência de arquitetura funcional e ergonômica ou, resumindo, pela ausência do design?

    Sites feios podem fazer sucesso (devido ao conteúdo vasto e de valor) mas serão casos específicos onde sua meta é disponibilizar informação; atrair o target que busca informação e/ou conhecimento. Neste caso, se falarmos de estética e valor à imagem, para estes, no popular nós dizemos: toscos e sem conceito de imagem!

    Há quem vende imagem, há quem vende informação!

    Sites feios podem fazer sucesso, e sites "chiques" esteticamente falando, podem não depender de informação para ser sucesso!

    Abraços

  • Cardoso, estamos falando a mesma coisa, de jeito diferente. Você já viu algum site não ter algum tipo de conteúdo? Seria um site em branco.

    Não estou dizendo do conteúdo que remete à informação jornalística, diários on-line etc, blog com fórmulas secretas pra variadas coisas. Ou seja, assunto que não acaba mais…

    Um exemplo (em resposta): hotsites.

    Se a Coca-Cola redesenhar a embalagem de algum dos seus produto, e por campanha em hotsite, estampar apenas a imagem centralizada da embalagem na sua home, e criar uma ação de marketing em variadas mídias que crie a curiosidade de seu target em visitar o site, ela fará sucesso!

    Ou se a Nike resolver criar um slogan para dar o "troco" nas pessoas que criticaram a sua cria, Ronaldo "O Fenômeno", criando um banner de chamada ao site, ela fará sucesso!

    Tudo isso, trata-se de Marketing, Imagem!

    Volto a repetir: há quem vende imagem, há quem vende informação.

    A informação acaba sendo ajudada pela publicidade.

    A imagem e o marketing dependem da informação.

    E a informação não pode ignorá-las!

    Cada caso é um caso! Mas não como você coloca, de que site com conteúdo são mais importantes ou vendem mais, entendeu?

    Abraços

  • Há sites feios que fazem sucesso por causa de seu conteúdo. Um site chique SEM conteúdo NÃO fará sucesso. Desafio que me mostre UM site aclamado e visitado que seja lindo mas SEM conteúdo.

  • Depende do público.

    O que muitos esquecem é que a penetração da internet não é tão grande quando a da TV (por exemplo).

    O público que consome na internet, tem um percentual muito grande de pessoas que prezam mais a funcionalidade que a estética.

    Como deve saber possuo uma quantidade razoável de sites e posso afirmar por experiência própria, sites destinados ao público mais informatizado precisam de menos beleza que os destinados ao publico menos informatizado.

    Não gosto de revelar minhas estatisticas, mas possuo casos reais de sites que a idéia é boa, mas só começaram a “funcionar” com melhorias estéticas e outros que “funcionam” muito bem com o layout padrão do sistema que estão usando.

    Estou para começar um novo site, em breve, que será destinado ao público mais geral, menos informatizado e a primeira providência, foi contratar um designer.

    No caso deste site, o design será fundamental para que o site funcione.

    Abraço

  • Eu prefiro a beleza do site do que o conteúdo em si, óbvio que eu não vou ficar com um ruim bonito do que com um bom feio… mas se tiverem dois equilibrados… já fico nervoso quando vejo uma imagenzinha distorcida…

    a propósito, os anuncios do google no topo dá página tão uma droga de mau colocados ^^

  • Pingback: Bruno Alves » Arquivo » Del.icio.us Killer()

  • Zeh Antonio

    Até que enfim ouço uma coisa que já tinha sacado a ANOS. Essa historinha de "teoria das cores", mil e um "estudos" e pesquisas, só servem para otários encher os bolsos de espertos que fazem seus "manuais de identidade visual" e cobram milhares de reais.

    CONTEÚDO e FUNCIONALIDADE. Se não tiver " design ultra moderno " mas tiver ambos, bomba, com certeza.

    Quer coisa mais feia que o site do Yahoo até 2 anos atrás ? E, ao que me parece eles não perderam muito dinheiro com isso.

  • Pingback: Webdesigner, arquiteto da informação, técnico de seleção de futebol ou presidente da república. São ()

  • hehehehe, sendo assim vou passar a me desinformar para ver se fico rico hahhahahahaha, bom, mais a realidade mais cruel do que sensata eh que CONTENT IS EVERYTHING, infelizmente temos que reconhecer, quem tem conteúdo e informação a ser repassada, tem o domínio…

  • Luis

    Brilhante.

  • Henrique C. Alves

    Por essas e outras é que é bom ser um profissional completo: desenvolvedor E designer.

    É perfeitamente possível desenvolver (HTML, XML, PHP) e trabalhar o design do site (CSS, programas de desenho vetorial, edição de imagens)…

    O trabalho ganha identidade, como um todo, e ninguém precisa ficar batendo boca. Uma equipe formada com pessoas que conhecem um pouco de tudo é ainda melhor.

    Quanto ao conteúdo x design… Com certeza. A Web serve para transferir informação. Entende-se por informação não sendo *apenas* folhas de estilo e imagens bonitinhas.

    Abraço.

  • Comentário atrasado só pra dizer que esse pessoalzinho que acha que web 2.0 são só logos com reflexo, cores brilhantes e AJAX, simplesmente não entenderam porra nenhuma do que é de verdade web 2.0.

    A dreamhost é web 2.0, por exemplo. E isso desde bem antes da buzzword ser criada. Eles têm um sistema em que os usuários sugerem features, que eles implementam, têm um blog onde comentam os sucessos e fracassos da empresa. Ou seja, transparência e valorização do feedback do usuário. Isso é muito mais web 2.0 que AJAX e yellow fading technique…

    Outra coisa é que já li vários textos dizendo que sites feios costumam dar mais dinheiro. Por quê? Não sei. Mas que dão, dão. Isso é fato, os exemplos estão aí pra provar.

    E outra, você pode ter sucesso sem usar padrões web. Mas, se você usar, não vai deixar de ter sucesso e vai ter algumas outras vantagens. Então, se você sabe usar, vale à pena.

  • Guigoooo

    Design não é necessário apenas para deixar um website bonito. Acredito que estes sites que você referenciou, como o myspace, o orkut, o plenty-nao-sei-oque, deve ter tido alguma juda de um design sim, ou pelo menos seu desenvolvedor usou técnicas de design neles, para distribuição do contéudo, propaganda eficeinte, logotipo no lugar certo etc.

    Concordo plenamente com você em tudo, menos na sua visão do que é design.

  • Ezequiel

    Bom gostei dos comentários, sobre os sites,bom dos sites sitados, eu só conheço o orkut, eu particularmente não gosto.

  • Raphael.

    Nota: 0!

    Nunca mais acesso isso aqui!

  • Tá, tchau. Feche a porta quando sair.

  • Pingback: BrPoint.net || english » Blog Archive » Del.icio.us Killer()

  • O layout que eu conheço dos 300 sites que mais acesso é exatamente igual: o layout do Google Reader. Para não dizer que não há variação, às vezes os vejo no layout do Google Reader, mas na parte das vezes os vejo no layout do Google Reader Mobile.

    Alguns tem sites bonitos, outros não. Para mim não faz a menor diferença, eu não vejo os layouts quase nunca mesmo. Para mim só faltava uma maneira de inserir comentários via Google Reader.

    E para você, Cardoso, para mim e os outros todos, quem sabe uma maneira de ganhar dinheiro com esse acesso, via Google Reader. Porque, lendo no celular, as chances de eu chegar a gerar alguma coisa no AdSense deixariam Greta Garbo com dor de barriga.

  • Pingback: » - » Conteúdo é o rei do batatal Tableless.com.br - Web Standards com Farinha e Pimenta()

  • Nem oito, nem oitenta. Equilibrar as coisas já é o suficiente. Priorizando o conteúdo, mas não esquecendo do design.

  • Leandro

    Fazendo uma analogia, um site é com um carro

    conteudo = carro

    Layout = arcondicionado

    webstandarts = radio com mp3

    Ou seja, o que importa é o conteúdo, qualque outra coisa é acessório, se tiver melhor, traz vantagens. Mas não são necessários para o sucesso.

    Falowwwwwwwwwwwwwwwwwsss

  • Bom, em primeiro lugar… o texto está muito bom, pelo menos obedeceu a temática de que o conteúdo é o que interessa, pois de conteúdo está muito bem servido.

    No entanto, discordo de alguns pontos. A começar pela "definição" (entre aspas pois é notório que você não procurou definir, apenas exemplificar) de web 2.0, que dá a entender que o conceito de web 2.0 é sites bonitos, com ajax e flash, porém sem funções.

    Na verdade o conceito de web 2.0 real é muito mais próximo do que você procurou passar do que a comparação que você fez. Esse negócio de ênfase no conteúdo (que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido) também faz parte do conceito geral da web 2.0 criado pela O'Reilly.

    Web 2.0 é justamente fugir da pura estética em busca de design funcional e aproveitamento dos recursos disponíveis dos navegadores, das linguagens e das possibilidades futuras.

    Parabéns pelo artigo e por levantar esse assunto. Sempre é bom discutir e chegar a novas conclusões com textos como esses.

    []'s

  • quem dise que o orkut e os demais não tiveram um estudo, mesmo que simples, do design a ser adotado?

    tipo, não tem como você fazer um site hoje em dia sem dar a minima pra design, o del.ici.ous teve um toque de design sim, repare no padrão de cores adotado… na organização…

    se você ou mais alguém achou feio… aí é gosto… o craiglist eh horrendo, realmente aquilo ali… mas será que ele tem algum concorrente de peso? será que faz sucesso por ser único, não pesquisei…

    falaram da google… reparem que a google segue um padão, design simples e direto, isso significa que a google tem uma identidade, olha o design aí…

    sinceramente, antes de dizer pra exterminar o designer pense bem e recomende que o designer seja consultado, que a criação do design esteja de acordo com a proposta do cliente.

    acho que o designer não pode ser o centro das atenções ao criar um site, mas pregar o esquecimento dele… não ajuda em nada…

    cara, sinceramente, este post ficou confuso, no começo vc diz pra abolir o designer, no final diz que não tem nada contra?

    é realmente confuso, pondere mais antes de escrever.

  • Aldir Menezes

    Se vc mesmo faz sua prórpia pagina vc pode se dar ao luxo de fazer um layout meia-boca se não estiver com saco ou não souber fazer algo melhor. Agora no profissional é diferente, qualquer um que seja pago pra fazer layout, terá que fazer algo bonito, pelo menos, é isso que o cliente espera se estiver pagando. É até engraçado imaginar um designer chegar para o cliente, fazer uma pagina com um layout ruim e ainda falar pra ele "oque importa é o conteúdo" hahahahahaha…

    Profissional de verdade sabe fazer paginas bonitas com bom conteúdo sem que um não interfira no outro, basta ter bom senso e conhecimento, o resto é desculpa pra fazer trabalho pobre, rápido e de baixo custo.

  • Boa cardoso, concordo plenamente com isso, o layout pode ser o melhor do mundo, mas se o conteudo do site nao ajuda, as pessoas entram no site, olham o layout e nunca mais voltam, isso nao gera acesso fiel ao site, gera somente acessos ocasionais. o Conteudo é muito mais importante que um "simples" layout

    O Design é secundario, o que importa é o que o site tem para lhe oferecer e lhe mostrar. Forte abraço

  • adauto boa tem que ser visto para ser o mainhor abraso

  • texto maravilhoso

  • silvestre

    isso, enquanto CSS + WEBSTANDARDS significar WEB 2.0, você estará certíssimo em tudo o que disse!

    percebo também que o seu site é um exemplo aplicado de todo esse conhecimento, que transborda pelos seus poros

    parabéns!

  • hahaha…

    como designer venho dizer que conteúdo é realmente a base de tudo. Mas em dúvida, se tem problemas com o design os lucros podem ser MUITO maiores com um projeto DECENTE visando melhorar, e não visando os padrões da web.

  • Pingback: EspacoInfo.Net » A melhor forma de ganhar dinheiro()

  • nao importa

    a maioria aqui não sabe nem o que é design, web 2.0, usabilidade, layout ou qualquer conceito do gênero. fica difícil conversar exatamente sobre essas coisas com gente tão desinformada e baseada no "é feio porque é feio", mas vamos lá…

    orkut e myspace "pegaram" porque foram os primeiros sites de relacionamentos com MAIS funcionalidades expostas claramente que atendiam necessidades específicas sem que o usuário precisasse procurar muito pelos caminhos. ao contrário do que estão dizendo aqui, houve um designer sim, CLARO, e projetou o sistema muito bem

    no orkut as seções amigos, comunidades, a distribuição desses elementos na página é bem feita e isso é trabalho de ninguém mais que um designer, meus queridos…

    o myspace específico tem a interface beeem customizável, mas as seções em cima atendem necessidades rápidas, e ainda tá aqui um exemplo de um nada confuso http://www.myspace.com/unreadrecords

    entendam, design é projeto. layout resulta numa parte visível do projeto, mas tudo é feito em cima de um estudo de sistema de navegação. e isso não é só o conjunto de cores, uma fotinha bonitnha na home ou outra coisa que alguns burros insistem em dizer que são princípio-meio-e-fim do design. temos tais possibilidades de programação, e a maneira de utilizar esses recursos com funcionalidades do site que permitam uma navegação rápida é o ponto x.

    o craiglist é um exemplo especial de site com TANTA informação que dá nem pra separar por boxes. ali é um exemplo bizarro de antender MUUUUITAS necessidades. uma interface aparentemente simples (sim, é bem básica) mas que organiza essa quantidade gigante de informação de forma compreensível, rapidinho você se acha lá.

    conteúdo e organização desse conteúdo caminham lado a lado. organização é design. organização é layout.

  • Pingback: Guia do Dinheiro » Blog Archive » Dicas para ganhar dinheiro com blogs e sites()

  • eu achei os comentarios muito boins

  • minute leucocytopenia nusairis subpoenal axometry tractate maddingly byssolite
    Rutherford Equipment, Inc.

    http://www.spencerabbey.org/

  • Realmente eu não sei quem tem mais razão. Por isso vou falar por mim. Acredito sim que o Design tem sua importância, sou até meio crítico com isso, gosto de design. só que o que vejo é que a Internet Seja 0.1 1.0 ou web 2.0 está se tornando tão linda com seus flashs, padrões de cores, customizações, que não estamos nos dando conta do quão FÚTIL ela está se tornando. Já não dá mais para acreditar no que lemos, fazer um trabalho de escola ou facú e fod…. Enfim me maravilho quando acesso o Wikipédia, adoro acessar o pscode.com (feio pra caramba), enfim conteúdo em que geralmente posso confiar, e nada mais alem de conteúdo. Porém não sou muito fã de blogs, onde escrevem o que querem muitas vezes sem base ou apenas com um ctrl-c ctrl-v de outro blog me soa como "fofoquina". Enfim parabenizo o autor pelo post, só dou uma dica para ele não ser tão radical, pois conheço sim vários projetos de sucesso com ótimo design, mesmo porque como alguns disseram, design vai muito além de caracterização visual.
    Mais uma vez parabéns pelo post.

  • No isabelmarco's Moneymaker, somos pagos para clickar em publicidade e ver sites. O processo é simples! Só é preciso clickar num link e ver o site durante 30segundos para ganhar dinheiro. Podes ganhar mais comprado referidos. Recebes $0,01 ($0,015 para premium) por cada site que tu vejas e $0,007 ($0,01 para premium) por cada site que um referido teu veja. Os pedidos de pagamento podem ser feitos todos os dias e são processados pelo Alertpay o Paypal. O minimo para pagamento é $9,00.

    http://isabelmarco.com/?r=icam0005

  • RAPAZITO

    VCs todos só falam merda!

  • rodrigo junior

    Não li todos os comentarios pois são muitos.

    Vcs estão falando de Design e Conteúdo…

    Cadê a USABILIDADE no meio de tudo isso…

    SÓ PARA VCS PENSAREM…

    Abraço

  • bruno

    vi os comentarios desde o início e podemos observar que de lá pra cá o orkut mudou de layout! sim, não houve uma mudança brusca porém a interface mudou para melhor com certeza…
    Cardoso, entendo e até concordo em parte com você no fato de que o conteúdo é extremamente importante porém, o que lhe faz pensar que não há designers, sim! Designers (os quais vc sugeriu exterminar) por trás disso . Ora, design não é só estética! Não é só colocar um ursinho fofinho balançando os braços no topo de uma home… designer também estuda o target, estuda o briefing, o branding do sistema visual. O designer através de um estudo de tendências pode até afirmar: "Faça um site simples e funcional, só dê ao valor aos links em negrito"
    Por trás de sucessos como orkut e myspace há funcionalidade, baseada em conceitos que com certeza tiveram influência de pesquisas científicas voltadas ao design. A maior prova é o orkut com seu layout transformado e cada vez mais recheado de elementos gráficos, o usuário escolhe layouts para o carnaval, fim de ano, várias funcionalidades são acrescentadas e até bonecos virtuais fazem parte do sistema agora… Então a mudança na estética acompanhou a evolução de necessidades, tendências que foram se confirmando com o tempo.
    Por trás de um bom site , há Idéias , por trás das idéias há Conceito e por trás do conceito tbm há Design! Pq o bom designer vai muito além da estética, ele entende o conceito e a estética ou funcionalidade apenas manifesta o Conceito do produto.

  • luciano Freaza

    Quanto a importância do aspecto estético tudo depende do produto, serviço, modelo de negócio e da proposição de valor. Em muitos casos, imagens diferenciam produtos e serviços. As leituras feitas pelos scanners FMRI demonstram isso. Leiam sobre neuromarketing, psicologia e antropologia do consumidor e vejam os resultados convergentes das pesquisas. Conhecendo neurociência fica fácil entender como funciona a memória e as emoções e o que é relevante. Um site estéticamente pobre comprometeria o valor percebido de marcas como a Apple, Diesel, BMW, Absolute, Nokia, Nike e muitas outras marcas de sucesso.

    Não estou falando de design que é muito mais que isso. Me limito a falar do aspecto estético e simbólico apenas.

  • luciano Freaza

    Um Site estéticamente elaborado e com boa usabilidade transmite mais credibilidade. Eu ficaria receioso de dar o número de meu cartão de crédito para um site "feito nas coxas" e com aspecto amador a não ser que esse site possua uma imagem já construída ou que me seja indicado por alguém da minha confiança. Eu não contrataria um profissional liberal se a sua identidade visual é sofrível a não ser que eu possa encontrar provas de sua competência em algum outro lugar. Quanto maior o risco envolvido mais a empresa tem que transmitir credibilidade. Se o produto ou serviço é gratuíto ou de baixo valor ou baixo envolvimento o aspecto estético é menos importante. Vocês são capazes de imaginar um site que venda barcos de luxo com uma estética sofrível e fotos amadoras?